Generos Textuais

13.984 visualizações

Publicada em

Alguns generos textuais que aparecem no vestibular uem.

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.984
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
231
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Generos Textuais

  1. 1. Gêneros Textuais Universidade Estadual de Maringá<br />Juliano Ortiz<br />
  2. 2. Esse Slide tem o intuito de ajudar e orientar algumas pessoas que têm dificuldades ou desconheça os gêneros textuais solicitados para o vestibular da UEM – Universidade Estadual de Maringá<br />*Esse slide não tem nenhum vinculo com a instituição, é um material pessoal o qual eu escolhi compartilhar com a finalidade de ajudar algumas pessoas destinadas ou não a fazer o concurso.<br />(Crédito das informações para o colégio Nobel Maringá)<br />Desde já, Obrigado.<br />Juliano Ortiz<br />1<br />
  3. 3. Resposta Argumentativa<br />A resposta argumentativa é um gênero textual que tem como local de circulação a sala de aula e é base para outros gêneros tais como artigo de opinião e carta do leitor, por trabalhar com argumentação. Faz-se uma pergunta, que o aluno deve responder por meio de uma seqüência dissertativo-argumentativa em que se exponha uma tese, comprovando-a com fatos, dados, citações, pesquisas e, posteriormente, exemplificando os argumentos de modo a convencer o leitor.<br />Para fazer uma boa resposta argumentativa você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li> a resposta argumentativa não deve ter titulo;
  4. 4. identificar as informações principais do texto;
  5. 5. escolher as informações que respondem ao comando (seleção);
  6. 6. apresentar a afirmação inicial de sua argumentação (tópico frasal);
  7. 7. retomar a pergunta (temática);
  8. 8. apresentar argumentos que sustentem a afirmação inicial da proposta (justificativa);
  9. 9. comprovar os argumentos, por meio de exemplos, comparações, citações de autoridade, dados estatísticos etc.;
  10. 10. usar linguagem formal;
  11. 11. utilizar a 3ª pessoa.</li></ul>2<br />
  12. 12. Resposta Interpretativa<br /> É um gênero artificial, criado justamente para a circulação em sala de aula; é a relação estabelecida entre informações retiradas do texto de apoio e a interpretação destas de modo coerente.<br />Para fazer uma boa resposta interpretativa você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li> a resposta interpretativa não deve ter titulo;
  13. 13. compreensão da temática e das idéias principais do texto de apoio fornecido pela banca;
  14. 14. relacionamento das informações do texto de apoio;
  15. 15. interpretação da informação solicitada no comando, por meio de inferências textuais;
  16. 16. utilize seu conhecimento de mundo , de modo coerente, para expandir a interpretação da informação solicitada, mas sem fugir ao tema proposto! ;
  17. 17. organização do texto da resposta ( colocar as idéias em uma ordem correta e coerente )</li></ul>3<br />
  18. 18. Reportagem<br />Texto jornalístico (escrito, filmado, televisionado), que é veiculado por órgãos da imprensa, resultado de uma atividade jornalística que basicamente consiste em adquirir informações sobre determinado assunto ou acontecimento para transformá-las em texto de caráter informativo, geralmente mais longo do que a noticia, com ingredientes críticos. Fórmula Básica: 3Q + O + C + (Quem, O Que , Quando , Onde , Como e Porque) , Lembrando que muitas pessoas confundem reportagem com noticia, sendo que noticia trabalha fato e reportagem trabalha o tema.<br />Para fazer uma boa reportagem você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li> uso coerente de parágrafos;
  19. 19. se o tema permitir, sugerir uma solução, aplicável e coerente, para o problema levantando ao longo da reportagem (consumo de drogas , álcool, de cigarros , por exemplo );
  20. 20. pode conter julgamentos de valor e/ou opiniões;
  21. 21. ainda no corpo da reportagem, utilizar dados estatísticos para comprovar as informações reunidas sobre o tema, bem como utilizar discursos diretos e indiretos de autoridades e/ou especialistas no assunto, de modo a conferir ao texto credibilidade;
  22. 22. presença obrigatória de manchete e submanchete
  23. 23. no parágrafo de abertura, contextualizar o tema da reportagem, geralmente a partir de sua explicação ou de sua definição;
  24. 24. nos parágrafos seguintes, reunir informações abrangentes sobre o tema, de modo a informar o leitor sobre ele (pode-se trabalhar com causa e conseqüência por exemplo); </li></ul>4<br />
