ESTUDOS SOCIAIS
HISTÓRIA E GEOGRAFIA
GUIA LOPES DA LAGUNA
ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

NOSSA GENTE,
NOSSA TERRA E
NOSSA H...
UM OLHAR PARA A CIDADANIA
“slogan filosófico um olhar para a cidadania”
Este livro paradidático difere dos demais na sua e...
Dados de catalogação
Dalmolin, José Vicente
Historia e Geografia nos quatro primeiros anos do Ensino Fundamental
Um Olhar ...
Toponímia
- GUIA + LOPES + LAGUNA
É uma referência a JOSÉ FRANCISCO LOPES
Guia = Que da rumo, direção, da o norte, é uma b...
Até 1948 havia três localidade com o nome Guia Lopes, uma em Minas
Gerais(hoje são Roque de Minas), a outra era uma estaçã...
culturais, a estas inter-relações e interdependência é um ramo da ciência, a
História.
CONTRA-CAPA
FOLHA DE ROSTO
MENSAGEM TOPONÍMIA
PREFÁCIO
DINÂMICA PROGRESSIVA DOS CONTEÚDOS DE HISTÓRIA E GEROGRAFIA
INTRODU...
Capítulo Dez
MEIOS DE COMUNICAÇÃO E SONORIZAÇÃO
Capítulo Onze
MODOS DE PRODUÇÃO
Capitulo Doze
SERVIÇOS SOCIAIS, PÚBLICOS, ...
Capítulo Vinte E Três
O GUIA LOPES E A RETIRADA DA LAGUNA
Capítulo Vinte E Quatro
FAZENDA JARDIM À CIDADE DE GUIA LOPES DA...
INTRODUÇÃO
O Objetivo desta Obra é subsidiar professores, alunos e interessados em compreender O
Município de Guia Lopes d...
só memorização, questionários. Hoje precisa-se saber ler e interpretar os dados das tabelas,
transformando em conhecimento...
PREFÁCIO

A visão moderna da educação escolar não é somente o da memorização de regras, fatos e
características.
Os sistem...
Saber engajar- se e
Comprometer-se
Saber assumir
Responsabilidades

Saber empreender, assumir riscos.
Comprometer-se.
Ser ...
o Transporte vai da força física a invenção da roda e a sua utilização para o
deslocamento. Da roda vieram as carroças, os...
HISTÓRIA
2° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
Competência: Habilidades
 A história e a evolução dos meios de transportes.
o Começ...










dentro do bairro;
Ex.: Bairro São Cristóvão, contem a Vila Marcelino Areco.
Muitas vezes a vila existe inde...
Minas Gerais, São Paulo e de regiões do Nordeste. Na atualidade estamos tendo a
presença de orientais, japoneses, coreanos...
o Na ordem sociológica GLL não apresenta classe social: Grupo dos pecuaristas; grupo
dos funcionários públicos municipal, ...
 Ampliar o conceito de família, identificando-a como elemento importante de
transmissão de cultura.
o Através da oralidad...
 Observar a paisagem local.
o Paisagem natural sem intervenção humana;
o Paisagem humanizada sofreu modificação humana
o ...
o As, valorizando o dialogo, para troca de vivencias através da interação sócio
cultural escolar. São fundamentais;
 Obse...


















o O instrumento de trabalhar vai depender muito da disciplina que irá exercer;
por ex: médico ...
o Natural não ouve a ação do homem
o A humanizada ou cultural é a que sofreu algum tipo de modificação
GEOGRAFIA
4° ANO DO...
 Relatar as mudanças ocorridas na paisagem do município.
o As drenagens das águas na Macias Barbosa, Visconde de Taunay e...
4º Ano
MUNICÍPIO DE GUIA LOPES DA LAGUNANOSSA GENTE,
NOSSA TERRA NOSSA HISTÓRIA Saúde – educação –
segurança – obras – pol...
José Vicente Dalmolin

NOSSA TERRA

NOSSA TERRA
NOSSA GENTE
NOSSA HITÓRIA

GUIA LOPES DA LAGUNA
ESTUDOS SOCIAIS - HISTÓRIA...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Capa e os acessórios

486 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
486
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capa e os acessórios

  1. 1. ESTUDOS SOCIAIS HISTÓRIA E GEOGRAFIA GUIA LOPES DA LAGUNA ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL NOSSA GENTE, NOSSA TERRA E NOSSA HISTÓRIA NOS QUATRO PRIMEIRO ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL (1° AO 4° ANOS) Um olhar para a Cidadania (PARADIDÁTICO) PROFESSOR MESTRE JOSÉ VICENTAE DALMOLIN GUIA Lopes da Laguna – Ano Março de 2012
  2. 2. UM OLHAR PARA A CIDADANIA “slogan filosófico um olhar para a cidadania” Este livro paradidático difere dos demais na sua estrutura porque tenta abrange os quatro anos da primeira fase do Ensino Fundamental e seus objetivos visam: 1. É ao mesmo tempo um livro didático e paradidático para alunos e professor que atuam no ensino fundamental. 2 – Com criatividade leitura dos conteúdos o professor vai selecionando o mais adequado para o 1° ,2° 3° e 4° anos 3- Os conteúdos procuram pautar as sugestões do referencial curricular para as escola de Mato Grosso do Sul - da SED/MS 4 - Outra novidade porém de uma complexidade tamanha, os capítulos tiveram como foco a lei orgânica municipal e o código de postura, documentos legais para dar um novo olhar sobre a realidade. É Tempo de Cidadania. 5 – O caminho é longo, quatro anos, mas se chegará lá. 7- Com os avanços tecnológicos as informações giram muito rápidas, assim procurou-se inserir os dados mais atualizados do IBGE e outros órgão, mas com certeza ao final do ano, algum dado já será desatualizado. 8- Inserimos muitas tabelas pois tenho percebido que os alunos apresentam muitas dificuldades em decodificar estes signos. É importante trabalhar com tabelas, fazer a leitura e transformar aqueles dados em informações Sociais 9 - História e Geografia Nos quatro primeiro anos do ensino fundamental: O Município de Guia Lopes da Laguna; Um olhar para a cidadania através dos dados gráficos; Convertidos em informação e; Desta para o conhecimento reconstruído; Por meio das interações sociais; Fome conceitos, teorias, hipóteses, construa ideias, diálogos. Procurou-se trazer o conhecimento universal e adequá-lo aos fatos do Município de Guia Lopes da Laguna. Fatos humanos, sociais, políticos, culturais, físicos e econômicos.
