Os desafios prementes da educação ...no Sec XXI

571 visualizações

Publicada em

Apresentação que suportou a conferência "Os desafios prementes da educação ...no Sec XXI" realizada no Congresso do AE Prof Agostinho da SIlva, de Vale de Cambra, Sintra, em Julho 2015

Publicada em: Educação

Os desafios prementes da educação ...no Sec XXI

  1. 1. 10 julho 2015 José Lagarto Universidade Católica Portuguesa Os desafios prementes da educação … no século XXI,
  2. 2. na perspetiva da escola que aprende
  3. 3. “For the first time we are preparing learners for a future we cannot clearly describe.” - David Warlick
  4. 4. A escola do ano 2000 vista em 1901…
  5. 5. Era uma vez… Pai, como fizeste a tua tese de mestrado sem INTERNET ?? (Jorge Lagarto, Agosto 2006)
  6. 6. Quem são os nossos alunos? São nativos digitais? O que é isso?
  7. 7. como lidar com nativos digitais ? Quem faz um guia ??? • Não sei nada de TIC • Os alunos sabem mais que eu…é uma vergonha • Nunca perceberei aquela coisa do facebook • Eles teclam a uma velocidade espantosa…nunca serei capaz • Têm uma linguagem estranha nos telemóveis…indecifrável Os conflitos da net generation com os emigrantes digitais ?
  8. 8. Os conflitos da net generation com os emigrantes digitais ? Tem sentido falar em nativos digitais ? Haverá tribos digitais ?? (novos e “velhos”) Prensky et al
  9. 9. O “pânico moral”* dos professores *Cohen, S. (1972). Folk devils and moral panics. London: MacGibbon & Kee.
  10. 10. Refletimos as nossas práticas? Somos professores reflexivos…? Partilhamos? Questionamos ? … ou o mal é sempre dos alunos ?
  11. 11. Personal Learning Networks Distributed Learning Connectivism Computers as ‘mind tools’ for the engaging of learners in critical thinking - David Jonassen ‘New’ Social Constructivism Há novas teorias sobre aprendizagem?
  12. 12. A quem ensinamos? O que ensinamos ? Como eles aprendem? • Que nativos digitais são os nossos alunos ? Behaviourism/Instructionism
  13. 13. Beyond my reach What I can learn with help (ZPD) ZPD and scaffolding What I can learn on my own Technology and toolsKnowledgeable others Steve Wheeler, University of Plymouth, 2013
  14. 14. http://web.media.mit.edu/~papert/ “I am convinced that the best learning takes place when the learner takes charge.” – Seymour Papert SteveWheeler,UniversityofPlymouth,2013
  15. 15. We learn by making (Papert, 1960) Photo by Steve Wheeler SteveWheeler,UniversityofPlymouth,2014
  16. 16. “O papel do professor é criar as condições para a invenção, em lugar de fornecer conhecimentos já consolidados.” (Papert, 1997)
  17. 17. METODOLOGIAS INOVADORAS?
  18. 18. a estórinha da minha turma
  19. 19. Os professores refletem sobre as suas práticas? E se sim que consequências tiram disso • Mudar estratégias • Mudar modelos de ensino • Diversificar e criar contextos de aprendizagem • Refletir a sós e em grupo • Reaprender • Colaborar • Mas que apoio dá a escola a isto?
  20. 20. Para que servem as TIC (1) Para instruir (atitude instrucionista) As TIC ao serviço do prof. As TIC como substituto do Professor • Os PPT’s • Os vídeos… porque sim • a auto instrução
  21. 21. Para que servem as TIC(2) Para ensinar (atitude educativa) As TIC ao serviço do aluno As TIC como apoio à aprendizagem (nos diferentes níveis de Gagné) - Motivar - Informar - Assimilar - Sintetizar - … • Vídeos de motivação (ou outro tipo) • Simulações • Jogos • Interacção
  22. 22. Para que servem as TIC (3) Para aprender atitude de meta aprendizagem As TIC ao serviço do aluno - O conceito de UGC - como motor da aprendizagem As TIC como apoio e suporte da aprendizagem Alunos produzem documentos e aprendem Investigam, seleccionam, constroem • Webquests • Apresentações • Videos • Paginas web • …
  23. 23. Trabalhar em comunidades ??
  24. 24. Comunidades e Escola? – Porquê? • Trabalhar em grupo cria confiança na ação • Obtêm-se melhores resultados • Melhora o clima de relação pessoal – aumento da confiança • Os alunos vão ser beneficiados • Seremos melhores professores …
  25. 25. Pessoas que querem aprender… As peças soltas de saberes
  26. 26. Juntar e dar sentido aos saberes – caminhos de construção orientados para a partilha
  27. 27. Comunidades nas organizações Os indivíduos A organização Os utilizadores clientes & parceiros
  28. 28. Uma escola aprendente Repositório de conteúdos Comunidades de docentes Os especialistas Gestão do conhecimento Formação online Formação presencial Formal ou estruturada Informal
  29. 29. Temas centrados na actividade da organização Repositório de conteúdos Normas internas Instruções Documentos de trabalho Artigos temáticos Bibliografia Módulos de formação sem tutoria e de curta duração (entre 1 a 10 horas) Links para formação estruturada (interna ou externa) Acesso à informação Formação Informal ou formal Construção do conhecimento
  30. 30. Os experts From: Rosenberg (2007)
  31. 31. Onde estão os especialistas? From: Rosenberg (2007)
  32. 32. Os experts • Vantagens: • Identificação das competências internas • Organização de portfólio de competências • Aumento de auto-estima pessoal e organizacional • Diminuição do tempo de implementação de formação pelo uso de recursos internos
  33. 33. Comunidades de prática e Escola/Agrupamento ? Grupos disciplinares (Mat, Port, …) Diretores de turma Conselhos de turma (…) Partilhas Práticas Temas comuns
  34. 34. Exemplos de temas • Indisciplina na Escola • Visitas de estudo • Crise da adolescência • Uso de telemóveis • Práticas de uso de tablets • Observação de aulas • … Partilhas Práticas Temas comuns
  35. 35. Na escola Repositórios locais Experts Comunidades diretor professores coordenadores professores
  36. 36. • Aceder, avaliar e usar diferentes formas de informação • Fluência nas ferramentas tecnológicas • Pensamento crítico Aprender (Sempre) • Uso de diferentes media na apresentação das ideias • Originalidade • Resolução de problemas Criar (Inovar) • Trabalho em equipa • Comunicação eficiente de ideias complexas • Consciencialização da diversidade cultural Colaborar (CoP) As competências chave dos professores
  37. 37. Standards de competências dos docentes The UNESCO Competency Standards framework for teachers
  38. 38. SteveWheeler,UniversityofPlymouth,2011 “The digitally literate teacher will be convinced of the efficacy and usefulness of the connected computer.”
  39. 39. inovar ??... Assim ???
  40. 40. Calma… nada de pânico!
  41. 41. Ensinar em ambientes do sec XXI É mesmo um desafio para os professores
  42. 42. Agradecimentos • Ao Steve Wheeler … pela cedência de alguns ecrãs
  43. 43. Obrigado pela vossa atenção jlagarto@ucp.pt

×