Interpretação e ordenação textual pg29

3.229 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Interpretação e ordenação textual pg29

  1. 1. O nosso objetivo é a sua Aprovação INTERPRETAÇÃO E ORDENAÇÃO TEXTUALEsse ponto do programa exigiria um curso completo e, mesmo assim, ao seu término,ficaríamos com a sensação de que algo ficou faltando. Isso porque interpretação é umaquestão extremamente subjetiva. Seria o mesmo que um curso de natação porcorrespondência.Somente a prática pode levar à perfeição ou, pelo menos, à melhoria do rendimento emquestões que explorem interpretação. Façam provas anteriores (são muitas as questõesdisponíveis), treinem muito, não se contentem apenas com a resposta – procurem entender oque há de errado na opção que foi considerada incorreta.A dificuldade que reside em questões desse tipo é que, além do texto inteiro, há necessidadede ler TODAS as opções. Sim, porque uma pode estar ‘boazinha’, mas a seguinte pode serainda melhor, mais completa. Isso demanda tempo de prova.Por isso, o treino é fundamental. É como tocar um instrumento musical. No início, dedilhamos(estou pensando em um piano). Depois de muitos exercícios, a música flui e os dedosacompanham a melodia. Na interpretação, à medida que lemos, aumentamos nossovocabulário, a facilidade em compreender e, a partir daí, interpretar a mensagem.Uma boa dica é procurar “mergulhar” no texto – lê-lo com gosto e boa-vontade.Afinal, quando lemos um texto interessante, que prende a nossa atenção e, sobretudo, cujoassunto dominamos, conseguimos compreendê-lo e interpreta-lo corretamente. Isso,contudo, não acontece ao lermos um texto sobre um assunto estranho, ao qual não estamosacostumados (no meu caso, textos sobre filosofia, informática...). Com isso, criamos umaresistência que deve ser quebrada. Mesmo que não compreenda exatamente todos osconceitos, procure identificar elementos com os quais as opções tenham relação. Procureextrair do texto a sua idéia central e escreva ou grife palavras-chave. Isso ajuda a eliminar asopções incorretas. Assim, mesmo sem compreender o texto (afinal, ele foge ao seu domínio),você poderá resolver a questão de prova.O que falar sobre as questões que envolvem coesão e coerência textuais?Bem, é preciso, para começar, dominar certos conceitos.Na construção de um texto, usamos mecanismos para garantir ao interlocutor a compreensãodo que se lê. Para isso, é importante o bom uso tanto da pontuação (Aula 9) e de mecanismoslingüísticos que estabelecem a conectividade e a retomada do que foi escrito (referentestextuais, tratados nas aulas 7 e 8 – Pronomes e Conectivos).Esses referentes buscam garantir a coesão textual para que, como conseqüência, hajacoerência, tanto entre os elementos que compõem a oração, como também entre a seqüênciade orações dentro do texto.Essa coesão também pode muitas vezes se dar de modo implícito, baseado em conhecimentosanteriores que os participantes do processo tenham com o tema. A isso, dá-se o nome deintertextualidade (palavrinha da moda, atualmente, em vestibulares e concursos públicos). Épor isso que, como vimos, alguns textos, por tratarem de assuntos alheios ao conhecimento docandidato, são considerados desagradáveis e de difícil compreensão.Costumamos usar uma linguagem figurada para apresentar os conceitos de coesão ecoerência. A coesão é uma linha imaginária - composta de termos e expressões - que une osdiversos elementos do texto e busca estabelecer relações de sentido entre eles. Dessa forma,com o emprego de diferentes procedimentos, sejam lexicais (repetição, substituição,associação), sejam gramaticais (emprego de pronomes, conjunções, numerais, elipses),constroem-se frases, orações, períodos, que irão apresentar o contexto – decorre daí acoerência textual.
  2. 2. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoUm texto incoerente é o que carece de sentido ou o apresenta de forma contraditória. Muitasvezes essa incoerência é resultado do mau uso daqueles elementos de coesão textual (umaconjunção inapropriada, um pronome mal empregado). Por isso, na organização de períodos ede parágrafos, um erro no emprego dos mecanismos gramaticais e lexicais prejudica oentendimento do texto. Construído com os elementos corretos, confere-se a ele uma unidadeformal.Quando o examinador pede ao candidato que aponte a assertiva que completa o texto deforma coesa, coerente e gramaticalmente correta, uma boa dica é começar a verificar, antesmesmo ler o texto, a correção gramatical das opções.Podemos descartar as que apresentam erros de concordância, regência, pontuação, ortografia,etc. Em seguida, a leitura do texto passa a ser necessária se restarem dois ou mais itensválidos gramaticalmente.Na última prova para o TCU, aplicada recentemente, a questão apontada como corretaapresentava um erro de concordância verbal (vejam na área pública o recurso proposto). Oúnico problema é que o enunciado não exigia a correção gramatical do segmento, somenterespeito aos “princípios de coerência textual e desenvolvimento lógico das idéias”. Ainda assim,acreditamos que seria passível de recurso. Vamos aguardar o pronunciamento da ESAF emrelação aos pedidos de anulação da questão 11, ou seja, se serão acatados ou não. Se aquestão nãofor anulada, cuidado, a partir de agora, com o enunciado.Nas questões que envolvem ordenação textual, a identificação dos referentes textuais ajuda (ecomo!) a eliminação de muitas opções. Quando isso não for suficiente, aí sim, a leitura einterpretação são necessárias para identificação da ordem correta.Bem, espero que essas dicas ajudem a resolver, daqui pra frente, as questões que envolvamesse assunto.Agora, chega de conversa. Vamos treinar um pouco?Na primeira parte, apresentamos algumas questões de prova que tratam de coesão ecoerência textuais.Na segunda, falaremos sobre ordenação de texto. Apresentaremos algumas dicas paraeliminar opções e, com isso, resolver a questão ou, no mínimo, aumentar as chances deacerto.QUESTÕES DE PROVA DA ESAF01- (AFRF 2002.1) Marque, em cada item, o período que inicia o respectivo texto de formacoesa e coerente. Depois, escolha a seqüência correta.I - O abandono da tematização do capitalismo, do imperialismo, das relações centroperiferia,de conceitos como exploração, alienação, dominação, abriu caminho para o triunfo doliberalismo.(X) O socialismo, em conseqüência desses fatores, desapareceu do horizonte histórico, emvirtude de ter ganho atualidade política com a vitória da Revolução Soviética de 1917.(Y) O triunfo do neoliberalismo se consolidou quando o pensamento social passou a serdominado por teses conservadoras.II - Compravam um passaporte para o camarote dos vencedores. Mas, como “há umadignidade que o vencedor não pode alcançar”, como dizia Borges, o que ganharam emprestígio perderam em capacidade de análise.(X) Os que abandonaram Marx com soltura de corpo e com alívio, como se desvencilhassemde um peso, na verdade não trocavam um autor por outro, mas uma classe por outra.(Y) Eles substituíram a exploração de classes e de países pela temática do totalitarismo,aperfeiçoando suas análises políticas ao vinculá-las à dimensão social.
  3. 3. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoIII - No mundo contemporâneo, tais modos nos permitem compreender a etapa atualdo capitalismo, em sua fase de hegemonia política norte-americana.(X) Para atender a atualidade, são necessários modos de compreensão férteis, capazes de darconta das relações entre a objetividade e a subjetividade, entre os homens como produtores ecomo produtos da história.(Y) Trata-se de uma compreensão míope, que ignora componentes essenciais ao fenômeno docapitalismo que estamos vivendo.IV - Quem pode entender a política militarista dos EUA e do seu complexo militarindustrial sema atualização da noção de imperialismo?(X) Quem pode entender hoje a crise econômica internacional fora dos esquemas dasuperprodução, essencial ao capitalismo?(Y) Portanto, é a unipolaridade vigente há uma década que busca impor a dicotomia livremercado/protecionismo.V - Nunca as relações mercantis tiveram tanta universalidade, seja dentro de cada país, sejanas novas fronteiras do capitalismo.(X) O capitalismo dá mostras de enfrentar forte declínio, que leva os especialistas a preveremprofunda fragmentação na ordem econômica interna de cada nação.(Y) Assiste-se ao capitalismo em plena fase imperialista consolidada, em que as formas dedominação se multiplicam.(Itens baseados em Emir Sader)a) X,X,Y,Y,Xb) Y,X,X,X,Yc) Y,Y,X,X,Yd) X,Y,Y,X,Ye) X,Y,Y,X,XGabarito: BComentário.Essa foi a primeira questão do concurso de AFRF 2002.1. A banca, obviamente,tentoudesestabilizar o candidato. Essa questão tomava toda a primeira folha daprova 1 (que serealizou no sábado). Se o candidato conseguisse manter a calma, veria que essa questãopoderia ser solucionada respondendo apenas aos dois primeiros trechos. Se eu estivesse lá,certamente teria deixado essa questão para depois, pois o tempo despendido com ela, paraganhar apenas 1 ponto, poderia ser gasto resolvendo várias outras questões simples e rápidas(garantindo mais do que 1, com certeza), mas isso vai de cada um.Todos os segmentos constituem um texto e, por isso, a partir do segundo (II), pode haverreferências a termos expressos em trechos anteriores.Bem, no segmento I, “de saída”, já eliminamos o período X, que faz referência a certos fatoresainda não apresentados no texto. Assim, I-Y.Vamos às opções: eliminam-se as letras a, d, e (opa, já tenho 50% de chances deacertar!).No segmento II, o parágrafo começa indicando uma ação praticada por alguém ainda nãoidentificado (“Compravam um passaporte para o camarote dos vencedores” – temos deidentificar o sujeito da forma “compravam”).Como, no segmento I, não houve indicação de pessoa alguma, provavelmente essa menção seencontra no trecho omitido. O período X apresenta um “candidato” a sujeito: “Os queabandonaram Marx”, ou seja, aquelas pessoas que abandonaram Marx. Já o período Y