  3. 3. Dados de catalogação Dalmolin, José Vicente Historia e Geografia nos quatro primeiros anos do Ensino Fundamental Um Olhar para a Cidadania Os conteúdos atende a três públicos: 1 – Os alunos do primeiro ao quarto ano do ensino fundamental 2- Aos professores que lecionam nestes anos escolares. 3- Usuário que desejam conhecer um pouco sobre o município Apresenta-se como livro Didático e ao mesmo tempo um livro Paradidático Guia Lopes da Laguna – Março de 2012 Mato Grosso do Sul – Brasil Respeite os Direitos Autorais do Autor
  4. 4. Toponímia - GUIA + LOPES + LAGUNA É uma referência a JOSÉ FRANCISCO LOPES Guia = Que da rumo, direção, da o norte, é uma bússola. Lopes = Sobrenome, nome de guerra. Originário dos HEBREUS que significa lobo. José Francisco LOPES era da descendência portuguesa, era neto de portugueses. Não confundir com os LOPEZ de origem espanhola que também ocuparam as colônias espanhola, Assim o nosso mineiro Português José Francisco Lopes era brasileiro e diferente do Francisco Solano Lopez que era descendente de famílias espanholas e que era o presidente da Republica do Paraguai O nosso José Francisco Lopes era um sertanista, aventureiro, um desbravador das terras sul mato-grossenses, um Bandeirante, que junto com os seus outros irmãos Gabriel, Joaquim, Manoel percorreram estas terras quando somente os índios habitavam. Falarei do nosso Lopes: Tinha suas posses na fazenda Jardim, onde estão assentadas as cidades de Jardim e Guia Lopes da Laguna, Na ocasião da invasão Paraguaia encontrava-se na região de Miranda negociando, enquanto isso os Paraguaios fizeram prisioneiros todos os seus familiares. Agregou-se as tropas militar comandada por Camisão em fevereiro de 1867. Seguiram para colônia Militar de Miranda, em seguida chegaram a fronteira. Da Fronteira marcharam para a fazenda Laguna. Decepção, não encontraram o gado esperado e começam a retirada da Fazenda Laguna até chegaram de volta a Nioaque e ao Porto de Aquidauana. Com os paraguaios contra atacando. No trecho entre Bela Vista Paraguai, a cidade brasileira de Bela Vista não existia nesta época, o Guia Lopes, José Francisco Lopes, Guiou as tropas por caminho que só ele conhecia para fugirem dos paraguaio. Foi o Caus, a martirização, o sacrifico das tropas, a epopeia da Retirada da Laguna. Lopes guiou por caminhos onde tudo era mata e cerrado fechado, trecho que ceifou a vida de muitos componentes entre ele o Guia Lopes, Camisão, Juvêncio e outros. Na ocasião da construção da ponte velha, também resolveram fundar um patrimônio, com o nome de “Patrimônio Guia Lopes” Ato realizado em 12 de fevereiro e oficializado em 19 de março, 1938
  5. 5. Até 1948 havia três localidade com o nome Guia Lopes, uma em Minas Gerais(hoje são Roque de Minas), a outra era uma estação de trem próximo a Aquidauana (desativada) e a outra do sul de Mato Grosso. Em 30 de setembro de 1948 foi criado o Distrito de Paz e acrescentando ao nosso Patrimônio Laguna. O Distrito em terras Nioaquense passou a ser denominado – G u i a Lo p e s da L a g u n a, Guia Lopes da Laguna Nossa gente, Nossa terra e Nossa historia Em breve será publicado um livro de historia com esta denominação.     Guia Lopes da Laguna é uma homenagem entre outros ao José Francisco Lopes que participou da guerra e faleceu de Cólera Morbus em 27 de Maio 1867. Hoje seu restos mortais estão no rio de Janeiro. Nossa Gente – somos uma mistura de etnias, tem os próprios filhos da terra e muitos migrantes e imigrantes. Vive-se em harmonia. Nossa terra é o espaço delimitado do território municipal onde os filhos da terra fazem sua exploração com cultivo de produtos e criação de gado. Nossa História – são as memórias, as lembrança, as produções culturais e sociais que os grupo nela vivendo constrói e reconstrói a cada dia a sua própria história Somos uma terra abençoada; Necessita que tenhamos a fé; Da fé transformar em trabalho positivo; Agindo positivamente atrairemos as coisas positivas; Do contrário “os lamentos” negativos; Criará uma gente, uma terra, uma história negativa. A Geografia estuda a paisagem natural; a paisagem humanizada São as transformações que os homem realizam modificando a natural através dos desmatamentos o e a extração da riqueza do solo e subsolo. Com a interferência na paisagem natural é um dos ramos da geografia. Quando paramos para analisar as relações dos homens na transformação da paisagem ele cria uma interação entre os homens em sim mesmo e nos grupos através do trabalho criam relações sociais, políticas, econômicas
  6. 6. culturais, a estas inter-relações e interdependência é um ramo da ciência, a História.
