Literacia informacional_plágio

231 visualizações

Publicada em

Literacia digital_ informacional

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
231
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Literacia informacional_plágio

  1. 1. C&C, que mal é que tem ? Até mudei as palavras… Algumas realidades sobre a vida escolar/académica: Num estudo realizado com milhares de alunos, concluiu-se que: • 80% dos alunos do ensino secundário admitem já ter copiado, pelo menos uma vez • 50% de 1800 estudantes em universidades de nove estados (USA) copiaram várias frases de um site sem citar as fontes. • Mais de dois terços de 2100 estudantes de 21 campus universitários copiaram ou plagiaram trabalhos feitos por outros estudantes • 15% dos estudantes universitários admite obter documentos de cestos dos papéis ou websites • 50% dos estudantes universitários questionados pela Universidade de Rutgers não veem nada de errado com o plágio. • 90% dos estudantes acreditam que os plagiadores nunca são apanhados ou nunca foram castigados.
  2. 2. Conselhos para prevenir o Plágio  Identifica e avalia as fontes de informação .  Cita sempre os autores.  Todas as ideias , inferências e imagens que não sejam tuas devem ser atribuídas ao autor.  Não te desculpes pela falta de cuidado. Pede ajuda ao teu professor na síntese ou paráfrase das ideias.  Aprende as leis do copyright ©, dos direitos de autor e da propriedade intelectual.  Manta de retalhos de C&P é e-Plágio. Isso é “fazer batota” !  O Plágio retira-te honra e valor. Não deites a perder a tua reputação. Gere o teu tempo. Escrever é pensar – sê criativo e original
  3. 3. Como fazer um trabalho? Conhecer As etapas de um processo de pesquisa da informação 1-Delimitar o assunto 2-Localizar a informação/fontes 3-Selecionar a informação que interessa 4- Organizar e Tratar essa informação. 5-Produzir o trabalho/ Comunicar a informação 6-Avaliar o que se aprendeu
  4. 4. ETAPA 1: Delimito o assunto  Percebo : a natureza do assunto; os objetivos ; os limites do a trabalho a executar  Especifico a questão/ palavra-chave da pesquisa  Dou inicício a uma « tempestade cerebral» (brain-storm) ou a um mapa de ideias.  Realço as ideias importantes.  Decido sobre a perspectiva a partir da qual vou tratar do assunto.  Formulo a minha ideia base.  Esboço um plano provisório.  Reflito sobre as fontes de que vou precisar.  Planifico o trabalho.
  5. 5. ETAPA 2: Procuro as fontes  Escolho os recursos(digitais, bibliográficos, texto/imagem) através dos quais vou fazer a pesquisa  Seleciono OS termos certos para a pesquisa na Internet  Avalio a eficácia da pesquisa (ex: boleana +/AND/NOT/OU)  Recupero/obtenho os documentos pertinentes  Troco e partilho as ideias com diferentes interlocutores.
  6. 6. ETAPA 3: Selecciono documentos  Organizo os documentos que seleccionei  Avalio a qualidade da informação  Dou conta das várias perspetivasencontradas sobre o assunto  Identifico os elementos da informação necessários ao trabalho  Aponto a referência e as caraterísticas dos documentos seleccionados
  7. 7. ETAPA 4 : Extraio a Informação  FONTES: Leio, ouço, visiono e tomo notas.  Indico as fontes e respeito as regras da vida privada.  Organizo as notas de forma coerente e preparo um plano provisório.  Revejo o que faço e recomeço (se for necessário).
  8. 8. ETAPA 5: Trato a Informação/produzo o trabalho  Vou avaliando a informação em função do tema/assunto.  Equaciono diferentes soluções para desenvolver o tema/assunto.  Faço a síntese de ideias e das informações das várias fontes.  Confronto opiniões e construo a minha de acordo com o objetivo do trabalho.  Confirmo/reformulo a minha ideia-base.  Reflito sobre a organização / produção do texto.