  4. 4. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoapresenta apenas um pronome pessoal reto “Eles”, também sem menção a seu referente, oque, se colocado no início do parágrafo, prejudicaria a coesão textual.Assim, o segmento I deve ser preenchido pelo trecho X.Até agora, temos Y – X; vamos às opções: a resposta é a letra b (a única a apresentar essadisposição).A partir daí, se o candidato for do tipo “São Tomé”, pode confirmar que as demais sugestões depreenchimento atendem às exigências textuais.III – No parágrafo, há menção a determinados “modos” (“tais modos”), presentes no trecho X –“Para atender a atualidade, são necessários modos de compreensão férteis, capazes de darconta das relações entre a objetividade e a subjetividade...” - XIV – Há uma sucessão de questionamentos, iniciando-se pelo segmento X, dando continuidadecom o trecho já apresentado e se encerram com uma conclusão, apresentada pelo segmentoY, que seria colocado após o trecho IV. Assim, a disposição seria:Introdução pelo segmento X:(X) Quem pode entender hoje a crise econômica internacional fora dos esquemas dasuperprodução, essencial ao capitalismo?Quem pode entender a política militarista dos EUA e do seu complexo militarindustrial sem aatualização da noção de imperialismo?E, na seqüência, o segmento Y:(Y) Portanto, é a unipolaridade vigente há uma década que busca impor a dicotomia livremercado/protecionismo.Assim, a lacuna seria preenchida por X.V – Por fim, a expressão “as formas de dominação se multiplicam”, presente em Y, estabeleceuma relação semântica com “Nunca as relações mercantis tiveram tanta universalidade” – Y.A ordem, portanto, é Y – X – X – X – Y.02 - (AFC SFC/2002) - Assinale, entre as opções propostas, aquela que se desvia, ainda queparcialmente, do conceito e da direção argumentativa expressos no período abaixo.“Dizia o sociólogo norte-americano, Robert Merton, que o que há de mais relevante eespantoso com as profecias é que elas se auto-realizam, como um vaticínio, um augúrio.”a) Ao serem concebidas pela imaginação ilimitada dos homens, as profecias potencializam achance de se transformarem em realidade, projetando e fortalecendo um desejo ou temorcoletivo.b) Pelo simples fato de que foram inventadas por alguém, com ousadia e eficácia simbólica,ganham existência real, criando a probabilidade de serem incorporadas à vida social em futuroimediato ou distante.c) Quando uma grande (ou pequena) idéia se cristaliza, sua força transformadora entra emação com os mesmos poderes que comandam as leis da Física.d) Acima de profetas e messias, está o império da história, que constrói o futuro com seuspróprios vetores e forças internas atuando à revelia do desiderato e do fado humanos.e) A história da humanidade registra fatos que provam a existência de uma simbiose naturalentre os grandes sonhos e as grandes mudanças, fruto da magia pessoal e de uma vontadeinabalável.(Com base em artigo de Aspásia Camargo)Gabarito: DComentário.Por “direção argumentativa”, entende-se a linha de raciocínio do autor. Vamos resumir emalgumas palavras o parágrafo em destaque: PROFECIAS SE REALIZAM. É essa a idéia
  5. 5. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoprincipal. A partir daí, leia cada uma das opções e identifique a que não apresenta essa idéia.Em cada item, justifica-se de uma forma diferente a tese de que “PROFECIAS SE REALIZAM”,exceto na opção d: “Acima de profetas e messias, está o império da história, que constrói ofuturo com seus próprios vetores e forças internas atuando à revelia do desiderato e do fadohumanos.”Neste caso, segundo o autor, a história, com seus próprios vetores e forças internas, constrói ofuturo, à revelia do desejo e da sorte e acima de profetas e messias (os que fazem asprofecias). Ou seja, “PROFECIAS NÃO SE REALIZAM”.03 - (AFC STN/2002) Marque o elemento coesivo que estabelece a relação lógica entre asidéias apresentadas este texto adaptado de Darcy Ribeiro. Depois escolha a seqüência correta.I. O Brasil foi regido primeiro como uma feitoria escravista, exoticamente tropical, habitada poríndios nativos e negros importados................ , como um consulado, em que um povosublusitano, mestiçado de sangues afros e índios, vivia o destino de um proletariado externodentro de uma possessão estrangeira.X ParalelamenteY DepoisII. Os interesses e as aspirações do seu povo jamais foram levados em conta,................ só se tinha atenção e zelo no atendimento dos requisitos de prosperidade da feitoriaexportadora.X aondeY porqueIII. Essa primazia do lucro sobre a necessidade gera um sistema econômico acionado por umritmo acelerado de produção do que o mercado externo exigia, com base numa força detrabalho afundada no atraso, famélica, ......... nenhuma atenção se dava à produção ereprodução das suas condições de existência.X poisY cujaIV. ................., coexistiram sempre uma prosperidade empresarial, que às vezes chegava a sera maior do mundo, e uma penúria generalizada da população local.X Em conseqüênciaY SenãoV. Alcançam-se, ................., paradoxalmente, condições ideais para a transfiguração étnicapela desindianização forçada dos índios e pela desafricanização do negro, que, despojados desua identidade, se vêem condenados a inventar uma nova etnicidade englobadora de todoseles.X ao contrárioY assima) X, X, Y, X, Yb) Y, X, X, Y, Xc) X, Y, X, Y, Yd) X, Y, Y, Y, Xe) Y, Y, X, X, YGabarito: EComentário.I – Há uma relação entre os dois primeiros períodos: “O Brasil foi regido primeiro como umafeitoria escravista...” – “...., como um consulado”. A vírgula do segundo período marca a elipse
  6. 6. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoda expressão “foi regido”. Assim, o termo que melhor completa a lacuna é “Depois”, a fim deapresentar a sucessão dos fatos. - Y.Vamos às opções (é assim que se resolve esse tipo de questão, para otimizar o tempo deprova – responde uma e olha as opções, responde outra e olha novamente, até encontrar aresposta): eliminamos as opções a, c, d (já começo com 50% de chances de acertá-la).II – Este item é decisivo, pois há divergência entre as opções que restaram (b, e).O pronome relativo “onde” associado a uma preposição “a” (= aonde) deve fazer referência alugar e também apresentar algum termo que exija aquela preposição.Isso não é observado nesse segmento. A conjunção que atende à exigência da lacuna éporque, pois apresenta a justificativa para o fato de não terem sido considerados “osinteresses e as aspirações do seu povo”. A conjunção inicia uma oração coordenadaexplicativa, conferindo uniformidade ao texto – Y – a resposta é a letra E.III – O pronome relativo cuja liga dois substantivos com idéia de subordinação de um ao outro.Não poderia, pois, preencher a lacuna, já que o termo subseqüente é nenhuma atenção.Assim, a lacuna deve ser preenchida com a conjunção explicativa pois – X.IV – A palavra Senão pode ser classificada como uma palavra denotativa de exclusão (Aurélioa classifica como “preposição”), equivalente a exceto (“Ninguém, senão sua mãe, compareceuà audiência.”) ou como uma conjunção, equivalente a “ao contrário”, “de outro modo” (“Venha,senão será demitido.”). Não se deve confundi-la com “Se não” – conjunção condicional (quepode ser substituída pela conjunção equivalente “caso”) acompanhada de advérbio de negação(“Se não fizer o que eu peço, irei embora” – “Caso não faça o que eu peço...”). De acordo como contexto, nenhuma das duas classificações poderia ser empregada no trecho. Trata-se deuma continuidade do que se expôs nos segmentos anteriores, apresentando a conseqüênciade se atribuir grande importância ao lucro em detrimento das condições de existência da forçade trabalho. O que melhor preenche a lacuna, portanto, é “Em conseqüência” – X.V - Ao lado da lacuna, já existe o advérbio paradoxalmente, que se situa no mesmo camposemântico de ao contrário (contraditoriamente), o que acabaria por se tornar uma redundância.O conclusivo assim preenche com rigor o trecho entre vírgulas – Y, já que se trata da partefinal do texto.A ordem é: Y, Y, X, X, Y04 - (AFC STN/2002) Relacione cada parágrafo à correspondente pergunta constante darelação proposta e, depois, marque a seqüência correta.( ) Mercados são pessoas! Pessoas com necessidades e problemas demandando soluções;pessoas com informações e conhecimento ofertando soluções. É gente falando com gente otempo todo. Negócios são relacionamentos.( ) Até aí pode parecer óbvio. Mas pare para pensar! Compare com o que acontece na vidareal: uma enorme deturpação do que verdadeiramente seja o entendimento de mercado e denegócio.( ) Na fábrica, as máquinas, os equipamentos e as instalações valem mais do que osfuncionários; no estabelecimento comercial, a loja, as prateleiras e os estoques valem mais doque os funcionários. Ironicamente, os recursos físicos e técnicos valem mais do que aspessoas. Os meios se sobrepõem aos fins.( ) Na fábrica, as máquinas e os equipamentos recebem manutenção preventiva e corretiva,sistematicamente. Existe até a conta manutenção e conservação, que prevê gastos voltados àatualização desses ativos.Existem também os gastos com segurança patrimonial,destinados a preservar o patrimôniocomposto dos ativos fixos e imobilizados. Não é pouco o que se gasta para preservar recursosfísicos e técnicos.
  7. 7. O nosso objetivo é a sua Aprovação( ) Crises econômicas mostram a pouca convicção que existe no que se refere à formação deequipes e à capacitação de pessoas. As pessoas não têm o privilégio das máquinas, eis agrande distorção. Não existe a conta de aumento intelectual.(Baseado em Roberto Tranjan)1. Quais as conseqüências nefastas da negligência com a capacitação dos recursos humanos?2. Qual a natureza dos mercados?3. Consolidaram-se distorções quanto a conceitos chave na economia de mercado?4. Qual a prioridade na preservação do patrimônio no setor secundário do sistema deprodução?5. Os recursos humanos nas diversas atividades produtivas estão subestimados?a) 2, 3, 5, 4, 1b) 3, 1, 4, 5, 2c) 2, 4, 3, 5, 1d) 4, 5, 2, 1, 3e) 5, 2, 1, 4, 3Gabarito: AComentário.Esse tipo de questão, se mal formulada, pode ser uma cilada para o candidato.Isto porque, numa entrevista, nem sempre a resposta condiz com a pergunta que foi formulada.Às vezes, o entrevistado se entrega a devaneios e foge do assunto.Por isso, devemos buscar o que chamo de “perguntas-chave”. São perguntas simples, diretas,de preferência que apresentem como resposta “sim” ou “não”.A pergunta-chave para resolver esse dilema é a de nº 2 – “Qual é a natureza dos mercados?”.Das respostas apresentadas, a única que atende é a do primeiro segmento “O mercado sãopessoas!”.Vamos às opções: eliminamos as letras b, d, e (não acredito, de novo com 50%!!!).Em seguida, a pergunta nº 5 exige uma resposta afirmativa ou negativa: “Os recursos humanosnas diversas atividades produtivas estão subestimados”. A resposta, apresentada de formaindireta, está presente no terceiro segmento: “Na fábrica, as máquinas, os equipamentos e asinstalações valem mais do que os funcionários”. A resposta, portanto, é sim.Desse modo, a primeira lacuna é preenchida com (2) e a terceira com (5) – resposta: letra a.(AFPS/2002)A entrada dos anos 2000 têm trazido a reversão das expectativas de que haveria ainauguração de tempos de fraternidade, harmonia e entendimento da humanidade. Osresultados das cúpulas mundiais alimentaram esperanças que novos tempos trariam novasperspectivas referentes a qualidade de vida e relacionamento humano em todos os níveis.Contudo, o movimento que se observa em nível mundial sinaliza perdas que ainda nãopodemos avaliar. O recrudescimento do conservadorismo e de práticas autoritárias, efetivadasà sombra do medo, tem representado fonte de frustração dos ideais historicamente buscados.(Roseli Fischmann, Correio Braziliense. 26/08/2002, com adaptações)05 - Se cada período sintático do texto for representado, respectivamente, pelas letras X, Y, We Z, as relações semânticas que se estabelecem no trecho correspondem às idéias expressaspelos seguintes conectivos:a) X e Y mas W e Z.b) X porque Y porém W logo Z.c) X mas Y e W porque Z.
