Original abag

249 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
249
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Original abag

  1. 1. As sementes são os “grãos de ouro” do agronegócio O mercado mundial de sementes movimenta US$ 37 bilhões por ano, segundo dados da Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem) Por: JESUS RIOS ___________________________ O CRÍTICO do solo. Transformavam pântanos em terras férteis para o plantio, além de estocar parte da colheita em casos de fenômenos naturais. Naquela época, já eram visíveis os primeiros passos tecnológicos para sustentar menos que um terço, dos 7 bilhões de pessoas do planeta hoje, sendo 201 milhões brasileiros. “Existe no solo um complexo enorme de organismos que podem danificar as sementes e as plântulas e todo o potencial produtivo da planta, que está armazenado nas sementes. O tratamento de sementes proporciona o controle de pragas iniciais, melhor estabelecimento do “stand” (desenvolvimento) da lavoura e melhor “arranque” das plantas. Assim, a proteção das sementes é essencial para o sucesso no estabelecimento do cultivo e no sucesso da produtividade”. Assim explica o professor, doutor do departamento de fitossanidade da Universidade Estadual Paulista (UNESP) Geraldo A semente é o núcleo da agricultura, sem ela não há o que plantar e o que colher, não há precisão de preparar a terra, de investir em máquinas para arar, adubar, plantar, molhar, não há necessidade de funcionários, de agrotóxicos ou qualquer tipo de defensivo agrícola, e caso faltem sementes de qualidade, milhões de pessoas passarão fome. Ao longo do desenvolvimento humano, o homem vem se adaptando às variações da natureza para a permanência de sua espécie, através do uso e da busca de novas tecnologias, principalmente para sua alimentação. Dados antropológicos revelam que, na antiga Mesopotâmia, nas margens dos Rios Tigre e Eufrates, os “homo sapiens” buscavam disponibilidades hídricas para a preparação Fungicidas A diferença entre a lavoura de sementes tratadas e a não tratadas
  2. 2. Papa a Revista Rural. As sementes tratadas com a quantidade de fungicida ad equada resistem às temperaturas do solo, aos seus próprios fungos e aos patógenos da terra por muito mais tempo (até 30 dias).Quantidade adequada de fungicida contribui também para a germinação saudável, influencia a redução da dose de pulverização aérea, economiza cerca de 5 % do custo total de produção da lavoura e diminui a necessi- dade da ressemeadura. Nos anos 90 cerca de 5% de sojicultores tinham condições de acesso às tecnologias das sementes; hoje são cerca de 95%. De dois sacos de sementes de 50 kg por área, muitos agricultores chegam a economizar metade dessa porcentagem. O mercado mundial de sementes movimenta US$ 37 bilhões por ano, segundo dados da Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem). Recomenda-se a compra da semente já tratada, sem que se tenha o trabalho de manipulá-la na propriedade do agricultor. O motivo que explica esta indicação corresponde à má aplicação do fungicida, inseticidas, micronutrientes, polímeros ou corantes, que devem ser conjuntos para melhor aderência e diminuição de supostos efeitos tóxicos sobre as células. Há cerca de 22 produtos registrados para o tratamento de sementes e 168 para combaterem a cultura do milho entre outras. “Sempre a aplicação deve ser com produtos e dosagens recomendados. O uso de produtos não recomendados e dosagem acima do correto irão danificar as sementes” visionou o agrônomo da Tropical Melhoramentos e Genética (TMG), Paulo Watanabe. Os equipamentos utilizados pelo próprio agricultor para o processo de manipulação convencional, como betoneira ou tambor giratório com eixo excêntrico, são inferiores às máquinas utilizadas em laboratórios especializados por não darem total cobertura e aderência às sementes, pela submissão aos riscos de intoxicação dos operadores e o tempo gasto é superior, já que cada composição do processo deve passar por tanques diferentes, uma vez que foi proibida a mistura de agrotóxicos. Quanto aos produtores que não fazem o tratamento das sementes, devem plantar dentro do melhor clima possível para diminuir risco de perda. Foi da Seed Care Institute (SCI), local onde são trabalhadas todas as tecnologias da maior tratadora de sementes do Brasil e uma das maiores do mundo a Syngenta, que surgiu a Avicta Completo - um novo conceito de sementes para milho e soja, que reúne em um só produto o controle de fungos, pragas, nematóides. Faz uma tripla proteção em sementes, com componentes corretos, nas dosagens certas para as duas culturas de sementes. O diretor de tratamentos de sementes da Syngenta, Fabian Quiroga revelou na Revista Rural (edição 179, janeiro de 2013), que está sendo desenvolvido em parceria com a Universidade da Flórida (EUA), um novo nematicida específico para nematóides de
  3. 3. cisto e um biológico ligado ao fósforo para complementarem a Avicta e a Intacta “A Syngenta investe muito neste segmento. Estamos trazendo tecnologias de fora para adaptá-las e aplicá-las aqui no Brasil” afirma ele. “Entendo que todas as pessoas querem ter a certeza de que os alimentos que ingerem e que as comidas que dão aos seus filhos são seguras. Todos os nossos produtos são submetidos a números e rigorosos ensaios científicos ao longo de vários anos, posteriormente tem que ser sujeitos à aprovação das autoridades competentes de cada país” esclarece Mike Mack, CEO da Syngenta. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) sugere que uma maneira de conhecer a qualidade do produto que se está adquirindo é consultando o Atestado de Garantia de Semente, fornecido pelo vendedor. Neles são transcritas as informações “ dos laudos de análises de semente, que têm validade até cinco meses após a data de análise. Ao consulta-lo, o agricultor deve prestar atenção às porcentagens de germinação e à sua validade, pureza física e varietal e manchas-café, indicadas na coluna. Os valores devem ser compatíveis com os padrões mínimos de qualidade de semente estabelecidos para cada estado. No Brasil, dois sistemas de produção de sementes operam integradamente, o de certificação e o de fiscalização, que ofertam sementes certificadas e fiscalizadas. Nessas duas classes de sementes, a qualidade é garantida através de padrões mínimos de germinação, purezas física e varietal e sanidade, exigidos por normas de produção e comercialização estabelecidas e controladas pelo Governo. Existe ainda um sistema online, desenvolvido para a certificação e para possibilitar a rastreabilidade dos lotes. Em junho de 2012, O Brasil foi o primeiro país da América Latina a sediar o Wold Seed Congress (Congresso Mundial de Sementes). O maior evento do mundo deste setor, que ocorreu na Cidade Maravilhosa (RJ), onde discutiram sobre o papel da semente para a agricultura sustentável, biotecnologia, fitossanidade, propriedade intelectual, tratamento, uso, produção e comércio da semente e combate à pirataria. Ao se evitar a regressão da tecnologia na agricultura e dentro das cadeias do agronegócio, defendem-se ao mesmo tempo milhares de supermercados, minimercados ou mercearias da esquina sem alimentação estocada para fornecer aos consumidores, os quais precisam se alimentar a quaisquer custos. Custos estes, que são mais acessíveis se não houver desequilíbrio no processo da oferta e da procura. Entendo que todas as pessoas querem ter a certeza de que os alimentos que ingerem e que as comidas que dão aos seus filhos são seguras. Todos os nossos produtos são submetidos a números e rigorosos ensaios científicos ao longo de vários anos, posteriormente tem que ser sujeitos à aprovação das autoridades competentes de cada país” Mike Mack, CEO da Syngenta

×