  7. 7. CONTRA-CAPA FOLHA DE ROSTO MENSAGEM TOPONÍMIA PREFÁCIO DINÂMICA PROGRESSIVA DOS CONTEÚDOS DE HISTÓRIA E GEROGRAFIA INTRODUÇÃO Capitulo Um EU CIDADÃO LAGUNENSE, MINHA FAMILIA, MEU PLANETA Capítulo Dois EU E MINHA FAMILIA Capítulo Três DOS FUNDAMENTOS DA ORGANIZAÇÃO MUNICIPAL Capitulo Quatro OS SÍMBOLOS MUNICIPAIS DE GUIA LOPES DA LAGUNA Capitulo Cinco COMPETE AO MUNICÍPIO Capítulo Seis COMPETÊNCIAS COMUNS AO MUNICÍPIO, AO ESTADO E A UNIÃO Capitulo Sete A PAISAGEM NATURAL E PAISAGEM HUMANIZADA OCUPAÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO E CULTURAL Capitulo Oito LAZER, TURISMO, BEM ESTAR Capitulo Nove MEIOS DE TRANSPORTES, VIA VICINAIS, TRÂNSITO
  8. 8. Capítulo Dez MEIOS DE COMUNICAÇÃO E SONORIZAÇÃO Capítulo Onze MODOS DE PRODUÇÃO Capitulo Doze SERVIÇOS SOCIAIS, PÚBLICOS, PRIVADOS E FILANTRÓPICOS Capítulo Treze FOMENTOS ESTATÍSTICOS ECONÔMICOS E SOCIAIS Capítulo Catorze CONCEITOS GEOGRÁFICOS Capitulo Quinze CURIOSIDADES HISTÓRICAS E OUTRAS Capitulo Dezesseis GALERIA DOS EX-PREFEITOS Capitulo Dezessete ANTECEDENTES HISTÓRICOS Capítulo Dezoito A COLÔNIA MILITAR DE MIRANDA, em Guia Lopes da Laguna Capítulo Dezenove O GUIA LOPES, E A FAZENDA JARDIM Capítulo Vinte O GUIA LOPES, DE MINAS GERAIS À MATO GROSSO DE MATO GROSSO AO RIO DE JANEIRO Capitulo Vinte E Um DONA SENHORINHA MARIA DA CONCEIÇÃO BARBOSA DE LOPES Capitulo Vinte Dois UM POUCO DE CARTOGRAFIA
  9. 9. Capítulo Vinte E Três O GUIA LOPES E A RETIRADA DA LAGUNA Capítulo Vinte E Quatro FAZENDA JARDIM À CIDADE DE GUIA LOPES DA LAGUNA Capítulo Vinte E Cinco PATRIMÔNIO GUIA LOPES À DISTRITO DE PAZ DE GUIA LOPES DA LAGUNA Capítulo Vinte E Seis DE DISTRITO DE PAZ À MUNICÍPIO DE GUIA LOPES DA LAGUNA 1953/1959 Capitulo Vinte E Sete DEMOGRAFIA Capítulo Vinte E Oito MANIFESTAÇÕES CULTURAIS e RELIGIOSAS Capitulo Vinte E Nove A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL E OS PODERES Capítulo Trinta BREVE MEMORIAL DAS ESCOLAS EM ATIVIDADES Capitulo Trinta E Um PERSPECTIVAS PARA FUTURO DE GUIA LOPES DA LAGUNA Capítulo Trinta E Dois MUDANÇAS NA PAISAGEM REALIZADA PELOS HOMENS UMA EXPERIÊNCIA VIVA BIBLIOGRAFIAS
  10. 10. INTRODUÇÃO O Objetivo desta Obra é subsidiar professores, alunos e interessados em compreender O Município de Guia Lopes da Laguna numa perspectiva dos Estudos Sociais, sistematizado mais nos componente de História e Geografia. Para organizar os capítulos e selecionar os conteúdos fizemos uma adaptação do Referencial Curricular da Educação Básica da Rede Estadual de Ensino. Do primeiro ao quarto anos do Ensino Fundamental nas disciplinas de História e Geografia os estudos estão voltados para a Estrutura da vida das pessoas no Município. Bem, é verdade que para os municípios pequenos, médios e grandes não só em área territorial, mas em toda a sua infraestrutura a abordagem sempre será específica a cada comunidade. Outro fundamento que inserimos como pressuposto do exercício da cidadania foi os diversos itens da Lei Orgânica Município de Guia Lopes e do Código de Postura. Acreditamos assim que ao inserir artigos, itens, alíneas, da lei maior do Município relativa quanto ao Poder legislativo e executivo nossos alunos tomarão conhecimento e estarão percebendo a aplicabilidade da lei no contexto dos conteúdos curriculares. Os conteúdos não estão divididos 1°, 2° 3° 4° ano, por entendermos que o professor mergulhará no contexto e não em partes muitas vezes sem nexo. Ele pode seguir a sequência no seu planejamento e ir selecionando as partes mais adequadas ao ano escolar. Explorar, não memorizar, decorar, que não proporciona nada de construtivo. O Prefácio, consideramos uma página muito importante diante dos rumos da educação de hoje. A Sociedade atual, principalmente no mercado de trabalho está exigindo mais que diploma, mas sim competência, habilidade, criatividade, capacidade de se relacionar, deste modo extraímos do citado Documento Referencial Curricular as referida competências habilidades. Acrescentamos por nossa conta um referencial teórico referindo-se ao conceito de competência. Inserimos na proposta de estudo do micro ao macro; do bairro ao Estado de Mato Grosso do Sul; em dimensão mais ampla contextualiza do bairro ao Planeta Terra, e desta ao Sistema Solar e daí a Via Láctea. Com isso estamos sugerindo um estudo e uma leitura tanto vertical quanto horizontal. A partir dos capítulos 1 até o 21 Introduz as noções espaciais e as interações das pessoas neste espaço seguido depois a memória sobre do povoado e que levou – o a município. Dando um sentido de temporalidade. O Capítulo 22 a uma inserção de diferentes mapas e ilustração. Esta Cartografia ficou em um capítulo independente para que ao analisar um mapa, desperta o foco para outra ilustração de caráter interativo e associativo. Porque aprender é uma sucessão de interação, construção, memorização. O Capítulo 14 apresenta uma lista de conceitos com suas significação, minidicionário de apoio. Os Conteúdos podem ser seguidos sequencialmente pelos alunos do 4° ano do Ensino Fundamental. Muitas questões o professor tem que fazer suas atualizações, principalmente nas questões que se referes a dados estatísticos, que modificam a cada ano. Por este motivo inserimos no capítulo 12 todos referencias estatísticos, fomentos econômicos e sociais. Com o avanço das tecnologias de captação processamento e sistematização, das in formações , no caso o IBGE, com o órgão oficial do governo, transforma imediatamente as informações em dados estatísticos. Com este sistema induz o leitor a uma postura diferente de alguns anos atrás, que era
