A Prática da Divulgação
        Científica

            Prof. Dr. Marcelo Knobel
            Instituto de Física Gleb Wata...
Discussão – Questão 1

     Einstein estava errado?
     Einstein estava errado? Novos dados provam que o Universo é
     ...
Discussão – Questão 2
 Quantum Reading : The Power to Read Your Best by Bobbi
 DePorter, Mike Hernacki (Contributor) (Pape...
Discussão – Questão 4
                  Agora, falar ao celular em posto de gasolina vai dar multa de 400
                ...
Discussão – Questão 5
             Terapia Magnética
Travesseiros Terapêuticos ZiFF - Proporcionam um
sono profundo e revi...
Discussão - Questão 6




Discussão - Questão 6




                        6
Discussão - Questão 7

 No volume primavera/verão de 1996 (pp. 217-
 252), a revista Social Text publicou um artigo
 de Al...
Discussão – Questão 8
Alguns iniciados em Percepção extra-
sensorial afirmam que ela de fato existe, mas
ela não pode ser ...
Discussão – Questão 10

A homeopatia funciona?
http://www.nib.unicamp.br/recursos/homeopatia/
A homeopatia como ciência: U...
O que é Ciência?
                •Um conjunto de fatos e teorias
                que explicam esses fatos.

              ...
Então, o que é Ciência?

     “Science is neither a philosophy nor a belief system. It is
     a combination of mental ope...
Ciência: Aspectos cruciais

    Experimento (ou observação)
    Hipótese
    Teoria
    Predição
    Modificação

    Todo...
Ciência: critérios de demarcação

Século XX
  Racionalismo Crítico – Karl R. Popper (1902-
  1994)
     Crítica ao positiv...
Pseudociência
“Uma “teoria” não-científica que parece com
  ciência”


  Por que se preocupar?
     Aumentar a credibilida...
“Terapias Alternativas”
Brasil:
    50 mil terapeutas alternativos (número que cresce 20%
    ao ano).
    Movimenta em to...
Oito pontos importantes
Rumores NÃO são iguais à realidade
Inexplicado NÃO é inexplicável.
Correlação NÃO significa causa-...
Ciência vs. Pseudociência
Muitas coisas não são ciência, mas
também elas não pretendem ser.
 Arte
 Teologia
Pseudociências...
O apelo da Pseudociência

 É mais fácil ignorar todas as
 checagens, balanços e trabalho chato!
 É mais fácil acreditar na...
Por que as pessoas acreditam em
       Pseudociência?
      Crença em evidência anedótica
      Correlação não implica em ...
Distinguindo Ciência de
 Pseudociência


                            Baseado em:

                    Baloney Detection Ki...
Sete indícios de Pseudociência
2. Usam linguagem “Científica” para ser convincente
   A linguagem científica não faz a Ciê...
Sete indícios de Pseudociência
     Outro exemplo (cientistas):
     Stanley Pons e Martin Fleischmann anunciaram ao
     ...
Sete indícios de Pseudociência
5. Comparam-se a outsiders e heréticos famosos,
   que hoje em dia são aceitos.
  Eles rira...
Sete indícios de Pseudociência
  7. Se não foi explicado pela ciência, então é um
     verdadeiro mistério paranormal.
   ...
O que podemos fazer?

     “Thinking is skilled work. It is not true that we are
     naturally endowed with the ability t...
A inteligência e educação podem
      nos proteger?
2. Educação geral e a promoção de uma “mente aberta”
  Há evidências q...
Links
What’s New by Bob Park - http://www.aps.org/WN/
Science, Pseudoscience, and Irrationalism -
http://www.uwgb.edu/dutc...
Livros – Top Ten (Skeptics Society)
The Demon Haunted World: Science as a Candle in the Dark by Carl
     Sagan
Why People...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Divulgacao Cientifica

2.009 visualizações

Publicada em

Aula geral sobre divulgação científica. Marcelo Knobel, Labjor/Unicamp.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.009
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Divulgacao Cientifica

