natureza e arte



                                                                                                       ...
Campo rupestre
Campo rupestre, classicamente, é conside-          rizomas e/ou folhas; folhas espiraladas ou           As ...
Projeto Caracterização de Ecossistemas concluído
com atividades para os jardineiros do Inhotim

                          ...
Símbolos Nacionais

                                                                           trelas da bandeira, para pe...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sala Verde Inhotim Informativo 17

442 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sala Verde Inhotim Informativo 17

  1. 1. natureza e arte N º 17 - N OV- D E Z / 20 0 8 INforMAtIvo sAlA verde Sala Verde Inhotim é um espaço interativo onde biodiversidade e pluralidade cultural são destaques. A parceria do Instituto Cultural Inhotim com o Ministério do Meio Ambiente, celebrada em 2006, é uma referência na região para difusão de informações e práticas ambientais. Para receber Natureza e Arte, envie e-mail para meioambiente@inhotim.org.br . Resultado de pesquisa mostra a boa qualidade e a diversidade de ambientes do Inhotim. fotos: eduardo franco Cascavel (Crotalus durissus). Lagarto papa-vento (Enyalius bilineatus). Perereca-verde (Phyllomedusa burmeisteri) Estudo que realiza o levantamento das espécies de anfíbios e répteis do Inhotim chega à sua reta final e já apre- senta excelentes resultados, o que caracteriza a diversidade de ambientes oferecida pelo Parque Tropical e pela Reserva Natural do Instituto. Alguns grupos de espécies são conhecidos por serem bioindicadores. Bioindicadores são espécies ou grupos taxonômicos superiores, com características que podem ser usadas como um índice para análises de qualidade ambiental, que às vezes, pelos métodos tradicionais, são caras e complexas. A herpetofauna é um grupo de animais que pode e é utilizado como bons indicadores e os resultados obtidos pelo biólogo Antônio Linares, mestrando do Programa de Pós-graduação em Zoologia dos Vertebrados da PUC Minas, evidenciam a diversidade de ambientes e a conseqüente riqueza de espécies encontrada na área do Inhotim. Os resultados obtidos até então mostram uma lista de 10 espécies de lagartos, 21 espécies de serpen- tes e 32 espécies de anfíbios. O projeto de levantamento, que é coordenado pela Profª Drª. Paula Eterovick e ainda conta com o estagiário Vitor Souza Borges, se encerra em dezembro deste ano. Já para 2009, novos trabalhos estão sendo planejados, dando continuidade aos estudos destes animais dentro da área do Instituto.
  2. 2. Campo rupestre Campo rupestre, classicamente, é conside- rizomas e/ou folhas; folhas espiraladas ou As principais formações rochosas dos cam- rado como uma das fitofisionomias do bio- imbricadas, cobertas por tricomas e/ou pos rupestres, em ordem decrescente de ma Cerrado, apesar de muitos o considera- cera; caducifólia pronunciada, entre outras predominância, são: quartzito (rocha rica rem um bioma a parte. Está localizado nas adaptações. Neste ambiente, estas es- no mineral de quartzo – foto 2) e canga partes geralmente acima de 1000 metros pécies geralmente crescem sobre ou nas lateritica (rocha rica em minério de ferro e de altitude da Cadeia do Espinhaço (MG e fendas das rochas, muitas vezes sobre uma fósforo – foto 1). A segunda é a mais ame- BA), Chapada dos Veadeiros (GO), Quadri- camada fina de solo ácido, arenoso e escu- açada porque sua base é o próprio minério látero Ferrífero (MG) e Serra da Canastra ro. As famílias botânicas que dominam no de ferro. (MG). Em alguns pontos, como a maioria campo rupestre, em ordem decrescente, Inhotim trabalha com a conservação de do entorno do