Universidade Federal de     Mato Grosso do Sul
Mestranda: Juliana da Costa FelizOrientadora: Profª. Drª. Eluiza B. Ghizzi
A cada 15 segundos uma mulher é espancada no Brasil (Instituto Patrícia Galvão); 10% das brasileiras (área urbana) e 14%...
 De cada 5 mulheres do mundo, uma será vítima ou sofrerá uma tentativa de estupro até o fim de sua vida (Anistia Internac...
 Têm   raízes bastante antigas:    Adão e Eva, óleo sobre tela, Lucas Cranach, 1531, Berlim
 No mito da criação, o homem foi criado por  Deus à sua imagem e semelhança e a  mulher surgiu a partir de uma costela  r...
 Segundo  Muraro (2000), depois do Gênesis:  “A mulher será definida por sua  sexualidade, e o homem, pelo seu  trabalho....
 Na  Idade Média esses argumentos foram  usados pelos inquisidores para “satanizar” a  sexualidade e a mulher – ferrament...
 As “bruxas” tinham poderes: copulavam com o  demônio, eram culpadas pela infertilidade,  pela impotência masculina, prat...
A  Santa Inquisição durou 4 séc. (XIV ao XVIII); Levou à tortura e à morte milhares de  mulheres por bruxaria. Dois séc...
 Seção  diária que ocupava a metade da oitava  página do jornal Primeira Hora, dentro da  editoria de Polícia; Apresenta...
 Circulação: diária, Campo Grande e interior; Período: 1999 a 2006 (07 anos); Jornalismo Policial e sensacionalista; N...
SITUAÇÕES BIZARRAS: 4 de outubro, 2005
 Características similares ao Primeira Hora; Circulação: diária, São Paulo; Período: 1963 a 2001 (38 anos); Jornalismo...
12 de outubro, 1977   28 de agosto, 1971
 Observação da incidência de textos jornalísticos sobre violência sexual contra a mulher na mesma página da Garota da Hor...
 Desenvolver uma análise sobre a posição que a figura feminina ocupa na oitava página do Primeira Hora a partir da relaçã...
A   relação na composição da página entre:     textos imagéticos (Garota da Hora) e     textos linguísticos (notícias pol...
 Selecionadas13 edições do Primeira Hora que apresentavam a relação Garota da Hora e matérias sobre violência sexual cont...
A   página oito das 265 edições de 2005: 100%  - Garota da Hora; 64,15% - pelo menos uma matéria sobre  violência contr...
29 de janeiro de 2005   19 de fevereiro de 2005
9 de março de 2005   9 de abril de 2005
18 de maio de 2005   14 de junho de 2005
8 de julho de 2005   30 de agosto de 2005
15 de setembro de 2005   21 de outubro de 2005
11 de novembro de 2005   06 de dezembro de 2005
19 de junho de 2006
 Base teórica e metodológica: a semiótica  desenvolvida por Charles Sanders Peirce (1839-  1914), matemático, cientista, ...
 Identificare descrever os elementos que compõem cada uma das mensagens, e sua natureza sígnica, destacando a fotografia ...
 Analisar os prováveis significados, conceitos, ideias e valores transmitidos aos leitores do jornal por meio da associaç...
 Avaliarse a suposta associação se justifica no modo como a fotografia e os textos jornalísticos estão organizados na pág...
 NOTÍCIAS: narram que as vítimas estavam sozinhas na rua durante a noite:              (...) o estupro aconteceu por volt...
A relação sugere que a mulher facilita para que o homem cometa a violência sexual; Remete   à expressões da linguagem co...
 Indica que a mulher também é a culpada  pelo crime cometido pelo homem, já que o  incitou e favoreceu o estupro; De vít...
O  homem que comete violência sexual contra  uma mulher, e é descoberto, pode ser  julgado e condenado à prisão; BÍBLIA:...
 Obras  de cunho histórico e religioso, mas  era a Igreja quem ditava as leis e definia os  princípios éticos e morais; ...
