Bases sobre teoria da cor
aplicada aos sistemas digitais
Para se compreender como são geradas, armazenadas, manipuladas e ...
Modelo HSV
Este modelo é definido por:
 Grandezas de tonalidade;
 Saturação
 Valor
(luminosidade

ou

brilho).

A tonal...
Modelo CMYK
O Modelo CMYK é baseado no modelo CMY ao qual foi acrescentado a cor preta. É
um modelo subtractivo e descreve...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bases sobre teoria da cor aplicada aos sistemas digitais trabalho

301 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
301
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
81
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bases sobre teoria da cor aplicada aos sistemas digitais trabalho

  1. 1. Bases sobre teoria da cor aplicada aos sistemas digitais Para se compreender como são geradas, armazenadas, manipuladas e reproduzidas as imagens, pelos diferentes dispositivos que utilizam a cor, é necessário representar as cores através de modelos que se aplicam a diferentes situações reais. Os modelos de cor fornecem métodos que permitem especificar uma determinada cor. MODELO ADITIVO E MODELO SUBTRATIVO Modelo aditivo No modelo aditivo a cor preta é representada pela ausência de luz ou de cor, enquanto que a presença da luz ou a cor branca é assinalada pela mistura dos comprimentos de onda ou das cores vermelha, verde e azul. Este modelo explica a mistura dos comprimentos de onda de qualquer luz emitida. Modelo subtractivo No modelo subtractivo, a mistura de cores cria uma cor mais escura, porque são absorvidos mais comprimentos de onda. Na ausência de cor assinala-se o branco o que significa que nenhum comprimento de onda é absorvido, mas sim reflectido. A cor de um objecto corresponde à luz reflectida por ele e que os olhos recebem. Modelo Aditivo Modelo Subtractivo Luz emitida e projectada Luz reflectida num ecrã Mistura de cores emitidas Mistura de cores por fontes de luz pintura impressão de Ana Pereira e Joana Marques ESDS
  2. 2. Modelo HSV Este modelo é definido por:  Grandezas de tonalidade;  Saturação  Valor (luminosidade ou brilho). A tonalidade ou matriz é a cor pura com saturação e luminosidade máximas. Esta característica permite distinguir as várias cores puras com diferente grau, visto que cada cor está situada num grau diferente. A saturação está relacionada com a luminosidade de uma cor, ou seja, se a cor é pura, natural ou se é mais esbatida. Esta característica não inclui a cor branca e preta pois esta propriedade permite distinguir cores com um brilho mais escuro das com brilho mais acinzentadas. Exprime-se com valores entre 0% a 100%, sendo as cores mais saturadas as mais próximas do 100%. O valor traduz a luminosidade e o brilho de uma cor, isto é, se uma cor é mais escura ou mais clara, apontando a quantidade de cor que esta exibe. O termo luminosidade relaciona-se com a luz reflectida e o brilho com a luz emitida, ou seja, esta propriedade indica a quantidade de preto presente na cor exprimindo-se entre valores de 0% a 100%. A tonalidade e a saturação podem-se agrupar e designar em elementos de que fornecem informações acerca da cor e da luminosidade e do brilho. Tonalidade Vermelho Amarelo Verde Ciano Azul Magenta Graus 0 Ou 360 60 120 180 240 300 Aplicações – O modelo HSV é muito utilizada por artistas plásticos nas suas pinturas pois estes combinam as cores com elementos de brilho e saturação. De um ponto de vista artístico é mais fácil trabalhar com cores que contêm sombras e tons do que apenas com misturas de cores. Ana Pereira e Joana Marques ESDS
  3. 3. Modelo CMYK O Modelo CMYK é baseado no modelo CMY ao qual foi acrescentado a cor preta. É um modelo subtractivo e descreve as cores como uma combinação das três cores primárias: ciano, magenta e amarelo . A cor preta foi adicionada ao modelo pois é mais fácil a sua obtenção quando impressa em papel do que recorrendo à mistura de cores. Este modelo baseia-se na forma como a Natureza cria as cores quando reflecte parte do espectro de luz e absorve outros, é considerado um modelo subtractivo, porque as cores são criadas para redução de outras à luz que incide na superfície de um objecto. As cores primárias do modelo CMYK são as cores secundárias do modelo RGB e as cores primárias de RGB são as cores secundárias de CMY. Aplicação- é utilizada nas impressões de papel. Esta impressão combina as 3 cores primárias e o preto, permitindo estabelecer áreas em que há inexistência de pigmentos (branco) e áreas escuras (tinta) que na superfície do objecto são reflectidas ou absorvidas Ana Pereira e Joana Marques ESDS

×