Aves

19.598 visualizações

Publicada em

Caracteristicas, morfologia interna e externa

Publicada em: Tecnologia, Esportes
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.598
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
829
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aves

  1. 1. CLASSE DAS AVES
  2. 2. <ul><li>Curso de Ciências Biológicas – 3º Período </li></ul><ul><li>Eduardo Mota </li></ul><ul><li>Fernanda Siqueira </li></ul><ul><li>Reinaldo Junior </li></ul><ul><li>Stephanie Von Eye </li></ul>
  3. 3. CARACTERÍSTICAS GERAIS <ul><li>Vertebrados </li></ul><ul><li>Membros anteriores transformados em asas </li></ul><ul><li>Penas </li></ul><ul><li>Dióicos </li></ul><ul><li>Ovíparos </li></ul><ul><li>Homeotérmicos </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Ossos Pneumaticos </li></ul><ul><li>Sacos aéreos </li></ul><ul><li>Cloaca </li></ul><ul><li>Respiração exclusivamente Pulmonar </li></ul><ul><li>Tubo Digestivo Completo </li></ul><ul><li>Glândula Uropigiana </li></ul>
  5. 5. ORIGEM <ul><li>Mesozóica </li></ul><ul><li>Réptil </li></ul><ul><li>Archaeopteryx lithographica </li></ul><ul><li>Crânio semelhante aos primitivos arcossauros </li></ul><ul><li>Forma aerodinâmica </li></ul><ul><li>Novo instrumento de vôo - penas </li></ul>
  6. 7. ADAPTAÇÕES PARA O VÔO <ul><li>As asas são os membros anteriores modificados para o vôo </li></ul><ul><li>As penas formam uma superfície contínua de revestimento, que oferece uma notável resistência ao ar e é impermeável à água </li></ul><ul><li>Os ossos pneumáticos são ocos e cheios de ar. Essa substituição de um tecido qualquer por ar evita um acréscimo na massa do animal, o que diminui o gasto de energia ao voar </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Os sacos aéreos aumentam a eficiência da renovação do ar presente nos pulmões, garantindo uma oferta de oxigênio elevada, compatível com os gastos energéticos durante o vôo </li></ul><ul><li>O isolamento térmico fornecido pelas penas foi essencial para o surgimento da endotermia nas aves. Isso permitiu que o calor produzido pela alta taxa metabólica desses animais não se dissipasse para o ambiente externo </li></ul><ul><li>Características que contribuem para a redução do peso são: ausência de dentes , ausência de bexiga urinária e atrofia das gônadas fora da época reprodutiva </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Postura de ovos </li></ul><ul><li>Presença de quilha, expansão do osso esterno, na qual se prendem os músculos que movimentam as asas </li></ul>
  9. 10. ESTRUTURAS EXTERNA
  10. 11. ESTRUTURAS INTERNAS
  11. 12. PELE <ul><li>Fina e solta </li></ul><ul><li>Pouco vascularizada - Sangramentos </li></ul><ul><li>Pouco inervada </li></ul><ul><li>Aplicações Sub-cutâneas - Região dorsal da inserção do pescoço com o tronco </li></ul><ul><li>Sem Pigmentação </li></ul>
  12. 13. PENAS <ul><li>Originadas das escamas dos répteis </li></ul><ul><li>Mudas correm em épocas bem definidas </li></ul><ul><li>Via de regra = 2 muda/ano </li></ul><ul><li>Funções: aquecimento </li></ul><ul><li>proteção </li></ul><ul><li>camuflagem </li></ul><ul><li>vôo </li></ul><ul><li>flutuação </li></ul><ul><li>Cortejo </li></ul>
  13. 15. BICOS <ul><li>Modificação das mandíbulas sup. e inferior </li></ul><ul><li>Busca de alimento </li></ul><ul><li>Defesa </li></ul><ul><li>Construção do ninho </li></ul><ul><li>Alisamento das penas </li></ul>
