Observador edição especial 2010

436 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
436
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Observador edição especial 2010

  1. 1. Observador agosto 2010 | www.jsdporto.netLaranja Power A JSD Distrital do Porto realizou a grande festa de verão Laranja Power, no dia 23 de Julho. A onda laranja chegou à praia do Molhe, encheu-se de jovens, militantes e simpatizantes de todos os concelhos do distrito, como já é habitual nas iniciativas da JSD. A responsabilidade da organização da festa, foi delegada no César Vasconcelos e Ricardo Baptista, ambos incansáveis na animação e na criatividade do cartaz e do símbolo usado, exclusivamente para o efeito. Simão Ribeiro Sempre com a constante ajuda do Jorge Azevedo. O espírito de união e alegria, como é evidente nas fotografias, envolveu ospresentes num convívio saudável. Associado ao divertimento, foi escolhido umtema para a festa: Comportamentos de Risco - “O Risco de cada Um”. Entendeu-se ser essencial uma sensibilização dos comportamentos de risco najuventude, para tal, foi fornecida informação através de elementos da própriadistrital, qualificados para o efeito. Também foram distribuídos folhetos (VH1,tabagismo drogas, DST`s, métodos contraceptivos), preservativos e algum materialda JSD, para prevenir ou minimizar determinados riscos. A festa teve como convidado o Dj Charlie, que animou anoite ao ritmo do seu som, até às três da manhã. César Vasconcelos e Mariana F. Macedo Foi em clima de festa que se encerrou a actividade políticapara as merecidas férias, aproximam-se lutas difíceis etodos terão de estar com as baterias carregadas. Preservativos Panfletos Festa Ricardo Baptista Jorge Azevedo e Informativos Loureiro João Pedro Sousa
  2. 2. JSD Santo Tirso JSD Paredes JSD Penafiel JSD Gondomar Jorge Ferreira e Hélder Araújo Simão RibeiroSusana Coelho, Ricardo Bessa, Carolina Melo João Paulo Meireles e Ana Felix e Ana Vieira Sandra Gomes Rua de Guerra Junqueiro, 64 - 4150-386 Porto | geral@jsdporto.net | www.jsdporto.net 2
  3. 3. Doenças Sexualmente Transmissívei SER INTELIGENTE É PREVENIR Saúde e Sexualidade A OMS – Organização Mundial de Saúde – definiu sexualidade como: “uma energia que encontra a sua expressão física, psicológica e social no desejo de contacto, ternura e às vezes amor.” Todo o ser humano num determinado momento da sua vida, descobre em si a sua sexualidade, é algo natural e até mesmo saudável, porem há certos comportamentos de risco que originam precisamente o contrário, afectam gravemente a saúde ou originam efeitos indesejáveis, por isso o nome da festa ser: “o risco de cada um”. Há um conceito básico: Conhece-te, Informa-te e Decide. Doenças sexualmente transmissíveis As doenças sexualmente transmissíveis sempre existiram, provocaram epidemias, mortes e doenças crónicas. No passado tiveram efectivamente efeitos nefastos para o ser humano. Presentemente com mais informação e com a evolução da medicina já é possível a sua identificação, minimiza-las e nalguns casos a sua cura. Embora algumas doenças sexualmente transmissíveis, continuem a causar morte e doenças crónicas em muitas partes do mundo, apenas iremos referir aquelas que são mais frequentes e graves.Gonorreia ou Gota Hepatite B Uma das mais frequentes doenças sexualmente Existe uma vacina, mas não há cura para a doençatransmissíveis, (popularmente conhecida por “es- quando instalada. Pode causar cancro do fígado.quentamento”), pode causar Doença InflamatóriaPélvica em cerca de 40% das pessoas não tratadas. Contágio: Através da partilha de agulhasPode também causar esterilidade. contaminadas com sangue; através do contacto com fluidos corporais (sangue, saliva, sémen e secreções Contágio: Através de contacto sexual; através vaginais); no momento do parto e no aleitamento.de contacto com roupa interior, toalhas