Seguranca sustentabilidade

485 visualizações

Publicada em

Apresentação de Segurança e Sustentabilidade

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
485
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seguranca sustentabilidade

  1. 1. “O mundo está insustentável, não pela falta de segurança, mas pelas pessoas que permitem a maldade.”
  2. 2. Na Idade da Pedra Lascada, período Paleolítico Inferior, queestá por volta de 2 milhões a.C, os homens andavam embandos e viviam em situação de riscos, pois seus predadorese outros bandos os espreitavam sem folga.A segurança era para a preservação da espécie, ... onde estes utilizavam de rudimentares instrumentos feitos com pedra e pau que serviam de armas.
  3. 3. Já no período Paleolítico Superior, que foi até 10.000 aC, ohomem passou a viver em cavernas e sua segurança tinhacomo objetivo a:defesa do território conquistado.Foi nesta época que ocorreu a descoberta do fogo e o homempassou a utilizá-lo como uma das principais formas de defesacontra animais predadores.
  4. 4. No período Neolítico, o homem aprendeu a polir a pedra econseguiu produzir instrumentos mais eficazes como lâminasde corte, machados, serras com dentes, entre outros.Desenvolveu a agricultura, inventou a cerâmica e passou aviver em aldeias.O foco da segurança mudou um pouco, pois além deproteger o território, o homem passou a se preocupar com adefesa dos alimentos que produzia e do gado.
  5. 5. O grande avanço em relação aos instrumentos de defesaocorre na Idade dos Metais, período compreendido em7.000 e 1.500 a.C. O homem aperfeiçoa seus instrumentosatravés do uso da metalurgia, dominou a técnica de fundiçãodos metais como o cobre, estanho e o bronze.O ferro só surge no final deste período e é dominadosomente por alguns povos, que criam armamentos e afirmamsua superioridade militar. Neste período, foramconstituídos os primeiros exércitos armados.
  6. 6. No decorrer dos próximos séculos o que se viu foramconstantes lutas pelo poder e ouso excessivo da violência como arma de terror e medo.As grandes guerras elevaram ainda mais o sentimento deinsegurança e o poderio militar foi o principal responsávelpela manutenção de povos dominantes.
  7. 7. No início a segurança era para a preservação da espécie,com a evolução do conhecimento sobre as armas, ohomem passa a exercer domínio sobre tudo que está àsua volta.É neste “momento” que sobressaem alguns traços dapersonalidade do homem, como a ambição, que começa amudar o papel da segurança.A segurança agora serve para amparar o poder.
  8. 8. O homem tem “seu bando” ampliado para países e asrelações ficam cada vez mais complexas, confusas e difíceisde serem cumpridas, pois o próximo “do seu próprio bando”muitas vezes é seu próprio algóz.Então, os homens se tornam egoístas, territorialistas,vaidosos, maldosos, capazes de ferir seu semelhante embenefício de sua ambição, ou simplesmente pelanecessidade de demonstrar sua superioridade.
  9. 9. Entre as regras de convivências dos homensnasce à política para regular a relação entre ospovos, e na filosofia aristotélica a “política é aciência que tem por objeto a felicidadehumana”.... que mais tarde foi redefinida por um dosmaiores estrategistas militares da Prússia, ogeneral Carl Von Clausewitz, 1780 a 1831, queafirmou que a “Guerra é a continuação dapolítica por outros meios”.
  10. 10. A violência nos dias de hoje tem suas matizes que vão desdea aniquilação da espécie até a ação de vândalos que têmcomo único objetivo se divertir com as tragédias dos outros,ou na exploração do medo.É só ligar a televisão, ou acessar a internet, para ver todas asformas de violências e sentir que qualquer um pode ser apróxima vítima.
  11. 11. Então, onde encontrar a segurança tão desejada, a base denossa felicidade?Vários Estudiosos, Filósofos, Gurús, falaram sobre aimportância da segurança, mas vamos nos deter a dois deles.Primeiro, Abraham Maslow, 1954, foi um grande psicólogoque estudou áreas de conflitos entre as comunidades, desteestudo concebeu a pirâmide das necessidades, figura abaixo,que nos mostra como a segurança é um dos itens maisimportantes para o ser humano, depois de suprida ascarências fisiológicas como comer, dormir e beber.
  12. 12. Segundo, vamos falar de Mahatma Gandhi, 1869 a 1948, líderpacifista e principal personalidade na independência da Índia,que foi questionado pela imprensa interna com a seguintepergunta:- QUAL O CAMINHO PARA A PAZ? E sua resposta ecoa como uma nova esperança:- NÃO EXISTE CAMINHO PARA A PAZ. A PAZ É O CAMINHO.
  13. 13. A SEGURANÇA não é um sistema ou uma metodologiafantástica que pode ser comprada ou simplesmente adotada,ela é uma condição interna de nossa alma. Gandhi e Einsteinreforçaram isto ao pronunciarem as seguintes frases:Gandhi: “O amor puro de um homempode neutralizar o ódio de milhões.”Einstein: “O mundo não está em perigopelas pessoas más, mas por aquelasque permitem a maldade.”
