UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU - FURB      CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA COMUNICAÇÃO     COMUNICAÇÃO SOCIAL – PUBLICI...
Justificativa• Quadrinhos como meio de comunicação  são pouco estudados academicamente;• Crescimento do público adulto.
Objetivos• Entender como funcionam as histórias em  quadrinhos enquanto ferramenta de comunicação;• Descobrir de que forma...
Metodologia• Tipo: Pesquisa exploratória;• Técnica: Estudo de caso;• Abordagem qualitativa.
Principais autoresWill Eisner          Scott McCloud(1999 e 2008)          (2005 e 2006)
Revisão de literatura• Outros autores      • Entrevistados:  relevantes:           – Eduardo Axelrud;  – Axelrud (2012);  ...
O que são Histórias em     Quadrinhos?
• Falta de definição acadêmica apurada;• Leitura que impede a criatividade;• Para crianças.
“As histórias em quadrinhos podem serchamadas de ‘leitura’ num sentido muitomais amplo do que comumente aplicado          ...
Principaiselementos
Principais  elementos• Requadros
Principais  elementos• Requadros• Balões
Principais  elementos• Requadros• Balões• Onomatopeias
Principais    elementos•   Requadros•   Balões•   Onomatopeias•   Linhas e traços
Timing      O “Vão”“Matar um homementre os quadros é condená-lo a mil     mortes.”(MCCLOUD, 1993, p. 69,   tradução nossa)
Personagens• Empatia e  antipatia;• Envolvimento;• Identificação.
Humor“Uma peça bem-humorada valoriza a   inteligência e a perspicácia do            consumidor.”        (FIGUEIREDO, 2005,...
Leitores“Os quadrinhos ficaram na situação  de uma linguagem (artística, se  quiser) sem permissão para se           torna...
Bib’sEstudo de caso
Bib’s – O escurinho do cinema•   Criadas por Eduardo Axelrud e Régis Montagna;•   Veiculadas de 1994 à 1997;•   Caderno de...
Considerações finais• Entender como funcionam as histórias em quadrinhos enquanto  ferramenta de comunicação;          Cum...
Considerações finais• Uso da relação de cumplicidade autor/leitor;• Sua confiança depositada nos leitores quanto a  interp...
Considerações finais• O público de quadrinhos está crescendo;  – Quantidade;  – Idade.
Obrigada!            COMENTÁRIOS?Alexandra Presser
Bibs e as Histórias em Quadrinhos enquanto meio de comunicação eficaz.
Bibs e as Histórias em Quadrinhos enquanto meio de comunicação eficaz.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bibs e as Histórias em Quadrinhos enquanto meio de comunicação eficaz.

1.656 visualizações

Publicada em

TCC de Alexandra Presser, apresentado em 2012 sob a orientação de Larissa Schlögl, para obtenção do título de bacharel no curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, na FURB.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.656
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bibs e as Histórias em Quadrinhos enquanto meio de comunicação eficaz.

  1. 1. UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU - FURB CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO SOCIAL – PUBLICIDADE E PROPAGANDA OI! BIB’S E AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOSENQUANTO MEIO DE COMUNICAÇÃO EFICAZ Alexandra Presser Orientadora: Larissa Schlögl Msc. 2012
  2. 2. Justificativa• Quadrinhos como meio de comunicação são pouco estudados academicamente;• Crescimento do público adulto.
  3. 3. Objetivos• Entender como funcionam as histórias em quadrinhos enquanto ferramenta de comunicação;• Descobrir de que forma a linguagem dos quadrinhos cativa o leitor;• Identificar a eficácia das histórias em quadrinhos enquanto meio de comunicação, ao analisar o caso das tirinhas “Bib’s – o escurinho do cinema”.
  4. 4. Metodologia• Tipo: Pesquisa exploratória;• Técnica: Estudo de caso;• Abordagem qualitativa.
  5. 5. Principais autoresWill Eisner Scott McCloud(1999 e 2008) (2005 e 2006)
  6. 6. Revisão de literatura• Outros autores • Entrevistados: relevantes: – Eduardo Axelrud; – Axelrud (2012); – Mike Deodato Jr.; – Cagnin (1975); – Sydnei Gusman. – Meyer (2000).
  7. 7. O que são Histórias em Quadrinhos?
  8. 8. • Falta de definição acadêmica apurada;• Leitura que impede a criatividade;• Para crianças.
  9. 9. “As histórias em quadrinhos podem serchamadas de ‘leitura’ num sentido muitomais amplo do que comumente aplicado ao termo.” (EISNER, 1999, p. 7)
  10. 10. Principaiselementos
  11. 11. Principais elementos• Requadros
  12. 12. Principais elementos• Requadros• Balões
  13. 13. Principais elementos• Requadros• Balões• Onomatopeias
  14. 14. Principais elementos• Requadros• Balões• Onomatopeias• Linhas e traços
  15. 15. Timing O “Vão”“Matar um homementre os quadros é condená-lo a mil mortes.”(MCCLOUD, 1993, p. 69, tradução nossa)
  16. 16. Personagens• Empatia e antipatia;• Envolvimento;• Identificação.
  17. 17. Humor“Uma peça bem-humorada valoriza a inteligência e a perspicácia do consumidor.” (FIGUEIREDO, 2005, p. 65)
  18. 18. Leitores“Os quadrinhos ficaram na situação de uma linguagem (artística, se quiser) sem permissão para se tornar adulta.” (CAMPOS apud. GRAVETT, 2006, p. 11)
  19. 19. Bib’sEstudo de caso
  20. 20. Bib’s – O escurinho do cinema• Criadas por Eduardo Axelrud e Régis Montagna;• Veiculadas de 1994 à 1997;• Caderno de cinema da ZH – Porto Alegre;• 2 livros de compilações.
  21. 21. Considerações finais• Entender como funcionam as histórias em quadrinhos enquanto ferramenta de comunicação; Cumplicidade na interpretação• Descobrir de que forma a linguagem dos quadrinhos cativa o leitor; Elementos e linguagem própria• Identificar a eficácia das histórias em quadrinhos enquanto meio de comunicação, ao analisar o caso das tirinhas “Bib’s – o escurinho do cinema”.
  22. 22. Considerações finais• Uso da relação de cumplicidade autor/leitor;• Sua confiança depositada nos leitores quanto a interpretação das tirinhas;• Sua postura transparente quanto a mensagem a ser transmitida.• Comprovação com o aumento de 69% nas vendas, retorno dos leitores e altas vendas dos livros de compilação.
  23. 23. Considerações finais• O público de quadrinhos está crescendo; – Quantidade; – Idade.
  24. 24. Obrigada! COMENTÁRIOS?Alexandra Presser

×