  1. 1. A Prática da Divulgação Científica Prof. Dr. Marcelo Knobel Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW) – UNICAMP Coordenador do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade – NUDECRI/UNICAMP http://www.ifi.unicamp.br/~knobel Resumo O papel do cientista na divulgação científica e tecnológica: exemplos ilustrativos. Ciência vs. Pseudociência O que cada um de nós pode fazer? 1
  2. 2. Discussão – Questão 1 Einstein estava errado? Einstein estava errado? Novos dados provam que o Universo é plano, derrubando de vez a curvatura do físico alemão Norton Godoy, Istoé Online, 11 de maio de 2003, http://www.terra.com.br/istoe/1596/ciencia/1596einstein.htm Neoiluminismo, Einstein estava errado ! Faço esta afirmação sem medo pois muito mais ousado foi Einstein ao afirmar que Newton estava errado.O TEMPO NAO E RELATIVO MAS SIM ABSOLUTO E UNIVERSAL; http://www.showdalua.com/neoilum1.html A Relatividade do Errado, de Isaac Assimov, http://www.str.com.br/Str/relatividade.htm Discussão – Questão 2 Busca “Quantum” na http://www.amazon.com Resultados: Quantum Healing: Exploring the Frontiers of Mind Body Medicine by Deepak Chopra Quantum Touch: The Power to Heal by Richard Gordon, Eleanor Barrow (Illustrator), Carrie Toder (Illustrator), C. Norman Shealy Energy Medicine by Donna Eden, et al (Paperback) Energy Tapping by Fred P. Gallo, Harry Vincenzi (Paperback) Ageless Body, Timeless Mind: The Quantum Alternative to Growing Old by Deepak, M.D. Chopra (Paperback) “Cada um de nós é um campo localizado de energia e informação, com loops de realimentação cibernética interagindo com um campo não-local de energia e informação.” 2
  3. 3. Discussão – Questão 2 Quantum Reading : The Power to Read Your Best by Bobbi DePorter, Mike Hernacki (Contributor) (Paperback) Hottips for Teachers: 30 Steps to Student Engagement by Mark Reardon, Rob Abernathy (Paperback) Quantum Notes : Whole-Brain Approaches to Note-Taking by Bobbi DePorter, Mike Hernacki (Contributor) (Paperback) Quantum Memory : Working Magic with Your Memory by Bobbi DePorter, Mike Hernacki (Contributor) (Paperback) Quantum Pathways: Discovering Your Personal Learning Style by Bobbi DePorter, Mike Hernacki (Contributor) (Paperback) Discussão – Questão 3 Feng-Shui 3
  4. 4. Discussão – Questão 4 Agora, falar ao celular em posto de gasolina vai dar multa de 400 reais A prefeita Marta Suplicy regulamentou a lei na semana passada. Quem for pego usando celular pagará a multa, cujo valor dobra em caso de reincidência. O motivo seria evitar que ondas eletromagnéticas ou mesmo uma faísca produzida pelo aparelho venham a explodir os tanques de combustível, o que é considerado muito improvável por especialistas. André Valentim. Veja SP, 12/05/2003. http://veja.abril.com.br/vejasp/140503/misterios.html Considerado uma lenda urbana (status: false) na página http://www.snopes.com/autos/hazards/gasvapor.asp Veja ainda: Cellular Phone Antennas (Mobile Phone Base Stations) and Human Health http://www.mcw.edu/gcrc/cop/cell- phone-health-FAQ/toc.html http://revistagalileu.globo.com/Galileu/0,6993,ECT560636-1726,00.html Governo propõe alerta sobre males do celular Quarta-feira, 15 de outubro de 2003 Foi aprovado na segunda (13) pela Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Minorias, o Projeto de Lei 3196/00, que obriga fabricantes de celulares a alertarem sobre a possibilidade de danos à saúde causados pelo uso dos aparelhos. O PL é de autoria do presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT- SP), e diz que a propaganda de telefones celulares nos meios de comunicação deve conter a mensagem quot;O uso contínuo de aparelhos de telefonia celular pode causar danos à saúdequot; na forma falada e/ou escrita. Segundo a Agência Câmara, pela proposta a mesma advertência deverá aparecer em embalagens, manuais, pôsteres