 NOTÍCIAS:  nenhuma mulher teve seu nome  ou fotografia revelados, por preservação da  imagem da vítima; GAROTA DA HORA:...
 NOTÍCIAS:  as notícias de violência sexual  aconteceram realmente, pois o Jornalismo  trabalha com fatos reais; GAROTA ...
 Perpassa  as duas seções da página: NOTÍCIAS: o sexo é associado à violência, ao  crime, a impulsividade e aos instinto...
 Essa mensagem tende a ser mais claramente  definida na mente do leitor que carrega os  valores culturais do machismo, os...
A  sensualidade do corpo da mulher passa a  ser um dos motivos da culpa pela violência  sofrida e a causa de ser represen...
O  homem que cai em tentação passa de  algoz à vítima da mulher, já que após  deixar-se seduzir, corre o risco de ser  de...
A “Eva” de Zorra Total narevista Playboy (janeiro, 2006)
 BARTHES,    R. A câmara clara. Rio de Janeiro:  Nova Fronteira, 1984. CAMPOS, C. Jr. [et al.]. Nada mais que a  verdade...
 KRAMER,   H. e SPRENGER, J. O Martelo das  Feiticeiras. 14 ed. Rio de Janeiro: Rosa dos  Tempos, 2000. MORRIS, D. Você:...
 MURARO,   R. Textos da Fogueira. Brasília:  Letraviva, 2000. MURARO, R. e BOFF, L. Feminino e  Masculino: uma nova cons...
 SANTAELLA,   L. e NÖTH, W. Imagem:  cognição, semiótica, mídia. São Paulo:  Iluminuras, 20 SANTAELLA, L. Semiótica Apli...
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Análise Semiótica
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Análise Semiótica

1.286 visualizações

Publicada em

Defesa de Mestrado da Profa. Juliana da Costa Feliz, Mestrado em Estudos de Linguagens - Linguística e Semiótica (UFMS), Campo Grande - MS, 2008.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.286
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise Semiótica

  1. 1. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  2. 2. Mestranda: Juliana da Costa FelizOrientadora: Profª. Drª. Eluiza B. Ghizzi
  3. 3. A cada 15 segundos uma mulher é espancada no Brasil (Instituto Patrícia Galvão); 10% das brasileiras (área urbana) e 14% (área rural) já foram forçadas a manter relações sexuais ou a realizar práticas sexuais degradantes ou humilhantes, por medo do que o parceiro pudesse cometer (Organização Mundial da Saúde);
  4. 4.  De cada 5 mulheres do mundo, uma será vítima ou sofrerá uma tentativa de estupro até o fim de sua vida (Anistia Internacional).A incidência de estupros no Brasil é alta, chegando a 15 mil registros por ano, (Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher, 2005) Somente em 1990 que o estupro passou a ser considerado crime hediondo no Brasil.
  5. 5.  Têm raízes bastante antigas: Adão e Eva, óleo sobre tela, Lucas Cranach, 1531, Berlim
  6. 6.  No mito da criação, o homem foi criado por Deus à sua imagem e semelhança e a mulher surgiu a partir de uma costela recurva desse primeiro homem, para lhe ser auxiliar; Conforme a Bíblia, a mulher conduziu o homem ao pecado original, à expulsão do paraíso e aos sofrimentos eternos; A mulher é a culpada por comer o fruto proibido e o oferecer ao homem, que também o come, infringindo uma ordem dada por Deus.
  7. 7.  Segundo Muraro (2000), depois do Gênesis: “A mulher será definida por sua sexualidade, e o homem, pelo seu trabalho.” A mulher é vista como tentadora ao homem, aquela que perturba sua relação com a transcendência e que conflitua as relações entre os homens. A mulher é ligada à natureza, à carne, ao sexo e ao prazer, domínios que tem de ser rigorosamente normatizados.
