Biogeografia - A extinção

7.211 visualizações

Publicada em

A EXTINÇÃO E SUA INFLUÊNCIA NA DISTRIBUIÇÃO DOS SERES VIVOS NA BIOSFERA

1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.211
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
114
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biogeografia - A extinção

  1. 1. A EXTINÇÃO E SUA INFLUÊNCIA NA DISTRIBUIÇÃO DOS SERES VIVOS NA BIOSFERA <ul><li>Afoncinaldo Lopes </li></ul><ul><li>Alessandra Paixão </li></ul><ul><li>Francisca Maria </li></ul><ul><li>Lailson Lemos </li></ul><ul><li>Margareth Sáles </li></ul>
  2. 2. A EXTINÇÃO E SUA INFLUÊNCIA NA DISTRIBUIÇÃO DOS SERES VIVOS NA BIOSFERA <ul><li>Durante centenas de milhões de anos após a formação da Terra, as condições nela eram extremas </li></ul><ul><li>Bactérias e Algas surgiram há cerca de 1 bilhão de anos, mas seres multicelulares apareceram somente há 4 bilhões de anos após a formação da Terra, ou menos de 600 milhões de anos antes do presente. </li></ul><ul><li>A fauna deste período é denominada coletivamente de Ediacaran e consiste de animais invertebrados e com o corpo macio. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>É o desaparecimento de uma espécie ou unidade de um determinado hábitat ou biota, não excluindo uma nova recolonização a partir de uma fonte próxima </li></ul>Conceito: <ul><li>Os organismos se extinguiram e se extinguem não porque são ou foram uma experiência que não deu certo, mas porque as condições ambientais mudaram, ou surgiu na evolução um predador que o eliminou, ou outra circunstância que fez com que ele não pudesse mais viver. </li></ul><ul><li>Os fatores que já se conhecem e que influenciam na eliminação dos organismos são muitos numerosos e interagem, o que torna mais complexa a questão. </li></ul>
  4. 4. Extinções em Massa: <ul><li>Seguindo-se a diversificação inicial, a extinção de espécies foi e continuou sendo tão comum quanto sua criação. </li></ul><ul><li>O tempo Fanerozóico incluiu várias perturbações profundas: as extinções em massa. A mais séria delas, perto do fim do período Permiano (250 milhões de anos atrás), eliminou cerca de 52% das famílias de animais marinhos então existentes e teve efeitos significativos, porém menores, sobre as plantas e os organismos terrestres. </li></ul><ul><li>Nos períodos de tempo entre as grandes extinções em massa ocorreram muitos eventos menores. </li></ul>
  5. 5. Extinções em Massa: <ul><li>Os grupos biológicos que eram dominantes nos mares Permianos ou estão totalmente ausentes ou são representados por uma ou poucas espécies frequentemente abundantes. </li></ul><ul><li>Vários grupos de classes e filos estão completamente ausentes, embora se saiba que eles tenham sobrevivido às extinções por causa de seu aparecimento posterior no registro Mesozóico – um fenômeno que Jablosnki (1986) chamou de “efeito Lázaro”. Isto é, eles “surgiram de novo” depois de sua aparente extinção. </li></ul>
  6. 6. Extinções em Massa: <ul><li>A extinção em massa, pode ser vista como um ingrediente vital na evolução da vida complexa como a conhecemos. </li></ul><ul><li>Nos últimos milhões de anos, o clima da Terra e a sua biosfera têm sido fortemente influenciados pelas mudanças associadas com as glaciações Pleistocênicas. </li></ul>
