Introdução:        O       movimentoPentecostal, no início do Século 20,colocou o livro de Joel em evidência,fazendo com q...
1 – Contexto histórico . Pouco ou quase nada seconhece sobre Joel e a sua época. As escassasinformações baseiam-se em algu...
2 – Posição de Joel no CânonSagrado. A ordem dos ProfetasMenores em nossas versões daBíblia é a mesma do Cânon Judaico eda...
3 – Estrutura e mensagem.  O oráculofoi entregue ao profeta por meio da palavra(1.1). São três capítulos, mas a sua divisã...
1 – Sua personalidade.  OEspírito está presente em toda aBíblia, que o mostra claramentecomo uma pessoa e não comouma     ...
2 – Sua divindade.  O EspíritoSanto é chamado textualmente de“Deus de Israel” (2 Sm 23.2,3). Eleé igual ao Pai e ao Filho ...
3 – Como uma pessoa pode serderramada? Esta e uma das perguntas quealguns grupos religiosos fazem freqüentementecom a fina...
4.          Linguagem          metafórica.  O“derramamento” do Espírito Santo é aexpressão que a Bíblia usa para descrever...
1 – Ponto de partida . A profecia doderramamento do Espírito Santo começou aser cumprida no dia de Pentecostes, quemarcou ...
2    –     Comunicação       divina .    Deusdisponibilizou recursos espirituais paramanter a comunicação com o seu povo p...
1 – Sinais. A profecia de Joel fala aindasobre aparição de sinais em cima no céu eembaixo na terra, de sangue, fogo e colu...
2 – Etapas. O primeiro advento deCristo e o derramamento do EspíritoSanto são eventos introdutórios dos“últimos dias” (At ...
3 – Resultado. A vinda do Espírito Santo,além de revestir os crentes em Jesus, resultatambém em salvação a todos os que de...
Conclusão. O derramamento doEspírito Santo inaugura a dispensaçãoda Igreja, que, acompanhado de grandessinais, faz do cris...
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Lição 03   joel - o derramamento do espírito santo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lição 03 joel - o derramamento do espírito santo

1.134 visualizações

Publicada em

Aproveite a oportunidade e acesse o site a seguir mencionado para estudos biblicos e teológicos:

http://www.cpljmartins.blogspot.com

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.134
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 03 joel - o derramamento do espírito santo