  8. 8. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãod) Não só X mas também Y porque W e Z.e) Tanto X como Y e W embora Z.Gabarito: AComentário.Devemos, para iniciar a análise, identificar cada um dos períodos que compõem o texto.Lembre-se de que o período se encerra com o ponto final, de interrogação ou de exclamação(às vezes, também com reticências, mas nem sempre, pois estas podem indicar uma pausa nomesmo período).X - A entrada dos anos 2000 têm trazido a reversão das expectativas de que haveria ainauguração de tempos de fraternidade, harmonia e entendimento da humanidade.Y - Os resultados das cúpulas mundiais alimentaram esperanças que novos tempos trariamnovas perspectivas referentes a qualidade de vida e relacionamento humano em todos osníveis.W - Contudo, o movimento que se observa em nível mundial sinaliza perdas que ainda nãopodemos avaliar.Z - O recrudescimento do conservadorismo e de práticas autoritárias, efetivadas à sombra domedo, tem representado fonte de frustração dos ideais historicamente buscados.Entre o segundo (Y) e o terceiro (W) períodos do texto, observamos a presença de umaconjunção adversativa: contudo. Por isso, eliminamos as opções c e d (apresentam aconjunção porque).Eliminamos, também, a opção e, pois indica o início da adversativa no quarto período, em vezde no terceiro.Com quantas opções ficamos? Duas – a, b (50% de novo!!!)A relação entre o primeiro e o segundo períodos é de coordenação, servindo o segundo paraadicionar informações ao primeiro. O mesmo ocorre entre o terceiro e o quarto períodos. Nãose observa, entre eles, relação conclusiva. Por isso, a resposta que atende ao enunciado é ade letra a – X e Y mas W e Z.06 - (AFRF 1998) Numere o segundo conjunto de sentenças de acordo com o primeiro, demodo que cada par forme uma seqüência coesa e lógica.(1) A experiência mundial produziu uma ordem razoavelmente depurada de radicalismosideológicos neste fim de século.(2) As reformas tributária, da legislação trabalhista e da previdência são necessárias àconsolidação de uma economia de mercado com altas doses de investimento e de geração deempregos.(3) O Plano Real interrompeu a ciranda de preços e, com isso, erradicou o impostoinflacionário.(4) Um fator crítico para consolidar a moeda forte é um banco central independente.(5) Os governos nacionais que compreendem a lógica da economia de mercado implementampolíticas públicas compatíveis com a nova ordem em formação.(Baseado em Paulo Guedes, Exame, 1/7/1998)( ) Este era politicamente ilegítimo (uma taxação sem legislação) e socialmente injusto.( ) Ele remeteria ao Congresso o ritual de aprovação de despesas e arrecadação de impostos,o que poderia aumentar a transparência da atuação do Estado.( ) Os que não a compreendem, quer por preconceitos ideológicos, quer por motivos religiosos,quer por ignorância, cavam um fosso no qual aprisionam populações inteiras.( ) Mas elas precisam ser transmitidas em linguagem cotidiana para que ‘globalização’ nãosignifique ‘desnacionalização industrial somada a ciranda financeira internacional’.
  9. 9. O nosso objetivo é a sua Aprovação( ) Seus alicerces são sistemas políticos democráticos, economias de mercado em processo deglobalização, ação social descentralizada por parte de governos nacionais e a consolidação demoedas fortes.A seqüência numérica correta é:a) 5, 4, 2, 3, 1b) 2, 1, 4, 5, 3c) 1, 5, 3, 4, 2d) 4, 2, 5, 1, 3e) 3, 4, 5, 2, 1Gabarito: EComentário.Devemos relacionar as sentenças do primeiro conjunto com as do segundo. Uma maneiraobjetiva é, a partir de elementos do segundo grupo, identificar os referentes nas sentenças doprimeiro.Vamos começar pelo segundo trecho do segundo grupo (o dos parênteses).Devemos identificar a quem se refere o pronome “ele”, sujeito da oração (quem remeteria aoCongresso o ritual de aprovação de despesas e arrecadação de impostos?).A única opção que apresenta um termo que poderia ser o referente do pronome é o de nº 4 –um banco central independente.Vamos às opções: eliminamos as letras b, c, d (só dá 50%!!!).Vamos identificar, agora, o trecho que atende ao primeiro segmento: “Este era politicamenteilegítimo (uma taxação sem legislação) e socialmente injusto.”.Quem pode ser esse vilão??? Dica: tem relação com “taxação”. Só pode ser o impostoinflacionário do segmento (3).Resposta: EORDENAÇÃO TEXTUALA partir da próxima questão, iremos falar sobre ordenação textual.Deveremos eliminar, primeiramente, as opções que não poderiam ser o primeiroparágrafo do texto. Essas opções apresentam termos ou expressões que dependem deindicações antecedentes (pronomes, conjunções etc.).Às vezes, isso basta para encontrarmos a resposta correta. Na maior parte, ficamos comapenas duas ou três opções. Aí, devemos analisar cada uma das ordens propostas e verificar aque melhor respeita a coesão e coerência textuais.07- (TRF 2003) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados.Ordene-os nos parênteses e, em seguida, assinale a seqüência correspondente.( ) As operações de compra de imóveis pelas off shores também estão sendo monitoradas pelaReceita. Os dados serão comparados com as declarações de Imposto de Renda dosresidentes no Brasil e até com o cadastro de imóveis das prefeituras.( ) Sem identificação dos donos, cujos nomes são mantidos em sigilo pela legislação dospaíses onde estão registradas, muitas dessas empresas fazem negócios no Brasil, como aparticipação em empreendimentos comerciais ou industriais, compra e aluguel de imóveis.( ) Além de não saber quem são os proprietários dessas off shores, pois não há mecanismoslegais que permitem acesso aos verdadeiros donos, o governo também não tem conhecimentoda origem desse dinheiro aplicado no País, sem o recolhimento dos impostos devidos.
  10. 10. O nosso objetivo é a sua Aprovação( ) A Receita Federal está fechando o cerco contra as empresas estrangeiras sediadas emparaísos fiscais que atuam no Brasil, conhecidas como off shores.( ) Para reduzir essa evasão fiscal, a Receita está identificando as pessoas físicas que alugamimóveis de luxo pertencentes a pessoas jurídicas ou mesmo físicas que atuam em paraísosfiscais. Toda remessa de aluguel é tributada.(Adaptado de Ana DAngelo, Andrea Cordeiro e Vicente Nunes, Correio Braziliense,08/09/2003)a) 1º,2º,4º,3º,5ºb) 2º,3º,5º,4º,1ºc) 5º,2º,3º,1º,4ºd) 1º,5º,4º,3º,2ºe) 3º,2º,1º,5º,4ºGabarito: CComentário.Veremos que a banca apresenta esse tipo de questão de diversas formas. Nessa, devemoscolocar os numerais ordinais nos parênteses.Primeiramente, vamos eliminar as opções que apontam, como primeiro parágrafo do texto (1º),segmentos que apresentam palavras ou expressões dependentes de informações anteriores,quer gramaticalmente (emprego de pronomes com função anafórica - “essas”, “suas”, queexigem referência textual anterior, conjunção relacionando orações de trechos diferentes,orações cujo sujeito já deveria ter sido mencionado, etc.), quer semanticamente (não faz omenor sentido, faltam informações).Eliminamos da primeira posição os seguintes segmentos:1º) “As operações ... também estão sendo monitoradas...” – depende da existência / menção aoutra operação que esteja sendo monitorada pela Receita Federal (a indicação de parte donome do órgão – Receita - também indica que já houve menção a ele, caso contrário haveriaprejuízo da compreensão textual – “que Receita - estadual, municipal, federal?”);2º) “Sem identificação dos donos, cujos nomes...” – donos de quê? – “muitas dessasempresas” – que empresas?3º) “Além de não saber quem são os proprietários dessas off shores...” – que off shores??? Oque é isso??5º) “Para reduzir essa evasão fiscal ...” – que evasão???Só poderíamos começar pelo quarto segmento – “A Receita Federal está fechando o cercocontra as empresas sediadas em paraísos fiscais que atuam no Brasil, conhecidas como offshores.”Agora, sim, houve menção a empresas off shores.Vamos às opções: eliminam-se as letras a, b, d, e. RESPOSTA: CIncrível que somente essa providência levou ao gabarito! Mas não fique muito animadinho(a),hem? Nem sempre funciona desse jeito mole, mole...Agora, se houver tempo, verifique a ordem e comprove que essa é mesmo a resposta correta(não tenho dúvidas).08 - (TRF 2003) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados.Ordene-os nos parênteses e, em seguida, assinale a seqüência correspondente.( ) Em geral, esta firma é constituída apenas para atuar como subsidiária da estrangeira,intermediando seus negócios. Caso a empresa compre imóvel no Brasil, tem que haverregistro, tem que existir um responsável, com CPF, o que permite o controle.