  7. 7. Causas de Extinção: <ul><li>Existem fortes evidências de que objetos oriundos do espaço colidiam com a terra em três ocasiões no passado, rompendo o equilíbrio climático global e provocando três dessas extinções em massa. </li></ul><ul><li>As teorias sobre como esses impactos causaram a extinção em massa versam sobre a formação de nuvens de poeira que provavelmente impediam a passagem da luz solar, interrompendo dessa forma o ciclo de crescimento das plantas e destruindo as cadeias alimentares. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>A terra pode também ter sofrido um esfriamento capaz de interromper a vida que existia naquele tempo. </li></ul><ul><li>Outras teorias propõem que algumas das extinções se deveram ao aquecimento global causado pelas grandes quantidades de dióxido de carbono liberado pelo calcário que se fundiu durante a colisão. </li></ul>Causas de Extinção: <ul><li>Os céticos dessa teoria de impacto acreditam que as extinções em massa foram provavelmente causadas por fenômenos naturais tais como vulcões que expeliam cinzas, bloqueando assim a passagem da luz do sol e alterando o clima global. </li></ul>
  9. 9. Causas Recentes de Extinção: <ul><li>Praticamente todas as extinções atuais se devem a atividades humanas. As causas principais são a mudança de clima, destruição e fragmentação de habitat, poluição, introdução de espécies não indígenas, de clima, caça e diversas formas de utilização abusiva, entre outras. </li></ul>
  10. 10. Mudança de Clima: <ul><li>O aumento de temperatura devido ao efeito estufa causará mudanças de condições ambientais globais com muitas conseqüências na biosfera </li></ul><ul><li>É previsto um aumento de 1,5 a 4,5 º C da temperatura média global nos próximos cem anos </li></ul><ul><li>O nível do mar é previsto a subir cerca de 45cm e modificará as condições nas zonas litorais. . </li></ul><ul><li>Climas com pouca variação levam a coevolução de espécies interdependentes altamente especializadas e que dependem de condições específicas. Por outro lado, em um ecossistema de floresta tropical úmida,uma pequena mudança nas condições nas quais as espécies coevoluíram tem mais probabilidade de levar à extinção do que uma mudança de magnitude comparável em um sistema de tundra. </li></ul>
  11. 11. Destruição de Hábitats <ul><li>É a maior ameaça para mamíferos, aves e plantas, afetando 83% das espécies ameaçadas de mamíferos, 89% das ameaças de aves e 91% das ameaças de plantas. </li></ul><ul><li>Terras molhadas como brejos e lagos têm sido secadas e convertidas em terras cultivadas, cidades e outros usos. </li></ul><ul><li>Minas de diversos recursos também causam perda de florestas, erosão de terra e poluição dos rios, levando a perda de habitat. </li></ul><ul><li>Nos oceanos e em regiões litorâneas, o habitat está sendo destruído para construção de casas, marinas, hotéis e outras instalações; conversão de manguezais para piscicultura, pescaria com dinamite em recifes de corais, e outras formas de alteração. </li></ul>
  12. 12. Atividade Humana: <ul><li>A modificação do meio ambiente pelo homem iniciou pelo menos 50.000 anos atrás, quando a savana na África foi queimada intencionalmente, possivelmente causando extinção de fauna e flora. </li></ul><ul><li>Nas Américas e na Austrália, 15.000-20.000 anos atrás, a caça de grandes mamíferos aparentemente causou extinções consideráveis, com perda de entre 74 e 86% de gêneros de mega-fauna, animais maiores de 44 kg, inclusive o mastodonte e o tigre dente de sabre. </li></ul><ul><li>Na Europa, pelo menos 5.000 anos atrás, foram iniciados desmatamento e conversão de terras selvagens em pastos. </li></ul>
  13. 13. Desmatamento: <ul><li>O desflorestamento é a forma mais danosa que elimina praticamente todas as espécies existentes na área com efeitos imediatos. </li></ul><ul><li>Florestas estão sendo perdidas pela colheita de madeira e para conversão de áreas para agricultura, cidades, rodovias e outros propósitos. </li></ul><ul><li>Florestas tropicais são ecossistemas ricos em biodiversidade, mas hoje estão sendo destruídas com ritmo crescente no mundo inteiro. </li></ul><ul><li>Apesar das sua extraordinária riqueza, as florestas tropicais estão entre os mais frágeis hábitats. </li></ul>
