A Ética Protestante e o "Espírito" do Capitalismo

1.603 visualizações

Publicada em

Revisão Crítica da obra de Max Weber - A Ética Protestante e o "Espírito" do Capitalismo

Mestrado em Administração, ESAN, UFMS

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.603
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
494
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Ética Protestante e o "Espírito" do Capitalismo

  1. 1. A Ética Protestante e o "Espírito" do Capitalismo Max Weber (1904-1920) Mestrado em Administração, ESAN / UFMS | 02/2015 João Vinícius de Abreu
  2. 2. The Geographer Johannes Vermeer in 1668– 1669
  3. 3. Die protestantische Ethik und der 'Geist' des Kapitalismus A Ética Protestante e o "Espírito" do Capitalismo ● Publicado pela primeira vez em 1904 e pela última em 1920. ● Diferença entre as traduções em português ● A escolha pela tradução de Antônio Flávio Pierucci
  4. 4. A importância para a Sociologia e para as Ciências Humanas ● O método de compreensão de Weber é fundamentado no objeto. ● O pensamento de Weber tenta considerar que a ciência pode até ter um ponto de partida subjetivo (do pesquisador), mas o seu ponto de chegada deve ser objetivo/racional (da ação estudada). ● Ação Social: Objeto de estudo da sociologia ● Influência da Escola Historicista Alemã
  5. 5. A importância para a Sociologia e para as Ciências Humanas ● O mais importante escrito teórico do século XX (Segundo lista elaborada pela Folha de São Paulo em 1999) ● É a "Origem das Espécies" da Sociologia, segundo PIERUCCI (2004) um livro inaugural que traz uma perspectiva do capitalismo enquanto cultura.
  6. 6. Contexto da obra ● Início do século XX (1904, 1905, 1920) ● Pós Revolução Francesa e Revolução Industrial ● Nações capitalistas: Inglaterra e Estados Unidos
  7. 7. Estrutura de "A Ética (...)" I P A R T E 1. Confissão Religiosa e estratificação social 2. O "espírito" do capitalismo 3. O conceito de vocação em Lutero 1. Os fundamentos religiosos da ascese intramundana 2. Ascese e capitalismo I I P A R T E O problema a ser investigado A ideia de profissão do protestantismo ascético
  8. 8. Ideia central "O capitalismo tem seu desenvolvimento sobre a base da doutrina protestante calvinista da predestinação e sua interpretação puritana"
  9. 9. Introdução da Obra ● O capitalismo incipiente em várias culturas: China, Babilônia, Egito e Índia ● O impulso para o lucro/ganho não é marca distintiva do capitalismo: "O impulso para o ganho, e a persecução do lucro, do dinheiro, da maior quantidade possível de dinheiro não tem em si mesmo, nada que ver com o capitalismo" (WEBER, 2004)
  10. 10. Introdução da Obra ● O capitalismo é um fenômeno característico do mundo ocidental ● O objetivo de Weber: Estudo sistemático da sociologia da religião ● Relação entre Ética religiosa Vocação e Trabalho Surgimento e desenvolvimento do capitalismo
  11. 11. "... o caráter predominantemente protestante dos proprietários do capital e empresários, assim como das camadas superiores da mão-de-obra qualificada, notadamente do pessoal de mais qualificação técnica ou comercial das empresas modernas" Max Weber, p.29
  12. 12. 1. Confissão Religiosa e Estratificação Social ● Estudo na região do vale do Ruhr: Os católicos estão ligados a carreiras humanísticas; Os protestantes estão ligados a carreiras técnicas, de nível superior e gerencial. ● Existe algo na pregação e na educação dos protestantes que os tem movido a estas escolhas. ● A secularização da vida para os católicos versus a integração da vida para os protestantes ● "Comer bem ou dormir bem?" ● Que tipo de protestantismo/calvinismo Weber estuda? I P A R T E
