25/8/2010              Gametogênese               Masculina:               EspermatogêneseProfa. Juliana Elaine PerobelliD...
25/8/2010               Gametogênese Masculina:             EspermatogêneseSequência de eventos pelos quaisse     formam  ...
25/8/2010      Gônadas Masculinas:TESTÍCULOS• Túbulos Seminíferos• Tecido intersticial                                Cord...
25/8/2010                Túbulos Seminíferos• 250 a 1000 túbulos seminíferos por testículo;• Comprimento combinado dos túb...
25/8/2010           Puberdade• As espermatogônias permanecem                                   espermatogôniaquiescentes a...
25/8/2010                                                                  !                                     n    n   ...
25/8/2010Células germinativas mantémpontes citoplasmáticas Sincronização do processoPontes são perdidas no finalda espermi...
25/8/2010                           ESPERMIOGÊNESEProcesso complexo de citodiferenciação                       pelo     qu...
25/8/2010              Estrutura dos espermatozóides                              acrossomo                               ...
25/8/2010                     CÉLULAS DE SERTOLI- NÃO se dividem durante a vidasexual madura;- Nº determina o tamanho dote...
25/8/2010        Citoarquitetura das Células de Sertoli                  Possui numerosas reentrâncias citoplasmáticas ond...
25/8/2010         Funções da célula de SertoliProteção: barreira hematotesticular.                              Junções de...
25/8/2010                                                    Maturação                                                    ...
25/8/2010             Duração da espermatogênese    A duração da espermatogênese é determinada geneticamente,    e varia d...
25/8/2010        CONTROLE HORMONAL                          DA           ESPERMATOGÊNESEO controle hormonal da espermatogê...
25/8/2010A espermatogênese é controlada pelos seguintes hormônios:  Hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH) – secretad...
25/8/2010    Hipófise                                                                 Epitélio seminífero        LH       ...
25/8/2010MECANISMO DE RETROALIMENTAÇÃO ENTRE OS HORMÔNIOS       HIPOTALÂMICOS/HIPOFISÁRIOS/GONADAIS                       ...
25/8/2010   MECANISMO DE RETROALIMENTAÇÃO ENTRE OSHORMÔNIOS HIPOTALÂMICOS/HIPOFISÁRIOS/GONADAIS                           ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Embriologia - Espermatogênese

28.607 visualizações

Publicada em

Gametogênese masculina, embriologia

Publicada em: Educação
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
28.607
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
479
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Embriologia - Espermatogênese

