FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS – FUPAC       ORGANIZAÇÃO DE ENSINO SUPERIORFACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE ITAJ...
INTRODUÇÃO:•A primavera é a época de maior incidência derinoconjuntivite alérgica;•É mistura de rinite com conjuntivite qu...
•   Geralmente de origem genética;• Tem sintomas parecidos com o de um resfriado, mas  não causa febre, cansaço ou mal-est...
DEFINIÇÃO:É uma inflamação das mucosas das vias aéreassuperiores, como mucosa nasal e mucosa ocular.
ETIOLOGIA• O sexo masculino é mais afetado pela alergia (infância);• Na fase adulta, a incidência é a mesma em ambos os se...
CAUSAS• Ácaros;• Pólen de flores;• Presença de animais domésticos e fungos;• Poluição;• Fumaça de cigarro;• Produtos de li...
SINAIS E SINTOMAS• Espirros;• Rinorréia;• Obstrução nasal;• Coriza;• Prurido nasal e ocular;• Lacrimejamento ocular;• Hipe...
TRATAMENTO• Anti-histamínicos: é o principal mediador responsável peloaparecimento dos sintomas característicos como o pru...
PREVENÇÃO• Retirar do ambiente os objetos que possam acumular pó, comocarpete, tapetes, cortinas e brinquedos de pelúcia; ...
CONCLUSÃO  A importância do diagnóstico e tratamento, além de curarou controlar as rinites, é evitar suas consequências, p...
REFERÊNCIAS•Blog da alergia  Disponível em<http://blogdalergia.blogspot.com.br/2010/05/imunoterapia-ou-vacina-para-alergia...
Rinoconjuntivite
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rinoconjuntivite

1.597 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.597
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rinoconjuntivite

  1. 1. FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS – FUPAC ORGANIZAÇÃO DE ENSINO SUPERIORFACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE ITAJUBÁ ENFERMAGEM RINOCONJUNTIVITE ALÉRGICA Trabalho apresentado ao prof. MSc. Luiz Prudêncio Santos, na disciplina de Imunologia, no 4º período do curso de Enfermagem, para obtenção de pontos. ALUNOS: CINTIA GARCIA FERNANDA CALADO RONALDO EDUARDO
  2. 2. INTRODUÇÃO:•A primavera é a época de maior incidência derinoconjuntivite alérgica;•É mistura de rinite com conjuntivite que resulta dainflamação da mucosa do nariz e da mucosa dos olhos;•Se caracteriza por espirros frequentes, obstrução nasal,coceira no nariz e nos olhos, lacrimejamento e inchaçodas pálpebras.
  3. 3. • Geralmente de origem genética;• Tem sintomas parecidos com o de um resfriado, mas não causa febre, cansaço ou mal-estar;• Não existe cura para este ou outros tipos de alergias;• O tratamento inclui os colírios e medicamentos antialérgicos.
  4. 4. DEFINIÇÃO:É uma inflamação das mucosas das vias aéreassuperiores, como mucosa nasal e mucosa ocular.
  5. 5. ETIOLOGIA• O sexo masculino é mais afetado pela alergia (infância);• Na fase adulta, a incidência é a mesma em ambos os sexos;• As crianças com sintomas mais intensos podem apresentardistúrbio do sono, irritabilidade e até perda de rendimentoescolar;• A rinoconjuntivite alérgica primaveril é provocada por pólensdas flores, árvores e gramíneas, existe também a rinoconjuntivitealérgica persistente, que ocorre durante o ano todo.
  6. 6. CAUSAS• Ácaros;• Pólen de flores;• Presença de animais domésticos e fungos;• Poluição;• Fumaça de cigarro;• Produtos de limpeza e higiene.
  7. 7. SINAIS E SINTOMAS• Espirros;• Rinorréia;• Obstrução nasal;• Coriza;• Prurido nasal e ocular;• Lacrimejamento ocular;• Hiperemia da conjuntiva;• Edemas nas pálpebras.
  8. 8. TRATAMENTO• Anti-histamínicos: é o principal mediador responsável peloaparecimento dos sintomas característicos como o prurido nasal eocular, coriza e espirros.• Corticoides intranasais: redução da inflamação da mucosa nasal,levando à melhora da obstrução nasal, do prurido, espirros, bemcomo da rinorréia.• Cuidados ambientais já evitam a manifestação dos sintomas darinoconjuntivite alérgica persistentes.
  9. 9. PREVENÇÃO• Retirar do ambiente os objetos que possam acumular pó, comocarpete, tapetes, cortinas e brinquedos de pelúcia; revestircolchões e travesseiros com capas específicas para alérgicos;• Evitar que o alérgico permaneça no local durante a limpeza doambiente• Caso ele realize a limpeza, utilizar máscara protetora; e evitar apresença de animais de estimação no mesmo ambiente doalérgico.
  10. 10. CONCLUSÃO A importância do diagnóstico e tratamento, além de curarou controlar as rinites, é evitar suas consequências, pois, sãoelas que provocam grandes transtornos. Com o estudo desta patologia aprendemos a importânciade algumas alergias, principalmente as de temporada quenão se dá muita importância por ser passageira, mas, háestudos que tentam provar que as alergias intermitentes temligação com o espessamento das paredes das artérias que porconsequência podem ser causadoras de problemas cardíacos.
  11. 11. REFERÊNCIAS•Blog da alergia Disponível em<http://blogdalergia.blogspot.com.br/2010/05/imunoterapia-ou-vacina-para-alergia.html >. Acesso em 12 nov 2012.•BRITO, Rita de Cássia CM; SILVA, Gisélia AP da; MOTTA, Maria EFA  e BRITO, Murilo CA. Associação de sintomas de rinoconjuntivite e asma emadolescentes. Rev Port Pneumol[online]. 2009, vol.15, n.4, pp. 613-628. ISSN0873-159. Disponivel em <http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/scielo.php?pid=S0873-21592009000400004&script=sci_arttext>. Acesso em 12 nov 2012.•Ciência hoje disponível em:http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=45089&op=all Acesso: em 12 nov.12.

×