Situação de aprendizagem

1.626 visualizações

Publicada em

http://ciefisbio.blogspot.com.br/

Ciências Físicas e Biológicas

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.626
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
83
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Situação de aprendizagem

  1. 1. Modelo de Orelha
  2. 2. Tema: Vida e Ambiente  Subtema: Relações com o ambiente  Série: 8ªsérie/9ºano  Volume III
  3. 3. Tempo previsto  5 Aulas
  4. 4. Conteúdos e Temas:  Fisiologia da audição; Estrutura da orelha externa, interna e média.
  5. 5. Habilidades:  Realizar procedimento experimental a partir de um protocolo; coletar e registrar observações experimentais; interpretar resultados de experimento.
  6. 6. Recursos:  Materiais para a realização do experimento;  Datashow;  Computador;  Cópias do texto
  7. 7. Estratégias:  Realização de Experimento;  Apresentação de vídeo;  Leitura e interpretação de texto.
  8. 8. 1ª Etapa - Sondagem:  Retomando o texto da situação de aprendizagem I, volume II do 9º Ano - Sistema Nervoso: Estímulo e receptores.  Levantar questionamentos sobre a relação entre estímulo sonoro e a recepção dos sons.  O que despertou você hoje?  Como sabemos que a aula acabou?  Como ouvimos?
  9. 9. 2ª Etapa - Problematização:  Imagine que você está atravessando uma rua muito movimentada e, de repente ouvi a buzina de um ônibus. Imediatamente para e evita o acidente.  Por quais estruturas da sua orelha o som passou até ser interpretado pelo cérebro e assim não ser atropelado?
  10. 10. 3ª Etapa - Roteiro de Experimentação: Nesta montagem, vocês construirão um modelo de orelha: Materiais: Forma de torta com fundo removível Filme plástico Papel Canudo dobrável Bolinha de isopor Tigela de Vidro com água Procedimentos: a) Adaptar o filme na forma, formando uma película; b) Fazer um cone de papel e colar no filme; c) Colar o canudo nos cone de papel e adaptar a bolinha no canudo. d) Colocar a tigela com água embaixo da bolinha de isopor e) Testando: bater palmas e verificar a movimentação da água.
  11. 11.  Durante o experimento, faça anotações sobre: Intensidade da palma Movimentação da água Fraca Média Forte
  12. 12. Questões: Quais estruturas do ouvido poderiam ser representadas no modelo de orelha? Baseando-se nas observações realizadas durante o experimento, como você explicaria o funcionamento do modelo de orelha? http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/corpo-humano-sistema- sensorial/audicao.php
  13. 13. http://youtu.be/rmUN1aQKmsM Vídeo: Fisiologia da audição
  14. 14. 4ª Etapa – Leitura compartilhada do Texto O ouvido humano O ouvido consiste em 3 partes básicas - o ouvido externo, o ouvido médio, e o ouvido interno. Cada parte serve para uma função específica para interpretar o som. O ouvido externo serve para coletar o som e o levar por um canal ao ouvido médio. O ouvido médio serve para transformar a energia de uma onda sonora em vibrações internas da estrutura óssea da ouvido médio e finalmente transformar estas vibrações em uma onda de compressão ao ouvido interno. O ouvido interno serve para transformar a energia da onda de compressão dentro de um fluido em impulsos nervosos que podem ser transmitidos ao cérebro. As três partes do ouvido podem ser vistas abaixo. Audição O ouvido externo consiste da orelha e um canal de aproximadamente 2 cm. A orelha serve para proteger o ouvido médio e prevenir danos ao tímpano. A orelha também canaliza as ondas que alcançam o ouvido para o canal e o tímpano no meio do ouvido. Devido ao comprimento do canal , ele é capaz de amplificar os sons com frequências de aproximadamente 3000 Hz. À medida que o som propaga através do ouvido externo, o som ainda está na forma de uma onda de pressão, que é um sequência alternada de regiões de pressões mais baixas e mais altas. Somente quando o som alcança o tímpano, na separação do ouvido externo e médio, a energia da onda é convertida em vibrações na estrutura óssea do ouvido.