  11. 11. O nosso objetivo é a sua Aprovação( ) O investidor estrangeiro entra no Brasil via Bolsa de Valores, fundos de investimentos oucomo sócio de uma empresa brasileira.( ) O secretário da Receita admite, no entanto, que não há mecanismos para controlar aatuação de brasileiros que mandam dinheiro ilícito para os paraísos fiscais e o repatriam pormeio de negócios realizados em nome das off shores.( ) E também a contabilidade da empresa, em tais países, não precisa ser auditada. Os donosdos recursos podem movimentar dinheiro ou constituir empresas por vários meios que omitemseus nomes, como o sistema de ações ao portador.( ) Esses países conhecidos como paraísos fiscais têm como principais atrativos a legislaçãotributária branda, com direito até a isenção de impostos, e garantia de sigilo bancário,comercial e societário.(Adaptado de Ana DAngelo, Andrea Cordeiro e Vicente Nunes, Correio Braziliense,08/09/2003)a) 1º,2º,4º,3º,5ºb) 2º,1º,3º,5º,4ºc) 3º,2º,1º,5º,4ºd) 1º,5º,4º,3º,2ºe) 5º,2º,3º,1º,4ºGabarito: BComentário.Já começo riscando o que não pode ser o 1º parágrafo do texto.Eliminaremos os seguintes segmentos:1º) “Em geral, esta firma...” – que firma???3º) “O secretário da Receita admite, no entanto, ...” – uma oração que depende da existênciade outra anteriormente apresentada no texto, a fim de estabelecer uma relação adversativacom ela.4º) “E também a contabilidade da empresa...” – posso??? Não.5º) “Esses países conhecidos como paraísos fiscais ...” – que países??Bem, só podemos começar pelo segundo segmento (“O investidor estrangeiro entra no Brasilvia Bolsa de Valores, fundos de investimento ou como sócio de uma empresa brasileira.”).Vamos às opções: eliminam-se as letras a, c, d, e. RESPOSTA: BIsso é que se chama ganhar um ponto fácil, hem?? Não fique acostumado com essa boa vida –ela vai acabar já, já...09 - (TRF 2000) Os fragmentos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados. Ordene-os de forma coesa e coerente e assinale a resposta correta.A. Na sede da entidade, a Receita recolheu para análise dezenas de notas fiscais,comprovantes de pagamentos e livros contábeis. Com base nos documentos, o órgão federalespera esclarecer a questão. O movimento financeiro durante os dez dias da festa é avaliadopelo Sebrae da cidade em R$ 278 milhões.B. Segundo sua análise, o evento reúne 1 milhão de pessoas, com uma média de R$ 278gastos por freqüentador. Desses R$ 278 milhões, a média de arrecadação é de 3%. Segundoinformações obtidas pela Receita, metade desse percentual estaria sendo sonegado - ou seja,R$ 4,17 milhões. Além do clube, devem ser fiscalizados hotéis, restaurantes e a empresa quevende os anúncios da festa.C. A suspeita de sonegação surgiu porque o recolhimento dos tributos por parte decomerciantes e empresários da região, no período da festa, é o mesmo dos outros meses do
  12. 12. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoano. "Todo mundo diz que o faturamento dobra ou triplica no período da festa, mas o totalarrecadado em impostos fica igual", diz o delegado da Receita. O primeiro alvo dos auditoresna cidade foi o clube Os Independentes, instituição responsável pela organização da Festa doPeão de Boiadeiro.D. A Receita Federal de Franca está apurando a sonegação de impostos praticada pelasempresas e associações que atuam na Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos.(Rogério Pagnan, Folha de S. Paulo, 15/08/2000, p. F2, com adaptações)a) C, A, B, Db) D, C, A, Bc) A, B, C, Dd) D, B, C, Ae) B, C, D, AGabarito: BComentário.Pronto. Agora, começou a mudar o estilo. Em vez de indicar a ordem 1º, 2º etc., devemos dizerqual a ordem dos segmentos. Cuidado, pois já vi muita gente boa e inteligente fazendoconfusão. Você deverá dizer, agora, qual é o primeiro segmento: A, B, C ou D.Eliminamos da primeira posição os seguintes segmentos:A – “Na sede da entidade,...” – qual a entidade? Não houve menção a ela, ainda, então nãotenho como adivinhar. Não posso começar o texto com esse parágrafo.B – “Segundo sua análise...” – análise de quem, cara pálida??C – “A suspeita de sonegação surgiu porque...” – sonegação do quê? – “...por parte decomerciantes e empresários da região,...” – de qual região?Bem, só podemos iniciar pelo trecho D: “A Receita Federal de Franca está apurando asonegação de impostos praticada pelas empresas e associações que atuam na Festa do Peãode Boiadeiro de Barretos.”.Vamos às opções. Acabou a moleza, viu? Agora só podemos eliminar os segmentos dasletras a, c, e. Mesmo assim, você já tem 50% de chances de acertar (de novo!!!).No trecho B, há menção a um determinado clube – “Além do clube, devem ser fiscalizadoshotéis, restaurantes e a empresa que vende os anúncios da festa.” – mas que clube é esse?É o clube citado no trecho C – “O primeiro alvo dos auditores na cidade foi o clube OsIndependentes, instituição responsável pela organização da Festa do Peão de Boiadeiro.”.Logo, esse trecho C deverá anteceder o trecho B.Assim, as opções seriam: D, C, B, A (não existe essa opção) ou D, C, A, B.RESPOSTA: B10 - (TRF 1998) Numere os períodos de modo a compor um texto coeso e coerente e, depois,escolha a seqüência correta.( ) No caso das carteiras exclusivas, hoje restritas a investidores institucionais como fundos depensão e seguradoras, o "dono" do fundo conseguia garantir liquidez diária, sem detrimento darentabilidade.( ) Com essa medida, que atinge em cheio os chamados "fundos exclusivos" (ou de um únicocotista), o rendimento referente aos saques feitos fora da data de aniversário vai para os cofresdo governo.( ) Segundo a Receita, o objetivo do governo com a cobrança do IOF é inibir operaçõesrealizadas por fundos exclusivos.
  13. 13. O nosso objetivo é a sua Aprovação( ) Ainda que em menor escala, os fundos de pensão serão atingidos pela decisão do governode cobrar, a partir de fevereiro, 0,5% ao dia de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)sobre a diferença entre o valor da cota resgatada de um fundo de renda fixa e o valor pago aocotista.( ) Dos cerca de R$ 19 bilhões aplicados em fundos exclusivos, os fundos de pensão detêmaproximadamente R$ 3 bilhões.( ) Até então, esse ganho revertia em favor do próprio fundo.(Baseado em Isto É Dinheiro, 14/1/98)a) 2, 4, 3, 6, 5, 1b) 6, 1, 3, 5, 4, 2c) 4, 2, 6, 1, 5, 3d) 1, 2, 4, 5, 6, 3e) 3, 4, 5, 2, 6, 1Gabarito: CComentário.Voltamos ao método da numeração, indicando com o número 1 o primeiro parágrafo e, assim,sucessivamente.Eliminamos da primeira posição os segmentos:1º) “No caso das carteiras exclusivas,...” – essa expressão denota a existência de umargumento antecedente, com base em que se contraporiam as carteiras exclusivas – nãoposso iniciar o texto com esse segmento.2º) “Com essa medida...” – que medida???6º) “Até então, esse ganho...” – depende de informação antecedente.Nenhuma das opções indica o nº 1 no 3º nem no 5º segmento.Considerando que o 1º, o 2º e o 6º foram eliminados da primeira posição, o único trecho quepoderia iniciar o texto seria o 4º segmento – “Ainda que em menor escala...”.A única opção que indica o quarto segmento como primeiro parágrafo é a letra: C.11 - (TTN 1997) Numere os períodos na ordem em que formem um texto coeso e coerente, emarque o item correspondente.( ) Essa mudança é trazida pela nova Medida Provisória (MP) do Cadastro Informativo deCréditos não Quitados (Cadin).( ) O que a Fazenda Nacional quer com essa nova redação é transformar em caixa os valoresdepositados em juízo pelas empresas nas batalhas judiciais que já tiveram decisãodesfavorável ao contribuinte em julgamento no Supremo Tribunal Federal.( ) A Fazenda Nacional está investindo em mais uma arma para reduzir o volume de açõestributárias na Justiça.( ) De acordo com a nova redação do artigo 21 dessa Medida Provisória, a Fazenda Nacionalabre mão de seus honorários (10% a 15% sobre os valores envolvidos nas ações perdidas)caso as empresas desistam de algumas brigas tributárias contra a União.( ) Esse esforço se traduz na modificação de um dispositivo legal que torna mais atraente àsempresas a desistência de algumas ações judiciais que são, na verdade, casos consideradosperdidos.(Gazeta Mercantil - 17.7.97, com adaptações)a) 5, 3, 1, 2, 4b) 2, 4, 3, 1, 5c) 5, 2, 3, 1, 4d) 3, 5, 1, 4, 2