  11. 11. só memorização, questionários. Hoje precisa-se saber ler e interpretar os dados das tabelas, transformando em conhecimentos. O livro está reunido em 32 capítulos desmembrado de forma livre. Onde sua leitura não necessita que seja continua, até certo ponto cada capítulo tem sua autonomia, posto desta forma para que o professor selecione somente a parte ao nível da criança no ano escolar. Ao ler o prefácio, apresenta várias sugestões para alcançar os objetivos que é a formação do cidadão consciente e competente naquilo que fizer. No Capítulo um iniciamos com uma postura de identidade, somos cidadãos cosmológicos mas não donos do cosmo, tenho que aprender a dividir o espaço com as demais espécies de vida do reino animal e vegetal. Por sermos únicos, somos diferentes e essas diferenças não devem ser motivos de agressão, violência. Assim incluímos uma reflexão sobre os Buling e estruturação do conceito de família moderno para que o professor consiga realizar sua tarefa a favor do desenvolvimento integral do aluno, como ser humano.
  12. 12. PREFÁCIO A visão moderna da educação escolar não é somente o da memorização de regras, fatos e características. Os sistemas de avaliação do MEC, da SED/MS, Prova Brasil, Olimpíadas da Matemática, o ENEM e outras avaliações de estudantes possuem uma característica bastante significativa, pois se a Escola do Século XX cobra dos alunos a memorização de conteúdos, o sistema educacional para o século XXI exige que tenhamos competência, habilidade, saibamos nos relacionar com os outros, saibamos ser solidário, humanos viver sem violência sem competição mesquinha, mas alcançar as metas através do esforço, trabalho, dedicação. Deste modo aproveitamos da Apostila Referenciais curriculares da educação básica da Rede Estadual de Ensino SED/MS – Ensino Fundamental. Deste Material de boa qualidade, além de apresentar o fundamento teórico, lista os conteúdos de cada bimestre, e finaliza cada ano escolar apresentando competências/habilidades Conheça agora as competências/habilidades de história e geografia (estudos sociais) do 1° ao 4° ano do ensino fundamental cujo objetivo fundamental são os estudos relativos à vida no Município Quadro Um: Competências1 para o Profissional Saber agir Saber o que e por que faz. Saber julgar, escolher, decidir. Saber mobilizar recursos Criar sinergia e mobilizar recursos e competências. Saber comunicar Compreender, trabalhar, informações, conhecimentos. Saber aprender Trabalhar o conhecimento e a experiência, rever modelos mentais; saber desenvolver-se. 1 P. 188 resenha – construindo o conceito de Competência Maria Tereza Leme Fleury e Afonso Fleury RAC, Edição Especial 2001 http://www.scielo.br/pdf/rac/v5nspe/v5nspea10.pdf Acessado fevereiro 2011 transmitir
  13. 13. Saber engajar- se e Comprometer-se Saber assumir Responsabilidades Saber empreender, assumir riscos. Comprometer-se. Ser responsável, assumindo os riscos e Consequências de suas ações e sendo por isso reconhecido. Ter visão estratégica Conhecer e entender o negócio da organização, o seu ambiente, identificando oportunidades e alternativas. HISTÓRIA 1° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Competência: Habilidades  Identificar os documentos que fazem parte da sua vida. o Fotografias, certidão de nascimento, carteira de vacinação, carteira de identidade  Apontar mudanças ocorridas durante diversas épocas a partir de observações de sua história de vida. o A fase de bebê, um ano de idade, a primeira vez que entrou na escola, mudança de cidade ou de casa;  Identificar brincadeiras de ontem e de hoje, andou de bicicleta sozinho, Amizade com colegas. o Antes praticante a criança construía os seus brinquedo com latas madeiras, pregos, hoje os brinquedo são dominados pelas tecnologias, só fazem barulho, mas despertam pouca criatividade nas crianças. Ela não cria e nem inventa nada. Os brinquedos são para movimentar ação ou simplesmente virtual, são dos jogos eletrônicos, está tudo pronto.  Registrar as pessoas que fazem parte de sua família o Fazer espontaneamente um levantamento para identificar os diferentes tipos estruturais do núcleo familiar. Cada um tem sua historias, Chamar a atenção que nos dias atuais que o nosso núcleo familiar é a onde estou inserido independente de laços consanguíneo ou não.  Perceber os diferentes tipos de família. o Cada família tem as suas características, seus modelos. Peculiaridade. Entretanto, em cada país há modelos mais liberais, outros mais conservadores, uns matriarcais outros patriarcais.  Identificar a evolução dos diferentes tipos de moradia na vizinhança o A história registra do homem das cavernas ao das mansões cheio do luxuria e belezas. o Está associado detidamente ao poder econômico, aquisitivo de cada família.  Identificar os pontos de referências no trajeto de sua casa a escola. o Este referencial pode ser demonstrado e visualizado por meio de desenhos em papel, caderno, cartolina, papel manilha.  Reconhecer os meios de transportes. Antigos e atual.
