Movimentação de Materiais

29.113 visualizações

Publicada em

Seminário sobre Movimentação de Materiais - Disciplina: Administração de Materiais - Bacharelado em Administração - IFBA

Publicada em: Negócios
0 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
29.113
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.150
Comentários
0
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Essa movimentação só ocorre se um dos três elementos básicos de produção movimentar-se. Na maioria dos processos industriais o material é o elemento que se movimenta.
  • A movimentação e o transporte de materiais são classificados de acordo com a atividade funcional a que se destinam.
  • Uso em linhas de montagem, produção em série Adaptáveis, tripper (ajuda na descarga dos materiais), desviador (desvia material de lugar), stackers (tripper maior) Uso de diferentes fitas, uso em condições mais arriscadas (frio, calor), pode ser de aço carbono, inoxidável, perfurada (quando se precisa de secagem e aeração)
  • Pás arrastadoras Viradores de vagãõ, rápido, eficiente
  • Usados em silos, moinhos, ind. farmaceutica Transporte na horizontal, vertical e inclinado Ocupa pouco espaço, fica ao nível do solo
  • Linhas de produção Aproveitamento do espaço vertical Transportador Magnético para Cavacos (MA) São de fundamental importância em máquinas de usinagem que geram muito cavaco de aço ou ferro fundido (com o tamanho do particulado muito pequeno associado o uso abundante de óleo de corte).Este tipo de transportador pode ser aplicado em máquinas ferramentas como brochadeiras, fresadoras de engrenagens e etc. Outra característica deste tipo de transportador é o uso na remoção de pequenas peças ou retalhos de chapa provenientes de prensas.
  • Material granulado
  • Econômicos uso da gravidade conduz quase tudo Planos, inclinados Cuidado ao determinar o declive, carga max, superficie do fundo, fragilidade, grau de umidade e temperatura, acumulo de material ao longo do transportador, tipo de rolete
  • transformam vários tipos de materiais, podem ter dispositivos para carga, como bandejas, caçambas, ganchos
  • Movimentação de Materiais

