RELATÓRIO DE VIAGEM
PROCESSO / OFÍCIO N.º: 73/2012/324/E
INTERESSADO (A): Deborah Oliveira de Souza e Silva
Leopoldine Sol...
como finalidade orientar as concessionárias dos sistemas ferroviários quanto às
diretrizes mínimas a serem abordadas neste...
 Chile:
Andrés Pica
MSc Engenheiro Civil Industrial Ambiental. Apresentou trabalho sobre riscos
ambientais solicitado pel...
mjwolansky@qb.fcen.uba.ar
Vice-Presidente: Sandra Demichelis (Argentina): sandrademichelis@yahoo.com
Secretária: Mabel Pad...
Almoço com Olivier Salvi (INERIS) e representantes da ECOPETROL, empresa
colombiana que explora o petróleo do país.
Coment...
relacionadas com gerenciamento de risco ambiental e tecnológico, para discutir diversas
maneiras de aplicação de técnicas ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

08a13 abr-2012

244 visualizações

Publicada em

ffffff

Publicada em: Serviços
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
244
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

08a13 abr-2012

  1. 1. RELATÓRIO DE VIAGEM PROCESSO / OFÍCIO N.º: 73/2012/324/E INTERESSADO (A): Deborah Oliveira de Souza e Silva Leopoldine Solange Montiel Frioni INSTITUIÇÃO / ÁREA: CETESB / IEIR (Setor de Análise de Risco) DESTINO/LOCAL: Bogotá (Colômbia) – Universidad de los Andes PERÍODO: 8 a 13 de abril de 2012 MOTIVO DA VIAGEM: Participação do II Congreso regional SRA-LA “De la prevención a la atención” Importância do Evento: O II Congreso Regional SRA-LA 2012: De la prevención a la atención foi promovido pela Sociedade de Análise de Riscos da América Latina (SRA-LA). Esta sociedade foi criada a partir do grupo da SRA (Society for Risk Analysis) com o objetivo de trabalhar de forma ampla com a análise, o atendimento, a comunicação, a regulação dos riscos e a mitigação dos desastres de forma multidisciplinar e interdisciplinar, visando os principais problemas dos países da América Latina. Esta sociedade organiza congressos a cada dois anos para divulgar os trabalhos realizados e promover a troca de informações entre os países da América Latina. Foram três dias de congresso com a apresentação de 71 trabalhos de especialistas de várias áreas que abordam análise de riscos, incluindo os seguintes temas:  Mudanças climáticas  Comunicação do risco  Desastres naturais  Contaminação  Sistemas de respostas emergenciais  Gestão do risco e políticas públicas  Fontes de energia alternativas  Saúde pública  Desenvolvimento sustentável Houve a divulgação das atividades realizadas pelo Setor de Análise de Riscos da CETESB com a apresentação, em forma oral, dos seguintes trabalhos:  Gerenciamento de risco no transporte ferroviário no Estado de São Paulo. Este trabalho foi apresentado pela Quím. Deborah Oliveira de Souza e Silva, sendo enfatizada a necessidade de apresentação de um Programa de Gerenciamento de Risco e de um Plano de Ação de Emergência para os sistemas ferroviários em processo de licenciamento no Estado de São Paulo, com a finalidade de minimizar os impactos ambientais causados, prevenir acidentes e mitigar os respectivos riscos impostos ao meio ambiente e à população, os quais são baseados nos documentos “Roteiro para a elaboração de Programa de Gerenciamento de Riscos para o transporte ferroviário de produtos perigosos” e “Roteiro para a elaboração de Plano de Ação de Emergência”, elaborados em 2002 e revistos em 2003 pelos Setores de Análise de Riscos de Atendimento à Emergência. Tais documentos têm
  2. 2. como finalidade orientar as concessionárias dos sistemas ferroviários quanto às diretrizes mínimas a serem abordadas nestes programa e plano.  Estabelecimento do método de cálculo e do critério de tolerabilidade de risco para dutos em São Paulo Este trabalho foi apresentado pela MSc. Eng. Leopoldine Solange Montiel Frioni, sendo enfatizada a inclusão do método de cálculo do risco e do critério de tolerabilidade na norma CETESB P4.261. Esta norma está em processo de revisão desde 2009, encontrando-se no momento na etapa de consulta pública. O público que estava assistindo a apresentação foi informado da possibilidade de participação desta consulta pública. O foco principal da apresentação foi o estabelecimento do critério de tolerabilidade, mostrando-se a lógica utilizada para se adequar o critério de tolerabilidade que hoje é utilizado apenas para as instalações pontuais (indústrias) e as considerações para ajustá-lo à realidade do Estado de São Paulo. Contatos Efetuados: Os contatos realizados ocorreram durante as apresentações orais, as apresentações de posteres e nos intervalos das apresentações. Houve troca de cartões e endereços eletrônicos.  