  14. 16. PATAS <ul><li>4 dígitos (geralmente 3 craniais, 1 caudal) </li></ul><ul><li>Escamas – Placas epidérmicas </li></ul><ul><li>Membrana interdigital - Aves Aquáticas </li></ul><ul><li>Unhas - varia de acordo com a função </li></ul><ul><li>Esporão </li></ul>
  15. 18. SISTEMA DIGESTÓRIO <ul><li>Bico </li></ul><ul><li>Ausência de dentes </li></ul><ul><li>Papo </li></ul><ul><li>Proventrículo </li></ul><ul><li>Moela </li></ul><ul><li>Um ou dois cecos </li></ul><ul><li>Cloaca </li></ul>
  16. 19. SISTEMA UROGENITAL <ul><li>Os rins são do tipo metanefro e são em número de dois </li></ul><ul><li>Cada rim tem um ureter, que se abre na cloaca </li></ul><ul><li>Aves marinhas apresentam modificações especiais dos rins </li></ul><ul><li>Não há bexiga urinária, exceto em Avestruz </li></ul>
  17. 20. SISTEMA NERVOSO <ul><li>Apresentam Sistema Nervoso Central e Periférico com 12 pares de nervos cranianos. </li></ul><ul><li>Bem desenvolvido, principalmente as estruturas relacionadas com o equilíbrio e com a orientação espacial </li></ul><ul><li>Olhos extremamente desenvolvidos </li></ul><ul><li>Paladar e o olfato são pouco sensíveis, ao contrário da visão e da audição </li></ul>
  18. 21. SISTEMA CIRCULATÓRIO <ul><li>Coração com 4 câmeras </li></ul><ul><li>Separação completa do sangue venoso com o arterial </li></ul><ul><li>Eritrócitos nucleados e maiores do que os dos mamíferos </li></ul><ul><li>Conservação da temperatura da ave </li></ul>
  19. 22. SISTEMA RESPIRATÓRIO <ul><li>Pulmonar </li></ul><ul><li>Pulmões parenquimatosos, com vários canais de arejamento </li></ul><ul><li>Sacos aéreos </li></ul><ul><li>Siringe - &quot;órgão do canto&quot; </li></ul>
  20. 24. <ul><li>Inspiração </li></ul>
  21. 25. <ul><li>Expiração </li></ul>
  22. 26. REPRODUÇÃO <ul><li>Machos possuem testículos – algumas espécies apresentam pênis </li></ul><ul><li>Ovíparas - Os óvulos recebem clara e casca </li></ul><ul><li>Ovo com anexos amniotas </li></ul><ul><li>Desenvolvimento direto </li></ul><ul><li>Acasalamento </li></ul><ul><li>Cuidado parental </li></ul>
  23. 29. OVO <ul><li>Nas fêmeas das aves só existe um ovário </li></ul><ul><li>Durante a cópula, o esperma é introduzido no oviduto para fecundar o óvulo </li></ul><ul><li>As glândulas da parede do canal </li></ul><ul><li>secretam albumina </li></ul><ul><li>Depois no útero, </li></ul><ul><li>forma-se a casca calcária. </li></ul>
  24. 30. <ul><li>Um ovo recém posto contém um aglomerado de células para formar a cria. </li></ul><ul><li>O desenvolvimento embrionário só ocorre quando o ovo é incubado pelos pais </li></ul><ul><li>Importante reserva de </li></ul><ul><li>proteínas, lipídeos, </li></ul><ul><li>vitaminas e minerais </li></ul><ul><li>Prevenção de doenças </li></ul>
  25. 31. GLÂNDULA UROPIGIANA <ul><li>Produção de substância oleosa </li></ul><ul><li>Impermeabilidade </li></ul><ul><li>Elasticidade nas penas </li></ul>
  26. 32. CANTO <ul><li>Reunir as espécies gregárias </li></ul><ul><li>Reunir os casais </li></ul><ul><li>Advertir de algum perigo </li></ul><ul><li>Chamar os filhotes que se distanciaram, para junto dos pais </li></ul><ul><li>Indicar o local mais apropriado para a construção do ninho </li></ul>
  27. 33. PINGUINS <ul><li>Ave marinha </li></ul><ul><li>Típica do Pólo Sul </li></ul><ul><li>Não possuem a capacidade de voar – Asas com função de barbatana </li></ul><ul><li>Possui uma espessa camada de gordura que serve para proteger seu corpo </li></ul><ul><li>Alimentação baseada em peixes de pequeno porte e alguns crustáceos </li></ul>
