Antimicrobianos 2012

2.854 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.854
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
102
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Antimicrobianos 2012

  1. 1. ANTIMICROBIANOS
  2. 2. ANTI-SÉPTICOS  Procedimento simples e prático  Pode reduzir o número de microorganismos presentes na cavidade oral na proporção de 75 a 99,9%,  Diminui a contaminação através do aerossol. Antimicrobianos
  3. 3. SOLUÇÕES ANTI-SÉPTICAS  Iodopovidona = libera iodo progressivamente quando em contato com a pele. Átivo contra mcg nas formas não esporuladas, vírus e fungos.  Clorexidina (acetato, cloridrato e o gluconato) = amplo espectro de ação bactericida para Gram-positivas e negativas, fungos e leveduras. Antimicrobianos
  4. 4. IODOPOVIDONAIODOPOVIDONA  Anti-sepsia extra-oral: mãos e braços da equipe, preparo dos pacientes, embebido gaze estéril, por 10 min. depois remover excesso. SABOFEN 10% 10% iodopovidona 1% iodo ativo APRESENTAÇÃO Sabofen® 10% sabonete líquido, frasco de 100 mL. COMPOSIÇÃOCOMPOSIÇÃO Solução com tensoativo.Solução com tensoativo. Cada mL contém:Cada mL contém: iodopovidona ................... 0,1 giodopovidona ................... 0,1 g veículo q.s.p.................... 1 mLveículo q.s.p.................... 1 mL PVPI degermante 1000 mlPVPI degermante 1000 ml (Iodopovidona a 10%)(Iodopovidona a 10%) Antimicrobianos
  5. 5. CLOREXIDINACLOREXIDINA  Substância química eficiente no controle químico do biofilme (placa bacteriana) Bochechos _ soluções 0,12% a 0,2%  Aplicação local _ 0,2% a 2%  Irrigação placa subgengival _ 0,02% e 0,2% Anti-sepsia intra-oral _ na forma de bochecho  Preparação pré-cirúrgica da pela do paciente Antimicrobianos
  6. 6. ANTIBIÓTICOSANTIBIÓTICOS AÇÃO BIOLÓGICAAÇÃO BIOLÓGICA  ESPECTRO DE AÇÃOESPECTRO DE AÇÃO  MECANISMOS DE AÇÃOMECANISMOS DE AÇÃO Antimicrobianos
  7. 7. AÇÃO BIOLÓGICAAÇÃO BIOLÓGICA  Bactericidas = morte dos microrganismos susceptíveis.  Bacteriostáticos = inibem o crescimento e multiplicação dos microrganismos sensíveis. Antimicrobianos
  8. 8. ESPECTRO DE AÇÃO  Gram-positivas: penicilinas G, penicilinas V, macrolídeomacrolídeoss, lincosaminas, rifamicina, vancomicina.  Gram-negativas: aminoglicosídeos (gentamicina) e polimixinas.  Gram positívas e Gram- negativas: penicilinaspenicilinas semi-sintéticas (amoxicilinaamoxicilina, ampicilina) cefalosporinas, tetraciclinas, cloranfenicol.  Anaeróbios: penicilinaspenicilinas, lincosaminas, tetraciclinastetraciclinas, cloranfenicol, metronidazolmetronidazol. Antimicrobianos
  9. 9. ESPECTRO DE AÇÃO  Espiroquetas: penicilinaspenicilinas, cefalosporinas, eritromicina, tetraciclinastetraciclinas.  Fungos: nistatinanistatina, anfotericina B, derivados triazólicos.derivados triazólicos.  Outros microrganismos _ riquétsias, micoplasmas, micobactérias e clamídas. Antimicrobianos
  10. 10. MECANISMOS DE AÇÃOMECANISMOS DE AÇÃO GRUPOS PAREDE CELULAR SÍNTESE DE PROTEÍNAS SÍNTESE DE ÁC. NUCLEICOS MAMBRANA CITOPASMÁTICA Antimicrobianos
  11. 11. Célula BacterianaCélula Bacteriana Antimicrobianos
  12. 12.  Fármacos que agem sobre a síntese da parede celular da bactéria, produzindo uma parede com defeitos estruturais alterando o processo de replicação celular.  São seletivos para bactérias, pois a célula deSão seletivos para bactérias, pois a célula de mamífero não tem parede celular.mamífero não tem parede celular.  Incluem os beta-lactâmicos (ex.: penicilinaspenicilinas, cefalosporinas, bacitracinas, etc) e vancomicina PAREDE CELULARPAREDE CELULAR Antimicrobianos
  13. 13. PENICILINAS Antimicrobianos
  14. 14. Penicilina Natural e Sintética Penicillium chrysogenum Penicillium notatum Antimicrobianos
  15. 15. Penicilinas inibidoras da beta-lactamasePenicilinas inibidoras da beta-lactamase Atuam sobre haemophilus resistentes, actinobacter e anaeróbios. São eles :São eles :  Amoxacilina/ Ácido ClavulânicoAmoxacilina/ Ácido Clavulânico :: dose de 50 mg/kg/dia de 8/8 ou 12/12h, v.oral, ex: Clavulin, Novamox, Sigma-clav  Ampicilina/SulbactanAmpicilina/Sulbactan :dose de 50 mg/kg/dia de 6/6h via oral, ex: Unasyn Antimicrobianos
