Atividades De EducaçãO Corporativa No Brasil

2.158 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.158
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
45
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividades De EducaçãO Corporativa No Brasil

  1. 1. MDIC STI MEC SEMTEC MTE SPEE <ul><li>III OFICINA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA </li></ul><ul><li>ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL: </li></ul><ul><li>CONTRIBUIÇÕES PARA O ESTABELECIMENTO DE UM </li></ul><ul><li>PLANO DE AÇÃO </li></ul><ul><li>BASEADO EM TRABALHO DE CONSULTORIA </li></ul><ul><li>PRESTADO À STI/MDIC por Afrânio Carvalho Aguiar </li></ul><ul><li>BRASÍLIA, MAIO DE 2005 </li></ul>
  2. 2. OS PASSOS ANTECEDENTES ... <ul><li>- AS AÇÕES DE CARÁTER ESTRUTURAL NO CONTEXTO DA POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR: OS FORUNS DE COMPETITIVIDADE </li></ul><ul><li>- AS AÇÕES DE CARÁTER SISTÊMICO: INCREMENTO DA INCORPORAÇÃO </li></ul><ul><li>DE CONHECIMENTO NA ATIVIDADE PRODUTIVA </li></ul><ul><ul><li>Apoio de órgãos governamentais às atividades de Educação Corporativa desenvolvidas nas empresas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>I Oficina de EC – dezembro 2003 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>II Oficina de EC – maio 2004 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Levantamento do panorama da EC no Brasil – março/abril 2004 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Diagnóstico dos problemas que afetam a EC no Brasil e proposição de um plano de ação governamental: em curso </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A criação da ABEC – Associação Brasileira de Educação Corporativa – maio 2004 </li></ul></ul></ul>
  3. 3. JUSTIFICATIVAS <ul><li>A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO COMO FATOR DE </li></ul><ul><li>COMPETITIVIDADE </li></ul><ul><li>INCREMENTO EXPONENCIAL NO NÚMERO DE CORPORAÇÕES QUE </li></ul><ul><li>ESTRUTURAM SUAS ATIVIDADES DE EC, PRINCIPALMENTE A </li></ul><ul><li>PARTIR DO ANO 2000. </li></ul><ul><li>NECESSIDADE DE HARMONIZAÇÃO, COMPLEMENTARIDADE E </li></ul><ul><li>FOCO NAS AÇÕES GOVERNAMENTAIS, EM TODOS OS NÍVEIS, </li></ul><ul><li>VISANDO O APOIO ÀS ATIVIDADES DE EC </li></ul><ul><li>OPORTUNIDADE DE INDUÇÃO DE ORIENTAÇÕES QUE </li></ul><ul><li>CONTRIBUAM PARA CONFERIR ÀS ATIVIDADES DE EC UM </li></ul><ul><li>CARÁTER SINTONIZADO COM A POLÍTICAS SOCIAIS MAIS </li></ul><ul><li>AMPLAS, RELACIONADAS COM INCLUSÃO SOCIAL, VALORIZAÇÃO </li></ul><ul><li>DO TRABALHO E DA CIDADANIA </li></ul>
  4. 4. FUNDAMENTOS E SUBSÍDIOS UTILIZADOS NA PROPOSIÇÃO DO PLANO DE AÇÃO <ul><li>INFORMAÇÕES DECORRENTES DAS MANIFESTAÇÕES DE </li></ul><ul><li>PARTICIPANTES (DIRIGENTES DE UNIDADES DE EC, ACADÊMICOS </li></ul><ul><li>E DIRIGENTES DE ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS) DURANTE A </li></ul><ul><li>REALIZAÇÃO DA I E DA II OFICINAS DE EC </li></ul><ul><li>POSIÇÕES DETECTADAS NO MEIO ACADÊMICO (DIRIGENTES E </li></ul><ul><li>PROFESSORES/ PESQUISADORES ) </li></ul><ul><li>ENTREVISTAS COM DIRIGENTES DE UNIDADES DE EC E DA ABEC </li></ul><ul><li>LITERATURA NACIONAL E INTERNACIONAL </li></ul><ul><li>INFORMAÇÕES OBTIDAS POR MEIO DOS QUESTIONÁRIOS DE </li></ul><ul><li>COLETA DE DADOS </li></ul>
  5. 5. CRITÉRIOS CONSIDERADOS NA PROPOSIÇÃO DO PLANO DE AÇÃO <ul><li>DEMANDA </li></ul><ul><li>RELEVÂNCIA DAS ATIVIDADES </li></ul><ul><li>VIABILIDADE OPERACIONAL </li></ul><ul><ul><li>CONHECIMENTO, TECNOLOGIA, METODOLOGIAS </li></ul></ul><ul><ul><li>RECURSOS HUMANOS </li></ul></ul><ul><li>VIABILIDADE POLÍTICA </li></ul><ul><li>CUSTO FINANCEIRO </li></ul>
