Estratégia Competitiva para Indústrias Emergentes

412 visualizações

Publicada em

Capítulo 10 | Estratégia Competitiva em Indústrias Emergentes
PORTER, Michael. Estratégia Competitiva: Técnicas de análise para indústrias e concorrência. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estratégia Competitiva para Indústrias Emergentes

  1. 1. Estratégia Competitiva em Indústrias Emergentes Escola de Administração e Negócios | Mestrado em Administração João Vinícius de Abreu
  2. 2. Introdução Indústrias emergentes: formadas ou reformadas recentemente por meio de inovações tecnológicas, alterações nas relações de custos relativos, surgimento de novas necessidades, ou alterações econômicas e sociais. Basicamente, são indústrias que parecem que estão começando de novo e enfrentam mudanças drásticas. Ela parece que está entrando em um ambiente novo, onde as regras do jogo estão sendo ainda estabelecidas ou formadas. A ausência de regras é um risco e uma fonte de oportunidade, e isso precisa ser controlado.
  3. 3. Indústrias emergentes Estão sendo criadas a todo momento Jogos de computador Painéis Solares Startups
  4. 4. O meio estrutural Fator principal: A ausência de bases estabelecidas para 1. concorrência: como os competidores devem agir? 2. outras regras de jogo: como as instituições se relacionam com esse setor? 3. ao pequeno porte inicial: o que precisa fazer para entrar? 4. à novidade da indústria: incerteza do ambiente
  5. 5. O meio estrutural Características estruturais comuns Incerteza Tecnológica Incerteza estratégica Altos custos iniciais mas redução de custo Companhias embrionárias e desdobramentos Compradores pela primeira vez Horizonte de tempo curto Subsídios Indústrias emergentes
  6. 6. Barreiras de mobilidade iniciais tecnologia patenteada acesso às matérias primas e a outros insumos de custo e qualidade vantagens de custo graças à experiência risco, que aumenta as barreiras de capital acesso aos canais de distribuição
  7. 7. Problemas que restringem o desenvolvimento industrial Dificuldades para a arrancada inicial Incapacidade de obter MP Ausência de padronização tecnológica ou de produto Qualidade irregular do produto Altos custos Incerteza Tecnológica Incerteza Tecnológica Custos maiores do que o esperado Carências de MP e componentes devido a falta de especificações ou condições estruturais para atender às novas demandas
  8. 8. Problemas que restringem o desenvolvimento industrial Dificuldades para a arrancada inicial Período de rápida escalada dos preços das MP Possibilidade de obsolescência Imagem e credibilidade junto à comunidade financeira Resposta de Entidades ameaçadas Incerteza, confusão do consumidor, qualidade irregular, imagem pouco clara. Espera dos compradores por um produto que supere o que está sendo lançado. Lei da oferta e da procura e conscientização dos fornecedores quanto ao valor de seus produtos para a indústria desesperada. Propensão da indústria ameaçada em reduzir os custos unitários. Outras entidades que também são ameaçadas.
  9. 9. Problemas que restringem o desenvolvimento industrial Dificuldades para a arrancada inicial Ausência de infra-estrutura Confusão dos clientes Aprovação de agentes reguladores Infra-estrutura inadequada para atender a nova demanda de produção. Incerteza tecnológica e falta de padronização. Presença de lobby; Sujeição à regulamentação.
  10. 10. Avaliação de mercados Mercados podem ter receptividade bem diferente em relação a um novo produto: Critérios que devem ser reconhecidos na determinação da receptividade: Natureza do Benefício Vantagem de Desempenho Vantagem de Custo
  11. 11. percepção da mudança tecnológica Avaliação de mercados Mais critérios para avaliar a receptividade processo tecnológico necessário para produzir benefícios custo da falha do produto custos de introdução ou de mudança serviços de apoio risco pessoal para quem toma a decisão custo de obsolescência barreiras assimétricas legais, governamentais ou sindicais percepção de mudança tecnológica recursos para a mudança
  12. 12. Escolhas estratégicas Levar em conta a incerteza e o risco desse período do desenvolvimento de uma indústria. Se por um lado a empresa tem diversas questões indefinidas, por outro lado existe na fase emergente o período no qual os graus estratégicos de liberdade são maiores e a vantagem de boas escolas estratégicas pode ser bem aproveitada. Confirmação da estrutura da indústria Exterioridades no desenvolvimento da Indústria Mudança de papel dos fornecedores e dos canais Mudança nas barreiras de mobilidade
  13. 13. Escolhas estratégicas ➔ Oportunidades de entrada: Quando é o melhor momento de entrar em uma indústria emergente? ➔ Atentar-se aos movimentos táticos em uma indústria emergente. ➔ Enfrentando a concorrência Indústria EmergenteEntrada Antecipada (ou prematura) concorrência inicial e segmentação de mercado estão em bases diferentes das que serão mais tarde custos de abertura do mercado são grandes concorrência inicial com empresas será dispendiosa evolução tecnológica tornará os investimentos iniciais obsoletos imagem e reputação são importantes processo de aprendizagem em um negócio lealdade do cliente vantagens absolutas de custo
  14. 14. Técnicas para previsão Produto / Tecnologia Feedback / Loop Mercados Concorrência Feedback / Loop Feedback / Loop Cenário A Cenário B
  15. 15. Quando entrar em uma indústria emergente? ➔ Se a estrutura final é consistente com retornos acima da média ➔ Pode criar uma posição defensável na indústria a longo prazo

×