  14. 14. o Transporte vai da força física a invenção da roda e a sua utilização para o deslocamento. Da roda vieram as carroças, os carro de bois, carnagem, automóveis e até mesmo os aviões usam rodas. Transporte das cargas vão caminhões, navios, trens e até mesmo o avião. Há veículos para transporte de cargas pesadas e outro para transportes de pessoas, automóveis, vans, ônibus. Os transportes de cargas pesados conduzem as produções de uma localidade à outra, de um país a outro.
  15. 15. HISTÓRIA 2° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Competência: Habilidades  A história e a evolução dos meios de transportes. o Começar aprofundar mais para os transportes atuais, marítimos, aéreos, terrestre, rodoviários e ferroviários.  Conhecer a história e a evolução dos meios de comunicação. Identificar os diferentes meios de comunicação o Traçar paralelo sobre os meios de comunicação: passado x presente x futuro HISTÓRIA 3° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Competência: Habilidades  Conhecer a História da Escola. o Verificar se há alguma pessoa viva do inicio da fundação, ou que trabalhou na escola. Pegar com o Diretor registro históricos, fotos, textos, premiação, salas, serviços oferecidos. Pode ser um misto entre palestra e entrevista  Identificar as pessoas que trabalham na escola. o Registrar no caderno primeiro todas as funções e ou cargos, em seguida na forma de passei tentar localizar estas pessoas e apresentá-las.  Demonstrar atitudes de respeito no cotidiano escolar o Inserir no contexto da sala de aula os combinados. Aproveitar iniciar a inserção do Regimento Escolar, Direitos, deveres, proibições e punições que estão sujeitos.  Conhecer a História do Bairro onde você mora. o Elaborar uma ficha de entrevista com todos os dados fundamentais e entregar aos alunos individual ou grupo, conforme a situação para conversarem com os moradores mais antigos, ou membros da família mais idosos para que conte a história do Bairro.  Identificar as ruas do bairro, o Mostrar uma planta grande da cidade. Delimitar com os alunos que numa área de três, mais ou menos quarteirões desenhe as quadras do bairro, com as ruas traçadas, registrando os seus nomes.  Diferenciar Bairro e Vila. o Em cidades de médio e grande porte é possível fazer esta diferença com mais clareza; Entretanto para as cidades pequenas se fundem dos dois termos no mesmo espaço físico. O então bairro e vila entendem-se como as mesmas denominações, sinônimos; normalmente entende-se bairro um aglomerado maior de pessoas, possui, infraestrutura básica tais como igrejas, mercados, posto de saúde, escolas e outros serviços estruturais, Vila, geralmente é um conjunto residencial que está contido
  16. 16.      dentro do bairro; Ex.: Bairro São Cristóvão, contem a Vila Marcelino Areco. Muitas vezes a vila existe independente do bairro principalmente os conjuntos residenciais. Identificar os moradores mais antigos do Bairro ou Vila onde você estabelecer o Estabelecer um pré-roteiro de questões para a entrevista, conversar com os familiares sobre alguma sugestão, e depois descobrir os mais idosos e agendar um horário para conversarem. Identificar o diferente tipo de bairros. o No exemplo de Guia Lopes há três Bairros, Planalto, São Miguel, São Cristóvão. Cada um dele é diferente na população. Topografia geográfica, número de habitantes, concentração de indústria e comercio e serviços. Conhecer e localizar os pontos referenciais mais importantes no bairro. o Pontos referenciais que servem para sinalizar uma orientação para chegarmos ao destino tais como, uma árvore, igreja, loja comercio, bar, uma antena, campo de futebol e tantas outras, tem ainda aqui as ruas e seus nomes com os respectivos números Identificar as atividades econômicas relevantes. o Podemos classificar em três grupos:  Primária extração de argila, areias pedra, agricultura para o próprio consumo, frutos, leguminosa e outros vegetais.  Secundária – transformação, industrialização, tais como a sorveteria, panificadoras, serralheria, laticínio, cerâmica, marcenaria entre outras;  Terciária é a predominante, caracterizada pelos tipos de serviços trabalhadores na educação, saúde, segurança, bancos, comércio, hotelaria, domesticas empregados de fazendas e chácaras, oficinas de concertos automóveis, bicicletaria; mão de obra de construção civil. Reconhecer as manifestações culturais e festas populares realizadas no Bairro ou Vila. o Verificar os calendários das festas religiosas e as festas do tipo junino HISTÓRIA 4° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Competência: Habilidades  Conhecer a História do município relacionando-a com a História do Mato Grosso do Sul. o O município tem seu território dentro área do estado. O município está vinculado ao Estado de Mato Grosso do sul através da política, rodovias, impostos, serviço de apoio social, comércio, Educação, saúde, políticas públicas.  Conhecer a composição administrativa dos poderes na administração municipal. o Prefeito Municipal e o seu vice.................. o Os nove vereadores.................................... o População, em Guia Lopes é possível perceber os grupo étnicos: Grupos afros de peles morenas, os indígenas um grupo formado por descendentes do Paraguai e outros de indígenas guarani Caiuá desaldeados, do grupo de descentes de imigrantes Europeus vindo dos Estados do Sul do Brasil, em proporções menores grupo de
  17. 17. Minas Gerais, São Paulo e de regiões do Nordeste. Na atualidade estamos tendo a presença de orientais, japoneses, coreanos e outro.  Seriar as diferentes imigrações que deram origem a formação do município. o Questão anterior já classifica o o Guia Lopes ficou sem fomentos de classe social, econômica e cultural. Aconteceu que quando foi fundada a vila Jardim pela CER três. Os moradores da vila eram pessoas que traziam uma abertura na mentalidade. o Com o apoio da CER três a Vila Jardim deslanchou e Guia |Lopes estacionou, promovendo uma política mais de apadrinhamento de que de desenvolvimento. o Pouco tempo a partir de 1953 – 11 de Dezembro data da criação dos dois municípios (Jardim e GLL). Nesta data Guia Lopes ainda mantinha a hegemonia, a qual foi perdendo aos pouco até dias atuais, o Hoje um investidor de médio grande porte preferem Jardim para aplicar o capital. A sede dos órgãos publica e privado, filantrópicos estão situados na cidade de Jardim. o Há pessoas que moram em Guia Lopes, mas dizem que são de jardim. o O comércio de Jardim deve levar em fatura 75% dos recursos financeiros guialopense, Muitos moram ganhos o dinheiro em GLL, mas fazem suas compras na cidade vizinha. o Ou do contrario Mora em Jardim, trabalha em GLL, mas gasta o dinheiro em Jardim. o Os bem imobiliários tem valores muito inferir entre GLL e Jardim, fator que limita investimento imobiliário em GLL. o Quando há eventos culturais na cidade vizinha, a nossa cidade ficam quase vazia todos vão para lá. o Um povo que não tem raízes autóctones acaba não tendo forças para fazer prevalecer o conjunto cultural. Praticamente dois eventos em GLL que atrai pessoas de fora, o Clube do Laço e festas de são José. o Entretanto é um corredor turísticos de quem vai para Bonito, Jardim, Bela Vista, Caracol, Porto Murtinho.  