  15. 15. O ouvido médio é uma cavidade cheia de ar, consistindo na bigorna e 3 pequenos ossos interconectados - o martelo, a bigorna e o estribo. O tímpano é uma membrana muito durável e bem esticada que vibra quando a onda a alcança. Como mostrado acima, uma compressão força o tímpano para dentro e a rarefação o força para fora. Logo, o tímpano vibra com a mesma frequência da onda. Como ela está conectada ao martelo, os movimento do tímpano coloca o martelo, a bigorna, eo estribo em movimento com a mesma frequência da onda. O estribo é conectado ao ouvido interno. Assim, as vibrações do estribo são transmitidas ao fluido do ouvido médio e criam uma onda de compressão dentro do fluido. Os 3 pequenos ossos do ouvido médio agem como amplificadores das vibrações da onda sonora. Devido à vantagem mecânica, os deslocamentos da bigorna são maiores do que a do martelo. Além disso, como a onda de pressão que atinge uma grande área do tímpano é concentrada em uma área menor na bigorna, a força da bigorna vibrante é aproximadamente 15 vezes maior do que aquela do tímpano. Esta característica aumenta nossa possibilidade de ouvir o mais fraco dos sons. O ouvido médio é uma cavidade cheia de ar que é conectada ao tubo de Eustáquio e à boca. Esta conexão permite a equalização da pressão das cavidades cheias de ar do ouvido. Quando esta passagem fica congestionada devido a um resfriado, a cavidade do ouvido é impossibilitada de equalizar sua pressão; isto frequentemente leva a dores de ouvido e outras dores.
  16. 16. O ouvido interno consiste de uma coclea, canais semicirculares, e do nervo auditivo. A coclea e os canais semicirculares são cheios de um líquido. O líquido e as células nervosas dos canais semicirculares não têm função na audição; eles simplesmente servem como acelerômetros para detetar movimentos acelerados e na manutemção do equilíbrio do corpo. A coclea é um orgão em forma de um caramujo que pode esticar até 3 cm. Além de estar cheio de um fluido, a superfície interna da coclea está alinhada com cerca de 20.000 células nervosas que performam a funções mais críticas na nossa capacidade de ouvir. Estas células nervosas possuem comprimentos diferentes, por diferenças minúsculas; eles também possuem diferentes graus de elasticidade no fluido que passa sobre eles. À medida que uma onda de compressão se move da interface entre o martelo do ouvido médio para a janela oval do ouvido interno através da coclea, as células nervosas na forma de cabelos entram em movimento. Cada célula capilar possui uma sensibilidade natural a uma frequência de vibração particular. Quando a frequência da onda de compressão casa com a frequência natural da célula nervosa, a célula irá ressoar com uma grande amplitude de vibração. Esta vibração ressonante induz a célula a liberar um impulso elétrico que passa ao longo do nervo auditivo para o cérebro. Em um proceso que ainda não é compreendido inteiramente, o cérebro é capaz de interpretar as qualidades do som pela reação dos impulsos nervosos. Fonte: www.if.ufrj.br
  17. 17. 5ª Etapa - Avaliação  Os grupos farão um relatório do Experimento, respondendo as questões propostas. Após a montagem desse relatório, os grupos produzirão um texto (informativo) relacionando o modelo de orelha com o funcionamento de uma orelha real.
  18. 18. Recuperação  Com base nos textos produzidos, o professor montaria agrupamentos produtivos onde alunos poderiam aprender com seus colegas . Cada grupo levantaria suas principais dúvidas e pesquisariam na sala de informática, as respostas. A socialização dos trabalhos serviria para intervenção do professor e reconstrução das conclusões com todos.
  19. 19. Diretorias de Ensino Adamantina Americana Andradina

×