Quadrilátero Ferrífero e o são: Asteraceae, Orchidaceae, Poaceae, algumas espécies endêmicas e/ou domi- leste da Cadeia do Espinhaço, a influência Melastomataceae, Eriocaulaceae, Vellozia- nantes em algumas cangas lateríticas do da Mata Atlântica sobre o campo rupestre ceae e Xyridaceae. Aproximadamente 30% município de Brumadinho, através do res- é bem maior que o Cerrado. No norte desta das espécies vegetais que ocorrem neste gate em áreas que serão impactadas pela Cadeia a influência maior é da Caatinga. ambiente são endêmicas e a maioria está extração do minério de ferro (foto 3). No campo rupestre predominam espé- ameaçada de extinção, devido principal- cies herbáceas e arbustivas que são bem mente a destruição de seus habitats (pas- fotos: rubens Custodio da Mota adaptadas a esse ambiente. Estas espécies tagens, incêndios, urbanização descontro- podem ter estruturas de reserva bem de- lada, mineração etc.) e a coleta predatória senvolvidas, como bulbos, raízes, caules, (orquídeas, bromélias, sempre-vivas etc.). Foto1 Foto 2 Foto 3 Campo rupestre sobre canga laterítica Campo rupestre sobre Quartzito Resgate florístico em canga Capacitação para o ecoturismo De 14 a 20 de setembro, Gustavo Ferraz, turismólogo e educador ambiental do Inhotim, participou do curso “Uso Público e Ecoturismo em Unidades de Conservação” promovido pela Fundação O Boticário, na Reserva Natural Salto Morato, em Guaraqueçaba – PR. O conteúdo obtido no curso tem importância fundamental para o planejamento da visitação ao Parque Tropical e à Reserva Natural, preservada por Inhotim. Atualmente, tramita um processo para que seja homologada a Reserva Particular do Patrimônio Natural Inhotim (RPPN Inhotim), onde parte dessa área será transformada em uma Unidade de Conservação Federal para uso sus- tentável. Gustavo teve também a oportunidade de conhecer a Estação Natureza, localizada em Curitiba. A estação tem como intuito aproximar a natureza e a população dos centros urbanos, unindo diversão, conhecimento e consciência para conservação da natureza. Além de contribuir com metodologias para o manejo das áreas visitadas e avaliar os impactos gerados pela visitação, a participação de Gustavo no curso foi também uma oportunidade de divulgar Inhotim entre os demais partici- pantes, e favorecer o intercâmbio com a Fundação O Boticário de Proteção à Natureza.
  3. 3. Projeto Caracterização de Ecossistemas concluído com atividades para os jardineiros do Inhotim Nos dias 25 de setembro e 2 de outubro, os jardineiros do Inhotim participaram do minicurso: fertilidade dos solos eJardinagem. esse é um dos produtos finais do Projeto Caracterização de ecossistemas e Ações Ambientais para a área do Instituto Cultural Inhotim, desenvolvido em parceria com a eMAter – MG. Ministrado pelo eng. Agrônomo Msc., Márcio Mello, com aulas teóricas e práticas, o minicurso contemplou temas interessantes e contextualizados ao cotidiano dos jardineiros. Mais do que aprofundar o conhecimento, o encontro contribuiu também para a integração das equipes e divulgação dos trabalhos realizados pela equipe ambiental do Inhotim. fotos: regina Benedetto Aprender e ensinar No dia do Professor –1 de outubro – os educadores ambientais José André e Gustavo ferraz realizaram 5 atividades com os monitores do Inhotim. filmes e apresentações de slides permearam a discussão, que aconteceu no espaço tamboril. Alguns temas abordados foram: modalidades de educação formal, não- formal e informal, interpretação e educação ambiental, atuação em rede, consumo consciente, percepção ambiental, ecoturismo e trilhas interpretativas. recado de uma Jovem Agente Ambiental o Programa Jovens Agentes Ambientais é desenvolvido pelo Inhotim em parceria com o Banco BMG, via lei rouanet. de forma criativa e espontânea, a aluna thais silva reis expressa seu carinho pelo curso. A equipe de Meio Ambiente Inhotim agradece! Aprendendo no Inhotim “No INHotIM nós estudamos olhe bem nossas plantinhas No curso Jovens Agentes Ambientais Maravilha... Muito belas Aprendemos sobre as plantas foi deus quem as fez bonitinhas e também os animais. Cuidado com todas elas!!!” Passam os dias! tudo passa Thais Silva Reis Aprendemos sem parar Atenção?! Ó visitante Papel no chão? Nunca jogar. foto: Karla Xavier