Conhecer os monumentos e os marcos históricos do município. o Na verdade não há nenhum monumento tombado e registrado em GLL, Um prédio da prefeitura Velha e um monumento de 1959 referente a retirada da laguna, mas que ficou inacabado; de casas não há nenhuma em preservação o Tem tantos locais da guerra, do Paraguai e retirada da laguna, rios pontes, colônia militar de Miranda, córrego bom jardim, fazenda Jardim. o Temos uma riqueza histórica significativa, mas que não há nenhum marco. o Têm os rios, fazendas que complementaria um roteiro cultural. o Precisa vontade política de fazer.
  18. 18. o Na ordem sociológica GLL não apresenta classe social: Grupo dos pecuaristas; grupo dos funcionários públicos municipal, Estadual e Federal, Grupo do comerciante e comerciários; autônomos e a maioria que vive no subdesenvolvimento, desempregados, sem tetos, mendigam pelos órgãos governamentais a sua subsistência seja qual for da fome doença.  Identificar os aspectos marcantes da arquitetura do município o Exceto o prédio da prefeitura velha os demais estão praticamente descaracterizados  Conhecer os Símbolos do Município o Um capítulo do livro trata sobre os símbolos. GEOGRAFIA 1° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Competência: Habilidades  Comparar os modos de vida da antiguidade com as atuais. o No principio fazia uso de utensílios de pedra, conchas o Nômade virou sedentário; o Dependente da natureza passou a cultivar o Tudo era produzido artesanal e pouca escala de produção.  Perceber a noção de tempo do seu cotidiano. o Construir uma linha temporal em papel manilha de acordo com a cultura Ocidental, antes e depois de Cristo, alinham os destaques de alguns fatos marcantes na história da humanidade, o Evolução de coletores para agricultores, domesticação de animais. o Do trabalho realizado manualmente ou com auxilio de alguns animais passou a ser utilizado por máquina a vapor, depois motor a combustão daí em diante o desenvolvimento não parou mais,  Reconhecer diferentes temporalidades, o Temos uma temporalidade histórica contando a evolução da humanidade. o A outra temporalidade é a geológica, a evolução do Planeta Terra.  Identificar singularidade própria e dos colegas. o Cada Indivíduo possui a sua história; o Cada indivíduo constrói a sua história em algum lugar no espaço natural ou humanizado.  Respeitar traços pessoais próprios e dos outros (físicos étnicos e gênero) o A Demografia e antropologia são a ciências que vão auxiliar na caracterização física étnica e gênero somado aos estudos estatísticos dos censos do IBGE, que aproxima da realidade através dos percentuais numéricos.
  19. 19.  Ampliar o conceito de família, identificando-a como elemento importante de transmissão de cultura. o Através da oralidade cada grupo familiar mantém viva a memória de acontecimentos vão sendo passado de geração em geração o Os povos que não fazem o uso da escrita, toda a sua cultura é repassada pelo grupo de modo oral, histórias, lendas, simbolismos; dos mais idosos para os mais jovens. o O conhecimento sistematizado pelos grupos sociais da humanidade conta atualmente meios para e universalizam a todos outros povos através, do rádio TV, jornal, revista e ultimamente pela internet, nas sociedades modernas.  Diferenciar os tipos de moradias. o O primeiro fator que vai definir o tipo de moradia é o poder aquisitivo; o Segundo elemento vai ser as constituições do tipo de solo; o As construções devem respeitar a geografia do terreno para estabelecer segurança.  Identificar os tipos de materiais de construção usados nas diferentes tipos de moradias. o O tipo de material depende do poder aquisitivo o Material: barro, argila, madeira, bambu, ferro vidro, cimento.  Reconhecer modos de vida das famílias nos diferentes lugares. o Região de serra o Terreno plano o Úmido o Brejo o Rios o Geleiras, deserto  Identificar os diferentes espaços de vivencia. o Espaço urbano central; o Espaço urbano periférico o Espaço rural periférico ao urbano (sítios e chácaras) o Espaços rurais central que são as grandes fazendas e longas distâncias  Desenvolver Noções de lateralidade corporal e espacial. o Exercícios de lateralidade, definindo sempre um ponto de referencia; o O nosso corpo é o principal marco de referencia para delimitar o campo da lateralidade; frente atrás, em cima abaixo, lado direito e esquerdo. o Pode-se tratar essa lateralidade referente a um objeto definido qualquer. o Por exemplo. A cidade de GLL está localizada á margem direita do rio Miranda, o Fazer orientação através do movimento da Terra em relação ao sol tem os pontos carteais GEOGRAFIA 2° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Competência: Habilidades
  20. 20.  Observar a paisagem local. o Paisagem natural sem intervenção humana; o Paisagem humanizada sofreu modificação humana o Paisagem de reflorestamento, repõem a floresta nativa por outras que tem também fins comerciais, é o caso do eucalipto  Relatar acontecimentos na paisagem local. o A destruição da paisagem natural acarreta numa série de consequência, tais como Erosão, secada nas nascentes de água; rios assoreados, destruir das fontes naturais do habitat de animais silvestre.  Perceber as transformações da paisagem local o Quando constrói o asfalto em determinada região, podemos perceber o quanto as máquinas contribuem para a alteração da paisagem natural.  Registrar informações sobre as transformações das paisagens. o Observaram modificações, tais com estradas, construção imobiliária, indústrias, erosões nos terrenos, aterros, lixões.  