e cartazes de telefones celulares quando os produtos não se destinarem à exportação. O descumprimento da determinação pode valer multa de 10 mil reais por lote do produto ou peça publicitária veiculada. Na reincidência, será acrescido mais um terço do valor à multa. quot;Embora não haja resultados conclusivos sobre os danos causados à saúde pela radiação eletromagnética emitida pelos aparelhos celulares, na maioria dos países estão sendo adotadas medidas de advertência no sentido de que o uso contínuo de aparelhos de telefonia celular pode causar danos à saúdequot;, disse o relator da proposta, o deputado Nelson Bornier. quot;A ausência da certeza científica não elimina a necessidade absoluta de um alerta ao consumidor sobre o risco que está correndoquot;. Ainda segundo a Agência Câmara, o relator apresentou substitutivo para incorporar à proposta dispositivos previstos no Projeto de Lei 3665/00, que diz que o descumprimento da determinação sujeitará o infrator às sanções administrativas previstas no artigo 9 do Código de Defesa do Consumidor - que diz que o fornecedor de produtos e serviços potencialmente nocivos ou perigosos à saúde ou segurança deve informar, de maneira ostensiva e adequada, a respeito de sua nocividade ou periculosidade. A proposta segue agora para exame das comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Redação. http://info.abril.com.br/aberto/infonews/102003/15102003-5.shl 4
  5. 5. Discussão – Questão 5 Terapia Magnética Travesseiros Terapêuticos ZiFF - Proporcionam um sono profundo e revitalizador, respeitando a anatomia da cabeça, dos ombros e, principalmente, sem forçar a coluna, ajudando a prevenir uma série de problemas à sua saúde, pela melhor posição circulação. http://www.ziff.com.br/ The more extreme claims of magnetic therapy, such as curing cancer by hanging supermagnets around your neck, are not only nonsense but also dangerous, since they may divert patients from seeking appropriate treatment from mainstream medicine. Magnetic jewelry and most other magnetic-therapy products probably are harmless beyond a waste of money. James D. Livingston http://www.csicop.org/si/9807/magnet.html Veja também: http://www.quackwatch.org/04ConsumerEducation/QA/magnet.html Discussão - Questão 6 • Hendrick Schon – Lucent Bell Laboratories “Superstar” • 80 papers em revistas como Science e Nature • Um comitê da Lucent encontrou que 17 de seus trabalhos continham dados fraudulentos ou fabricados. Ver relatório da Lucent em: http://www.lucent.com/news_events/pdf/researchre view.pdf As revistas retiraram os seus trabalhos. Ele foi demitido, e expulso das sociedades a que pertencia. 5
  6. 6. Discussão - Questão 6 Discussão - Questão 6 6
  7. 7. Discussão - Questão 7 No volume primavera/verão de 1996 (pp. 217- 252), a revista Social Text publicou um artigo de Allan Sokal, Professor de Física na New York University, ititulado quot;Transgressing the Boundaries: Towards a Transformative Hermeneutics of Quantum Gravity.quot; Ele publicou simultaneamente outro artigo, onde conta a farsa. Publicou depois um livro, chamado “imposturas intelectuais”, criticando os intelectuais, principalmente da esquerda francesa, e o pós-modernismo. Discussão - Questão 7 Gerou um amplo debate no mundo… http://www.physics.nyu.edu/faculty/sokal/ http://www.math.tohoku.ac.jp/~kuroki/Sokal/ http://www.csse.monash.edu.au/community/p ostmodern.html http://www.physics.nyu.edu/faculty/sokal/daw kins.html http://www.physics.nyu.edu/faculty/sokal/entr evista_USP.html 7