  14. 14. A segurança deve ser vista por todos como coisa essencial para a sobrevivência do planeta. Nossa vida está ameaçada - MAS POR NÓS MESMOS. Nós sempre achamos que outros devem ser responsáveis pela nossa segurança.Mas a segurança começa com as nossas atitudes, vejamosalgumas coisas do nosso dia a dia:• O tempo todo estamos ligados a todo tipo de noticiário,principalmente aos que divulgam desgraças, sem nos darconta que estamos colocando um monte de “lixo” em nossascabeças. E, que em algum momento iremos colocar tudoisto para fora.E faremos. E mais uma vez estaremos distribuindo o venenoque nos foi oferecido, talvez até com mais sordidez, fazendouma corrente “como este mundo não presta”.Mas a responsabilidade não é nossa.
  15. 15. • Vemos nossos familiares ligados à internet e não paramosum minuto para verificar se o que estão fazendo está certo ouerrado. Será que não temos nada para ensinar sobre ainternet aos nossos pais, filhos, irmãos amigos, ou será queisto não é problema nosso.Será que eles não estão passando informações nossas paraalguém que pode prejudicar nosso emprego, namoro ouamizade? Mas a responsabilidade não é nossa.• Temos atenção ao sair na rua, de verificar se podemos ficarno ponto de ônibus ou taxi com segurança. Se nossas coisasestão expostas em nossos bolsos, bolsas, mochila. A bolsaestá solta no banco do lado. Será que não somosresponsáveis nem pelas nossas coisas, ou mais uma vez aresponsabilidade não é nossa.
  16. 16. • Quando digitamos uma senha, no banco, no emprego, nafaculdade, enfim, quando usamos um código que é paranossa segurança tomamos as precauções necessárias paraque ela permaneça segura? Mas a responsabilidade não énossa.• Cuidamos de nossa casa, emprego, faculdade oulugares públicos, para que tenhamos um mundo melhor?A responsabilidade não é nossa.
  17. 17. Poderíamos falar de uma infinidades de coisas que são maisou menos relevantes para vocês em relação ao que acreditamser segurança, mas o que realmente importa é a nossaconsciência. É a nossa parte neste processo, o quanto somosimportantes para termos um mundo melhor, mais digno, commais segurança.Se conseguíssemos fazer nossa parte no item segurança,com certeza sobraria mais comida, mais oportunidades,mais respeito. Poderíamos atender plenamente a primeirafase hierárquica estudada por Maslow:
  18. 18. Com cuidados mínimos de segurança no nosso dia a diaestaríamos inibindo o mal, suprimindo aqueles que tornam avida mais difícil e ai estaríamos vencendo a segunda fase:
  19. 19. Com as necessidades básicas supridas, a segurançarealizada por cada um de nós, possivelmente atingiremos adignidade, pois teremos condições de participar igualmenteda sociedade e estar com respeito junto a nossos familiares.
  20. 20. Não precisamos, também, apostar num mundo perfeitoproposto por Karl Max, 1818 a 1883, que acreditava em umadistribuição de renda justa e equilibrada.Não é disto que estamos falando, mas sim de proteger osinteresses uns dos outros, lembrando que este mundo énossa grande casa e depende de nós a qualidade de vida,a felicidade.Vamos fazer nossa parte, para alcançarmos o ápice dapirâmide:
  21. 21. Case real de Segurança e SustentabilidadeCerta vez, trabalhando na periferia da cidade de São Paulo,considerada extremamente perigosa, observei que existiamalgumas empresas sediadas na região que não enfrentavamnenhum problema com a comunidade local.A Comunidade era extremamente pobre e tinha vários deseus membros envolvidos com o crime.Perguntei para o gerente porque a empresa estava lá. Eleme disse que nos estudos para a implantação da fábricaeste local foi considerado ideal. Aquele lugar reunia osprincipais requisitos necessários: mão de obra barata, semtransporte e o custo do terreno muito baixo.
  22. 22. Case real de Segurança e SustentabilidadeO gerente continuou dizendo que quando iniciaram aconstrução tiveram todos os tipos de problemaspossíveis, mas com o passar do tempo eles foramconhecendo os responsáveis pela “área” e acertaram comele que assim que começasse a produção eles passariam aauxiliar com a comunidade.Assim que começaram as atividades da fábrica, estacomeçou a oferecer empregos, cursos e cestas básicas paraos indicados pela comunidade.Os problemas acabaram. E, ficou “sabido” que ninguémpoderia criar qualquer problema com aquela empresa:“ordem do chefe”.
  23. 23. Case real de Segurança e SustentabilidadeOutras empresas, encorajadas pelo procedimento daprimeira, vieram e passaram a auxiliar a comunidade, tendoo mesmo apoio dos moradores e dos “chefes”. Até umafranquia do McDonalds existia na região, sem qualquerproblema.Os principais fatores críticos de sucesso observados eram:• Oportunidades de empregos para a comunidade local,• Cursos de alfabetização e de profissionalização,• Distribuição de renda, através das cestas básicas• Desenvolviam campanhas para a limpeza na região,reconstrução de escolas, postos de saúde e arborização.Os custos com o relacionamento ficaram menores que osvalores calculados nos riscos com o trato com a vizinhança.
  24. 24. Case real de Segurança e Sustentabilidade... As empresas passaram a realizar uma diferençaexatamente no tripé da Sustentabilidade, pois oferecendoapoio Econômico, Social e Ecológico poderiam crescer comtranquilidade e permitir que a comunidade, também,pudesse evoluir junto. http://pt.wikipedia.org/wiki/Desenvolvimento_sustent%C3%A1vel
  25. 25. obrigado Prof. Carlos Augusto Valim Auditor Líder 27001Membro de Grupos de Trabalhos de Segurança da ABNTCoordenador do curso de Pós Graduação em Segurança facitec@alertse.com.br

×