  14. 14. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoe) 4, 1, 5, 3, 2Gabarito: DComentário.Os únicos segmentos que receberam o nº 1 nas opções foram o 2º, 3º e 4º.Vamos eliminar os que não poderiam ocupar essa posição:2º) “O que a Fazenda Nacional quer com essa nova redação...” – que nova redação é essa???4º) “De acordo com a nova redação do artigo 21 dessa Medida Provisória...” – que medidaprovisória.Perceba que a resposta para o 2º segmento (que nova redação?) está presente no 4º (“a novaredação do artigo 21”).Não podemos começar nenhum dos seguintes trechos: 1º (não existe opção), 2º, 4º e 5º; sópodemos começar, então, pelo 3º segmento – “A Fazenda Nacional está investindo...”.Vamos às opções: eliminamos as letras b, c, e.A Medida Provisória foi citada pela primeira vez no 1º segmento. Esse segmento deveanteceder o 4º, que faz menção à MP e cita o artigo 21, cuja nova redação foi mencionada no2º segmento.Assim, a indicação de números deve atender à seguinte ordem:1º segmento / 4º segmento / 2º segmento.As duas opções restantes são: a, d.a) 5, 3, 1, 2, 4De acordo com essa ordem, o 1º segmento seria colocado na posição 5, ou seja, no últimoparágrafo do texto, o que não é possível, pois ele indica, pela primeira vez, a Medida Provisóriaobjeto do texto.d) 3, 5, 1, 4, 2Assim, o 1º segmento (que fica na posição 3) antecede o 4º segmento (posição 4), queantecede o 2º segmento (posição 5). Essa é a resposta correta. Deu mais um pouquinho detrabalho, mas conseguimos resolver.12 - (Técnico IPEA/2004) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados.Ordene-os nos parênteses e aponte a opção correta.( ) Em decorrência desse avanço, a constituição majoritária, hoje, de nosso corpo político é declasses médias, classes médias baixas, pobres, analfabetos. Todos, bem ou mal, participam doprocesso político.( ) Além disso, a partir do início dos anos 80, mergulhamos numa crise de crescimento, comtaxas medíocres, pouco acima de 2%, ao longo de duas décadas.( ) No Brasil, historicamente, tivemos desenvolvimentismo no pós-guerra, mas nosso estado dobem-estar social ficou a meio caminho.( ) No campo político, porém, tivemos avanços realmente significativos. A Constituição de 88 –Constituição cidadã, de Ulysses Guimarães – expandiu os direitos de cidadania até limitesantes inimagináveis, abarcando desde menores de 16 anos a analfabetos.( ) É, no entanto, este corpo majoritário de cidadãos que é atingido diretamente pelas altastaxas de desemprego, pelo subemprego, pela falta de perspectiva de vida.( ) O resultado desse fraco desempenho econômico foi, entre outras coisas, taxas dedesemprego sem precedentes em nossa História a partir da segunda metade dos anos 90.(Adaptado de J. Carlos de Assis, A Crise da Economia enquanto Crise do Trabalho)a) 5º, 2º, 1º, 4º, 6º, 3ºb) 3º, 5º, 4º, 1º, 2º, 6ºc) 6º, 2º, 3º, 4º, 5º, 1º
  15. 15. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãod) 4º, 6º, 1º, 3º,2º, 5ºe) 6º, 1º, 5º, 2º, 3º, 4ºGabarito: AComentário.Para facilitar a explicação, iremos indicar cada um dos segmentos com números romanos.I - ( ) Em decorrência desse avanço, a constituição majoritária, hoje, de nosso corpo político éde classes médias, classes médias baixas, pobres, analfabetos. Todos, bem ou mal, participamdo processo político.II - ( ) Além disso, a partir do início dos anos 80, mergulhamos numa crise de crescimento, comtaxas medíocres, pouco acima de 2%, ao longo de duas décadas.III - ( ) No Brasil, historicamente, tivemos desenvolvimentismo no pósguerra, mas nosso estadodo bem-estar social ficou a meio caminho.IV - ( ) No campo político, porém, tivemos avanços realmente significativos.A Constituição de 88 – Constituição cidadã, de Ulysses Guimarães – expandiu os direitos decidadania até limites antes inimagináveis, abarcando desde menores de 16 anos a analfabetos.V - ( ) É, no entanto, este corpo majoritário de cidadãos que é atingido diretamente pelas altastaxas de desemprego, pelo subemprego, pela falta de perspectiva de vida.VI - ( ) O resultado desse fraco desempenho econômico foi, entre outras coisas, taxas dedesemprego sem precedentes em nossa História a partir da segunda metade dos anos 90.Quais são os segmentos que não podem iniciar o texto?I) “Em decorrência desse avanço...” – avanço do quê?II) “Além disso...” – é uma expressão conectiva, que serve para ligar dois argumentos. Nãopoderia dar início ao texto.III) “No campo político, porém,...” – a conjunção adversativa depende de um antecedente aoqual se oponha.IV) “É, no entanto, ...” – mesma justificativa do segmento IV.V) “O resultado desse fraco desempenho...” – o desempenho já deveria ter sido mencionado.Assim, resta apenas um segmento, III, que receberá a indicação “1º”, como primeiro parágrafodo texto.Há duas opções:a, d.A solução está na menção a um “fraco desempenho” pelo segmento VI. Onde foi citado pelaprimeira vez esse desempenho?No segmento II: “Além disso, a partir do início dos anos 80, mergulhamos numa crise decrescimento, com taxas medíocres, pouco acima de 2%, ao longo de duas décadas.”.Por isso, o segmento II deve anteceder o VI. Isso ocorre na ordenação proposta pela letra a -5º, 2º, 1º, 4º, 6º, 3º (II=2º / VI=3º).A ordem da letra d não segue esse critério, colocando o segmento VI em 5º, antes do II, queestá em 6º.Então, a numeração entre os parênteses ficará na seguinte ordem: 5º, 2º, 1º, 4º, 6º, 3º.15- (AFC SFC/2000) Numere os trechos de modo a compor um texto coeso e coerente, eassinale a seqüência correta.( ) Ela teria também eliminado a inflação e os ciclos econômicos.( ) Mas será que tudo isso está de fato transformando a economia?( ) Não há dúvida de que há uma revolução em curso na forma como nos comunicamos,trabalhamos, compramos e nos divertimos.( ) Em decorrência disso, as velhas regras econômicas e as formas tradicionais de valorizaçãodas ações não se aplicam mais.
  16. 16. O nosso objetivo é a sua Aprovação( ) Os otimistas radicais dizem que a tecnologia da informação ajuda-a a crescer maisrapidamente.(Adaptado de Negócios Exame, p.93)a) 5, 1, 3, 2, 4b) 3, 4, 2, 5, 1c) 2, 3, 4, 1, 5d) 1, 5, 3, 4, 2e) 4, 2, 1, 5, 3Gabarito: EComentário.Não podemos iniciar o texto com os seguintes trechos:1º) “Ela teria também...”2º) “Mas será que tudo isso...”4º) “Em decorrência disso...”5º) “Os otimistas radicais dizem que a tecnologia da informação ajuda-a...” – o pronome fazreferência a algum termo antecedente.Eliminamos as opções a, b, c, d. Resposta: E(AFC STN/2000) Nas questões 16 e 17, numere os trechos, observando a ordem em quedevem aparecer para constituírem um texto coeso e coerente, e assinale a resposta correta.16- ( ) Esse processo constituiu-se, então, em duas fases: 1ª) a ruptura da homogeneidade da"aristocracia agrária"; 2ª) o aparecimento de novos tipos de agentes econômicos, sob apressão da divisão do trabalho em escala local, regional ou nacional.( ) Ela se constitui lentamente, por vezes sob convulsões profundas, numa trajetória deziguezagues.( ) Uma Nação não aparece e se completa de uma hora para outra.( ) Isso sucedeu no Brasil, mas de maneira a converter essa transição, do ponto de vistaeconômico, no período de consolidação do capitalismo.(Florestan Fernandes, A Revolução Burguesa no Brasil, pág. 1518, com adaptações)a) 4, 2, 1, 3b) 2, 4, 3, 1c) 3, 1, 4, 2d) 1, 3, 2, 4e) 3, 2, 1, 4Gabarito: AComentário.O texto só poderia iniciar com o terceiro fragmento – “Uma Nação não aparece e se completade uma hora para outra.”, apresentando, na seqüência, o segundo trecho “Ela se constituilentamente, por vezes sob convulsões profundas, numa trajetória de ziguezagues.”A dúvida paira entre a posição do terceiro e do quarto trechos.O pronome “Isso” se refere ao aparecimento da Nação brasileira e, em seguida, relata a formaem que se deu esse processo (conclusão – primeiro segmento, que recebe o nº.4).Assim, a ordem indicada seria: 4, 2, 1, 3.
  17. 17. O nosso objetivo é a sua Aprovação17 - (AFC STN/2000)( ) No primeiro, não é preciso justificar a importância atribuída às liberdades.São desejáveis como valores independentes de qualquer outra consideração. Todo o esforçode transformação econômica só tem sentido pelo que acrescenta à vida de cada indivíduo e decada família.( ) O enfoque nas capacidades é mais satisfatório que a ênfase nos bens primários, pois incluia consideração de como as pessoas podem, de fato, utilizar os meios básicos oferecidos acada um. Nos dois casos acima, este é um ponto especialmente importante e aresponsabilidade coletiva é enfatizada.( ) Ao se descrever o desenvolvimento como um processo de expansão das liberdades reais,dois papéis são atribuídos às liberdades: são o fim primordial do desenvolvimento, mastambém são seu meio principal.( ) No segundo, a tese requer uma argumentação mais técnica. Parte dessa argumentação éfamiliar a quem conhece a noção de capital humano, mas a idéia geral é mais ampla e maiscomplicada.a) 1, 3, 2, 4b) 1, 2, 4, 3c) 2, 4, 1, 3d) 3, 1, 4, 2e) 3, 2, 1, 4Gabarito: CComentário.O texto somente poderia iniciar a partir do terceiro segmento – “Ao se descrever...”. Os demaisrequerem informações antecedentes.Nas duas opções (c, e), o primeiro trecho antecede o quarto. A diferença está na posição dosegundo segmento.Este, ao fim, faz a seguinte afirmação “Nos dois casos acima,...”. Pronto, a posição do segundosegmento leva o nº 4.A ordem é: 2, 4, 1, 3.18 - (AFC/2002) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão ordenados aleatoriamente.I. O grande desafio, portanto, está em buscar um caminho que não signifique retorno às velhaspolíticas de reservas de mercado, subsídios generalizados e protecionismo.II. Porém, ela fez com que o Brasil também ficasse no curto prazo mais dependente deimportações e poupança externa.III. A abertura econômica dos anos 90 tornou as empresas aqui instaladas mais competitivas.IV. Então, para que possa percorrer a trajetória de um crescimento sustentado e duradouro, aeconomia brasileira terá, antes, que reunir condições que possibilitem às empresas exportaremmais e importarem relativamente menos.V. Um crescimento acelerado do PIB agora voltaria a provocar desequilíbrios na balançacomercial e levaria o endividamento no exterior para um patamar perigoso.(O Globo Editorial, 3/3/2002)Em relação a uma ordenação coesa e coerente, assinale a opção correta.a) O item V deve ser o primeiro, uma vez que não apresenta dependência a antecedentes.b) O item I é o encerramento do texto, pois é uma conclusão propositiva.
