Abicab ago/2005

401 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
401
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abicab ago/2005

  1. 1. 3ª Conferência de Tecnologia em CONFECTIONERY2005 Inovação de Valor : Novas Competências Globais Moysés Simantob São Paulo - 16 de agosto Copyright,2005 Moysés Simantob
  2. 2. Objetivo da palestra Defender alguns pontos de vista... • O sucesso empresarial depende da capacidade de inovar estrategicamente; • Inovações de produto e processo são consequências dessa capacidade; • Desenvolvê-la exige um esforço orientado de 'psicanálise empresarial'. Copyright,2005 Moysés Simantob
  3. 3. Agenda • Filme - 5´ • Palestra - 50´ • Perguntas e respostas - 15´ Copyright,2005 Moysés Simantob
  4. 4. Moral da história... • Inovação não é obra de super-heróis; • Inovações de produto podem ocorrer ao acaso, pelo esforço de um indivíduo solitário ou mesmo por imitação. Contudo, um fluxo sistemático de inovações que se converta em diferencial competitivo demanda uma ação coletiva, orientada por uma visão própria do mercado e do papel da empresa nesse mercado; • O desafio é construir essa visão. Copyright,2005 Moysés Simantob
  5. 5. Open Mind Estratégia / Visão Ponto-de-Vista Sustentação Cultura / Inovação Liderança / Pessoas Gestão Desenvolvimento Implementação Processos / Estrutura Copyright,2005 Moysés Simantob
  6. 6. Inovação, para quê?... Sobreviver Crescer Reter Copyright,2005 Moysés Simantob
  7. 7. Retornos Decrescentes Copyright,2005 Moysés Simantob
  8. 8. O paradoxo: + investimento = - lucro • Empresas despejam dinheiro nos seus 'core businesses'; • Contratam pesquisas de marketing e fazem campanhas; • Investem em TI, terceirizam e redesenham processos, mas... Copyright,2005 Moysés Simantob
  9. 9. “Era uma vez...” Curva de demanda em monopólio Preço D= Receita média da empresa Quantidade Copyright,2005 Moysés Simantob
  10. 10. Tempos modernos Curva de demanda em mercado concorrencial Preço P= D= Receita marginal Quantidade Copyright,2005 Moysés Simantob
  11. 11. O Desafio Monopólio/Oligopólio? Concorrência perfeita ? (indústria aeronáutica) X (indústria têxtil) Preço D Commodities Inovações (concorrência monopolística) Copyright,2005 Moysés Simantob Quantidade
  12. 12. O velho Marx...e a fórmula D-M-D Inovações Históricas e ciclos sistêmicos de acumulação Revolução Sociedade Mercantilismo Estado industrial de Consumo de Massa Era Veneziana/Genovesa Era Holandesa Era Inglesa Era Americana ? M-D D-M M-D D-M M-D D-M M-D 220 180 130 100 anos anos anos anos 1400 1500 1600 1700 1800 1900 2000 Copyright,2005 Moysés Simantob
  13. 13. A Nova Ordem Industrial Copyright,2005 Moysés Simantob
  14. 14. LO GIA TEC NO INOVAÇÃO FLEXIBILIDADE AGILIDADE QUALIDADE CUSTO FATORES DE COMPETITIVIDADE Copyright,2005 Moysés Simantob
  15. 15. Nos últimos 10 anos, que empresas melhor aproveitaram as mudanças em nosso ramo? Novos competidores 38 Minha própria empresa 31 Competidores tradicionais 26 Fonte: pesquisa MCI/Gallup “Competition 2000” Copyright,2005 Moysés Simantob
  16. 16. Os novatos em nosso ramo tiveram sucesso ao... Executar melhor 31 Mudar as regras 62 Fonte: pesquisa MCI/Gallup “Competition 2000” Copyright,2005 Moysés Simantob
  17. 17. Por que um PC tem que ser preto ou bege? Copyright,2005 Moysés Simantob
  18. 18. Sephora: demais! Copyright,2005 Moysés Simantob
  19. 19. Lojas de departamentos vs. Sephora: Loja de Departamentos Sephora Equipe de vendas comissionada Sim Não Brinde com compra Sim Não Uma marca por balcão Sim Não Fácil de experimentar Não Sim Compra sem ser incomodado Não Sim Fácil de comparar Não Sim Copyright,2005 Moysés Simantob
  20. 20. Imitação x Inovação Copyright,2005 Moysés Simantob