  1. 1. 25/8/2010 Gametogênese Masculina: EspermatogêneseProfa. Juliana Elaine PerobelliDepartamento de MorfologiaUnesp-Botucatu Gametogênese Processo de formação e desenvolvimento de células especializadas para reprodução, os gametas. Durante este processo, o número decromossomos é reduzido pela metade e a forma da célula é alterada. 1
  2. 2. 25/8/2010 Gametogênese Masculina: EspermatogêneseSequência de eventos pelos quaisse formam os gametasmasculinos, os espermatozóides,a partir de células germinativasprecursoras, as espermatogônias. ESPERMATOGÔNIAS ESPERMATOZÓIDES Sistema Reprodutor MasculinoTestículos: produção de espermatozóides e hormônio(testosterona);Epidídimos: maturação e armazenamento dos espermatozóides;Ductos condutores: - intratesticulares: túbulos retos, rede testicular e ductoseferentes; - extratesticulares: ductos deferentes e ducto ejaculador;Glândulas sexuais acessórias (próstata, vesículas seminais eglândulas bulbouretrais): produção de secreções;Pênis: órgão copulatório. 2
  3. 3. 25/8/2010 Gônadas Masculinas:TESTÍCULOS• Túbulos Seminíferos• Tecido intersticial Cordão espermático vasos sanguíneos e nervos túbulos seminíferos cabeça epidídimo ductos eferentes ducto deferente lóbulo Rede septo testicular túnica albugínea Túbulos retos túnica vaginal corpo cavidade da epidídimo cauda túnica vaginal epidídimo Tecido Intersticial • células de Leydig (produtoras de testosterona); •vasos sanguíneos, linfáticos, células do tecido conjuntivo, dentre outras estruturas . 3
  4. 4. 25/8/2010 Túbulos Seminíferos• 250 a 1000 túbulos seminíferos por testículo;• Comprimento combinado dos túbulos de um testículo: 250m;• Formados por um epitélio germinativo: células da linhagem espermatogênica e células de Sertoli; Tecido intersticial Túbulos seminíferos Sptz Origem Embriológica • Migração das células germinativas primordiais - aparecem no início da 4ª semana; - migram na 5ª-6ª semana de desenvolvimento; 4
  5. 5. 25/8/2010 Puberdade• As espermatogônias permanecem espermatogôniaquiescentes até a puberdade, quandopor estímulos hormonais, começam ase dividir para formar os outros tiposcelulares da linhagem espermatogênica. sptz espermátides Células de Leydig espermatócito I Célula de Sertoli Epitélio Germinativo • CÉLULAS GERMINATIVAS - Espermatogônia (2n): multiplicação por mitose - Espermatócito I (2n): sofre meiose I - Espermatócito II (n): resulta da meiose I e sofre meiose II - Espermátide (n): resulta da meiose II e sofre um processo de citodiferenciação -Espermatozóide (n): gameta masculino que se forma pelo processo de citodiferenciação da espermátide - ESPERMIOGÊNESE • CÉLULAS DE SERTOLI 5
  6. 6. 25/8/2010 ! n n n nESPERMATOGÊNESE: PROCESSO CENTRÍPETO E CONTÍNUO espermatogônia membrana basal célula de Sertoli periferia tubular espermatócito I espermatócito II espermátides ponte citoplasmática Luz espermatozóides 6
  7. 7. 25/8/2010Células germinativas mantémpontes citoplasmáticas Sincronização do processoPontes são perdidas no finalda espermiogênese As espermátides transformam-se gradualmente em espermatozóides maduros, através de um processo de diferenciação conhecido como ESPERMIOGÊNESE 7
  8. 8. 25/8/2010 ESPERMIOGÊNESEProcesso complexo de citodiferenciação pelo qual asespermátides formam espermatozóides: - condensação da cromatina; - formação do flagelo e do acrossomo; - perda de citoplasma; - reorganização das mitocôndrias; - etc. Espermiogênese formação do capuz acrossômico e da cauda eliminação de porções decondensação da cromatina citoplasma (restos citoplasmáticos) posicionamento das espermatozóide mitocôndrias na peça intermediária 8
  9. 9. 25/8/2010 Estrutura dos espermatozóides acrossomo cabeça núcleo peça intermediária peça principal cauda peça terminal ACROSSOMOAs enzimas do acrossomo são liberadas quandoos espermatozóides estão próximos do ovócito II. Elas auxiliam a passagem dos espermatozóidespelas células da corona radiata e zona pelúcida. Processo de fertilização 9
  10. 10. 25/8/2010 CÉLULAS DE SERTOLI- NÃO se dividem durante a vidasexual madura;- Nº determina o tamanho dotestículo e a magnitude daprodução espermática;- Extremamente resistentes acondições adversas. células de Sertoli - Núcleos piramidais - Nucléolo evidente 10
  11. 11. 25/8/2010 Citoarquitetura das Células de Sertoli Possui numerosas reentrâncias citoplasmáticas onde se localizam as células germinativas. Funções da célula de SertoliSuporte: sustentação às células da linhagem espermatogênica;Suprimento Nutricional: troca de nutrientes e metabólitos;Fagocitose: durante a espermiogênese, o excesso de citoplasma liberado éfagocitado e digerido pelas células de Sertoli;Secreção: - Fluido testicular - Fator inibidor dos ductos de Müller - Inibina - ABP (proteína ligadora de andrógeno)Coordenação do ciclo do epitélio seminífero: junçõescomunicantes (comunicação iônica e química das células). 11
  12. 12. 25/8/2010 Funções da célula de SertoliProteção: barreira hematotesticular. Junções de oclusão na parede baso-lateral de células de Sertoli adjacentes. Barreira Hemato- testicular 12
  13. 13. 25/8/2010 Maturação dos sptz Aquisição de motilidade e capacidade fértil Armazenamento dos sptz Conservação da capacidade de fertilização durante várias semanasFATORES QUE INTERFEREM NA ESPERMATOGÊNESE - Fatores hormonais - hormônios hipotalâmicos e hipofisários - Temperatura - Deficiências nutricionais - Ação de agentes físicos (radiação), químicos (drogas), biológicos (toxinas), etc. 13
  14. 14. 25/8/2010 Duração da espermatogênese A duração da espermatogênese é determinada geneticamente, e varia de espécie para espécie. Homem 64 dias Bovino 61 dias Macaco Rhesus 42 dias Ovino 47 dias Rato 51,6 dias Suíno 39 dias Coelho 43,6 dias Eqüino 57 dias ! "# Animal Características morfológicas gerais Domésticos cabeça cauda ruminantes bovino ovino caprino Domésticos não-ruminantes$ porco eqüino canino aves 14
  15. 15. 25/8/2010 CONTROLE HORMONAL DA ESPERMATOGÊNESEO controle hormonal da espermatogênese ocorre em 3 níveis: HIPOTÁLAMO ADENO-HIPÓFISE GÔNADAS 15
  16. 16. 25/8/2010A espermatogênese é controlada pelos seguintes hormônios: Hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH) – secretado pelo hipotálamo Gonadotrofinas – secretadas pela adeno-hipófise – (hipófise anterior) LH (Hormônio Luteinizante) FSH (Hormônio Folículo Estimulante) Testosterona– secretada pelas células de Leydig (interstício testicular) No macho, o LH também é conhecido como ICSH (Hormônio Estimulante das Células Intersticiais). Eixo hipotalâmico – hipofisário - testicular " ! 16
  17. 17. 25/8/2010 Hipófise Epitélio seminífero LH Leydig Tecido intersticial testosterona circulação sanguínea maturação das células germinativas diversas regiões do corpo Hipófise FSH ) "- Encontra receptores nas Células de Sertoli,que sob sua influência produzem uma $% & ( &proteína ligadora de andrógenos, o ABP, queretém a testosterona nos túbulos seminíferos.- Estimula a meiose nos espermatócitos I. #- Estimula espermiogênese. 17
  18. 18. 25/8/2010MECANISMO DE RETROALIMENTAÇÃO ENTRE OS HORMÔNIOS HIPOTALÂMICOS/HIPOFISÁRIOS/GONADAIS hipotálamo hipófise testosterona Mecanismo de retroalimentação (ou feedback) negativo LH FSH C. de Sertoli *MECANISMO DE RETROALIMENTAÇÃO ENTRE OS HORMÔNIOS HIPOTALÂMICOS/HIPOFISÁRIOS/GONADAIS hipotálamo hipófise Inibina FSH LH C. de sertoli + 18
  19. 19. 25/8/2010 MECANISMO DE RETROALIMENTAÇÃO ENTRE OSHORMÔNIOS HIPOTALÂMICOS/HIPOFISÁRIOS/GONADAIS GnRH LH FSH inibina 19

×