  9. 9. ETAPA 6 : Faço a comunicação /Avalio o que aprendi  Exprimo uma opinião pessoal se estiver nos objectivos do trabalho.  Verifico a coerência e coesão textual.  Revejo a qualidade das imagens e da linguagem.  Verifico se respeitei as instruções pedidas.  Preparo os materiais e os aparelhos de que posso ter necessidade para apresentar.  Avalio o que aprendi.
  10. 10. Referenciar fontes: Como fazer? • Algumas dicas, aproveitando uma das obras em que nos apoiámos para o PPoint: Autor: Mário Azevedo Título: Teses e relatórios e trabalhos escolares: sugestões para a estruturação da escrita 6ª edição Editora: Universidade Católica 2008 (no interior)
  11. 11. Referenciar citações • Páginas citadas: exs. de uma transcrição/citação dentro do texto: Da p.131 retirámos uma frase, que terá a seguinte referência num trabalho “As referências que se fazem dentro do texto correspondem com exatidão às obras que aparecem referidas na lista final de referências .” (Azevedo, 2008, p.131)
  12. 12. Como fazer a bibliografia? Por que Normas? Assim, no final deste trabalho, na Bibliografia, podemos optar por: Segundo as Normas APA - American Psychological Association Azevedo, M. (2008). Teses, relatórios e trabalhos escolares : sugestões para estruturação da escrita (6ª ed). Lisboa: Universidade Católica. Segundo as Normas IPQ – Instituto Português da Qualidade AZEVEDO, M. - Teses, relatórios e trabalhos escolares : sugestões para estruturação da escrita.6ª edição. Lisboa: Universidade católica, 2008.
  13. 13. Bibliografia Final: como organizar? Algumas regras: 1. Autores lidos, mas cujas ideias não foram usadas no trabalho, não são incluídos. 2. Ordenar alfabeticamente, por apelido (do único autor), ou apelidos ( dos vários autores da obra). AZEVEDO, M. AZEVEDO, H. SOUSA, A. 3. A primeira linha aparece saída em relação às seguintes (1 espaço): AZEVEDO, M. - Teses, relatórios e trabalhos escolares : sugestões para estruturação da escrita.6ª edição. Lisboa: Universidade católica, 2008. UM-Universidade do Minho. URL: http://www.sdum.uminho.pt/Default.aspx?tabid=4&pageid=72&lang=pt-PT#LIVROS (acedido em 04 –Novembro -2010) 4. Usar coerência na aplicação das regras: as mesmas regras devem ser aplicadas para situações idênticas.
  14. 14. Ligações úteis: • Para fazeres as referências bibliográficas, podes sempre consultar: Universidade do Minho (UM) no blogue da biblioteca ARROIO: http://www.sdum.uminho.pt/Default.aspx?tabid=4&pageid=72&lang=pt- PT#LIVROS (acedido em:4 de Novembro de 2010) O Blogue da biblioteca arteziletras contém este link em recursos (barra lateral): http://arteziletras.blogspot.com/
  15. 15. Passando à Prática Para começar: um mapa de ideias
  16. 16. Etapa 4: plano prévio I – Introdução (apresentação do tema atual e que orientações foram seguidas no trabalho. Atenção: só se deve fazer a introdução depois de te[r acabado desenvolvimento) II – 1. A Internet - aspetos positivos forma privilegiada de comunicar e trabalhar. [fundamentação teórica] 2. A Internet - aspetos negativos: Adição; jogos; relacionamentos ocasionais; sexo; bulying ; pedofilia. [fundamentação teórica] III – Conclusão (IV) - Referências bibliográficas e digitais. Uma primeira abordagem para a organização de um plano. NOTA: Até à conclusão, o aluno deve sempre questionar-se sobre o trabalho.
  17. 17. Referências: sobre literacia digital e informacional na UE e Portugal • RBE: Aprendizagens e literacias para o século XXXI • http://forumbibliotecas.rbe.min- edu.pt/file.php/322/TEXTO-Sessao_1.pdf • PORTUGAL. Conselho Nacional de Educação. Recomendação nº 6/2001.Recomendação sobre Educação para a Literacia Mediática, DR (2011), p.50942-50947 (pdf)
  18. 18. • Trabalho elaborado por: Maria Julieta Silva - BE|CRE da Escola António Arroio 2013-2014 (reformulado)

×