  13. 13. 2. O "Espírito" do Capitalismo ● A noção de "Geist". ● Uma definição do método de Weber: Individualidade histórica e sua significação cultural. ● O discurso de Benjamim Franklin como símbolo do "Espírito" do capitalismo e mais tarde do protestantismo. ● Para Weber, este discurso resume de forma "laica" a vida dos protestantes e sua ética, no qual estão os princípios norteadores de suas atitudes. ● "Ganhar mais o atraía menos que o fato de trabalhar menos..." (p.53) ● O trabalho como um fim em si mesmo: "Vocação". I P A R T E
  14. 14. 3. A concepção de Vocação em Lutero ● Beruf, Calling. ● A vocação entendida como missão/chamado para o homem proclamar a "glória de Deus". ● O ascetismo monástico (moralidade fora do mundo) vs o ascetismo protestante (cumprimento da sua vocação no mundo). ● A visão católica: Sagrado e Profano. ● A visão protestante não trabalha essas categorias. ● O calvinismo deu ao trabalho um caráter religioso: "Tudo" é sagrado. I P A R T E
  15. 15. "Trata-se, como se vê, de argumento essencialmente escolástico que logo é abandonado, cedendo o passo à referência cada vez mais enfática ao cumprimento dos deveres intramundanos como a única via de agradar a Deus em todas as situações, que esta e somente esta é a vontade de Deus, e por isso toda profissão lícita simplesmente vale muito e vale igual perante Deus" I P A R T E Max Weber, p. 73
  16. 16. "Por último, é digno de nota que Deus manda cada um de nós ter presente, em todas as ações da vida, sua vocação. Pois Ele sabe com quanta inquietude arde o espírito humano, com quão inconstante leviandade é levado de um lado para o outro, quão cobiçosa é sua ambição de abraçar coisas diferentes ao mesmo tempo. Sendo assim, para que nós, com nossa loucura e temeridade, não virássemos tudo do avesso, Ele determinou a cada um os seus deveres, segundo os diferentes modos de vida. (...) Basta saber que o chamado do Senhor é o princípio e o fundamento do agir bem em todas as situações, e que aquele que não se submeter a ele jamais manterá o reto caminho em seus deveres." I P A R T E João Calvino, A Instituição da Religião Cristã. Ed. Unesp (p. 190)
  17. 17. 4. Os fundamentos religiosos da ascese intramundana ● Definição de ascese (ἀσκέω) para Weber: Um exercício para a salvação; ● Os portadores históricos deste tipo de protestantismo que está sendo considerado no desenvolvimento do capitalismo: I I P A R T E Calvinismo Pietismo Metodismo "Seitas" Anabatistas
  18. 18. 4. Os fundamentos religiosos da ascese intramundana ● Weber procura verificar uma relação entre as crenças religiosas e as suas consequências na vida cotidiana dos indivíduos que as professam. ● Calvinismo: Aqui ele chega a doutrina da Predestinação, decorrente do pensamento do reformador João Calvino. ● Pietismo: Um controle mais ascético da conduta de vocação ● Metodismo: A "santificação" e o trabalho como confirmação da vocação ● Anabatistas: Interesse vocacional de caráter econômico I I P A R T E
  19. 19. "Weber pergunta porque o trabalho é um ato religioso para os calvinistas, e responde: por causa do dogma da predestinação. Esse dogma, é o mais característico da fé reformada e o que dá sentido a cada ato do crente. Ele enseja o invidualismo porque cada um, entendendo que sua salvação é o objeto de um decreto individual, age somente em função de si mesmo. Além disso, esse dogma transformou o ascetismo medieval em ética de ação. Enquanto o católico crê que deve construir sua salvação sem se contaminar com as atividades, o calvinismo, pelo contrário, pensa que é na prova das atividades temporais que sua fé é testada. Se reprovado por Deus, isso se manifestará no seu trabalho; se eleito, porém, todas as suas atividades trarão as marcas das bençãos divinas. Quanto mais visivelmente abençoado em seu trabalho, mais segura sua eleição" André Bieler. O pensamento social e econômico de Calvino. Ed. Cultura Cristã, 1970. I I P A R T E