  1. 1. Introdução: O movimentoPentecostal, no início do Século 20,colocou o livro de Joel em evidência,fazendo com que ele fosse conhecidocomo o “profeta pentecostal”. Apesardisso, o anúncio da descida doEspírito Santo não é o temapredominante de seus oráculos. Amaior parte de suas profecias fala dapraga da locusta e do julgamento dasnações no fim dos tempos.
  2. 2. 1 – Contexto histórico . Pouco ou quase nada seconhece sobre Joel e a sua época. As escassasinformações baseiam-se em alguns lampejosextraídos de seu livro. Era profeta de Judá e seu paise chamava Petuel (1.1). Isso é tudo o que sabemosde sua vida pessoal. Nenhum rei é mencionado emseu livro, dificultando a contextualização histórica. Eleé anterior a todos os profetas literários, pois tem-secomo certo que escreveu suas profecias em 835 a.CTrata-se da época em que Judá estava sob a regênciade Joiada durante a infância de Joás (2 Cr 23.16-21). Isso explica a influência e a presença significativados sacerdotes no governo de Judá (Jl 1.9,13;2.17). O templo estava em pleno funcionamento (Jl1.9,13,14).
  3. 3. 2 – Posição de Joel no CânonSagrado. A ordem dos ProfetasMenores em nossas versões daBíblia é a mesma do Cânon Judaico eda Vulgata Latina, mas não écronológica. Joel é o segundo livro,situado entre Oseias e Amós, mas naSeptuaginta há uma diferença naordem dos primeiros seis livros:Oséias, Amós, Miquéias, Joel,Obadias, Jonas.
  4. 4. 3 – Estrutura e mensagem.  O oráculofoi entregue ao profeta por meio da palavra(1.1). São três capítulos, mas a sua divisãona Bíblia Hebraica é diferente: lá temosquatro capítulos, pois o trecho 2.28-32equivale ao capítulo três, com cincoversículos, e o conteúdo do capítulo quatroé exatamente o mesmo do nosso capítulotrês. São dois os temas principais: a pragada locusta (1.1 - 2.27) e os eventos do fimdos tempos (2.28 – 3.21). O assunto dolivro é escatológico, com ameaças epromessas.
  5. 5. 1 – Sua personalidade.  OEspírito está presente em toda aBíblia, que o mostra claramentecomo uma pessoa e não comouma mera influência.  Ele éinteligente (Rm 8.27), tememoções (Ef 4.30) e vontade (At16.6-11; 1 Co 12.11 ). Háabundantes provas bíblicas de suapersonalidade.
  6. 6. 2 – Sua divindade.  O EspíritoSanto é chamado textualmente de“Deus de Israel” (2 Sm 23.2,3). Eleé igual ao Pai e ao Filho em poder,glória e majestade. Na declaraçãobatismal, somos batizados tambémem seu nome (Mt 28.19; Ef 4.4-6).Isso significa que o Espírito Santo éobjeto da nossa fé e da nossaadoração. Ele é tudo o que Deus é (1Co 2.10,11).
  7. 7. 3 – Como uma pessoa pode serderramada? Esta e uma das perguntas quealguns grupos religiosos fazem freqüentementecom a finalidade de “provar” que o EspíritoSanto não é Deus nem uma pessoa. Aqui, porduas vezes a palavra profética afirma“derramarei o meu Espírito” (2.28,29), o que ératificado em o Novo Testamento (At 2.17,18).Ao longo da história, a divindade do EspíritoSanto sempre encontrou oposição. Após oConcílio de Niceia, surgiram ospneumatomachoi (“opositores do Espírito”) que,liderados por Eustáquio de Sebaste (300-380),não aceitavam a divindade do Espírito Santo.
  8. 8. 4. Linguagem metafórica.  O“derramamento” do Espírito Santo é aexpressão que a Bíblia usa para descrever orevestimento de alguém com o poder domesmo Espírito. Trata-se de uma metáfora,figura que “consiste na transferência de umtermo para uma esfera de significação que nãoé a sua, em virtude de uma comparaçãoimplícita” (Gramática Rocha Lima).Simbolizada pela água, o Espírito Santo lava,purifica e refrigera como reflexo de suasmúltiplas operações (Is 44.3; Jo 7.37-39;Tt 3.5).
  9. 9. 1 – Ponto de partida . A profecia doderramamento do Espírito Santo começou aser cumprida no dia de Pentecostes, quemarcou a inauguração da Igreja (At 2.16). Oapóstolo Pedro empregou apropriadamente aexpressão “nos últimos dias” (At 2.17) nolugar de “depois” (Jl 2.28a).Não faz sentido algum, por conseguinte,afirmar que a efusão do Espírito Santo foiapenas para a Era Apostólica; antes, pelocontrário, começou com os apóstolos econtinua em nossos dias. Era o ponto departida, e não de chegada.
  10. 10. 2 – Comunicação divina . Deusdisponibilizou recursos espirituais paramanter a comunicação com o seu povo pormeio de sonhos, visões e profecias,independentemente de idade, sexo e posiçãosocial (2.28b,29). Todavia, cabe-nosressaltar que somente a Bíblia é a autoridadedivina e definitiva na terra. Quanto aossonhos, visões e profecias, são-nosconcedidos para a edificação individual, enão podem ser usados para fundamentardoutrinas. A Bíblia Sagrada é a nossa únicaregra de fé e prática.
  11. 11. 1 – Sinais. A profecia de Joel fala aindasobre aparição de sinais em cima no céu eembaixo na terra, de sangue, fogo e coluna defumaça, do sol convertendo-se em trevas e dalua tornando-se sangue (2.30,31). Sãomanifestações teofânicas de Jeová pararevelar a si mesmo e também para executarjuízo sobre o pecado (Êx 19. 18; Ap 8.7).Tudo isso o apóstolo Pedro citouintegralmente em sua pregação (At 2.19,20).É de se notar que tais manifestações nãoforam vistas por ocasião do Pentecostes. Aexplicação é que se trata do começo dos“últimos dias”.
  12. 12. 2 – Etapas. O primeiro advento deCristo e o derramamento do EspíritoSanto são eventos introdutórios dos“últimos dias” (At 2.17). Os sinaiscósmicos acompanhados de fogo,coluna de fumaça etc., ausentes no diade Pentecostes, dizem respeito àGrande Tribulação, no epílogo dahistória, “antes que venha o grande eterrível dia do Senhor” (Jl 2.31; At2.20).
  13. 13. 3 – Resultado. A vinda do Espírito Santo,além de revestir os crentes em Jesus, resultatambém em salvação a todos os que desejamencontrar a vida eterna. O apóstolo Pedrotermina a citação de Joel com estas palavra:“Todo aquele que invocar o nome do Senhorserá salvo” (At 2.21). O nome “SENHOR”,com letras maiúsculas, indica na BíbliaHebraica a presença do tetragrama YHWH (asquatro consoantes do nome divino “Yahweh,Javé, Yehovah, Jeová”). O apóstolo Paulocitou essa passagem referindo-se a Jesus, eafirmando que o Meigo Nazareno é o mesmogrande Deus Jeová de Israel (Rm 10.13).
  14. 14. Conclusão. O derramamento doEspírito Santo inaugura a dispensaçãoda Igreja, que, acompanhado de grandessinais, faz do cristianismo uma religiãosui generis. A Igreja continua recebendoo poder do alto e prossegue anunciandoa salvação a todos os povos. Nisso,vemos a múltipla operação do EspíritoSanto, revestindo de poder os crentesem Jesus e convencendo o pecador deseus pecados (At 1.8; Jo 16.7-11).

×