  25. 25. Noticia<br />Também é um texto jornalístico ( escrito, filmado,televisionado), que é veiculado por órgãos da imprensa , resultado de uma atividade jornalística que basicamente consiste em adquirir informações sobre determinado assunto ou acontecimento para transforma-las em noticiario. O resultado é uma noticia, sem que se opine sobre o fatos. Fórmula Básica: 3Q+O+C+P (Lembrando mais uma vez que noticia trabalha fato e reportagem trabalha tema.<br />Para fazer uma boa noticia você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li>manchete expondo o fato ( o que );
  26. 26. submanchete facultativa, expandindo a manchete;
  27. 27. no parágrafo de abertura (lide), colocar as informações essenciais, identificadas pela fórmula básica: 3Q+O+C+P ;
  28. 28. no segundo parágrafo (corpo da noticia ) desenvolver melhor o por quê e o como, podendo utilizar discurso direto e indireto;
  29. 29. não pode conter julgamentos de valor e/ou opiniões;
  30. 30. não pode conter ironias, metáforas e ambigüidades;
  31. 31. uso coerente da paragrafação.</li></ul>5<br />
  32. 32. Artigo de Opinião<br />Num jornal, revista ou periódico, texto de opinião, em que predominam seqüências dissertativo-argumentativas, trazendo a interpretação do autor sobre um fato ou tema variado (político, cultural , científico) <br />Para fazer um bom artigo de opinião você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li>título criativo, colocado na primeira linha;
  33. 33. divida em parágrafos, mas nunca em 3, para não ser confundido com a dissertação;
  34. 34. permite coloquialidade e pessoalidade;
  35. 35. a tese deve ficar explicita e ser comprovada com argumentos sólidos e coerentes;
  36. 36. uso de figuras de linguagem, de ironia e de pontuação diferenciada revelam as marcas autorais;
  37. 37. e o mais importante faça uma introdução criativa, por meio de perguntas, de citações ou de ditados. De modo algum comece seu artigo com estruturas engessadas, típicas da dissertação!! </li></ul>6<br />
  38. 38. Conto<br />Narrativa curta; flagrante de um episódio ou de um acontecimento de modo a deixar o leitor em suspense; conflito surpreendente, bem como o desfecho. Unidade de ação, de tempo e de espaço.<br />Para fazer um bom conto você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li> titulo curto, de preferência sem revelar o conteúdo da narrativa;
  39. 39. enredo pode ser simplificado;
  40. 40. personagens podem ser redondos, desde que todas as informações sobre eles relacionem-se diretamente com o conflito e desfecho;
  41. 41. evitar descrições e adjetivações em excesso;
  42. 42. trabalhar bem o conflito, de modo a criar uma expectativa no leitor e suspense no desfecho;
  43. 43. Esquema para seguir: situação inicial, nó , conflito e resolução (desfecho)</li></ul>7<br />
  44. 44. Fábula<br />A fabula é uma narrativa figurada, na qual as personagens são geralmente animais que possuem características humanas, mas podem ser encontradas fábulas protagonizadas por homens, plantas e objetos. A moral da história é, geralmente, uma frase que o contador ou escritor coloca ao final da fábula, logo depois que conta o problema vivido pelas personagens. Normalmente , aparece isolada do texto, constatada na conclusão da historia ou ao longo da história.<br />Para fazer uma boa fábula você deve seguir os seguintes passos <br /><ul><li>titulo curto;
  45. 45. enredo simplificado;
  46. 46. personagens planos, geralmente com característica única, que se relaciona diretamente ao conflito;
  47. 47. o desfecho é uma demonstração explicita da moral;
  48. 48. Esquema para seguir: situação inicial,nó,conflito e resolução;
  49. 49. exemplos de conflitos para uma fábula são: alguém querer enganar o outro para conseguir algo, a personagem faz alguma coisa que causa prejuízo a ela mesma , conflito entre o querer e o poder ou conseguir fazer algo etc...</li></ul>8<br />
  50. 50. Resumo<br />É a redução de um texto qualquer, mantendo-se seu conteúdo de forma concisa e coerente, sem utilização de marcas pessoais, informações extras nem julgamentos de valor. As informações em caso de resumo de coletânea, devem vir articuladas por mecanismos coesivos; em resumos de uma só fonte, citar nome do autor, titulo do texto e veículo de publicação.<br />Para fazer um bom resumo você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li>não tem titulo;