  20. 20. "Pois se esse Deus, que o puritano vê operando em todas as circunstâncias da vida, indica a um dos seus uma oportunidade de lucro, é que ele lá tem suas intenções ao fazer isso. Logo o cristão de fé tem que seguir esse chamado e aproveitar a oportunidade." Max Weber, p. 148
  21. 21. 5. Ascese e Capitalismo ● A importância de Richard Baxter para Weber: Realista e prático. ● Vocação ascética reformada: Não é um destino que todos tem que se submeter (Luteranismo) mas um mandamento de Deus a todos. ● O trabalho como a finalidade última da vida "A conduta racional baseada na ideia de vocação, nasceu (...) do espírito de ascese cristã. (...) No setor de seu mais alto desenvolvimento, nos Estados Unidos, a procura da riqueza, despida de sua roupagem ético-religiosa, tende cada vez mais a associar-se com paixões puramente mundanas..." (p. 130-131) I I P A R T E
  22. 22. Conclusões ● Relações de Continuidade: ○ Houve progresso material influenciado pela ética da teologia de Calvino ○ O trabalho tem um sentido religioso (Vocação); Sacerdócio universal de todos os santos; ○ As riquezas não são um mal em si mesmo e o modo de vida frugal, moderado e sem ostentação são algumas das características dos grupos puritanos que os ajudaram no progresso material.
  23. 23. Conclusões ● Relações de Descontinuidade: ○ Trabalho: O trabalho para Calvino é diferente do trabalho para Baxter: Para Calvino o trabalho não tem fim último na vida e nem é a própria finalidade. Calvino percebe o trabalho dentro da esperança cristã. ○ Acúmulo de capital: Weber identifica no Calvinismo uma abstração dos grupos puritanos do século XVIII e XIX (Benjamim Franklin). Calvino por exemplo diz que "o fim supremo dos bens que Deus concede a alguém é a ajuda ao pobre"
  24. 24. "Aqueles que têm riquezas, por herança ou por conquista de sua própria indústria e labor, devem lembrar que o excedente não deve ser usado para intemperança ou luxúria, mas para aliviar a necessidade dos irmãos (...) As riquezas que são acumuladas e expensas de nossos irmãos são malditas, e logo perecerão, o seu possuidor será arruinado juntamente com elas" I P A R T E João Calvino, Comentário de 2 Coríntinos. Paracletos, p. 177
  25. 25. Conclusões ● Relações de Descontinuidade: ○ A predestinação: Weber identifica como doutrina central e fundamental do protestantismo-reformado-calvinista. A predestinação corresponde a quase 4% de todo o escrito das Institutas e não ocupa lugar central. Só entrou no último livro e faz parte de uma discussão soteriológica. ○ A ideia de riqueza como sinal de uma pessoa predestinada para a salvação e pobreza como sinal de uma pesssoa predestinada para a condenação é um exagero, um salto e uma distorção do pensamento de Calvino.
  26. 26. "Riquezas e outros confortos mundanos devem ser vistos como propiciando alguma experiência do favor e benevolência divinos, mas não se deduz daí que os pobres sejam objetos do desprazer divino; ter um corpo saudável e boa saúde são bençãos de Deus, porém não devemos conceder que isso constitua prova de que a fraqueza e a enfermidade devam ser consideradas com desaprovação" I P A R T E João Calvino, O livro dos Salmos. Paracletos, p. 458.
  27. 27. Conclusões ● Weber levou em consideração as diferenças entre os diferentes tipos de Calvinismo? O que acontece entre os séculos XVI e XIX? ● O abandono do pensamento de Calvino e a incursão de um pensamento progressista, moderno, secularizado e otimista que traz ao pensamento de algumas sociedades protestantes as conclusões de Weber.

×