  18. 18. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoc) A ocorrência do pronome “ela”, no item II, indica que este deve ser subseqüente ao IV, poisconstitui um elo coesivo com “trajetória”.d) A ocorrência do dêitico “aqui”, no item III, faz com que ele deva ser subseqüente ao II, noqual está o referente “Brasil”.e) A conjunção “Porém” (item II) é uma articulação sintática em oposição à idéia colocada noitem V.Gabarito: BComentário.Essa é uma nova forma de apresentação desse mesmo tipo de questão. Agora, a bancasugere posições de acordo com determinadas análises. Somente uma delas está correta.Então, a minha sugestão é: coloque os trechos em ordem, como fizemos até agora, e, somentedepois dessa providência, analise as opções.Descartamos do primeiro parágrafo os segmentos:I – “O grande desafio, portanto,...”II – “Porém, ...” – conjunção inicia um oração que se contrapõe a algo já mencionado.IV – “Então, ...” – esse conectivo dá seqüência a alguma argumentação.V - “Um crescimento acelerado do PIB agora voltaria a provocar desequilíbrios...”– percebe-se o caráter seqüencial desse segmento, que, portanto, não poderia ser o primeiro.Comecemos, então, pelo III: “A abertura econômica dos anos 90 tornou as empresas aquiinstaladas mais competitivas.”. O emprego do advérbio aqui não exige uma referência anterior,pois o texto, publicado em jornal de circulação nacional e em editorial, só poderia fazer mençãoao Brasil.O segmento II emprega o pronome “ela”, que se refere à “abertura econômica dos anos 90”.Assim, deve ser a seqüência do segmento III.A linha argumentativa tem nos trechos V e IV, sucessivamente, a apresentação do quadroreferente ao crescimento da economia.O trecho I é a conclusão do texto.Vejamos, agora, as proposições:a) Não devemos começar pelo V, mas pelo III.b) Esta resposta atende à nossa análise. Vejamos as demais.c) Já observamos que “ela” é a “abertura econômica”.d) Também vimos que esse advérbio não exige um antecedente, por ser indicativo do país emque foi publicado o editorial.e) O item II se contrapõe à afirmação do item III, primeiro parágrafo do texto.A resposta correta é, portanto, a de letra b.19 - (AFC CGU/2003-2004) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados.Ordene-os e, em seguida, assinale a seqüência correta correspondente.( ) Nem tinham estabelecido relações entre si que permitissem falar na existência de umsistema estatal ou de um sistema econômico americano.( ) O Brasil foi um dos pioneiros na experimentação dessa estratégia proposta por Adam Smithe seus discípulos. Primeiro, foram os Tratados de Comércio, assinados pela Coroa Portuguesacom a Inglaterra, em 1806 e 1810, e com a França, em 1816; e, logo depois da Independência,os Tratados assinados pelo Império Brasileiro com a Inglaterra, em 1827, com a Áustria e aPrússia, no mesmo ano de 1827, e com a Dinamarca, os Estados Unidos e os Países Baixos,em 1829.( ) Esse dinamismo surgiu depois de se integrarem como produtores especializados do sistemainternacional de divisão do trabalho, articulado
  19. 19. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãopelas necessidades da industrialização inglesa e pelos famosos Tratados Comerciais,preconizados pela economia política clássica e impostos ao mundo pela Inglaterra e demaispaíses europeus.( ) Ao lado dos Estados Unidos, o Brasil e demais países latino-americanos foram os primeirosEstados a nascer fora da Europa. Mas, na hora da sua independência, nenhum deles dispunhade verdadeiras estruturas políticas e econômicas nacionais.( ) Pelo contrário, os Estados latinos só lentamente foram monopolizando e centralizando o usoda força, e suas economias só adquiriram dinamismo no século XIX.(Adaptado de José Luís Fiori, “ O Brasil no mundo: o debate da política externa”)a) 2º, 5º, 4º, 1º, 3ºb) 4º, 3º, 5º, 2º, 1ºc) 5º, 4º, 1º, 3º, 2ºd) 1º, 2º, 5º, 4º, 3ºe) 3º, 1º, 2º, 5º, 4ºGabarito: AComentário.Devemos iniciar o texto com o quarto segmento (“Ao lado dos Estados Unidos, o Brasil...”.Os demais estão impossibilitados por apresentarem termos que exigem informaçõesantecedentes:1 – “Nem tinham estabelecido relações entre si que...” – não sabemos a quem está se referindoo texto.2 – “O Brasil foi um dos pioneiros na experimentação dessa estratégia...”3 – “Esse dinamismo surgiu...”5 – “Pelo contrário, os Estados latinos...”Assim, a resposta é a letra A.20 - (AFRF 1998) Numere os períodos de modo a constituírem um texto coeso e coerente e,depois, indique a seqüência numérica correta.( ) Por isso era desprezado por amplos setores, visto como resquício da era do capitalismodesalmado.( ) Durante décadas, Friedman – que hoje tem 85 anos e há muito aposentou-se daUniversidade de Chicago – foi visto como uma espécie de pária brilhante.( ) Mas isso mudou; o impacto de Friedman foi tão grande que ele já se aproxima do status deJohn Maynard Keynes (1883-1945) como o economista mais importante do século.( ) Foi apenas nos últimos 10 a 15 anos que Milton Friedman começou a ser visto comorealmente é: o mais influente economista vivo desde a Segunda Guerra Mundial.( ) Ele exaltava a ‘liberdade’, louvava os ‘livres mercados’ e criticava o excesso de intervençãogovernamental.(Baseado em Robert J. Samuelson, Exame, 1/7/1998)a) 3, 1, 5, 2, 4b) 1, 2, 5, 3, 4c) 5, 2, 4, 1, 3d) 4, 2, 5, 1, 3e) 2, 5, 4, 3, 1Gabarito: D
  20. 20. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoComentário.Vamos eliminar os trechos que não podem iniciar o texto:1 – “Por isso...”2 – “Durante décadas, Friedman...” – quem é Friedman?3 – “Mas isso mudou...”5 – “Ele exaltava a ‘liberdade’...” – quem é “ele”?Note que a diferença entre as duas opções que têm o quarto segmento com o nº 1 é na ordementre o 4º e o 5º parágrafo (c – 5, 2, 4, 1, 3 / d – 4, 2, 5, 1, 3)Assim, vamos diretamente ao trecho 3 – “Mas isso mudou...” - o que mudou? – O fato de MiltonFriedman ser desprezado por amplos setores. Hoje ele tem a reputação próxima da de JohnMaynard Keynes, considerado o economista mais importante do século.Assim, o trecho 3 deve ser o encerramento do texto.A ordem será: 4, 2, 5, 1, 3.Olavo Bilac, com “A última flor do Lácio“Para ser grande, sê inteiro: nadaTeu exagera ou exclui.Sê todo em cada coisa. Põe quanto ésNo mínimo que fazes.Assim como em cada lago a lua todaBrilha, porque alta vive.”LISTA DAS QUESTÕES COMENTADAS.01- (AFRF 2002.1) Marque, em cada item, o período que inicia o respectivo texto de formacoesa e coerente. Depois, escolha a seqüência correta.I - O abandono da tematização do capitalismo, do imperialismo, das relações centroperiferia,de conceitos como exploração, alienação, dominação, abriu caminho para o triunfo doliberalismo.(X) O socialismo, em conseqüência desses fatores, desapareceu do horizonte histórico, emvirtude de ter ganho atualidade política com a vitória da Revolução Soviética de 1917.(Y) O triunfo do neoliberalismo se consolidou quando o pensamento social passou a serdominado por teses conservadoras.II - Compravam um passaporte para o camarote dos vencedores. Mas, como “há umadignidade que o vencedor não pode alcançar”, como dizia Borges, o que ganharam emprestígio perderam em capacidade de análise.(X) Os que abandonaram Marx com soltura de corpo e com alívio, como se desvencilhassemde um peso, na verdade não trocavam um autor por outro, mas uma classe por outra.(Y) Eles substituíram a exploração de classes e de países pela temática do totalitarismo,aperfeiçoando suas análises políticas ao vinculá-las à dimensão social.III - No mundo contemporâneo, tais modos nos permitem compreender a etapa atual docapitalismo, em sua fase de hegemonia política norte-americana.(X) Para atender a atualidade, são necessários modos de compreensão férteis, capazes de darconta das relações entre a objetividade e a subjetividade, entre os homens como produtores ecomo produtos da história.(Y) Trata-se de uma compreensão míope, que ignora componentes essenciais ao fenômeno docapitalismo que estamos vivendo.IV - Quem pode entender a política militarista dos EUA e do seu complexo militarindustrial sema atualização da noção de imperialismo?
  21. 21. O nosso objetivo é a sua Aprovação(X) Quem pode entender hoje a crise econômica internacional fora dos esquemas dasuperprodução, essencial ao capitalismo?(Y) Portanto, é a unipolaridade vigente há uma década que busca impor a dicotomia livremercado/protecionismo.V - Nunca as relações mercantis tiveram tanta universalidade, seja dentro de cada país, sejanas novas fronteiras do capitalismo.(X) O capitalismo dá mostras de enfrentar forte declínio, que leva os especialistas a preveremprofunda fragmentação na ordem econômica interna de cada nação.(Y) Assiste-se ao capitalismo em plena fase imperialista consolidada, em que as formas dedominação se multiplicam.(Itens baseados em Emir Sader)a) X,X,Y,Y,Xb) Y,X,X,X,Yc) Y,Y,X,X,Yd) X,Y,Y,X,Ye) X,Y,Y,X,X02 - (AFC SFC/2002) - Assinale, entre as opções propostas, aquela que se desvia, ainda queparcialmente, do conceito e da direção argumentativa expressos no período abaixo.“Dizia o sociólogo norte-americano, Robert Merton, que o que há de mais relevante eespantoso com as profecias é que elas se auto-realizam, como um vaticínio, um augúrio.”a) Ao serem concebidas pela imaginação ilimitada dos homens, as profecias potencializam achance de se transformarem em realidade, projetando e fortalecendo um desejo ou temorcoletivo.b) Pelo simples fato de que foram inventadas por alguém, com ousadia e eficácia simbólica,ganham existência real, criando a probabilidade de serem incorporadas à vida social em futuroimediato ou distante.c) Quando uma grande (ou pequena) idéia se cristaliza, sua força transformadora entra emação com os mesmos poderes que comandam as leis da Física.d) Acima de profetas e messias, está o império da história, que constrói o futuro com seuspróprios vetores e forças internas atuando à revelia do desiderato e do fado humanos.e) A história da humanidade registra fatos que provam a existência de uma simbiose naturalentre os grandes sonhos e as grandes mudanças, fruto da magia pessoal e de uma vontadeinabalável.(Com base em artigo de Aspásia Camargo)03 - (AFC STN/2002) Marque o elemento coesivo que estabelece a relação lógica entre asidéias apresentadas este texto adaptado de Darcy Ribeiro. Depois escolha a seqüência correta.I. O Brasil foi regido primeiro como uma feitoria escravista, exoticamente tropical, habitada poríndios nativos e negros importados................ , como um consulado, em que um povosublusitano, mestiçado de sangues afros e índios, vivia o destino de um proletariado externodentro de uma possessão estrangeira.X ParalelamenteY DepoisII. Os interesses e as aspirações do seu povo jamais foram levados em conta, ................ só setinha atenção e zelo no atendimento dos requisitos de prosperidade da feitoria exportadora.X aondeY porque
  22. 22. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoIII. Essa primazia do lucro sobre a necessidade gera um sistema econômico acionado por umritmo acelerado de produção do que o mercado externo exigia, com base numa força detrabalho afundada no atraso, famélica, ......... nenhuma atenção se dava à produção ereprodução das suas condições de existência.X poisY cujaIV. ................., coexistiram sempre uma prosperidade empresarial, que às vezes chegava a sera maior do mundo, e uma penúria generalizada da população local.X Em conseqüênciaY SenãoV. Alcançam-se, ................., paradoxalmente, condições ideais para a transfiguração étnicapela desindianização forçada dos índios e pela desafricanização do negro, que, despojados desua identidade, se vêem condenados a inventar uma nova etnicidade englobadora de todoseles.X ao contrárioY assima) X, X, Y, X, Yb) Y, X, X, Y, Xc) X, Y, X, Y, Yd) X, Y, Y, Y, Xe) Y, Y, X, X, Y04 - (AFC STN/2002) Relacione cada parágrafo à correspondente pergunta constante darelação proposta e, depois, marque a seqüência correta.( ) Mercados são pessoas! Pessoas com necessidades e problemas demandando soluções;pessoas com informações e conhecimento ofertando soluções. É gente falando com gente otempo todo. Negócios são relacionamentos.( ) Até aí pode parecer óbvio. Mas pare para pensar! Compare com o que acontece na vidareal: uma enorme deturpação do que verdadeiramente seja o entendimento de mercado e denegócio.( ) Na fábrica, as máquinas, os equipamentos e as instalações valem mais do que osfuncionários; no estabelecimento comercial, a loja, as prateleiras e os estoques valem mais doque os funcionários. Ironicamente, os recursos físicos e técnicos valem mais do que aspessoas. Os meios se sobrepõem aos fins.( ) Na fábrica, as máquinas e os equipamentos recebem manutenção preventiva e corretiva,sistematicamente. Existe até a conta manutenção e conservação, que prevê gastos voltados àatualização desses ativos.Existem também os gastos com segurança patrimonial,destinados a preservar o patrimôniocomposto dos ativos fixos e imobilizados. Não é pouco o que se gasta para preservar recursosfísicos e técnicos.( ) Crises econômicas mostram a pouca convicção que existe no que se refere à formação deequipes e à capacitação de pessoas. As pessoas não têm o privilégio das máquinas, eis agrande distorção. Não existe a conta de aumento intelectual.(Baseado em Roberto Tranjan)1. Quais as conseqüências nefastas da negligência com a capacitação dos recursos humanos?2. Qual a natureza dos mercados?3. Consolidaram-se distorções quanto a conceitos chave na economia de mercado?4. Qual a prioridade na preservação do patrimônio no setor secundário do sistema deprodução?