  4. 4. Símbolos Nacionais trelas da bandeira, para permitir que todos os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal fos- sem representados. A Bandeira do Brasil pode ser usada, com o devido respeito, em todas as manifestações de sentimento patriótico dos brasileiros, mas para ser hasteada, ela deve Bandeira do Brasil estar na mais perfeita ordem (não pode estar po, a Bandeira Nacional deve ser a primeira Armas Nacionais suja, ou rasgada, por exemplo). Quando não a atingir o topo e a última a descer dele. Em São considerados Símbolos Nacionais do estiver hasteada, a bandeira deve ser guardada Brasília – Distrito Federal, a Bandeira Nacional Brasil: a Bandeira, o Hino Nacional, as Armas está permanentemente hasteada em um mas- Nacionais e o Selo Nacional. A Bandeira Na- tro com mais de 100 metros de altura. Em sua cional foi projetada em 1889 por Raimundo base, há a seguinte inscrição: “Sob a guarda do Teixeira Mendes e por Miguel Lemos, e de- povo brasileiro, nesta Praça dos Três Poderes, a senhada por Décio Vilares. Ele se inspirou na Bandeira sempre no alto - visão permanente bandeira do Império, desenhada pelo pintor da Pátria”. Nas escolas públicas e particulares francês Jean Debret. A esfera azul onde hoje de todo o Brasil é obrigatório o hasteamento aparece a divisa positivista “Ordem e Progres- Selo Nacional solene da Bandeira Nacional durante o ano le- so” substituiu a antiga coroa imperial. Dentro em local digno. Não é permitido, por exemplo, tivo, pelo menos uma vez por semana. Quan- da esfera estava representado o céu do Rio utilizar a Bandeira Nacional como vestimenta, do inservíveis, as bandeiras são incineradas em de Janeiro com a constelação do Cruzeiro do pano de boca, toalha de mesa, embrulho, ou solenidade por uma autoridade militar, sempre Sul tal como apareceu às 8h30 do dia 15 de de outras formas que demonstrem desres- em 19 de novembro, no Dia da Bandeira. novembro de 1889, dia da Proclamação da peito. Se em uma cerimônia, várias bandeiras República. Em 1992, uma lei modificou as es- forem hasteadas ou arriadas ao mesmo tem- Novembro Dezembro FASES DA LUA Dia 6 crescente Dia 5 crescente Equipe Sala Verde Inhotim Dia 13 cheia Dia 12 cheia José André Verneck Monteiro – Coordenador Dia 19 minguante Dia 19 minguante Sirlene Cassiano - Bibliotecária Dia 27 nova Dia 27 nova Cristiane Cäsar – Bióloga, MSc. Marcus Friche Batista - Biólogo Novembro Dezembro Regina Paula Benedetto de Carvalho - Geógrafa Dia Dia Rubens Custódio da Mota – Botânico, MSc. C E L E B RA R E 5 – Dia da Cultura e da Ciência 03 – Dia Internacional da pessoa Anete Teixeira Formiga – Bióloga, MSc. 14 – Dia Nacional da Alfabetização portadora de deficiência 15 – Proclamação da República 10 – Dia Internacional dos Direitos Gustavo Junqueira Ferraz - Turismólogo 19 – Dia da Bandeira Humanos Eduardo Franco – Biólogo 20 – Dia Nacional da Consciência Negra 1 – Dia do Arquiteto e do Engenheiro 1 22 – Dia do Músico 13 – 2º Aniversário da Sala Verde Inhotim Ângelo Márcio Santos Silva – Diretor de Meio Ambiente 27 – Dia do Técnico em Segurança do 15 – Dia do Jardineiro Trabalho 21 – Início do verão APoIo: www.INHotIM.orG.Br MeIoAMBIeNte@INHotIM.orG.Br + 55 31 3 571- 6 6 3 8

×