  8. 8.  Na Idade Média esses argumentos foram usados pelos inquisidores para “satanizar” a sexualidade e a mulher – ferramenta do demônio para afastar o homem de Deus; A Igreja relacionou a transgressão sexual à transgressão da fé e puniu a mulher por isso; O Martelo das Feiticeiras (Malleus Maleficarum), publicado em 1484, frades alemães Heinrich Kramer e James Sprenger, era o manual dos inquisidores.
  9. 9.  As “bruxas” tinham poderes: copulavam com o demônio, eram culpadas pela infertilidade, pela impotência masculina, praticavam abortos e cortavam o pênis dos homens para criá-los em ninhos, alimentando-os com alpiste; A obra é considerada a expressão máxima da misoginia na cultura ocidental por construir um discurso em que a mulher é a culpada por todos os males da humanidade e estaria em posição inferior ao homem.
  10. 10. A Santa Inquisição durou 4 séc. (XIV ao XVIII); Levou à tortura e à morte milhares de mulheres por bruxaria. Dois séculos após o fim da Inquisição: a mulher ocidental se vê liberta, menos controle sobre a sexualidade, participação na esfera pública - oposto à antiga forma de opressão e de confinamento no lar; No entanto, nota-se a banalização do corpo feminino e sua exploração nas mídias, na publicidade para a venda de produtos e na pornografia, mercados altamente rentáveis.
  11. 11.  Seção diária que ocupava a metade da oitava página do jornal Primeira Hora, dentro da editoria de Polícia; Apresentava a fotografia de uma mulher nua ou seminua sempre associada a uma frase; Mulheres jovens, atraentes e sensuais; Exibem o próprio corpo; Semelhantes às mulheres de revistas masculinas, como a Playboy; Vestem lingeries, trajes de banho ou fantasias eróticas.
  12. 12.  Circulação: diária, Campo Grande e interior; Período: 1999 a 2006 (07 anos); Jornalismo Policial e sensacionalista; Notícias de acidentes, homicídios, suicídios, situações bizarras e inusitadas; As capas destacavam sempre fotografias de pessoas mortas; Manchetes com tom jocoso destacando o motivo ou a forma que ocorreu a morte.
  13. 13. SITUAÇÕES BIZARRAS: 4 de outubro, 2005
  14. 14.  Características similares ao Primeira Hora; Circulação: diária, São Paulo; Período: 1963 a 2001 (38 anos); Jornalismo Policial e sensacionalista; Noticiava situações bizarras, inusitadas, crimes e mortes violentas; Conhecido com “espreme que sai sangue”; Manchetes com tom jocoso e fantasioso.
  15. 15. 12 de outubro, 1977 28 de agosto, 1971
  16. 16.  Observação da incidência de textos jornalísticos sobre violência sexual contra a mulher na mesma página da Garota da Hora;A constatação despertou o interesse em identificar as possíveis mensagens transmitidas aos leitores do jornal a partir dessa relação.
  17. 17.  Desenvolver uma análise sobre a posição que a figura feminina ocupa na oitava página do Primeira Hora a partir da relação entre a fotografia da Garota da Hora e as notícias de violência sexual contra a mulher.
  18. 18. A relação na composição da página entre: textos imagéticos (Garota da Hora) e textos linguísticos (notícias policiais) denota uma mulher entendida como objeto sexual e, por isso, geradora de conflitos sociais, além de ser colocada como culpada por ter provocado a violência, ao invés da posição de vítima.
  19. 19.  Selecionadas13 edições do Primeira Hora que apresentavam a relação Garota da Hora e matérias sobre violência sexual contra a mulher na oitava página: 2005 – doze edições (uma de cada mês) 2006 – uma edição (que evidencia a relação)
  20. 20. A página oito das 265 edições de 2005: 100% - Garota da Hora; 64,15% - pelo menos uma matéria sobre violência contra a mulher; Dessas, 20% - violência sexual (estupro, tentativa de estupro, atentado violento ao pudor e abuso sexual de meninas) 35,85% - homens eram agentes e vítimas de violência.