  28. 34. <ul><li>Monogâmicos </li></ul><ul><li>Macho auxilia chocando ovos, cuidando e alimentando os filhotes e defendendo o território </li></ul>
  29. 36. CORUJAS <ul><li>Aves de rapina </li></ul><ul><li>Alimenta-se de pequenos mamíferos, gafanhotos, grilos, aranhas e outras aves </li></ul><ul><li>Costumam engolir suas presas inteiras para depois regurgitar o que não aproveitam </li></ul><ul><li>Hábito noturno </li></ul><ul><li>Vôo silencioso devido à estrutura de suas penas </li></ul>
  30. 37. <ul><li>Sua cabeça gira até 180 graus e pode ser projetada para cima </li></ul><ul><li>Sua capacidade de audição é bastante aguçada </li></ul><ul><li>A fêmea põe de três a cinco ovos por postura </li></ul>
  31. 39. HÁBITOS <ul><li>Alimentares: Dieta variada </li></ul><ul><li>Bicos apropriados </li></ul>Sementes Ave aquática em terra Pinça do maçarico Carnívoro
  32. 40. Peneira Subaquática Bico em pinça Para todos os fins Bico para “chapinhar” Pato com dentes
  33. 41. <ul><li>Prototocooperação: Pássaro-palito e crocodilo </li></ul><ul><li>Anu e bovinos </li></ul>
  34. 42. MIGRAÇÃO <ul><li>Fornecimento de alimentos </li></ul><ul><li>Reprodução </li></ul><ul><li>Hábito voluntário </li></ul><ul><li>Sazonalidade </li></ul><ul><li>Como os migrantes encontram com exatidão o caminho é uma incógnita – Sol e estrelas </li></ul>
  35. 43. ADAPTAÇÕES <ul><li>Alimentação: Bicos e garras </li></ul><ul><li>( Ardea alba – captura de peixes, pés para locomover-se água) </li></ul><ul><li>(Accipitridae – garras para captura de presas) </li></ul><ul><li>Vôo:Estrutura- asas largas vôo lento e planado( Coragyps atratus ) </li></ul>
  36. 44. ADAPTAÇÕES
  37. 45. COMPORTAMENTO <ul><li>Alimentação (Alcedinidae captura com bico/Accipitridae captura com garras) </li></ul><ul><li>Limpeza (Feito com bico) </li></ul><ul><li>Comunicação (vozes: cantos, pios e chamados) </li></ul><ul><li>Reprodução (cortejo: danças, cantos e exibição das penas) </li></ul>
  38. 46. COMPORTAMENTO DE CAÇA
  39. 47. COMPORTAMENTO-ALIMENTAÇÃO
  40. 48. CONSERVAÇÃO DE AVES <ul><li>Aves migratórias (manter os locais de nidificação) </li></ul><ul><li>Destruição do habitat </li></ul><ul><li>Escassez de Alimento </li></ul><ul><li>“ Transgênicos” </li></ul>
  41. 49. IMPORTÂNCIA DAS AVES PARA O MEIO <ul><li>Controle de Pragas ( Nothura maculosa-controle a cigarrinha,praga na agricultura ) </li></ul><ul><li>Picidae (Invertebrados – tronco) </li></ul><ul><li>Polyborus plancus (lagartas que atacam milho) </li></ul>
  42. 50. IMPORTÂNCIA DAS AVES PARA O MEIO <ul><li>Controle de ratos e cobras (Cariamidae -Falconidae-Strigidae) </li></ul><ul><li>Limpeza de carcaças (Cathartidae) </li></ul><ul><li>Polinização (Trochilidae) </li></ul><ul><li>Disseminação de semente ( Cyanocorax sp – Pyroderus scutatus- penelope sp) </li></ul>
  43. 51. GUILDAS
  44. 52. AMEAÇA A AVIFAUNA <ul><li>Destruição do Ambiente </li></ul><ul><li>Caça </li></ul><ul><li>Poluição de águas </li></ul><ul><li>Uso de agrotóxicos </li></ul>
  45. 53. AMBIENTES
  46. 54. CARNÍVOROS
  47. 55. INSETIVOROS
  48. 56. ONÍVOROS
  49. 57. NECRÓFAGOS
  50. 58. NIDIFICAÇÕES
  51. 59. NIDIFICAÇÕES
  52. 60. NIDIFICAÇÃO
  53. 61. BIOINDICADOR
  54. 62. REFERÊNCIAS <ul><li>A Vida dos Vertebrados,  Pough, F. Harvey; Heiser, John B.; Janis, Christine M. , Ed. Atheneu Sp, 4º Edição, 2008 </li></ul>

×