Diferenciar os componentes da paisagem local. o Introdução o O que é a paisagem? A primeira ideia que nos vem à cabeça é que a paisagem é aquilo que enxergamos. Mas, será que enxergamos tudo que está na paisagem? O exercício de observação da paisagem é necessário para que possamos "enxergar" as diversas características de uma paisagem, pensar quais são as relações existentes entre os componentes de uma paisagem, discutir a função desses componentes, etc. Há diversas formas de apreensão e de representação de uma paisagem. Podemos observá-la.  Reconhecer que o trabalho do homem transforma a paisagem.     o A ação do Homem sobre a paisagem natural é chamada de Ação Antrópica. Através desta ação o Homem transforma a paisagem natural. Destrói a paisagem com desmatamento, queimadas, assoreamento dos rios, destruição da mata ciliar, dizima a flora e a fauna, para transformá-la em pastagem, agricultura, extração mineral, edificação de cidades, construção de estradas, ferrovias, Usinas Hidrelétricas, fábricas, etc. Registrar fatos geográficos relacionados ao meio em que vivem. o Canalizações das águas pluviais das chuvas, canais que evitem as erosões Compreender que a escola faz parte da sociedade. o Na organização social escola é um organismo criado para atender suas necessidades como agente transmissora do conhecimento, bem como, igrejas, hospitais, comércio, banco, delegacias, postos de saúde. etc. Valorizar os profissionais na escola. o Com um croqui nas mãos e lista de nomes permitira familiarizar gradativamente com as pessoas, cargos e funções e respeito por cada uma e a responsabilidade. Reconhecer a escola como espaço de vivência. o Independente do numero de alunos, de cargos, no contexto escolar é uma necessidade fundamental que as pessoas saibam se respeitar
  21. 21. o As, valorizando o dialogo, para troca de vivencias através da interação sócio cultural escolar. São fundamentais;  Observar a organização da sala de aula. o Disposições das carteiras lixo, janelas, ventiladores;  Reconhecer que a rua é um espaço de circulação, trabalho e lazer. o As ruas em dado momento poderá representar funções diferente circulação trabalho e lazer o Compreender a importância dos sinais de transito na organização espacial. Sinais de trânsitos mão, pedestre e aos condutores de automóveis, caminhões, motocicletas.  Localizar a residência através do Endereço. o Escrever uma carta para o professor incluindo remetente e destinatários GEOGRAFIA 3° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Competência: Habilidades  Demonstrar atitude de cordialidade em sala de aula e na escola. o Significado de Cordialidade o Afeição sincera. Respeito, amizade, companheirismo Franqueza e amenidade no trato: falar com cordialidade.  Demonstrar a paisagem em seu entorno. o Desmatamento, erosão, assoreamentos dos rios Miranda e Santo Antônio.  Diferenciar as atividades diárias percebendo-as não como uma sucessão de eventos automáticos, mas vinculadas a um contexto significativo (a vivência). o Os seres humanos estão diariamente provocando evento que altera a paisagem natural, seja pela varredura do quintal, seja plantando ou extraído uma planta.  Reconhecer que a organização do espaço se dá através das relações da sociedade com a natureza, o A Terra mãe recebe todos os filhos na sua crosta, Esta crosta não é uniforme, apresentando coberturas por deserto, por exuberante vegetação, ou escassez de vegetação são dominadas pelos cactos, outras partes são montanhosas, outras geleiras, outras são pântanos, outras águas saldadas ou doces. o ser humano é único que consegue adotar nas diferentes condições atmosféricas e tipos de solos ajustando de acordo com suas necessidades e suas tecnologias disponíveis  Identificar os modos e os instrumentos de trabalho. o Modos de produção - Quando vamos a um supermercado e compramos gêneros alimentícios, bebidas, calçados, material de limpeza, etc., estamos adquirindo bens. Da mesma forma, quando pagamos a passagem do ônibus ou uma consulta médica, estamos pagando um serviço.
  22. 22.           o O instrumento de trabalhar vai depender muito da disciplina que irá exercer; por ex: médico pedreiro, eletricista, um agricultor cada um terão os seus próprios instrumentos. Reconhecer a importância do trabalho e suas relações sociais e econômicas. o Na sociedade capitalista como a nossa está relacionada a atividades econômicas, salários, remuneração. Nesta mesma sociedade as pessoas estão distribuída pelo trabalho, e o que remunera melhor; pessoas estão classificadas em classes sociais, pela semelhança de trabalho e pelo poder aquisitivo. Estabelecer relações entre trabalho e salário. o A Relação trabalho e salário é uma relação de complexidade e competitividade. o Conforme o papel de trabalho será a relação de trabalho, incluindo ai a relação de mercado a lei de oferta e procura. Oferta maior de mão de obra, tendência de os salários serem menores e vice versa. Reconhecer a importância dos meios de transportes e de comunicação para o progresso do município. o Meios de transportes estão associados às rodovias, hidrovia, ferrovia aerovias Relacionada aos caminhões, navio, trem e aviões, se há produção, haverá escoamento, sem escoamento, não há o progresso, o desenvolvimento. o Os meios de comunicação, que é o contato entre a pessoa. Com as tecnologias modernas não existe mais a barreiras do espaço, celular, internet, Satélite telefone permite que você esteja online com o mundo todo virtualmente, realizando negócios as conferências, ou cursos, ou entretenimentos, ou simplesmente contato pessoal virtual. Demonstrar interesse na organização dos lugares e dos espaços locais. o O espaço está dividido entre os homens, cada um se diz o dono de um lugar, e cada um organiza este seu espaço de acordo com sua sensibilidade e melhor poder aquisitivo. Representar diversos espaços através de desenhos, planta e croqui. o A representação de cada espaço. Desenho, croqui, planta, carta, mapa temático. Observar lugares de posições diferentes, o Mapear o caminho da escola para casa e vice versa. o Desenho com nome de ruas e pontos de referencias Identificar os elementos da paisagem. o As árvores, as florestas, as flores, os pássaros, as borboletas, os rios, os mares, as montanhas, o céu. Quer mais? Viva a vida que será sempre o melhor. o Reconhecer semelhanças e diferenças entre a área urbana e rural. o Semelhança é que tanto AU ou ZR possuem telefone, energia elétrica, automóveis e uma série de utilidade movida à energia elétrica, TV, geladeira, etc. Diferenciar paisagem natural ou geográfica da paisagem cultural ou modificada.