  21. 21. 29 de janeiro de 2005 19 de fevereiro de 2005
  22. 22. 9 de março de 2005 9 de abril de 2005
  23. 23. 18 de maio de 2005 14 de junho de 2005
  24. 24. 8 de julho de 2005 30 de agosto de 2005
  25. 25. 15 de setembro de 2005 21 de outubro de 2005
  26. 26. 11 de novembro de 2005 06 de dezembro de 2005
  27. 27. 19 de junho de 2006
  28. 28.  Base teórica e metodológica: a semiótica desenvolvida por Charles Sanders Peirce (1839- 1914), matemático, cientista, lógico e filósofo norte-americano; A metodologia de análise baseou-se nos três pontos de vista fundamentais e complementares propostos por Peirce, que explicitam o potencial comunicativo do signo: 1) O fundamento do signo – o ponto de vista qualitativo-icônico; 2) O poder sugestivo, indicativo e representativo do signo – o ponto de vista singular-indicativo; e 3) O nível interpretativo do signo – o ponto de vista convencional-simbólico.
  29. 29.  Identificare descrever os elementos que compõem cada uma das mensagens, e sua natureza sígnica, destacando a fotografia e a frase relacionada da seção Garota da Hora, bem como as manchetes das notícias de violência contra a mulher;
  30. 30.  Analisar os prováveis significados, conceitos, ideias e valores transmitidos aos leitores do jornal por meio da associação entre a seção Garota da Hora e as manchetes sobre violência sexual na composição da página;
  31. 31.  Avaliarse a suposta associação se justifica no modo como a fotografia e os textos jornalísticos estão organizados na página.
  32. 32.  NOTÍCIAS: narram que as vítimas estavam sozinhas na rua durante a noite: (...) o estupro aconteceu por volta das duas da madrugada, quando a vítima retornava de uma festa. O tarado a atacou no caminho e a estuprou (...) (PH, 29/01/2005) GAROTA DA HORA: mulher sozinha que deixa o corpo à mostra e se exibe de forma sedutora e provocativa;
  33. 33. A relação sugere que a mulher facilita para que o homem cometa a violência sexual; Remete à expressões da linguagem cotidiana: “Sozinha a essa hora da noite, foi ela quem procurou” “Vestindo-se assim, estava pedindo para que acontecesse”
  34. 34.  Indica que a mulher também é a culpada pelo crime cometido pelo homem, já que o incitou e favoreceu o estupro; De vítima, a mulher passa a ser vista como sedutora e perigosa, levando o homem a transgredir as leis; O homem, que antes era visto como agente de violência, tem essa imagem atenuada e passa a ser co-responsável de uma situação em que a mulher o colocou.
  35. 35. O homem que comete violência sexual contra uma mulher, e é descoberto, pode ser julgado e condenado à prisão; BÍBLIA: a mulher é um ser falho, secundário, que seduz o homem pelas vias do sexo e o induz a cometer o “pecado”, sendo o mesmo descoberto, julgado e condenado; MARTELO DAS FEITICEIRAS: recupera esses valores e agrega a “satanização” do feminino e a culpa da mulher por diversos males da humanidade.
  36. 36.  Obras de cunho histórico e religioso, mas era a Igreja quem ditava as leis e definia os princípios éticos e morais; As ideias disseminadas por essas obras ainda repercutem na sociedade; Hoje temos outras esferas de poder que transmitem valores e conceitos, como os meios de comunicação de massa, que influenciam, reforçam preconceitos e estereótipos, formam pensamentos e opiniões e julgam a conduta e os costumes humanos.
  37. 37.  NOTÍCIAS: nenhuma mulher teve seu nome ou fotografia revelados, por preservação da imagem da vítima; GAROTA DA HORA: aparece com nome e sobrenome (fictícios) e com a fotografia ocupando a metade da página; Fatores complementares podem gerar a ideia de serem a mesma mulher, como uma fotografia que ilustra a matéria; Essa mensagem é transmitida ao leitor de maneira implícita ou mesmo subliminar, sem que o mesmo perceba essa influência.