ou roupahúmida. Sintomas: Febre, dor de cabeça; Dor muscular; Fadiga; Perda de peso; Vómitos e diarreia; Sintomas: Corrimento abundante/pus pela Urina escura; Dor abdominal; Icterícia; Falta de apetite;uretra ou recto; Comichão; Dor ao urinar ou durante Lesões hepáticas. Pessoas contaminadas mas semas relações sexuais. Pessoas contaminadas mas sintomas podem transmitir o vírus a outros.sem sintomas podem transmitir a bactéria a outros. Tratamento: Sem cura. Doença Crónica. Tratamento: Antibióticos. Trata-se apenas os sintomas e complicações. Rua de Guerra Junqueiro, 64 - 4150-386 Porto | geral@jsdporto.net | www.jsdporto.net 3
  4. 4. Doenças Sexualmente TransmissíveiHerpes Sida|HIV Dolorosa e episódica. Pode ser tratada, mas nãotem cura definitiva e tem tendência a repetir-se. AIDS|VIH Estes termos designam aquela que já foi Contágio: Através de contacto sexual. O VHS chamada “a doença do século”. Actualmente é a2 é normalmente transmitido da área genital de um 6ª causa de morte entre os jovens na América edos parceiros sexuais para a área genital do outro. Europa. A infecção pelo vírus é, actualmente, fatalÉ menos frequente haver transmissão de VHS 2 a mais ou menos longo prazo.para a boca. O VHS 2 pode ser transmitido paraum parceiro sexual, mesmo não havendo úlceras. Contágio: Através do sangue, esperma,Isto acontece quando o vírus está presente na pele secreção vaginal, via placenta ou leite materno.mesmo sem sintomas visíveis. Sintomas: Fase Aguda: Febre; Anemia; Dor Sintomas: Bolhas avermelhadas com dor nas de cabeça; Dor muscular; Aumento dos gângliosmucosas da região genital ou anal; Sensação de linfáticos. Período Assintomático (até 10/ 15 anos).queimadura; Dor ao urinar; Inchaço nos gânglios Fase Sintomática: infecções recorrentes, alteraçõesdas virilhas; Corrimento vaginal ou da uretra no pénis. imunitárias. SIDA: doenças oportunistas (Sarcoma de Kaposi, Tuberculose, Pneumonia, Meningite, Tratamento: Não há vacina nem tratamento Cancros, etc).definitivo. O vírus mantêm-se no corpo durante todaa vida, hibernando e ficando activo em situações fre- Tratamento: Medicamentos anti-retrovíricosquentemente associadas ao stress, fadiga, falta de consoante a carga viral e resposta imunitária (CD4);sono, menstruação, exposição ao sol, fricção genital Prevenção de re-infecção com outras variantes do(novo parceiro sexual após um período de tempo vírus.sem relações), ente outras. O tratamento tem porobjectivo diminuir as manifestações da doença ouaumentar o intervalo entre as crises.Papilomavírus Humano (PHV) Cerca de 33% das mulheres estão contaminadas com este vírus, que pode causar cancro do colo do útero edo pénis, para além de desconforto e dores intensas a nível genital. Contágio: Através de contacto sexual. Sintomas: Verrugas na região oral, anal e genital; Lesões na pele genital. É possível que os primeirossintomas surgirem meses após o contágio. Tratamento: Remoção das lesões /verrugas (por exemplo, através de crioterapia); Vacina disponíveldesde 2007 e recomendada aos homens até à adolescência e às mulheres até aos 26 anos.Clamídia Candidíase Contágio: Através de contacto sexual. Contágio: Através de contacto genital;É menos frequente (mas possível) o contágio através de contacto com roupa interior, toalhas ouatravés de contacto com sanitas ou outros objectos roupa húmida.onde a bactéria esteja presente. Sintomas: Ardor ao urinar; Comichão e ardor Sintomas: Corrimento genital anormal, nos órgãos sexuais; Fluxo vaginal amarelo;sobretudo matinal; Ardor ao urinar; Dor durante as Corrimento branco de aspecto leitoso; Dor duranterelações sexuais; Inchaço e dor nos órgãos genitais. as relações sexuais; Inchaço e tom avermelhado da vagina, vulva ou glande. Tratamento: Antibióticos. Tratamento: Medicamentos locais. Rua de Guerra Junqueiro, 64 - 4150-386 Porto | geral@jsdporto.net | www.jsdporto.net 4
