INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E 
TECNOLOGIA DO AMAZONAS – IFAM 
DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR 
CURSO DE TECNOLO...
KARINA COSTA CARVALHO 
EXPERIMENTO DE REAGENTES NAS CÉLULAS ANIMAL E VEGETAL. 
Trabalho de desenvolvimentos de relatório d...
LISTA DE FIGURAS 
FIGURA 01 – ......................................................................... ERROR! BOOKMARK NO...
SUMÁRIO 
INTRODUÇÃO..........................................................................................................
5 
INTRODUÇÃO 
A célula foi um grande passo de descoberta para os seres vivos, percebida pelo Inglês Roberth 
Hooke em 166...
6 
1. OBJETIVOS 
Nosso objetivo está estruturado da seguinte forma: 
a) Observar as características da parede celular vege...
7 
3.PROCEDIMENTO 1 
a) Procedimento do experimento animal: foi retirado material genético bucal, no 
caso o meu colocado ...
8 
3. PROCEMENTO 2
9 
4. CONCLUSÃO 
Neste experimento foi desenvolvidos conceitos da Lei de Hooke, 
caracterizado pelo cálculo da constante e...
10 
SOUZA, João Leno Antônio. Determinação da Constante Elástica de 
Arranjos de Molas em Série e em Paralelo (Equilíbrio)...
Relatório de física ( molas elásticas )
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatório de física ( molas elásticas )

698 visualizações

Publicada em

relatório de física sobre elasticidade das molas.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
698
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório de física ( molas elásticas )

  1. 1. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS – IFAM DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE TECNOLOGIA EM ALIMENTOS KARINA COSTA FUNDAMENTOS DE BIOLOGIA: CITOLOGIA Manaus 2014
  2. 2. KARINA COSTA CARVALHO EXPERIMENTO DE REAGENTES NAS CÉLULAS ANIMAL E VEGETAL. Trabalho de desenvolvimentos de relatório durante a disciplina de Biologia, Curso de Tecnologia em Alimentos. Professor: Kleber da Luz Bastos Manaus 2014
  3. 3. LISTA DE FIGURAS FIGURA 01 – ......................................................................... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. FIGURA 02 – ......................................................................... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. FIGURA 03 – ........................................................................ ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED.
  4. 4. SUMÁRIO INTRODUÇÃO......................................................................................................................... 5 1. OBJETIVOS ..................................................................................................................... 6 2. MATERIAIS UTILIZADOS ........................................................................................... 6 3. CONCLUSÃO ................................................................................................................... 9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.................................................................................... 9
  5. 5. 5 INTRODUÇÃO A célula foi um grande passo de descoberta para os seres vivos, percebida pelo Inglês Roberth Hooke em 1667. Ela é a menor unidade estrutural básica dos seres vivos a palavra célula vem da palavra cella, que significa caixa pequena, no corpo humano existem cerca de 100 trilhões de células e cada uma dels tem uma capacidade extraordinária de criar cópias delas mesmas e divisão em duas, portanto as células são as principais unidades de Vida. A célula possui membrana plasmática, citoplasma e núcleo. A membrana plasmática exerce três funções: revestimento da célula, proteção e impermeabilidade seletiva. Ela tem a capacidade de selecionar qual substancia entra ou saem da célula, composta basicamente de lipídios e proteína, também chamada de composição lipoproteica. A membrana celular tem uma bicamada de fosfolipídios, que é uma camada interna e externa da célula contém também uma parte hidrófila que gosta de água, mas a parte interna é chamada de hidrofóbica não tem muito envolvimento com água. Essa membrana possui dois tipos de proteína as integrais que fazem parte de toda a membrana e as periféricas que como o nome já nos diz fazem parte da periferia dessa membrana, também são encontradas açúcar, carboidratos e colesterol. Há uma diferença entre célula animal e célula vegetal : a célula animal não possui parede celular ela contem uma membrana suave e núcleo escuro, já na célula vegetal observa-se que tem parede celular que é uma borda mas forte com estômato e feichos vasculares. O estômato e responsável pela entrada e saída de oxigênio o Co2 e os feichos, são para a entrada de água, nutrientes, ou seja, xilema de água e floema de nutrientes, também pode ser encontrado cera e cutícula que faz o processo de impermeabilidade protegendo o vegetal da dissecação. Essas são as principais características de uma célula.
  6. 6. 6 1. OBJETIVOS Nosso objetivo está estruturado da seguinte forma: a) Observar as características da parede celular vegetal.. b) Observar as características da membrana celular animal. 2. MATERIAIS UTILIZADOS  Placa de petri  Água  Pincel  Álcool  Agua destilada  Folhas do (ifam)  Isopor  Lamina  Pipeta  Piceta  Azul de toluidina  Lugol  Cloreto de ferro III  Ácido tônico  Xilidine ponceau  Lamínula de vidro  Sudam  Microscópio  Lamina de vidro
  7. 7. 7 3.PROCEDIMENTO 1 a) Procedimento do experimento animal: foi retirado material genético bucal, no caso o meu colocado na lamina de vidro e aplicado o reagente azul de toluidina com o uso do microscópio para observação da membrana celular. Núcleo Membrana celular
  8. 8. 8 3. PROCEMENTO 2
  9. 9. 9 4. CONCLUSÃO Neste experimento foi desenvolvidos conceitos da Lei de Hooke, caracterizado pelo cálculo da constante elástica, o mesmo demonstrou um desempenho satisfatório em relação. Devido ao condicionamento foi observado que quando a mola em serie ela tem o seguinte sistemas de forças: Fr= Força peso – força elástica Já o sistema em paralelo tem duas forças elásticas atuando a força contraria a do peso: Fr= força peso – 2 forças elásticas. Então entendemos por que as 2 formas tem resultados de deformação diferentes a mola em serie se torna mas flexível do que a mola em paralelO. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SAMPAIO, José Luiz; Calçada, Caio Sérgio. Física, 2ºed. São Paulo: Atual editora, v. único, 2005. SANT ANNA, Blaidi; Martini, Glória; Reis, Hugo Carneiro; Spinelli, Walter. Conexões com a Física, 1º ed. São Paulo: Moderna, v.1, 2010.
  10. 10. 10 SOUZA, João Leno Antônio. Determinação da Constante Elástica de Arranjos de Molas em Série e em Paralelo (Equilíbrio). São João Del –Rei. 2010. http://www.ebah.com.br/content/ABAAABSY4AA/relatorio-fisica-experimental- determinacao-constante-elastica-massa-mola-3. 17/04/2014.

×