  8. 8. Discussão – Questão 8 Alguns iniciados em Percepção extra- sensorial afirmam que ela de fato existe, mas ela não pode ser checada cientificamente pois os experimentos sempre fazem a percepção desaparecer. Qual seria a sua resposta a esse argumento? Com relação à ciência, então, a percepção extra-sensorial existe ou não? Discussão – Questão 9 Suponha que ocorra um terremoto, e no dia seguinte cinco pessoas afirmam que sonharam com um terremoto na noite anterior. Isso é alguma evidência que os sonhos podiam prever os eventos catastróficos? Aproximadamente quantos sonhos ocorrem no país todas as noites? É provável que cinco deles sejam sobre terremotos? 8
  9. 9. Discussão – Questão 10 A homeopatia funciona? http://www.nib.unicamp.br/recursos/homeopatia/ A homeopatia como ciência: Uma análise filosófica Hahnemann and the explanation of the homeopathic phenomena On the scientific status of homeopathy A acupuntura funciona? http://www.nib.unicamp.br/recursos/acupuntura/ Ciência e Pseudociência 9
  10. 10. O que é Ciência? •Um conjunto de fatos e teorias que explicam esses fatos. • Tudo o que está sendo feito por Ciência = instituições que desenvolvem atividades científicas. • Uma maneira particular de trabalhar, o método científico. Ficções Populares O objetivo da ciência é acumular fatos. A Ciência distorce a realidade e não consegue fazer justiça à amplidão da experiência humana. O conhecimento científico é verdadeiro. A Ciência se preocupa prioritariamente em resolver problemas práticos e sociais. 10
  11. 11. Então, o que é Ciência? “Science is neither a philosophy nor a belief system. It is a combination of mental operations that has become increasingly the habit of educated peoples, a culture of illuminations hit upon by a fortunate turn of history that yielded the most effective way of learning about the real world ever conceived.” Edward O. Wilson Consilience: The Unity of Knowledge Ciência como um conjunto de objetivos compartilhados Cientistas querem: Obter algum entendimento do mundo real. 1. Realizar observações objetivas e precisas 2. do mundo real. Desenvolver teorias que são as melhores 3. explicações dessas observações, e que portanto, se aproximam mais e mais da verdade. 11
  12. 12. Ciência: Aspectos cruciais Experimento (ou observação) Hipótese Teoria Predição Modificação Todos esses aspectos são importantes de algum modo… Ciência: critérios de demarcação Métodos – Séc. XVI e XVII Indutivismo (ou empirismo) – Francis Bacon Quantitativo-experimental – Galileu Dedutivo – Descartes (Racionalismo) Indutivo-confirmável – Newton (Empirismo) Cientificismo – Séc. XVIII e XIX Positivismo lógico – Augusto Comte, Círculo de Viena Indução – Conhecimento começa com a observação, destituída de preconceitos. 12
  13. 13. Ciência: critérios de demarcação Século XX Racionalismo Crítico – Karl R. Popper (1902- 1994) Crítica ao positivismo lógico Refutabilidade (falseabilidade) Revoluções Científicas – Thomas Kuhn (1922- 1996) Paradigmas, ciência normal, anomalias, crise. Tese da incomensurabilidade – dificuldade de se comparar teorias diferentes. Ciência: critérios de demarcação Programas de Pesquisa – Imre Lakatos (1922- 1974) História da Ciência, Núcleo rígido, cinturão de proteção Heurística negativa e positiva. Anarquismo Epistemológico – Paul Karl Feyenrabend (1924-1994) Tudo vale! Sociologia do Conhecimento – Bruno Latour 13
  14. 14. Pseudociência “Uma “teoria” não-científica que parece com ciência” Por que se preocupar? Aumentar a credibilidade de suas afirmações! A Ciência funciona, e as pessoas acreditam nela. Pseudociência “Uma “teoria” não-científica que parece com ciência” Ciência Patológica – Cientistas que enganam a si mesmos. Ciência-lixo (Junk Science) – Caso de polícia… (charlatanismo) Pseudociência – Sem qualquer base científica. Ciencia interfacial (Borderline Science) – Procedimentos sérios, mas sem comprovação experimental ou real. 14