  21. 21. As estratégias dos 4-5 maiores competidores no seu ramo estão se tornando... Mais semelhantes 45 Mais diferentes 32 Nenhum dos dois 21 Fonte: pesquisa MCI/Gallup “Competition 2000” Copyright,2005 Moysés Simantob
  22. 22. Imitação? Mesma Análise Mesma Análise Competição de Competição de preço preço “Comoditização” “Comoditização” Mesma estratégia Mesma estratégia Classificação Classificação de Clientes de Clientes Mesmos produtos Mesmos produtos e Serviços e Serviços Copyright,2005 Moysés Simantob
  23. 23. CORÉIA DO SUL Da cultura da imitação para a Inovação Investimentos em Patentes: Brasil e Coréia 1600 PATENTES NOS EUA 1200 800 400 0 80 85 90 91 92 93 94 95 96 19 19 19 19 19 19 19 19 19 Brasil Coréia 15/8/2005 Copyright,2005 Moysés Simantob
  24. 24. Não há inovação sem risco “Organizações inovadoras são aquelas que se aproximam do limite do caos ” Adequação Capra, Fritjof O Tao da Física Estagnação Limite do Caos Caos Mudança lenta e Mudança rápida e incremental radical Copyright,2005 Moysés Simantob
  25. 25. Risco Risco corporativo ti po ? Risco de projeto ue isco Q r Risco de portfolio de Risco pessoal to Risco percebido an o? Qu isc Risco real r Risco residual Copyright,2005 Moysés Simantob
  26. 26. Riscos x Oportunidades Categoria NOVAS Risco / OPORTUNIDADES Inovação Novo no mundo GESTÃO Novo no setor Extensão PRODUTOS & SERVIÇOS Novas Estratégias PROCESSOS Reposionamento Melhoria Benefícios Aceitos Esperados Desejados Únicos Copyright,2005 Moysés Simantob
  27. 27. Compreendendo nosso consumidor Os consumidores estão constantemente conhecendo Marcas. Nosso desafío é garantir que em todos os momentos em que os consumidores e as marcas se encontrem no mesmo lugar e ao mesmo tempo, que nossas marcas sejam mais que simplesmente vistas Copyright,2005 Moysés Simantob
  28. 28. VIVO DO CRM AO CLM Copyright,2005 Moysés Simantob
  29. 29. Mercado de Celulares e sua Evolução Mercado de Celulares e sua Evolução Cobertura Econômica 15% Como evitar a perda de clientes? 85% Penetração de Valor Área a conquistar Cobertura Geográfica 45% 55% Market share 04/2005 Penetração celular Área sem cobertura Desafio : fidelizar e aumentar o consumo Copyright,2005 Moysés Simantob
  30. 30. Inovação como competência Copyright,2005 Moysés Simantob
  31. 31. Inovação Estratégica (breakthrough innovation) • É a inovação que gera um novo conceito de negócios, ou uma nova indústria. É a matriz de todas as demais formas de inovação. Inovação de Produto Inovação de Processo Inovação Tecnológica Inovação Estratégica Competências Essenciais Copyright,2005 Moysés Simantob
  32. 32. Inovação estratégica • Envolve um trabalho sistemático de revisão conceitual do que a empresa é, ou seja, do que ela faz, como faz e para quem faz. Envolve compreender o que a empresa realmente sabe fazer de bom, ou seja, quais suas 'competências essenciais'. Copyright,2005 Moysés Simantob
  33. 33. Competências Essenciais Case: Companhia aérea, agência de viagens, ou o quê? Maximização logística ● Minimização de custos ● Segmentação 'low fare‘ ● Integração da cadeia de valor ● Criação de um novo mercado – Inovação estratégica ● Copyright,2005 Moysés Simantob
  34. 34. As Legítimas... De R$ 9,90 em S.Paulo a USD 40.00 em NY Copyright,2005 Moysés Simantob
  35. 35. Um exemplo de inovação em produto: a linha Mamãe-Bebê Idéia Tomar uma parte do mercado de produtos para bebê, dominado completamente pela Johnson&Johnson (90%). Ação – Conceito diferenciado: produto para o bebê e para a mãe; – Marketing focado na interação entre a mãe e a criança; – Apelo para o nome Natura, significando alta qualidade (maior do que aquela que pode ser comprada no supermercado); Resultados Sucesso no mercado, com uma participação de mercado em 2003 de 24%. Volume de negócios de US$ 130 milhões nos 3 primeiros anos. Copyright,2005 Moysés Simantob