  5. 5. Doenças Sexualmente TransmissíveiSífilis Pediculose Púbica Não tratada, pode levar a lesões graves docérebro e do coração, ou mesmo à morte. Sífilis ou Chatosou Cancro Duro. Contágio: Através de contacto sexual e durante Contágio: Através de contacto sexual. Podemo parto. também ser apanhados ao partilhar roupa, cama, mobília antiga forrada ou acolchoada, almofadas Sintomas: Lesões não dolorosas com base ou toalhas.endurecida, lisa e brilhante nas zonas genitais, mastambém noutros locais; Secreção transparente nas Sintomas: Intensa comichão nos pêloszonas genitais; Febre; Inflamação da garganta; púbicos, das axilas, do peito e sobrancelhas; PicadasInflamação dos gânglios linfáticos. na pele. Tratamento: Penicilina; Lesões podem não Tratamento: Tratamento Local (loções).regenerar.Saúde na Sexualidade,como prevenir as DST’s:  Usar correctamente preservativo (masculino ou feminino).  Limpar os brinquedos sexuais e vibradores após usá-los.  Lavar as mãos cuidadosamente após ter relações sexuais.  Lavar as zonas genitais diariamente e apenas com água e sabão. O uso de gel de duche nas zonas genitais e lavagens frequentes podem alterar a pele e torná-la mais sensível e assim facilitar ao contágio de IST. Pelas mesmas razões também não é recomendado o uso de toalhitas.  Não usar calças e roupa interior justas.  Evitar o uso de tampões porque impedem o normal corrimento do fluxo menstrual e o mantêm dentro do corpo.  Não partilhar toalhas de banho, roupa interior, etc.  Não ter relações sexuais quando há sintomas que despertem a atenção/dúvidas. MUITO IMPORTANTE Fazer exame de rastreio, das doenças sexualmente transmissíveis, pelo menos uma vez por ano: tu e a tua companheira ou companheiro. O teste VIH é anónimo e gratuito no CAD (Centro de Aconselhamento e Detecção Precoce), existente em todos os distritos. Procura em www.sida.pt o CAD mais próximo de ti. Não perdes nada em saber… Quanto mais cedo souberes o que se passa, mais cedo a situação pode ser resolvida. Aposta na informação! Rua de Guerra Junqueiro, 64 - 4150-386 Porto | geral@jsdporto.net | www.jsdporto.net 5
  6. 6. editorialMariana F. Macedo Foi-me lançado um desafio, pelo Secretário - Geral – Jorge Azevedo, para fazer um “observador especial”sobre a festa - Laranja Power. Dialoguei com minha pequena equipa, Sandra Gomes e Anacleto Laranjeira, resolvemos agarrar o desafio e transforma-lo em algo mais audaz. Para além dos Observadores que contêm a informação sobre a Distrital e suas Secções, vamos criar mais TRÊS Observadores Especiais, este é o primeiro, contém informação sobre algumas doenças sexualmente transmissíveis, seguir- se-á outro “observador especial” sobre os métodos de “JSD DISTRITAL põe a votação contracepção e por fim, um sobre as drogas. o seguinte tema: A abstinência deve ser o principal método Este é um “observador Especial”! para evitar as DSTs. Ao contrário do que normalmente sucede noutras edições, Quem vota contra? este jornal contém, apenas, um pequeno espaço dedicado à actividade interna da distrital - a festa Laranja Power. Quem vota a favor? Quem se abstém? Grande parte do seu conteúdo, é direccionado para “fora”, para Todos os jovens, independente da sua tendência Reprovado por maioria, com partidária e idade. uma abstenção.” É importante que todos usem esta informação, façam-na chegar ao maior número de pessoas possível. A JSD Distrital do Porto está de boa saúde e deseja a mesma qualidade de vida a todos os Jovens! Boas férias! Mariana Ferreira Macedo Mais informações: SOS Sida – 800 201 040 Linha Sida – 800 666 666 Associação para o Planeamento da Família – 22 2085869 Sexualidade em Linha – 808 222 003 Anacleto Laranjeira Mariana F. Macedo Colaboração Sandra Gomes Jorge Azevedo Direcção Rua de Guerra Junqueiro, 64 - 4150-386 Porto | geral@jsdporto.net | www.jsdporto.net 6

×