  38. 38.  NOTÍCIAS: as notícias de violência sexual aconteceram realmente, pois o Jornalismo trabalha com fatos reais; GAROTA DA HORA: é uma mulher real, que existe ou existiu naquele tempo e espaço em que foi fotografada. As duas são reais, com características semelhantes e complementares; A mensagem final passa a ser única, relacionando-as na composição da página.
  39. 39.  Perpassa as duas seções da página: NOTÍCIAS: o sexo é associado à violência, ao crime, a impulsividade e aos instintos; GAROTA DA HORA: o sexo é relacionado à sedução, ao prazer, ao erotismo, à fantasia sexual e à luxúria; A página carrega em si as ideias e os valores do prazer sensual, do crime motivado pelos instintos humanos, da impunidade, da mulher com função exclusivamente sexual para proporcionar prazer ao homem.
  40. 40.  Essa mensagem tende a ser mais claramente definida na mente do leitor que carrega os valores culturais do machismo, os quais são predominantes na sociedade; O homem não pode resistir a uma mulher quando ela é atraente e se oferece para ter com ele momentos de prazer e sensualidade. Quando se nega, ou não cumpre essa exigência com virilidade, o mesmo corre o risco de ser interpretado como homossexual, tendo sua masculinidade colocada em dúvida.
  41. 41. A sensualidade do corpo da mulher passa a ser um dos motivos da culpa pela violência sofrida e a causa de ser representada com a função primeira de proporcionar prazer ao homem. A imagem da mulher é a de um ser persuasivo, desejado, perigoso, sensual e provocador, que tem a capacidade de fazer o homem perder a lucidez e o equilíbrio e que usa todo o seu poder de sedução para enfeitiçar os homens, conduzindo-os à transgressão social;
  42. 42. O homem que cai em tentação passa de algoz à vítima da mulher, já que após deixar-se seduzir, corre o risco de ser descoberto, julgado e condenado à prisão pelo ato facilitado por ela. Por todos esses fatores, essa mulher “bruxa” pode ser comercializada, abusada e explorada, ainda que seja contra a própria vontade.
  43. 43. A “Eva” de Zorra Total narevista Playboy (janeiro, 2006)
  44. 44.  BARTHES, R. A câmara clara. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984. CAMPOS, C. Jr. [et al.]. Nada mais que a verdade: a extraordinária história do jornal Notícias Populares. São Paulo: Carrenho Editorial, 2002. IBRI, I. A. Kósmos Noétos: A Arquitetura metafísica de Charles S. Peirce. São Paulo: Perspectiva; Hólon, 1992. KAYSER, W. O grotesco. Tradução de J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 1986.
  45. 45.  KRAMER, H. e SPRENGER, J. O Martelo das Feiticeiras. 14 ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2000. MORRIS, D. Você: um estudo objetivo do comportamento humano. Círculo do Livro: São Paulo, 1977. MURARO, R. A mulher no terceiro milênio: uma história da mulher através dos tempos e suas perspectivas para o futuro. Rio de Janeiro: Rosa dos Ventos, 1992.
  46. 46.  MURARO, R. Textos da Fogueira. Brasília: Letraviva, 2000. MURARO, R. e BOFF, L. Feminino e Masculino: uma nova consciência para o encontro das diferenças. Rio de Janeiro: Sextante, 2002. NÖTH, W. Panorama da semiótica. De Platão a Peirce. São Paulo: Annablume, 1995. RAMOS, S. e PAIVA, A. Mídia e violência: tendências na cobertura de criminalidade e segurança no Brasil. Rio de Janeiro: IUPERJ, 2007.
  47. 47.  SANTAELLA, L. e NÖTH, W. Imagem: cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Iluminuras, 20 SANTAELLA, L. Semiótica Aplicada. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. _____________. A teoria geral dos signos: semiótica e autogeração. São Paulo: Ática, 1995. Entrevista com Sérgio Cruz, ex-proprietário do jornal Primeira Hora.

×