  23. 23. o Natural não ouve a ação do homem o A humanizada ou cultural é a que sofreu algum tipo de modificação GEOGRAFIA 4° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Competência: Habilidades  Reconhecer a importância dos mapas, plantas e legendas. o Uma das formas de reproduzir a representação da realidade da paisagem são atrás, de mapas, cartas, plantas.  Elaborar legendas simples. o Pode-se usar cores ou traçados quadriculados com linhas  Identificar os elementos de um mapa.            o Título: Nome que indica o que o mapa está representando, contendo informações como o recorte espacial, o período de tempo e a temática em geral. Escala: Informação de quantas vezes o terreno real (no caso a Terra ou parte dela) foi reduzido em relação ao mapa. o Mapas são representações gráficas de uma área real, são de extrema importância para a sociedade e, especialmente, para determinados profissionais, como Geógrafos, Geólogos, Agrônomos, Engenheiros, Biólogos, Cartógrafos, dentre outros. Legenda: É um conjunto de símbolos, cores, pontos, linhas ou áreas que decodificam o que está representado no mapa. o Símbolos usados para representas a realidade Rosa dos ventos: Orientação do mapa. o Desenhos na cotitiano, uilizamos mais os cardeais e os colaterais. Fonte: Onde foi retirada a informação o Bibliografias Identificar diferentes tipos de espaços do município. o O espaço representa diversas formas topográficas. etc. o Ver os textos inclusos Diferenciar conceitos de fronteiras e limites. o Conceito inclui Elaborar mapas do município, colônias, rios, matas, estradas, serras. o Mapas inclusos Identificar funções do espaço urbano e rural. o É Interdependentes, nenhum é superior ao outro. O urbano depende das produções do ruralismo e o rural depende das ações do urbano, tais como banco, cartório, iagro; Caracterizar os principais aspectos físicos do município. o Altitude nos limita com Serra de Maracaju e baixas altitudes a margem do Santo Antônio e Miranda o Reconhecer que a atividade da agropecuária transforma relevo. o Desmatamento, destruição das matas ciliares Reconhecer a importância dos rios. o A vida biológica e vegetal não sobrevive sem água.
  24. 24.  Relatar as mudanças ocorridas na paisagem do município. o As drenagens das águas na Macias Barbosa, Visconde de Taunay e na Santa Terezinha  Compreender o processo de urbanização no município o Centro histórico ficou isolado da Vila e Bairro  Ocupação desordenada. o Urbanização sem nenhum tipo de infraestrutura  Relacionar trabalho humano aos Setores da economia. o O município oferece poucas vagas para mão de obras. o Setor que Predomina é o Primário seguido de terciários.  Valorizar as atividades turísticas do município. o Tanto Setor público quanto o privado não possuem plano para o turismo em execução. Apenas projetos  Reconhecer as atividades turísticas como fonte econômica e Lazer. o Por não haver estrutura planejada turísticas, consequentemente não há Exploração econômica e lazer.
  25. 25. 4º Ano MUNICÍPIO DE GUIA LOPES DA LAGUNANOSSA GENTE, NOSSA TERRA NOSSA HISTÓRIA Saúde – educação – segurança – obras – políticas públicas sociais – desenvolvimento econômico – produções culturais – grupos étnicos – saneamento – impostos - produções de serviços – hospital – comércio – erradicação da pobreza e do analfabetismo – geração de emprego e renda, etc. 3º Ano PARTICIPAÇÃO SOCIAL Igreja - Escola – programas e projetos sociais – vala renda – peti – aluno nota dez – escolinha de esporte – grupo de evangelização cristã – associação – grupo musical - time esportivo - 2º Ano VILA/RESIDENCIAL/BAIRRO Casa – quintal – murro – cerca – portão – calçada – vizinho – bar – mercearia – rua (s) quadra (s) - terreno baldio – lixo – esgoto – posto de saúde, posto policial, igreja - lojas – área de lazer – industrias – supermercado – lanchonete – sorveteria – asfalto – iluminação pública 1º Ano EU E MINHA FAMILÍA Sem Consanguinidade Com consanguinidade Irmãos Pai – padrasto –tios – primos - sobrinhos Mãe – madrasta – tios – primos – sobrinhos Avós Paterno e maternos – netos Avós Materno - netos
  26. 26. José Vicente Dalmolin NOSSA TERRA NOSSA TERRA NOSSA GENTE NOSSA HITÓRIA GUIA LOPES DA LAGUNA ESTUDOS SOCIAIS - HISTÓRIA E GEOGRAFIA NOS QUATROS PRIMEIROS ANOS DO ENSINO FUNDAMENRAL ” Um Olhar para Cidadania”

×