Colômbia: Felipe Muñoz Giraldo Professor assistente do Departamento de Engenharia Química. Foco de trabalho em segurança de processos e modelagens (utilizando softwares 3D) Universidad de los Andes fmunoz@uniandes.edu.co Mauricio Sánchez Professor do curso “Análise probabilístico do risco” (Departamento de Engenharia Química). Foco de trabalho em confiabilidade Universidad de los Andes msanchez@uniandes.edu.co Jaime E. Cadena G. Mestrando do Departamento de Engenharia Química. Foco do trabalho em segurança de processos Universidad de los Andes ja-caden@hotmail.com Indira Barrios Mendoza Mestranda do Departamento de Engenharia Química. Foco do trabalho em cálculo do risco no transporte Universidad de los Andes indirabar@hotmail.com
  3. 3.  Chile: Andrés Pica MSc Engenheiro Civil Industrial Ambiental. Apresentou trabalho sobre riscos ambientais solicitado pelo governo chileno para utilização no controle das indústrias. GreenLabUC – Gestión y Política Ambiental DICTUC S.A. apica@dictuc.cl  México: Mabel Padlog Socióloga. Professora do curso “A investigação qualitativa nos estudos sobre riscos”. Foco do trabalho em percepção e comunicação do risco. Universidad de Guadalajara mpadlog@cencar.udg.mx Antonio Cornejo Matemático. Trabalha em um banco na área de seguros de instalações prediais e industriais. jacornejo2003@gmail.com  Argentina: Cristina Massera Geógrafa. Foco do trabalho com GIS e padronização dos dados cbmassera_995@hotmail.com cris_mass_995@yahoo.com.ar  França Olivier Salvi Direction des Risques Accidentels Délégué Scientifique. Apresentou na plenária a gestão de riscos desenvolvida para as novas tecnologias industriais, como exemplo as de biocombustíveis, na comunidade européia. INERIS olivier.salvi@ineris.fr  Brasil: Dayse Maria Simplicio: dmsimplicio@eidos.com.br Elizabeth Nunes Alves: elizabeth@engine.eng.br Marcos A. Franco Portela: portela@agrengenharia.com.br Sandra Tschirner: tschirner@uol.com.br Sara Zaed: sara.zaed@zaedengenharia.com.br  Participantes da comissão da SRA-LA: Presidente: Marcelo Wolansky (Argentina): presidencia.srala@gmail.com
  4. 4. mjwolansky@qb.fcen.uba.ar Vice-Presidente: Sandra Demichelis (Argentina): sandrademichelis@yahoo.com Secretária: Mabel Padlog (México): secretaria.srala@gmail.com mpadlog@cencar.udg.mx Tesoureiro: Hugo Murcia Agudelo (Colombia): tesorero.srala@gmail.com hugofmur@yahoo.com Conselheiros: Elizabeth Nunes Alves (Brasil), Inés Navarro González (México) Participantes da comissão anterior da SRA-LA: Esperanza López Vázquez (México): espelva@mac.com Rosa María Flores (México) Ursula Oswald (México) Material Técnico Adquirido: A comissão do congresso disponibilizou, no site do congresso e da universidade, um link onde podem ser acessados todos os resumos estendidos dos trabalhos apresentados. O endereço eletrônico das memórias do congresso é: http://congresosrala2012.uniandes.edu.co/images/memoriassrad.pdf Formas de divulgação dos trabalhos: Foi publicado no site, mencionado acima, o resumo estendido dos trabalhos apresentados no congresso. Foram realizadas apresentações orais dos trabalhos:  Gerenciamento de risco no transporte ferroviário no Estado de São Paulo  Estabelecimento do método de cálculo e do critério de tolerabilidade de risco para dutos em São Paulo Outras atividades desenvolvidas durante o evento: Participação em dois cursos pré-congresso, sendo cada um de 4 horas na Universidad de los Andes, os quais ocorreram antes do início do congresso:  Análisis probabilístico del riesgo  La investigación cualitativa en los estudios sobre riesgos Foi visitado o laboratório do Departamento de Engenharia Química da Universidad de los Andes, onde foi demonstrada a utilização do software FLACS (3D).