  15. 15. “Terapias Alternativas” Brasil: 50 mil terapeutas alternativos (número que cresce 20% ao ano). Movimenta em torno de 500 milhões de dólares anuais. (Nos EUA, 30 bilhões de dólares) Há, por exemplo, 1.500 iridologistas, e o mesmo número de terapeutas florais do que cardiologistas. Facilidade de formação Reiki: terapeuta é uma ponte entre a “energia do universo” e a pessoa, e a energia vital poderia curar qualquer doença. Basta um curso de dois dias é suficiente para tornar-se um terapeuta, permitindo inclusive conslutas por telefone. Fonte: Ciências versus Pseudociências, Paulo Lee, Editora do Chain, 2003. p. 118. Oito pontos importantes Anédotas NÃO fazem Ciência Linguagem científica NÃO faz Ciência. Frases claras NÃO fazem afirmações verdadeiras Heresia NÃO é igual à correteza. 15
  16. 16. Oito pontos importantes Rumores NÃO são iguais à realidade Inexplicado NÃO é inexplicável. Correlação NÃO significa causa-efeito. Coincidência NÃO implica em conexão. Em que os norte-americanos crêem? 52% dos adultos acreditam em predições astrológicas 46% acreditam em percepção extra-sensorial 42% acreditam que pessoas podem se comunicar com os mortos 46% acreditam que os homens não se desenvolveram a partir de outras espécies de animais 43% acreditam que os UFOs existem e que realmente são veículos espaciais de outras civilizações 1/3 dos professores de biologia do ensino médio acreditam que a terra tem menos de 1000 anos de idade 16
  17. 17. Ciência vs. Pseudociência Muitas coisas não são ciência, mas também elas não pretendem ser. Arte Teologia Pseudociências Afirmações questionáveis de serem científicas Teorias reprovadas que são difíceis de esquecer. Um grande número fatos associados à cobertura jornalistica, com aspectos folclóricos, crenças e cultos. Quem se importa? Pseudociência é mais fácil do que Ciência… Fazer boa ciência é um trabalho árduo. Deve-se constantemente checar: erros e imprecisões assumpções implícitas Armadilhas devidas à seu próprio viés e expectativas. 17
  18. 18. O apelo da Pseudociência É mais fácil ignorar todas as checagens, balanços e trabalho chato! É mais fácil acreditar nas coisas sem críticas. Para a maioria das pessoas, a vida está boa sem entender a diferença entre ciência e pseudociência. O apelo da Pseudociência 18
  19. 19. Por que as pessoas acreditam em Pseudociência? Crença em evidência anedótica Correlação não implica em causalidade Importância de uma amostra de controle Papel da aleatoridade e coincidência Efeito placebo Analfabetismo científico Falta de crença na Ciência Incapacidade de sujeitar as próprias crenças a um teste mais rigoroso. Testando a Astrologia We are now in a position to argue a surprisingly strong case against natal astrology as practiced by reputable astrologers. Great pains were taken to insure that the experiment was unbiased and to make sure that astrology was given every reasonable chance to succeed. It failed. Despite the fact that we worked with some of the best astrologers in the country, recommended by the advising astrologers for their expertise in astrology and in their ability to use the CPI, despite the fact that every reasonable suggestion made by advising astrologers was worked into the experiment, despite the fact that the astrologers approved the design and predicted 50% as the quot;minimumquot; effect they would expect to see, astrology failed to perform at a level better than chance. Tested using double-blind methods, the astrologers' predictions proved wrong. Their predicted connection between the positions of the planets and other astronomical objects at the time of birth and the personalities of test subjects did not exist. The experiment clearly refutes the astrological hypothesis. Shawn Carlson 19
  20. 20. Distinguindo Ciência de Pseudociência Baseado em: Baloney Detection Kit http://www.skeptic.com Sete indícios de Pseudociência 1. Baseia-se em anedotas para afirmar algo Não importa quantas anedotas existem para dar suporte a uma afirmação. Cada anedota é uma estória de um ser humano seletivo e com viés. A Ciência requer evidência corroborativa de outras fontes, ou provas físicas de algum tipo. Anedotas não constituem Ciência, não importa quão sinceras, interessantes ou acreditáveis sejam as fontes da estória. 20