    1. 1. MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Equipe: Anderson Aragão Cristiam Abdon Eirene Santos Erica Rangel
    2. 2. CONCEITOA movimentação de material é o processo do qualapresenta a mudança local de um determinado item,dentro de uma determinada circunstância.
    3. 3. CLASSIFICAÇÃO GRANEL: métodos e equipamentos de transportesusados desde a extração até o armazenamento. CARGA UNITÁRIA: cargas contidas em um únicorecipiente. EMBALAGEM: técnicas usadas no projeto,seleção eutilização de recipientes para transporte de produtosem processos e acabados.
    4. 4. CLASSIFICAÇÃOARMAZENAGEM: recebimento, empilhamento oucolocação em prateleiras ou em suportes especiais.VIAS DE TRANSPORTE: estudo docarregamento,definição do modal detransporte,desembarque e transferência para vias detransporte os materiais.ANALISE DE DADOS: todos os aspectos analíticosda movimentação de materiais.
    5. 5. ABORDAGENS PRINCIPAISREDUÇÃO DE CUSTOSMão de obra: Substituição da braçal pelos meiosmecânicosMateriais: Melhor acondicionamento e transportemais racionalDespesas gerais: Racionalização dos processos
    6. 6. ABORDAGENS PRINCIPAISAUMENTO DA CAPACIDADE PRODUTIVA Aumento de Produção: intensificação nofornecimento Aumento da capacidade de armazenagem Melhor distribuição de armazenagem
    7. 7. ABORDAGENS PRINCIPAISMELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO Melhor segurança Redução da fadiga Maior conforto para o pessoal
    8. 8. ABORDAGENS PRINCIPAISMELHORES DISTRIBUIÇÕES Melhoria na circulação Localização estratégica de almoxarifados Melhorias nos serviços ao usuário Maior disponibilidade
    9. 9. LEIS DE MOVIMENTAÇÃOObediência ao fluxo das operaçõesMínima distânciaMínima manipulaçãoSegurança e satisfaçãoPadronização
    10. 10. LEIS DE MOVIMENTAÇÃOFlexibilidadeMáxima utilização do equipamentoMáxima utilização da gravidadeMétodo alternativoMenor custo total
    11. 11. Equipamentos de Movimentação Analisar: Produto Edificação Método Custo Área necessária para o funcionamento Fonte de energia necessária Deslocamento Direção do movimento Operador
    12. 12. Transportadores
    13. 13. Guindastes, talhas, elevadores
    14. 14. Veículos industriais
    15. 15. Sistemas de transportadorescontínuos
    16. 16. Descarregadores
    17. 17. Transportador de rosca Movimentação de materiais pulverizados ou granulados
    18. 18. Transportador magnético Uso em atividades com metal
    19. 19. Transportador Pneumático
    20. 20. Transportador vibratório
    21. 21. Transportador de rolete livre
    22. 22. Transportador aéreo decorrentes
    23. 23. SISTEMA DE MANUSEIO PARA ÁREASRESTRITAS• Usado quando se tem uma determinada área restrita, onde vão ser movimentadas cargas intermitentemente.• A ponte rolante é o equipamento mais utilizado entre todos.• Este sistema é comumente utilizado em Almoxarifados.• Exemplos: Pontes Rolantes, Pórticos e Stacker Crane
    24. 24. PONTES ROLANTES Constam de uma viga suspensa sobre um vão livre, que roda sobre trilhos. São empregadas no transporte e elevação de cargas em instalações industriais. São empregadas em fábricas ou depósitos que permitem o aproveitamento total da área útil. Vantagens/ Desvantagens
    25. 25. PÓRTICOS São vigas elevadas e autossustentáveis sobre trilhos. Possuem sistema de elevação semelhante ao das pontes rolantes. São utilizados no armazenamento em locais descobertos. Vantagens/Desvantagens
    26. 26. STACKER CRANE É o sistema de área restrita mais avançado e sofisticado Nesse sistema o espaço é aproveitado ao máximo Consiste numa torre apoiada sobre um trilho inferior e guiada por um trilho superior. Vantagem/Desvantagem
    27. 27. SISTEMAS DE MANUSEIO ENTRE PONTOS SEM LIMITES FIXOS Suas aplicações não se restringem a dois pontos predeterminados nem a áreas restritas. Pode operar em áreas sem delimitação Exemplos: Carrinhos, paleteiras e empilhadeiras.
    28. 28. CARRINHOSO mais simples dos equipamentos que formam o sistema sem limites fixosPrincípio básico: uma plataforma com rodas e um timão direcional
    29. 29. PALETEIRA OU CARRO PALLETCarrinhos com braços metálicos em forma de garfo e um pistão hidráulico paraa elevação da carga (pequena elevação).Podem ser motorizadas ou não.
    30. 30. Empilhadeiras A empilhadeira é um veículo automotor utilizado para movimentar, transportar e sustentar cargas,dotada de garfos e outros dispositivos que permite essa movimentação no deslocamento demateriais tanto no sentido horizontal como no sentido vertical, carregando e/ou empilhando. ´(HYSTER. Manual do operador de empilhadeira ).
    31. 31. Tipos de Empilhadeiras Empilhadeira frontal de contrapeso • Empilhadeiras de Almoxarifado • Os braços se projetam para a parte inferior do As rodas dianteiras funcionam como ponto de apoio e o equipamento; Requerem pouco espaço nos corredores contrapeso traseiro promove a neutralização dessa (1,50 m ) e têm boa altura de empilhamento (12 m ) força que a carga faz
    32. 32. Tipos de Empilhadeiras Empilhadeiras Laterais formam o suporte ideal para a rápida movimentação de cargas longas Elas estão especialmente equipadas para locais de armazenamento de toras de madeiras; perfis metálicos empilhamento de cargas longas de diversos tipos (perfis, pacotes de chapas, paletes, etc. Capacidades de 3.0 a 6.0 tons.