  36. 36. Onde inovar? Inovações do tipo fortalecedoras ou destruidoras de competências podem ser incrementais ou radicais, componentes ou sistêmicas: Radical Conceito de Inovação Negócios Disruptiva Melhoria Melhorias de Processos Incremental contínuas de Negócios Componente Sistêmico Fonte: Hamel Copyright,2005 Moysés Simantob
  37. 37. Como a Inovação se manifesta Casos: Radical Incremental Componente Sistêmico Copyright,2005 Moysés Simantob
  38. 38. Movendo oportunidades através do fluxo de inovação Fluxo de Inovação Portfólio Portfólio Portfólio Portfólio Portfólio Portfólio Portfólio Portfólio de de de de de de de Negócios de Negócios Idéias Idéias Experimentos Experimentos Oportunidades Oportunidades Imagine Desenhe Experimente / Escala Avalie MUITOS POUCOS Copyright,2005 Moysés Simantob
  39. 39. IDEO - Ambiente físico Cultura aonde o espaço importa O oposto da abordagem Dilbert - quanto menos regras, melhor Espaços móveis, devem evoluir com times e projetos – espaço elástico Escritórios menores para cada studio, com personalidade própria Espaço de celebração do trabalho e hobbies Copyright,2005 Moysés Simantob
  40. 40. Ambiente físico •espaços devem contar histórias – uso de ícones para identificar times e exposição de realizações para criar identidade e espírito corporativo •Os espaços que ‘seriam’ destinados a executivos são liberados para o café, livraria e clientes •Disposição de produtos no lobby, para experimentação – experiência de entretenimento •Encorajamento para resolução pessoal de problemas de espaço - os funcionários são encorajados a construírem seus próprios espaços de trabalho para refletir suas personalidades •Construção de ‘vizinhanças’, objetivando interação Copyright,2005 Moysés Simantob
  41. 41. Conclusões Copyright,2005 Moysés Simantob
  42. 42. Criando Opções para o Futuro • A inovação estratégica é um antídoto contra a mutação genética do capital em passivo. • Inovações de produto desarticuladas de uma visão própria da empresa a respeito de suas competências, do mercado e da indústria, ou em outras palavras, desarticuladas de uma cultura de inovação construída coletivamente por toda a organização, e operacionalizada em um sistema formal de inovação, não impedem a comoditização industrial no longo prazo, por mais que se invista em pesquisa, marketing e logística. Copyright,2005 Moysés Simantob
  43. 43. O que as empresas procuram com Inovação? • Crescimento desproporcional • Diferenciação • Reinventar as regras da indústria • Aumentar o market cap da empresa • Criar novas fontes de receita, via novos negócios • Explorar competências existentes • Ajudar a definir o seu futuro • Acelerar o processo da idéia ao negócio • Criar um fluxo de idéias, experimentos, oportunidades e negócios • Revigorar imagem de marca Copyright,2005 Moysés Simantob
  44. 44. Os benefícios que podem ser alcançados • Oportunidades de novas receitas por cliente atual e de novas receitas potenciais identificadas por novos clientes • Aceleração do ciclo de desenvolvimento de novos produtos • Aprendizado transformado em atitudes comportamentais, e.x. – Alinhamento de todos ao redor de uma estratégia – Reconfiguração de processos para customers e retailers insigths – Desenvolvimento da capacidade de repetir o processo para produzir novas oportunidades sistemáticas – Noção da ambiência para sedimentação de cultura para inovação Copyright,2005 Moysés Simantob
  45. 45. Domínios Virtudes Escala Velocidade Eficiência Experimentação Diligência Imaginação Controle Criação Alinhamento Diversidade Hierarquia Network Copyright,2005 Moysés Simantob