  21. 21. Sete indícios de Pseudociência 2. Usam linguagem “Científica” para ser convincente A linguagem científica não faz a Ciência. Como a Ciência é um sistema respeitado e poderoso em nossa sociedade, as Pseudociências frequentemente se vestem com o jargão científico. Requer cuidados e uma análise profunda. Exemplo de uma coluna New Age: “This planet has been slumbering for eons and with the inception of higher energy frequencies is about to awaken in terms of consciousness and spirituality. Masters of limitation and masters of divination use the same creative force to manifest their realities, however, one moves in a downward spiral and the latter moves in an upward spiral, each increasing the resonant vibration inherent in them.” Sete indícios de Pseudociência 3. Fazem afirmações fortes para ser convincentes Afirmações fortes não as fazem verdadeiras. As afirmações fortes são feitas para deixar o texto com força e confiante, especialmente quando há evidências insuficientes para suportá-las. Um exemplo (não cientistas): L. Ron Hubbard abre seu livro, Dianetics: The Modern Science of Mental Health, com a frase: “The creation of Dianetics is a milestone for man comparable to his discovery of fire and superior to his invention of the wheel and arch.” 21
  22. 22. Sete indícios de Pseudociência Outro exemplo (cientistas): Stanley Pons e Martin Fleischmann anunciaram ao mundo em uma conferência de imprensa no dia 23 de março de 1989, que eles tinham descoberto a fusão nuclear a frio. Revisão: http://physicsweb.org/article/world/12/3/8 Afirmações extraordinárias requerem evidências extraordinárias. E tem muita gente que ainda acredita… http://www.alternativescience.com/cold_fusion.htm Sete indícios de Pseudociência 4. Fazem o Status Quo se defender O ônus da prova deve ser daqueles que fazem afirmações extraordinárias que não são aceitas por todos. Como em uma democracia, você tem que fazer algum tipo de lobby para que sua posição seja ouvida, você tem que ir a um jurado para fazer valer a sua opinião, e convencer a maioria a votar pela sua idéia em vez de outras. Essa é a essência social da Ciência e do conhecimento. 22
  23. 23. Sete indícios de Pseudociência 5. Comparam-se a outsiders e heréticos famosos, que hoje em dia são aceitos. Eles rirarm do Copérnico, eles riram dos irmãos Wright. Van Gogh morreu pobre porque ninguém queria seus quadros. Galileu foi quase torturado para dizer a verdade. Portanto, se eles me ridicularizam e riem de mim, é somente porque eles não entendem. Nós, profetas da verdade e da sabedoria, somos raros. Heresia não implica em correteza. Para cada personagem famoso na história do pensamento criativo, existem multidões de indivíduos com idéias malucas ou hereges que nunca obtiveram aceitação. Sete indícios de Pseudociência 6. Baseiam-se em rumores que são amplamente espalhados e facilmente acreditáveis. Apesar de que alguns “fatos” foram transmitidos de pessoa a pessoa por gerações, isso pode não mais ser verdade. Rumores se espalham rapidamente e as lendas urbanas proliferam (ver http://www.snopes.com). Não caia no tipo de pensamento que baseia as suas crenças em “Eu li em algum lugar que…” ou “Alguém me disse que …”. 23