    33. 33. Tipos de Empilhadeiras Imagens de empilhadeiras laterais
    34. 34. Vídeo – Negligência no Trabalho
    35. 35. OPERAÇÃO E SEGURANÇA NR 11 - Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de materiais : Os equipamentos utilizados na movimentação de materiais, serão calculados e construídos de maneira que ofereçam as necessárias garantias de resistência e segurança e conservados em perfeitas condições de trabalho. Em todo o equipamento será indicado, em lugar visível, a carga máxima de trabalho permitida.
    36. 36. OPERAÇÃO E SEGURANÇA Para os equipamentos destinados à movimentação do pessoal serão exigidas condições especiais de segurança. Nos equipamentos de transporte, com força motriz própria, o operador deverá receber treinamento específico, específico dado pela empresa, que o habilitará nessa função. Nos locais fechados ou pouco ventilados, a emissão de gases tóxicos, por máquinas transportadoras, deverá ser tóxicos controlada para evitar concentrações, no ambiente de concentrações trabalho, acima dos limites permissíveis
    37. 37. NORMAS DE SEGURANÇA DA EMPRESA SAAB SCANIA – USODE EMPILHADEIRAS A) Abastecimento de gasolina e carga de bateria( só podem ser feitos em lugares específicos, desligar motor, não fumar durante o processo). Inspecionar (abastecimento, freios de pé e de estacionamento, pneus, direção, buzina e etc). Diminuir marcha ao se aproximar de pessoas Parar sempre que a carga demonstrar anormalidade
    38. 38. GUINDASTES São compostos de coluna e lança com guincho, acionado por dispositivo mecânico ou elétrico. Sua aplicação é indicada quando as cargas pesam mais de 5 toneladas Podem ser mecânicos ou hidráulicos (estes podem ser sobre pneus,sobre chassi, sobre esteiras ou fixos).
    39. 39. GUINDASTES
    40. 40. RODÍZIOSPodem ser descritos como um conjunto formado por uma pequena roda,encaixada em um garfo a fim de possibilitar por rolamento seu deslocamento.Os de maior capacidade são utilizados na fabricação de carrinhos de mão,andaimes, e portões pesados.Os menores destinam-se a equipamentos hospitalares como macas e cadeiras.
    41. 41. TRATORES Podem ser utilizados para fins industriais e execução de serviços de terraplanagem Considerando-se a tração, podem ser considerados de esteiras ou pneus.
    42. 42. Seleção de equipamentosA escolha de um equipamento deve ser realizada tendo-se em vista que as operações são parte de um sistema enão atividades isoladas, sendo portanto, uma tarefa nada fácil.A seleção deve ser pautada com base,entre outras, nas seguintes questões:Qual o uso do equipamento?Quais vantagens oferecidas pelo equipamento?Quais são as desvantagens ?Qual a relação custo versus benefício proporcionado?
    43. 43. Seleção de equipamentos • Desvantagens: Mão de obra adicional, Carretas necessidade de equipamentos extra de carga e Usos: Transporte de cargas entre de descarga departamentos, transporte de grupo de motores da fábrica para linha de montagem Vantagens: Baixo investimento, baixo custo operacional, flexibilidade
    44. 44. Seleção de equipamentos  Desvantagens: Baixa capacidade de atuação e Carrinhos ( antigos e simples equipamentos raio de atuação, baixa produtividade de transporte, em média 50 a 100 kg)  Imagem carrinho plataforma rodante Usos: movimentação de cargas a curtas distâncias, trabalhos de conservação e reparação Vantagens: Baixo custo, versatilidade, silenciosos, baixo custo de manutenção
    45. 45. Seleção de equipamentosEmpilhadeiras frontais  Desvantagens: Retorno quase sempre vazio, diminuição da capacidade com o aumento da altura de elevação, transporte lento em relação a equipamentos especializados. Usos: Deslocar, movimentar e elevar cargas em todas em todos os setores de atividdae Vantagens: Material robusto para utilização intensiva e polivalente , Permitem cargas pesadas e volumosa, versatilidade quanto ao local de operação> piso, ambiente etc (SEST/SENAT. Manual do operador de empilhadeira Manaus–AM. Fevereiro/2004 .)
    46. 46. Seleção de equipamentos Desvantagens: Desaconselhada para Talhas- Indicadas para deslocar cargas produção em série e exige mão de obra adicional pesadas, volumosas e desajeitadas, com freqüência variávelUsos: Deslocamento vertical, deslocamento horizontal (com monovias), movimentação de cargas pesadas e desajeitadasVantagens: Baixo custo inicial,facilidade de instalação
    47. 47. Seleção de equipamentos Desvantagens: Capacidade limitada de Transportador de carga e de produção, as cargas exigem orientação Rodízios manual nas curvasUsos: São usados para cargas unitárias médias e leves como embalagens e caixas.Vantagens: pode fazer curvas, ocupa pouco espaço, não requer operador especializado, estrutura leve e simples de sustentação
    48. 48. REFERÊNCIAS: Dias, Marco Aurélio P. - Administração de Materiais - Uma abordagem logística - 4ª Edição -São Paulo -Atlas, 1993 Normas de Segurança para operação de elevadores, guindastes, transportadores industriais e máquinas transportadoras ( http://portal.mte.gov.br/data/files/FF8080812BE914E6012BEF1FA6256B00/nr_11.pdf) http://portal.mte.gov.br/data/files/FF8080812BE914E6012BEF1FA6256B00/nr_11.pdf Animação da Negligência do Trabalhador (http://www.youtube.com/watch?v=PbzBT-OTPTQ) http://www.portaladm.adm.br/AM/AM6.htm#_ftn1

    ×