  5. 5. Almoço com Olivier Salvi (INERIS) e representantes da ECOPETROL, empresa colombiana que explora o petróleo do país. Comentários pessoais: Nesta edição do congresso, foram propostos três cursos que ocorreram antes da abertura do congresso e das apresentações dos trabalhos, cujos temas foram variados e muito interessantes. Os temas dos cursos foram:  Como estudar áreas contaminadas em regiões com riscos de conflito  Análise probabilística do risco  A investigação qualitativa nos estudos sobre risco Não foi possível assistir a todos os cursos, pois os mesmos estavam ocorrendo simultaneamente, portanto, foram escolhidos aqueles que estavam mais diretamente ligados ao dia-a-dia do Setor de Análise de Riscos. O congresso foi dividido nas apresentações orais, as quais ocorreram em três auditórios simultaneamente, apresentações de pôsteres e plenárias com assuntos diversificados:  Mudança climática, apresentado por Inés Camilloni (Formada em Ciências Meteorológicas e Ph.D. em ciências da atmosfera);  O panorama de risco de áreas contaminadas na América Latina, apresentado por Fernando Díaz-Barriga (diretor do centro colaborador da Organização Mundial da Saúde para a Saúde Amiental Infantil e a Avaliação de Riscos na Faculdade de Medicina da UASLP);  Sistema geral de gestão de risco, apresentado por Carlos Iván Márquez (diretor da Unidade de Gestão de Risco da presidência da Colômbia);  Segurança e gestão de risco emergente para as novas tecnologias industriais, apresentado por Olivier Salvi (secretário geral da Plataforma Tecnológica Européia de Segurança Industrial do instituto francês INERIS);  Serviço Geológico Nacional, apresentado por Marta Lucia Calvache (diretora do Serviço Geológico da Colômbia);  Aplicações de risco ambiental na América Latina (fórum). Pudemos observar que vários trabalhos, assim como apresentações da plenária e de um dos cursos do pré-congresso, abordaram de forma aprofundada os temas relacionados com percepção de risco e comunicação do risco. Comparando nossa participação no congresso anterior e no deste ano, observamos que estes assuntos estão ganhando cada vez mais espaço nos países da América Latina, com preocupação maior voltada para acidentes decorrentes de desastres naturais. Por serem temas de grande importância para a ferramenta de gerenciamento de riscos, sugerimos que no Estado de São Paulo, a CETESB poderia enfatizar o desenvolvimento e a prática destas ações em seus processos de licenciamento e controle. Ainda como sugestão, seria interessante promover internamente, na CETESB, uma reunião envolvendo diversos setores da Companhia, que desenvolvem atividades
  6. 6. relacionadas com gerenciamento de risco ambiental e tecnológico, para discutir diversas maneiras de aplicação de técnicas sobre percepção e comunicação de risco nas suas áreas de atuação, as quais poderiam ser empregadas nos processos de licenciamento ambiental, de tratamento de áreas contaminadas, em situações de emergência, mortandade de peixes, entre outros temas. A primeira edição deste congresso latino-americano foi realizado no Chile, há dois anos. Foi observado naquela época que nenhum dos países participantes do congresso possuía normas ou diretrizes adotadas pelos governos relacionadas com medidas preventivas aplicadas aos riscos tecnológicos, como é realizado no Brasil. Esta constatação foi verificada nesta edição também, porém notamos um avanço por parte do governo do Chile com o desenvolvimento (em parceria com a universidade) de um método para analisar o risco ambiental, sendo considerado o risco tecnológico, o risco social, econômico, ambiental, entre outros para decisão em seu processo de controle da poluição dos empreendimentos industriais. Embora na Colômbia, também não existam exigências legais com relação à quantificação do risco, ficamos impressionadas com o engajamento da universidade para desenvolver o tema. Diversos trabalhos já foram propostos e publicados e o grupo de estudos, composto pelo professor Felipe Muñoz Giraldo e os alunos de mestrado e graduação, desenvolveu trabalhos com a utilização do software FLACS, o qual realiza simulações 3D de vazamentos e efeitos físicos. Como uma terceira sugestão seria interessante contatar o Prof. Felipe Muñoz Giraldo, do Departamento de Engenharia Química da Universidad de los Andes, para verificar a possibilidade de um intercâmbio, bem como uma possível visita a esta CETESB, com a finalidade de capacitação técnica e/ou troca de informações acerca do modelo 3D utilizado por esta Universidad e discussão sobre os resultados obtidos e limitações técnicas de tal modelo e de outros softwares utilizados para o cálculo das consequências decorrentes de acidentes com substâncias químicas. O evento também foi importante pelo fato de mostrar outros aspectos dos riscos que estão sendo estudados nas diversas áreas: riscos naturais, psicologia, riscos à saúde, entre outros, assim como estreitar os laços com os outros representantes brasileiros. Eng. Leopoldine S. Montiel Frioni Quím. Deborah Oliveira S. Silva Reg. nº 01.6545-4/CRQ 004350024 Reg. nº 01.6137-1 / CRQ 04120776

×