  24. 24. Sete indícios de Pseudociência 7. Se não foi explicado pela ciência, então é um verdadeiro mistério paranormal. Não-explicado não é a mesma coisa que inexplicável. Alguns fatos incríveis (como caminhar no fogo, dorar garfos, e poderes psicocinéticos) podem não ter uma explicação óbvia natural. As pessoas se prontificam rapidamente a aceitar explicações sobrenaturais e paranormais para esses eventos. Frequentemente há explicações mundanas, normais e naturais para a maioria dos fenômenos. E o que a ciência não pode explicar hoje, talvez possa explicar algum dia. Sete indícios de Pseudociência Por que as pessoas são mais atraídas para as explicações paranormais do que as científicas? http://www.terra.com.br/planetanaweb/ quot;If Uri Geller bends spoons with divine powers, then he's doing it the hard way.quot; --James Randi quot;Because a good magician can do something shouldn't make you right away jump to the conclusion that it's a real phenomenon.quot; --Richard Feynman 24
  25. 25. O que podemos fazer? “Thinking is skilled work. It is not true that we are naturally endowed with the ability to think clearly and logically ⎯ without learning how, or without practicing. People with untrained minds should no more expect to think clearly and logically than people who have never learned and never practiced can expect to find themselves good carpenters, golfers, bridge players, or pianists.” Alfred Mander, Logic for the Millions A inteligência e educação podem nos proteger? 1. Imunidade Ideológica As pessoas geralmente possuem um tipo de “imunidade ideológica” pela qual elas raramente mudam suas crenças mais fundamentais. Há uma forte correlação entre a inteligência e a habilidade de dar razões para ter um certo ponto de vista e defender essa posição. Há entretanto uma correlação negativa entre inteligência e a habilidade de considerar outras alternativas! 25
  26. 26. A inteligência e educação podem nos proteger? 2. Educação geral e a promoção de uma “mente aberta” Há evidências que sugerem que a educação não reduz as crenças em fenômenos paranormais. De fato, a ênfase da educação “liberal” de oferecer uma “mente aberta” ironicamente pode levar mais pessoas a aceitar as possiblidades de UFOs visitando a terra, percepção extra- sensorial, astrologia, etc… Uma janela aberta travada é tão inútil quanto uma janela fechada travada. No esforço de evitar o pensamento fechado, não cometer o erro de ser excessivamente aberto. O pensamento crítico e a Ciência residem entre esses dois extremos! O que deve ser feito? Inicie devagar; cada passo ajuda.. Fique de olho sobre Pseudociências Desafie a mídia (políticos) quando eles tenderem para a pseudociência e o paranormal Seja sempre correto; nunca exagere em uma afirmação científica Desafie estudantes e amigos construtivamente; explique os “métodos científicos” Escreva cartas quando encontrar erros científicos. 26
  27. 27. Links What’s New by Bob Park - http://www.aps.org/WN/ Science, Pseudoscience, and Irrationalism - http://www.uwgb.edu/dutchs/pscindx.htm Coluna “Skeptic”, de Michael Shermer na revista Scientific American - http://www.sciam.com/ James Randi Commentaries - http://www.randi.org/jr/archive.html The Guardian Bad Science - http://www.guardian.co.uk/life/badscience Annals of Improbable research - http://www.improbable.com/ Quackwatch- Your Guide to Health Fraud, Quackery, and Intelligent Decisions- http://www.quackwatch.org/ Mais Links http://www.ratbags.com/rsoles/books/pseudos cience.htm http://info-pollution.com/skeptic.htm http://physics.syr.edu/courses/modules/PSEU DO/pseudo_main.html 27
  28. 28. Livros – Top Ten (Skeptics Society) The Demon Haunted World: Science as a Candle in the Dark by Carl Sagan Why People Believe Weird Things by Michael Shermer Flim Flam!: Psychics, ESP, Unicorns and Other Delusions by James Randi Fads and Fallacies in the Name of Science by Martin Gardner 10 How to Think About Weird Things by Theodore Schick and Lewis Vaughn The Faith Healers by James Randi How We Believe by Michael Shermer The New Age: Notes of a Fringe Watcher by Martin Gardner The Mismeasure of Man by Stephen Jay Gould Voodoo Science: The Road From Foolishness to Fraud by Robert L. Park 28

×