  23. 23. O nosso objetivo é a sua Aprovação5. Os recursos humanos nas diversas atividades produtivas estão subestimados?a) 2, 3, 5, 4, 1b) 3, 1, 4, 5, 2c) 2, 4, 3, 5, 1d) 4, 5, 2, 1, 3e) 5, 2, 1, 4, 3(AFPS/2002)A entrada dos anos 2000 têm trazido a reversão das expectativas de que haveria ainauguração de tempos de fraternidade, harmonia e entendimento da humanidade. Osresultados das cúpulas mundiais alimentaram esperanças que novos tempos trariam novasperspectivas referentes a qualidade de vida e relacionamento humano em todos os níveis.Contudo, o movimento que se observa em nível mundial sinaliza perdas que ainda nãopodemos avaliar. O recrudescimento do conservadorismo e de práticas autoritárias, efetivadasà sombra do medo, tem representado fonte de frustração dos ideais historicamente buscados.(Roseli Fischmann, Correio Braziliense. 26/08/2002, com adaptações)05 - Se cada período sintático do texto for representado, respectivamente, pelas letras X, Y, We Z, as relações semânticas que se estabelecem no trecho correspondem às idéias expressaspelos seguintes conectivos:a) X e Y mas W e Z.b) X porque Y porém W logo Z.c) X mas Y e W porque Z.d) Não só X mas também Y porque W e Z.e) Tanto X como Y e W embora Z.06 - (AFRF 1998) Numere o segundo conjunto de sentenças de acordo com o primeiro, demodo que cada par forme uma seqüência coesa e lógica.(1) A experiência mundial produziu uma ordem razoavelmente depurada de radicalismosideológicos neste fim de século.(2) As reformas tributária, da legislação trabalhista e da previdência são necessárias àconsolidação de uma economia de mercado com altas doses de investimento e de geração deempregos.(3) O Plano Real interrompeu a ciranda de preços e, com isso, erradicou o impostoinflacionário.(4) Um fator crítico para consolidar a moeda forte é um banco central independente.(5) Os governos nacionais que compreendem a lógica da economia de mercado implementampolíticas públicas compatíveis com a nova ordem em formação.(Baseado em Paulo Guedes, Exame, 1/7/1998)( ) Este era politicamente ilegítimo (uma taxação sem legislação) e socialmente injusto.( ) Ele remeteria ao Congresso o ritual de aprovação de despesas e arrecadação de impostos,o que poderia aumentar a transparência da atuação do Estado.( ) Os que não a compreendem, quer por preconceitos ideológicos, quer por motivos religiosos,quer por ignorância, cavam um fosso no qual aprisionam populações inteiras.( ) Mas elas precisam ser transmitidas em linguagem cotidiana para que ‘globalização’ nãosignifique ‘desnacionalização industrial somada a ciranda financeira internacional’.( ) Seus alicerces são sistemas políticos democráticos, economias de mercado em processo deglobalização, ação social descentralizada por parte de governos nacionais e a consolidação demoedas fortes.
  24. 24. O nosso objetivo é a sua AprovaçãoA seqüência numérica correta é:a) 5, 4, 2, 3, 1b) 2, 1, 4, 5, 3c) 1, 5, 3, 4, 2d) 4, 2, 5, 1, 3e) 3, 4, 5, 2, 107- (TRF 2003) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados.Ordene-os nos parênteses e, em seguida, assinale a seqüência correspondente.( ) As operações de compra de imóveis pelas off shores também estão sendo monitoradas pelaReceita. Os dados serão comparados com as declarações de Imposto de Renda dosresidentes no Brasil e até com o cadastro de imóveis das prefeituras.( ) Sem identificação dos donos, cujos nomes são mantidos em sigilo pela legislação dospaíses onde estão registradas, muitas dessas empresas fazem negócios no Brasil, como aparticipação em empreendimentos comerciais ou industriais, compra e aluguel de imóveis.( ) Além de não saber quem são os proprietários dessas off shores, pois não há mecanismoslegais que permitem acesso aos verdadeiros donos, o governo também não tem conhecimentoda origem desse dinheiro aplicado no País, sem o recolhimento dos impostos devidos.( ) A Receita Federal está fechando o cerco contra as empresas estrangeiras sediadas emparaísos fiscais que atuam no Brasil, conhecidas como off shores.( ) Para reduzir essa evasão fiscal, a Receita está identificando as pessoas físicas que alugamimóveis de luxo pertencentes a pessoas jurídicas ou mesmo físicas que atuam em paraísosfiscais. Toda remessa de aluguel é tributada.(Adaptado de Ana DAngelo, Andrea Cordeiro e Vicente Nunes, Correio Braziliense,08/09/2003)a) 1º,2º,4º,3º,5ºb) 2º,3º,5º,4º,1ºc) 5º,2º,3º,1º,4ºd) 1º,5º,4º,3º,2ºe) 3º,2º,1º,5º,4º08 - (TRF 2003) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados.Ordene-os nos parênteses e, em seguida, assinale a seqüência correspondente.( ) Em geral, esta firma é constituída apenas para atuar como subsidiária da estrangeira,intermediando seus negócios. Caso a empresa compre imóvel no Brasil, tem que haverregistro, tem que existir um responsável, com CPF, o que permite o controle.( ) O investidor estrangeiro entra no Brasil via Bolsa de Valores, fundos de investimentos oucomo sócio de uma empresa brasileira.( ) O secretário da Receita admite, no entanto, que não há mecanismos para controlar aatuação de brasileiros que mandam dinheiro ilícito para os paraísos fiscais e o repatriam pormeio de negócios realizados em nome das off shores.( ) E também a contabilidade da empresa, em tais países, não precisa ser auditada. Os donosdos recursos podem movimentar dinheiro ou constituir empresas por vários meios que omitemseus nomes, como o sistema de ações ao portador.( ) Esses países conhecidos como paraísos fiscais têm como principais atrativos a legislaçãotributária branda, com direito até a isenção de impostos, e garantia de sigilo bancário,comercial e societário.(Adaptado de Ana DAngelo, Andrea Cordeiro e Vicente Nunes, Correio Braziliense,08/09/2003)
  25. 25. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãoa) 1º,2º,4º,3º,5ºb) 2º,1º,3º,5º,4ºc) 3º,2º,1º,5º,4ºd) 1º,5º,4º,3º,2ºe) 5º,2º,3º,1º,4º09 - (TRF 2000) Os fragmentos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados. Ordene-os de forma coesa e coerente e assinale a resposta correta.A. Na sede da entidade, a Receita recolheu para análise dezenas de notas fiscais,comprovantes de pagamentos e livros contábeis. Com base nos documentos, o órgão federalespera esclarecer a questão. O movimento financeiro durante os dez dias da festa é avaliadopelo Sebrae da cidade em R$ 278 milhões.B. Segundo sua análise, o evento reúne 1 milhão de pessoas, com uma média de R$ 278gastos por freqüentador. Desses R$ 278 milhões, a média de arrecadação é de 3%. Segundoinformações obtidas pela Receita, metade desse percentual estaria sendo sonegado - ou seja,R$ 4,17 milhões. Além do clube, devem ser fiscalizados hotéis, restaurantes e a empresa quevende os anúncios da festa.C. A suspeita de sonegação surgiu porque o recolhimento dos tributos por parte decomerciantes e empresários da região, no período da festa, é o mesmo dos outros meses doano. "Todo mundo diz que o faturamento dobra ou triplica no período da festa, mas o totalarrecadado em impostos fica igual", diz o delegado da Receita. O primeiro alvo dos auditoresna cidade foi o clube Os Independentes, instituição responsável pela organização da Festa doPeão de Boiadeiro.D. A Receita Federal de Franca está apurando a sonegação de impostos praticada pelasempresas e associações que atuam na Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos.(Rogério Pagnan, Folha de S. Paulo, 15/08/2000, p. F2, com adaptações)a) C, A, B, Db) D, C, A, Bc) A, B, C, Dd) D, B, C, Ae) B, C, D, A10 - (TRF 1998) Numere os períodos de modo a compor um texto coeso e coerente e, depois,escolha a seqüência correta.( ) No caso das carteiras exclusivas, hoje restritas a investidores institucionais como fundos depensão e seguradoras, o "dono" do fundo conseguia garantir liquidez diária, sem detrimento darentabilidade.( ) Com essa medida, que atinge em cheio os chamados "fundos exclusivos"(ou de um único cotista), o rendimento referente aos saques feitos fora da data de aniversáriovai para os cofres do governo.( ) Segundo a Receita, o objetivo do governo com a cobrança do IOF é inibir operaçõesrealizadas por fundos exclusivos.( ) Ainda que em menor escala, os fundos de pensão serão atingidos pela decisão do governode cobrar, a partir de fevereiro, 0,5% ao dia de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)sobre a diferença entre o valor da cota resgatada de um fundo de renda fixa e o valor pago aocotista.( ) Dos cerca de R$ 19 bilhões aplicados em fundos exclusivos, os fundos de pensão detêmaproximadamente R$ 3 bilhões.( ) Até então, esse ganho revertia em favor do próprio fundo.