  14. 14. Desmatamento: <ul><li>Estimativa de Lovejoy e Ehrlich </li></ul>
  15. 15. Predação: <ul><li>Caça, pesca e outros abusos são uma ameaça séria para pássaros, mamíferos, plantas, répteis e peixes marinhos. </li></ul><ul><li>Referente a plantas, diversas espécies de árvores de dezenas ou centenas de anos de idade estão sendo cortadas para o mercado de madeira nobre </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Pássaros mortos por comidas contaminadas com resíduos de inseticidas, herbicidas e outros compostos tóxicos, </li></ul><ul><li>Ovos inférteis de pássaros com casca fina que quebram facilmente, e anfíbios com deformações congênitas. </li></ul><ul><li>Poluição dos oceanos por rejeitos sólidos também está causando mortes de animais, tais como pássaros e golfinhos mortos em redes de pesca descartadas e tartarugas com sacos plásticos no estômago. </li></ul><ul><li>Plantas também são afetadas. Por exemplo, árvores em florestas foram enfraquecidas ou até mortas pela chuva ácida que danifica as folhas e diminui nutrientes no solo. </li></ul>Poluição:
  17. 17. Introdução de Espécies Não-Nativas: <ul><li>Espécies introduzidas podem afetar ecossistemas de diversas maneiras. Elas podem tornar-se predadores que matam espécies nativas rapidamente até a extinção. </li></ul>
  18. 18. Urbanização: <ul><li>O desaparecimento de espécies de animais e plantas também estão relacionados ao crescimento de áreas urbanas. Impactos urbanos sobre a diversidade biológica chegam ao seu grau mais devastador nos países em desenvolvimento. </li></ul><ul><li>Menos de 2% da mata atlântica da costa do Brasil que ficam dentro do alcance urbano de São Paulo ainda resistem, e foi estimado que milhares de espécie dessa região de grande endemismo foram levadas a extinção; e que, em sua maioria, jamais chegaram a ser descritas pelos taxonomistas. </li></ul><ul><li>Hábitats naturais são substituídos diretamente por casas, prédios de apartamentos, hotéis e shoping centers, assim como por ruas, estradas e pelas instalações que a sustentam. </li></ul>
  19. 19. EFEITOS DA EXTINÇÃO: <ul><li>Apesar da intensa discussão e preocupação mundial sobre a extinção de espécies, não haverá efeitos imediatos que a maioria das pessoas poderão ver ou sentir, exceto alguns casos como um colapso de pescaria de uma espécie popular ou o desaparecimento de um animal ou pássaro simbólico. Porém, ao longo prazo, pode ser prevista uma série de conseqüências contrárias ao interesse do homem. </li></ul><ul><li>A ciência mostra que houve mudanças de clima na história da Terra como altas temperaturas e eras de gelo. </li></ul><ul><li>aumento da concentração atmosférica de gases do efeito estufa, aumento de precipitação, perda de florestas e algas marinhas que absorveram o dióxido de carbono. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Mudanças na biosfera podem causar um ciclo vicioso que inviabiliza a continuação da civilização global. </li></ul>Efeitos da Extinção:
  21. 21. Estimativas na Redução da Biodiversidade de Espécies <ul><li>Quadro comparativo de espécies extintas. </li></ul>
  22. 22. BIBLIOGRAFIA AS LABOURIAU, Maria Lea Salgado. História Ecológica da Terra. 2ª ed. São Paulo: Edgard Blucher Ltda, 2001. MCALESTER, A. Lee. História Geológica da Vida. 6ª ed. São Paulo: Edgard Blucher Ltda, 1999. DASHEFSKY, H. Steven. Dicionário de Ciência Ambiental. 2ª ed. São Paulo: Gaia, 2001.   WILSON, E. O. Biodiversidade. 2 ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997.    www. ieav .cta. br / hpnu /extinção. htm   www. cienciahoje .com. br /extinção   www. biomania .com. br /extinção    

×