  51. 51. selecionar as informações essenciais do texto de apoio;
  52. 52. organizá-las coerentemente, procurando manter a cronologia do texto original;
  53. 53. marcar a temática logo no inicio, bem como as fontes;
  54. 54. articular as informações com mecanismos coesivos;
  55. 55. não acrescentar informações, tampouco opinar sobre o tema;
  56. 56. usar 3ª pessoa;
  57. 57. No caso de coletânea Leia-a, selecionando as informações principais de acordo com a relevancia (tema);
  58. 58. reorganize as informações, levando em conta que o leitor não teve acesso ao texto;
  59. 59. articule as informações com mecanismos coesivos adequados;
  60. 60. faça sempre um rascunho antes e nunca se esqueça de citar todas as fontes;
  61. 61. releia seu texto, verificando se conseguiu relacionar as informações e transformá-las em um texto e não em um mero apanhado de informações sem qualquer ligação entre si. Não se esqueça de marcar a conclusão.</li></ul>9<br />
  62. 62. Texto Instrucional<br />Orientação, explicação, regra, prescrição de como usar algo, de como agir, de como executar uma tarefa, de como jogar etc. Embalagens, manuais de instrução, bula, folhetos informativos são geralmente portadores desses textos instrucionais. Ações objetivas para atingir determinado objetivo. <br />Para fazer um bom texto instrucional você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li> titulo simples e objetivo (Ex: Como fazer Arroz, etc...);
  63. 63. linguagem denotativa e acessível;
  64. 64. preferência por verbos no modo imperativo, estabelecendo contato com o leitor;
  65. 65. preferência pelo modo dissertativo e não pela escrita em tópicos;
  66. 66. mecanismos coesivos seqüenciais, articulando as dicas;
  67. 67. escolha de poucas e criativas dicas, justificando todas de modo convincente;
  68. 68. Estrutura a se seguir : Tema + objetivos do texto + mecanismos coesivos + parte das dicas + justificativas
  69. 69. ou também Mecanismo coesivo + restante das dicas + justificativa + conclusão retomando o objetivo.</li></ul>10<br />
  70. 70. Relato<br />Narração não ficcional escrita ou oral sobre um acontecimento ou fato acontecido, feita geralmente usando-se o pretérito ; marcações seqüenciais cronológicas (começo, meio e fim de uma ação passada) .<br />Para se fazer um bom relato você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li>titulo simples;
  71. 71. narração de acontecimentos em seqüência lógica e cronológica (não faça idas e vindas no texto; estabeleça um ponto de partida e um ponto de chegada);
  72. 72. identifique as informações do texto de apoio que podem ser uteis na construção do texto e não as modifique;
  73. 73. a estas informações, acrescente outras, que você deve inventar a partir de seu conhecimento de mundo, mas sempre com verossimilhança;
  74. 74. uso coerente de paragrafação;
  75. 75. o comando estabelecerá se o relato deve ser pessoal ( acontecimentos vivenciados – uso de 1ª pessoa) ou noticioso ( acontecimentos presenciados – uso de 3ª pessoa).</li></ul>11<br />
  76. 76. Carta do Leitor<br /> Geralmente é de opinião (argumentativa), circula em jornais e revistas, impressos ou eletrônicos, já que o leitor a envia para manifestar seu ponto de vista sobre o que leu.Não confundi-la com a carta ao leitor (editorial)<br />Para fazer uma boa carta do leitor você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li>pressupõe a estrutura básica das cartas argumentativas: Local, data, vocativo; contextualização + socialização + objetivo da carta + tema. Argumentação + explicação + comprovação; ou retomada do vocativo + argumentação + comprovação.
  77. 77. Reforçar o objetivo da carta;
  78. 78. Despedida;
  79. 79. Assinatura.</li></ul>12<br />
  80. 80. Carta de Reclamação<br />É enviada com a finalidade de reclamar de algo (um serviço, um produto adquirido e que apresenta defeito, entre outros motivos);possui as mesmas marcações textuais das outras cartas argumentativas.<br />Para se fazer uma boa carta de reclamação você deve seguir os seguintes passos:<br /><ul><li> Local, data;
  81. 81. vocativo , contextualização (do que reclama? Sua reclamação se justifica?) + socialização + objetivo da carta (o que pretende com a carta: trocar o produto/receber o dinheiro de volta/pedir solução para o problema apresentado?) + tema;
  82. 82. argumentação + explicação + comprovação;
  83. 83. reforço do objetivo da carta;
  84. 84. despedida;
  85. 85. assinatura.</li></ul>13<br />

×