  46. 46. Case Livraria Cultura Tudo começou com uma pequena estante... • De Berlim 1938 para Argentina – depois Brasil 1939 • 3 livros - “Isto há de ser uma grande livraria.” – Eva Herz • 1947 serviço de empréstimo de livros – 10 – (sala da própra casa) • Loja na Rua Augusta - compra, aluguel e aconselhamento. • 1950 só compra (má qualidade das encadernações) • 1969 Pedro Herz – mudança para o Conjunto Nacional: No sábado pela manhã a LC passa a ser conhecida como: “a praia dos paulistas” – intelectuais e amigos das letras • 1995 – site na Internet (1ª a vender on line) Copyright,2005 Moysés Simantob
  47. 47. A melhoria constante dos processos produtivos Grande interação e participação dos funcionários através da horizontalização sendo incentivados: vendedores que ‘podem e devem pensar' • análise de mercado • otimização de compras e estoques • comunicação direta com o mercado sugestões de melhorias dos colaboradores para os processos. acesso direto no grupo de trabalho julgamento imediato do grupo Copyright,2005 Moysés Simantob
  48. 48. O mercado de baixa renda - BOP Copyright,2005 Moysés Simantob
  49. 49. 3 Regras de Estratégia I Regra 1: Se a sua “estratégia” não é diferente, ela não é uma estratégia. Regra 2: Se as diferenças não importam para seus clientes, você não irá criar valor. Regra 3: Se as diferenças não criam vantagem competitiva sustentável , você não irá capturar valor a longo prazo. Copyright,2005 Moysés Simantob
  50. 50. Case PC a R$ 1,4 mil. O governo garante. PC CONECTADO Computador popular virá equipado com software livre, pacote de conexão à internet, e será isento de PIS e Cofins Copyright,2005 Moysés Simantob
  51. 51. EXTENDENDO O ALCANCE compreensão local capacidades locais necessidades locais fontes locais de matéria prima produtores locais consumidores locais Copyright,2005 Moysés Simantob
  52. 52. Envolvendo os Stakeholders Marginais adversários não legitimados divergentes isolados reguladores comunidades concorrentes pobres empresa clientes ONG´s fracos empregados empresa fornecedores investidores não humanos desinteressados Stakeholders Marginais Copyright,2005 Moysés Simantob
  53. 53. Case Unilever A marca de detergente em pó Ala foi lançada em 1996 no Nordeste e hoje está também nos mercados da região Norte. A marca nasceu com o apoio de pesquisas que identificaram com precisão os desejos e necessidades da consumidora das classes D e E do Nordeste, bem como os hábitos de lavagem da região. Ala foi especialmente desenvolvido como uma marca de qualidade a um preço acessível e, desde o seu lançamento, sua trajetória é caracterizada pelo grande envolvimento com as donas-de-casa destas regiões. Copyright,2005 Moysés Simantob
  54. 54. Mercados Tradicionais – entendendo as reais necessidades • Diferente dos mercados desenvolvidos e emergentes, o mercado tradicional é dominado pela pobreza e isolamento presentes nos vilarejos rurais do mercado em desenvolvimento – em particular os devastados por extrativismo, distúrbios culturais, crescimento da população assistida • Mais de 4 bilhões de na base da pirâmide econômica usam subsistência e satisfazem suas necessidades básicas diretamente da natureza – participam tangencialmente da economia formal A população atingirá 8 a 10 bilhões nas próximas décadas e população atingirá próximas décadas a grande parte do crescimento ocorrerá nos mercados ocorrerá tradicionais oportunidade de negócio sem precedentes negócio Copyright,2005 Moysés Simantob
  55. 55. Respeitando as culturas locais • Necessidade de se conciliar as estratégias globais de sustentabilidade das corporações com a autonomia dos stakeholders envolvidos nas operações regionais • One-size-fits all? • Envolvimento de membros das comunidades na operação local das corporações. Copyright,2005 Moysés Simantob
  56. 56. Copyright,2005 Moysés Simantob
  57. 57. Seed Card
  58. 58. Moysés Simantob E-mail: msimantob@fgvsp.br FGV-EAESP Fórum de Inovação www.inovforum.org.br Copyright,2005 Moysés Simantob

×