  6. 6. AÇÕES SUGERIDAS <ul><li>SENSIBILIZAÇÃO DA COMUNIDADE ACADÊMICA </li></ul><ul><ul><li>AÇÕES DE RESPONSABILIDADE GERAL </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>DIVULGAÇÃO DO CONCEITO, OPERACIONALIDADE E INSTRUMENTOS </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>AÇÕES DE RESPONSABILIDADE DOS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>ARTICULAÇÃO COM OS MEIOS ACADÊMICOS, EM ESPECIAL COM OS FORUNS DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>AÇÕES DE RESPONSABILIDADE DO SETOR EMPRESARIAL </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>EM ESPECIAL ATRAVÉS DA ABEC, PARTICIPAÇÃO NOS EVENTOS DAS PRÓ-REITORIAS DE EXTENSÃO </li></ul></ul></ul><ul><li>MECANISMOS DE CERTIFICAÇÃO </li></ul><ul><ul><li>AVALIAÇÃO DA LEGISLAÇÃO VIGENTE </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>GRUPO DE TRABALHO INTERMINISTERIAL (EM ANDAMENTO) </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>AÇÕES DE RESPONSABILIDADE DOS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS </li></ul></ul><ul><li>INCENTIVOS E ESTÍMULOS </li></ul><ul><ul><li>AÇÕES DE RESPONSABILIDADE GERAL </li></ul></ul><ul><ul><li>AÇÕES ESPECÍFICAS </li></ul></ul>
  7. 7. AÇÕES SUGERIDAS <ul><li>METODOLOGIAS, MODELOS E INDICADORES </li></ul><ul><ul><li>ESTÍMULO AO DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS E DE METODOLOGIAS </li></ul></ul><ul><ul><li>ESTÍMULO ÀS AÇÕES DE INTERCÂMBIO, NO PAÍS E NO EXTERIOR </li></ul></ul><ul><ul><li>DIVULGAÇÃO AMPLA DE METODOLOGIAS, MODELOS E INDICADORES IDENTIFICADOS </li></ul></ul><ul><li>MENSURAÇÃO DO ESFORÇO EMPREENDIDO PELAS CORPORAÇÕES </li></ul><ul><ul><li>AÇÕES DE ARTICULAÇÃO </li></ul></ul><ul><ul><li>OUTRAS AÇÕES </li></ul></ul><ul><li>SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SOBRE ATIVIDADES DE EC </li></ul><ul><ul><li>DEFINIÇÃO DO BANCO DE DADOS: CONTEÚDO, SOFTWARE </li></ul></ul><ul><ul><li>DIVULGAÇÃO </li></ul></ul>
  8. 8. MECANISMOS DE IMPLEMENTAÇÃO <ul><ul><ul><ul><li>APERFEIÇOAMENTO E VALIDAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>DISTRIBUIÇÃO DE RESPONSABILIDADES </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>FORMALIZAÇÃO DO COMITÊ GESTOR </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>IDENTIFICAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO TEMÁTICOS </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>DEFINIÇÃO DE METAS E DE MECANISMOS DE ACOMPANHAMENTO </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>DEFINIÇÃO DE FONTES DE RECURSOS FINANCEIROS PARA COBERTURA DOS CUSTOS DE IMPLEMENTAÇÃO DAS AÇÕES (VIAGENS, CONSULTORIAS, SERVIÇO DE INFORMAÇÃO, ...) </li></ul></ul></ul></ul>
  9. 9. CONCLUSÃO <ul><li>A AÇÃO ARTICULADA: SERÁ RESULTADO DE UMA CONSTRUÇÃO </li></ul><ul><li>CONJUNTA </li></ul><ul><li>RESPONSABILIDADE DAS EMPRESAS, ÓRGÃOS PÚBLICOS E UNIVERSIDADES </li></ul><ul><li>IMPOSSIBLIDADE DE DEFINIÇÃO DE UM MODELO COMUM A TODAS AS </li></ul><ul><li>CORPORAÇÕES: AS NECESSIDADES SÃO INDIVIDUALIZADAS </li></ul><ul><li>GRANDES CUSTOS ENVOLVIDOS: CONVENIÊNCIA DO </li></ul><ul><li>COMPARTILHAMENTO </li></ul><ul><li>DIFICULDADES E OBSTÁCULOS COMUNS: BUSCA CONJUNTA DE SOLUÇÕES </li></ul><ul><li>NECESSIDADE DE IDENTIFICAÇÃO/VIABILIZAÇÃO DE MECANISMOS MAIS </li></ul><ul><li>INCLUSIVOS: O CASO DAS MÉDIAS/PEQUENAS EMPRESAS. PARCERIAS? </li></ul><ul><li>PROCESSOS MUITO RECENTES. FALTA EXPERIÊNCIA A TODOS... </li></ul>
  10. 10. CRIAÇÃO DE UNIDADES DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL
  11. 11. ALGUMAS EMPRESAS NO BRASIL, ENVOLVIDAS EM ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA
  12. 12. EXPECTATIVAS DE AÇÃO GOVERNAMENTAL <ul><li>ITENS DO QUESTIONÁRIO </li></ul><ul><li>INDICAÇÕES ESPONTÂNEAS </li></ul><ul><ul><li> </li></ul></ul>

×