  16. 16. Antimicrobianos
  17. 17. Efeitos ColateraisEfeitos Colaterais  Hipersensibilidade: desde exantemas (ampicilina) até choque anafilático(penicilina G cristalina).  Trato gastro-intestinal: náuseas e vômitos  Hematológico: pancitopenia, alteração naalteração na agregação plaquetária levando aagregação plaquetária levando a hemorragiashemorragias  Rim: nefrite intersticial dose-dependentenefrite intersticial dose-dependente (penicilinas G, ampicilina e amoxacilinaamoxacilina) Antimicrobianos
  18. 18. INIBIDORES DE BETALACTAMESESINIBIDORES DE BETALACTAMESES  SulbactamSulbactam  Ácido clavulânicoÁcido clavulânico  TazobactamTazobactam Antimicrobianos
  19. 19. PENICILINASPENICILINAS  Benzilpenicilina  Fenoximetilpenicilina  Ampicilina e AmoxicilinaAmoxicilina  Oxacilina, cloxacilina e dicloxacilinaOxacilina, cloxacilina e dicloxacilina  Carbenicilina e ticarcilina  Azlocilina, mezlocilina e piperacilina Antimicrobianos
  20. 20. CEFALOSPORINASCEFALOSPORINAS  Cefalotina e cefazolina (1a. G, injetáveis)  Cefalexina e cefadroxil (1a. G, orais)  Cefoxitina, cefaclor, (2a. G)  Cefepima (4a. G) Antimicrobianos
  21. 21. CARBAPENÊMICOSCARBAPENÊMICOS  Imipenem e meropenemImipenem e meropenem Antimicrobianos
  22. 22. MONOBACTÂMICOSMONOBACTÂMICOS  AztronamAztronam Antimicrobianos
  23. 23. Classificação dasClassificação das Reações Alérgicas às PenicilinasReações Alérgicas às Penicilinas  Tipo de Reação  Tempo Início (horas)  Manifestação Antimicrobianos
  24. 24. Imediata 0 -1 Anafilaxia Hipotensão ou choque Urticária Broncoespasmo Antimicrobianos
  25. 25. Aceleradas 1 – 72 Urticária Broncoespamo Antimicrobianos
  26. 26. Tardias > 72 Erupções morbiformes Nefrite interticial Anemia hemolítica Febre (isolada) Infiltrado pulmonar Antimicrobianos
  27. 27. Tipos de Hipersensibilidades Classificação de 1963Classificação de 1963 Tipo I : imediata, mediada por anticorpos IgEs (2 a 30 minutos) •asma, eczema e anafilaxia Tipo II: citotóxica, mediata por anticorpos IgM e IgG (5 a 8 horas) •transfusões de sangue Tipo III: mediada por imunocomplexo (2 a 8 horas) •artrites e glomerolunefrites Tipo IV: mediada por células (24 a 72 horas) •Teste de DTH tuberculina Antimicrobianos
  28. 28. CEFALOSPORINAS Antimicrobianos
  29. 29. Cefalosporinas  São antibióticos betalactâmicos, cujo mecanismo de ação é a lise da parede bacteriana.   Existem 4 gerações de cefalosporinas no mercado.  De Primeira Geração : atua mais gram positivos. Ex : Cefalexina (Keflex) 6/6h    Cefadroxila (Cefamox) 12/12h Dose : 50 mg/kg/dia Antimicrobianos
  30. 30. Cefalosporinas  De Segunda Geração : melhora o espectro para gram negativos. Podemos citar :  Cefaclor (Ceclor) dose de 20 a 40 mg/kg/dia de 12/12 h  Cefprozil (Cefzil) dose de 30 mg/kg/dia de 12/12 h  Cefuroxima (Zinnat) dose de 10 mg/kg/dia de 12/12 h Antimicrobianos
  31. 31. Cefalosporinas  De Terceira Geração : tem forte espectro para gram negativos, tem especial uso hospitalar. Podemos citar para uso oral a Cefpodoxima (Orelox) dose de 8 mg/kg/dia de 12/12 h.  De Quarta Geração : de uso exclusivo hospitalar, somente por via parenteral. Antimicrobianos
  32. 32. Efeitos ColateraisEfeitos Colaterais  Gastro-intestinais : diarréia, dor abdominal, dispepsia, gastrite e icterícia.  Hipersensibilidade: exantema, urticária, angioedema e raramente eritema multiforme, Síndrome de Stevens-Johnson, epidermólise tóxica e anafilaxia.  Outras reações : prurido anal e genital, enjôos, cefaléia e alucinações; artralgias, nefrite intersticial, eosinofilia, neutropenia, trombocitopenia e elevação transitória de transaminases. Antimicrobianos