  26. 26. O nosso objetivo é a sua Aprovação(Baseado em Isto É Dinheiro, 14/1/98)a) 2, 4, 3, 6, 5, 1b) 6, 1, 3, 5, 4, 2c) 4, 2, 6, 1, 5, 3d) 1, 2, 4, 5, 6, 3e) 3, 4, 5, 2, 6, 111 - (TTN 1997) Numere os períodos na ordem em que formem um texto coeso e coerente, emarque o item correspondente.( ) Essa mudança é trazida pela nova Medida Provisória (MP) do Cadastro Informativo deCréditos não Quitados (Cadin).( ) O que a Fazenda Nacional quer com essa nova redação é transformar em caixa os valoresdepositados em juízo pelas empresas nas batalhas judiciais que já tiveram decisãodesfavorável ao contribuinte em julgamento no Supremo Tribunal Federal.( ) A Fazenda Nacional está investindo em mais uma arma para reduzir o volume de açõestributárias na Justiça.( ) De acordo com a nova redação do artigo 21 dessa Medida Provisória, a Fazenda Nacionalabre mão de seus honorários (10% a 15% sobre os valores envolvidos nas ações perdidas)caso as empresas desistam de algumas brigas tributárias contra a União.( ) Esse esforço se traduz na modificação de um dispositivo legal que torna mais atraente àsempresas a desistência de algumas ações judiciais que são, na verdade, casos consideradosperdidos.(Gazeta Mercantil - 17.7.97, com adaptações)a) 5, 3, 1, 2, 4b) 2, 4, 3, 1, 5c) 5, 2, 3, 1, 4d) 3, 5, 1, 4, 2e) 4, 1, 5, 3, 212 - (Técnico IPEA/2004) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados.Ordene-os nos parênteses e aponte a opção correta.( ) Em decorrência desse avanço, a constituição majoritária, hoje, de nosso corpo político é declasses médias, classes médias baixas, pobres, analfabetos. Todos, bem ou mal, participam doprocesso político.( ) Além disso, a partir do início dos anos 80, mergulhamos numa crise de crescimento, comtaxas medíocres, pouco acima de 2%, ao longo de duas décadas.( ) No Brasil, historicamente, tivemos desenvolvimentismo no pós-guerra, mas nosso estado dobem-estar social ficou a meio caminho.( ) No campo político, porém, tivemos avanços realmente significativos. A Constituição de 88 –Constituição cidadã, de Ulysses Guimarães – expandiu os direitos de cidadania até limitesantes inimagináveis, abarcando desde menores de 16 anos a analfabetos.( ) É, no entanto, este corpo majoritário de cidadãos que é atingido diretamente pelas altastaxas de desemprego, pelo subemprego, pela falta de perspectiva de vida.( ) O resultado desse fraco desempenho econômico foi, entre outras coisas, taxas dedesemprego sem precedentes em nossa História a partir da segunda metade dos anos 90. (Adaptado de J. Carlos de Assis, A Crise da Economia enquanto Crise do Trabalho)a) 5º, 2º, 1º, 4º, 6º, 3ºb) 3º, 5º, 4º, 1º, 2º, 6ºc) 6º, 2º, 3º, 4º, 5º, 1º
  27. 27. O nosso objetivo é a sua Aprovaçãod) 4º, 6º, 1º, 3º,2º, 5ºe) 6º, 1º, 5º, 2º, 3º, 4º15- (AFC SFC/2000) Numere os trechos de modo a compor um texto coeso e coerente, eassinale a seqüência correta.( ) Ela teria também eliminado a inflação e os ciclos econômicos.( ) Mas será que tudo isso está de fato transformando a economia?( ) Não há dúvida de que há uma revolução em curso na forma como nos comunicamos,trabalhamos, compramos e nos divertimos.( ) Em decorrência disso, as velhas regras econômicas e as formas tradicionais de valorizaçãodas ações não se aplicam mais.( ) Os otimistas radicais dizem que a tecnologia da informação ajuda-a a crescer maisrapidamente.(Adaptado de Negócios Exame, p.93)a) 5, 1, 3, 2, 4b) 3, 4, 2, 5, 1c) 2, 3, 4, 1, 5d) 1, 5, 3, 4, 2e) 4, 2, 1, 5, 3(AFC STN/2000)Nas questões 16 e 17, numere os trechos, observando a ordem em que devem aparecer paraconstituírem um texto coeso e coerente, e assinale a resposta correta.16- ( ) Esse processo constituiu-se, então, em duas fases: 1ª) a ruptura da homogeneidade da"aristocracia agrária"; 2ª) o aparecimento de novos tipos de agentes econômicos, sob apressão da divisão do trabalho em escala local, regional ou nacional.( ) Ela se constitui lentamente, por vezes sob convulsões profundas, numa trajetória deziguezagues.( ) Uma Nação não aparece e se completa de uma hora para outra.( ) Isso sucedeu no Brasil, mas de maneira a converter essa transição, do ponto de vistaeconômico, no período de consolidação do capitalismo.(Florestan Fernandes, A Revolução Burguesa no Brasil, pág. 1518, com adaptações)a) 4, 2, 1, 3b) 2, 4, 3, 1c) 3, 1, 4, 2d) 1, 3, 2, 4e) 3, 2, 1, 417 - (AFC STN/2000)( ) No primeiro, não é preciso justificar a importância atribuída às liberdades. São desejáveiscomo valores independentes de qualquer outra consideração. Todo o esforço de transformaçãoeconômica só tem sentido pelo que acrescenta à vida de cada indivíduo e de cada família.( ) O enfoque nas capacidades é mais satisfatório que a ênfase nos bens primários, pois incluia consideração de como as pessoas podem, de fato, utilizar os meios básicos oferecidos acada um.Nos dois casos acima, este é um ponto especialmente importante e a responsabilidade coletivaé enfatizada.( ) Ao se descrever o desenvolvimento como um processo de expansão das liberdades reais,dois papéis são atribuídos às liberdades: são o fim primordial do desenvolvimento, mastambém são seu meio principal.
  28. 28. O nosso objetivo é a sua Aprovação( ) No segundo, a tese requer uma argumentação mais técnica.Parte dessa argumentação é familiar a quem conhece a noção de capital humano, mas a idéiageral é mais ampla e mais complicada.a) 1, 3, 2, 4b) 1, 2, 4, 3c) 2, 4, 1, 3d) 3, 1, 4, 2e) 3, 2, 1, 418 - (AFC/2002) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão ordenados aleatoriamente.I. O grande desafio, portanto, está em buscar um caminho que não signifique retorno às velhaspolíticas de reservas de mercado, subsídios generalizados e protecionismo.II. Porém, ela fez com que o Brasil também ficasse no curto prazo mais dependente deimportações e poupança externa.III. A abertura econômica dos anos 90 tornou as empresas aqui instaladas mais competitivas.IV. Então, para que possa percorrer a trajetória de um crescimento sustentado e duradouro, aeconomia brasileira terá, antes, que reunir condições que possibilitem às empresas exportaremmais e importarem relativamente menos.V. Um crescimento acelerado do PIB agora voltaria a provocar desequilíbrios na balançacomercial e levaria o endividamento no exterior para um patamar perigoso.(O Globo Editorial, 3/3/2002)Em relação a uma ordenação coesa e coerente, assinale a opção correta.a) O item V deve ser o primeiro, uma vez que não apresenta dependência a antecedentes.b) O item I é o encerramento do texto, pois é uma conclusão propositiva.c) A ocorrência do pronome “ela”, no item II, indica que este deve ser subseqüente ao IV, poisconstitui um elo coesivo com “trajetória”.d) A ocorrência do dêitico “aqui”, no item III, faz com que ele deva ser subseqüente ao II, noqual está o referente “Brasil”.e) A conjunção “Porém” (item II) é uma articulação sintática em oposição à idéia colocada noitem V.19 - (AFC CGU/2003-2004) Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão desordenados.Ordene-os e, em seguida, assinale a seqüência correta correspondente.( ) Nem tinham estabelecido relações entre si que permitissem falar na existência de umsistema estatal ou de um sistema econômico americano.( ) O Brasil foi um dos pioneiros na experimentação dessa estratégia proposta por Adam Smithe seus discípulos. Primeiro, foram os Tratados de Comércio, assinados pela Coroa Portuguesacom a Inglaterra, em 1806 e 1810, e com a França, em 1816; e, logo depois da Independência,os Tratados assinados pelo Império Brasileiro com a Inglaterra, em 1827, com a Áustria e aPrússia, no mesmo ano de 1827, e com a Dinamarca, os Estados Unidos e os Países Baixos,em 1829.( ) Esse dinamismo surgiu depois de se integrarem como produtores especializados do sistemainternacional de divisão do trabalho, articulado pelas necessidades da industrialização inglesae pelos famosos Tratados Comerciais, preconizados pela economia política clássica e impostosao mundo pela Inglaterra e demais países europeus.( ) Ao lado dos Estados Unidos, o Brasil e demais países latino-americanos foram os primeirosEstados a nascer fora da Europa. Mas, na hora da sua independência, nenhum deles dispunhade verdadeiras estruturas políticas e econômicas nacionais.
  29. 29. O nosso objetivo é a sua Aprovação( ) Pelo contrário, os Estados latinos só lentamente foram monopolizando e centralizando o usoda força, e suas economias só adquiriram dinamismo no século XIX.(Adaptado de José Luís Fiori, “ O Brasil no mundo: o debate da política externa”)a) 2º, 5º, 4º, 1º, 3ºb) 4º, 3º, 5º, 2º, 1ºc) 5º, 4º, 1º, 3º, 2ºd) 1º, 2º, 5º, 4º, 3ºe) 3º, 1º, 2º, 5º, 4º20 - (AFRF 1998) Numere os períodos de modo a constituírem um texto coeso e coerente e,depois, indique a seqüência numérica correta.( ) Por isso era desprezado por amplos setores, visto como resquício da era do capitalismodesalmado.( ) Durante décadas, Friedman – que hoje tem 85 anos e há muito aposentou-se daUniversidade de Chicago – foi visto como uma espécie de pária brilhante.( ) Mas isso mudou; o impacto de Friedman foi tão grande que ele já se aproxima do status deJohn Maynard Keynes (1883-1945) como o economista mais importante do século.( ) Foi apenas nos últimos 10 a 15 anos que Milton Friedman começou a ser visto comorealmente é: o mais influente economista vivo desde a Segunda Guerra Mundial.( ) Ele exaltava a ‘liberdade’, louvava os ‘livres mercados’ e criticava o excesso de intervençãogovernamental.(Baseado em Robert J. Samuelson, Exame, 1/7/1998)a) 3, 1, 5, 2, 4b) 1, 2, 5, 3, 4c) 5, 2, 4, 1, 3d) 4, 2, 5, 1, 3e) 2, 5, 4, 3, 1

×