  33. 33. SÍNTESE DE PROTEÍNASSÍNTESE DE PROTEÍNAS  Para que haja reprodução bacteriana é necessário a união de aminoácidos que constituirão as inúmeras proteínas microbianas.  A interrupção, emA interrupção, em qualquer ponto dessa cadeia, susta o crescimento,qualquer ponto dessa cadeia, susta o crescimento, com consequente eliminação da bactériacom consequente eliminação da bactéria.  Incluem: cloranfenicol, tetraciclinastetraciclinas, macrolídeosmacrolídeos (eritromicina, azitromicina e claritromicina) e clindamicinaclindamicina. Antimicrobianos
  34. 34. MACROLÍDEOS Antimicrobianos
  35. 35. MacrolídeosMacrolídeos  É um bacteriostático, ligando-se à subunidade 50S dos ribossomos bacterianos, suprimindo sua síntese protéica.  Compõem : eritromicina, azitromicinaazitromicina e claritromicina Antimicrobianos
  36. 36. Macrolídeos  Atua em Gram-positivasGram-positivas (pneumococos, estreptococos do grupo A, Corynebacterium diphtheriae, S. aureus e difteróides).  TambémTambém em Mycoplasma pneumoniae, Chlamydia trachomatis.  É um dos antibióticos mais isentos de efeitosÉ um dos antibióticos mais isentos de efeitos colateraiscolaterais. Cerca de 93% dos indivíduos que apresentaram colestase como manifestação tóxica da eritromicina haviam tomado a forma de estolato, devendo ser portanto evitada. Antimicrobianos
  37. 37. MacrolídeosMacrolídeos  Eritromicina _ adultos: comp revestidos de 250 mg e 500 mg (pode ter ação bactericida em altas doses ou contra microrganimos sensíveis) a cada 6 horas ou 4g dia _ Ex.: Eritran; crianças:de 30 a 50 mg/kg/dia de 6/6h. Ex : Eritrex, Pantomicina, Ilosone.  AzitromicinaAzitromicina (azalídeos)(azalídeos) _ adulto: comp revestidos de 500 mg, pode ser ingerido c/refeições a cada 24 horas; crianças: de 30 mg/kg/dia em dose única diária de 3 a 5 dias. Ex : Novatrex, Selimax, Zitromax.  Claritromicina _ adultos: comp rev de 250 mg e 500 mg a cada 12 ou 8 horas; crianças: de 7,5 mg/kg/dose de 12/12 h. Ex : Klaricid Antimicrobianos
  38. 38. ClindamicinaClindamicina ApresentaçãoApresentação _ capsula gelatinosa dura de 300 mg (cloridrato de clindamicina) e sol ingetável de 150 mg/mL (fosfato de clindamicina): 800 mg a 1.800 mg/dia VO de 8/8 ou 6/6 horas. Em casos graves pode aumentar para 4,8g/dia.
  39. 39. SÍNTESE DE ÁC. NUCLEICOSSÍNTESE DE ÁC. NUCLEICOS  InibeInibe a síntese dos ácidos nucléicos (cromossomos).  Podem atuar no DNA e na síntese do RNA = alterar a estrutura dos mesmos ou reduzir a formação dos nucleotídeos.  Estão nesse grupo asEstão nesse grupo as quinolonasquinolonas Antimicrobianos
  40. 40. GLICOPEPTÍDEOS Antimicrobianos
  41. 41. Glicopeptídeos  Atua por bloqueio da síntese protéica bacteriana ao interferir na transpeptidação ao nível da subunidade ribossômica 50S.  Possui um efeito antimicrobiano similar ao da eritromicinaeritromicina sobre os microorganismos.  Deve ser evitado em menores de 2 anos de idadeDeve ser evitado em menores de 2 anos de idade Antimicrobianos
  42. 42. Glicopeptídeos  Efeitos colaterais : Ocasionalmente, diarréia, náuseas, vômitos, colite pseudomembranosa por Clostridium difficile.  Lincosaminas : de 30 a 60 mg/kg/dia via oral de 6/6 h. De 10 mg/kg/dia IM de 24/24 h. Ex : Frademicina, Lincomicina Antimicrobianos
  43. 43. AltaAlta II NN CC II DD ÊÊ CC II AA Exodontias Procedimentos periodontais, incluindo cirurgias, implante subgengival de fibras ou tiras antibióticas, alisamento radicular necessitando de maior manutenção Implantes e reimplantes de dentes avulsionados Instrumentação endodôntica ou cirurgia (apicetomia) Implante inicial de banda ortodôntica, mas não brackets Injeção de AL intraligamento ou intraósseos Limpeza profilática dos dentes ou implantes onde o sangramento é previsto BaixaBaixa II NN CC II DD ÊÊ NN Dentística restauradora (operatória e preparatória) Injeção de AL (não-intraligamentário e não-intraósseo) Endodontia intracanal: pós colocação e preparação Colocação de dique de borracha Pós-operatório de remoção de sutura Tomada de impressões orais e radiografias Tratamentos com flúor Ajustes ortodônticos Incidência de bacteriemia nos procedimentos dentáriosIncidência de bacteriemia nos procedimentos dentários Antimicrobianos

×