Pronto - 14.03.2013

634 visualizações

Publicada em

Pronto - 14.03.2013

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
634
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
130
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pronto - 14.03.2013

  1. 1. QUINTA-FEIRA - Recife, 14 de março de 2013 www.pronto2013.wordpress.com Renatta Gorga VERSÃO IMPRESSA Esforço começa desde a difícil escolha do tema. Orientador compatível com o projeto também O desafio de deve ser levado em conta. Pág. 4 fazer o TCC Marina Mahmood PAIXÃO JABOATÃO Creche arrombada pela quinta vez O colecionador Handerley Souza de vinis Fábio Cabral tem um acervo de mais de 3 mil discos e CDs reunidos ao longo de 36 anos. Na coleção, obras completas de artistas como Alceu Valença, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Teresinha de Jesus e Moraes Moreira. Hoje, ele é Ladrões reviraram objetos, mas não levaram dono de uma loja na Zona Norte do nada. Funcionários do local reclamam da insegurança nas redondezas. Recife. Apesar do número surpreendente Pág. 2 de objetos guardados, ele garante que tem o pé no chão e que nunca manteve o hobby à base de “maluquices”. Sal em excesso é causador da pressão alta Pág. 3 Pág. 2
  2. 2. 2 Recife, 14 de março de 2013 - QUINTA-FEIRAÚLTIMAS NOTÍCIASCreche arrombada pela quinta vezHANDERLEY SOUZA tada cinco vezes. Mães de alunos e funcioná- A creche Mundo Encantado, rios estão preocupados com alocalizada no bairro do Curado insegurança no local. “A genteIV, em Jaboatão dos Guarara- fica desprotegida. Vários ar-pes, sofreu mais uma investida rombamentos já houve aqui.de bandidos na madrugada da Faz mais de cinco anos queúltima quarta-feira. De acordo não tem segurança e a gente fi-com a polícia, os ladrões entra- ca a mercê dos vândalos”,ram pelo telhado, reviraram ob- afirmou uma funcionária quejetos e fugiram sem levar nada. preferiu não revelar o nome. A instituição atende 150 A diretora da creche foi até acrianças e um grupo de idosos, Secretaria de Educação de Ja-que parou as atividades após o boatão para pedir providên-roubo do aparelho de som. Só cias. A polícia ainda não temeste ano, a creche já foi assal- pistas dos autores do crime. Espaço no bairro do Curado IV, em Jaboatão, ficou todo revirado.PERIGOQuedas podem abrir porta para doenças em idososLUIZ FILIPE FREIRE O coordenador do setor de ortopedia do Hospital Miguel Conforme estudo realizado Arraes, Francisco Couto, expli-pela Sociedade Brasileira de ca que a preocupação maior éOrtopedia e Traumatologia, um com os riscos das quedas. “Oem cada quatro idosos é sub- idoso deve passar por cirurgiametido a cirurgia por causa de em até 48 horas. Quanto maisfraturas advindas de tombos. tempo demorar, maiores os ris-Foi o caso da aposentada Luí- cos de infecção respiratória,za Lima, de 81 anos, que preci- trombose e de morte”, alerta.sou ter um pino metálico im- Entre as recomendações pa-plantado no fêmur após um in- ra evitar acidentes, está umacidente. “Ainda não consigo dieta à base de vegetais e dedobrar minha perna doente. leite e derivados, produtosMas fiz a operação e ando nor- alimentícios que fortalecem os ossos. Em caso de acidente, cirurgia deve ser realizada imediatamente.malmente”, relata.SAÚDEHipertensão: sal excessivo é um dos vilões MAYRA CAVALCANTI um íon que tem como função cada pessoa consuma menos básica equilibrar as pressões de cinco gramas de sal por dia, Refrigerantes, comidas en- internas das células. Durante mas, apenas um pacote de sal- latadas e industrializadas. Es- esse processo, o sódio acaba gadinho, por exemplo, possui ses tipos de alimentos são os retendo líquidos, e, à medida um grama da substância. principais vilões quando o que isso acontece, a pressão A funcionária pública Marise assunto é a quantidade de só- arterial se eleva. "Por isso que Melo, de 56 anos, descobriu- dio. Popularmente chamada quem tem pressão alta deve se há alguns anos com hiper- de sal de cozinha, a substância evitar a ingestão de sal. As tensão arterial. Apesar de já ter tem um papel importante no doenças cardiovasculares, por casos na família, ela não fazia equilíbrio do corpo, mas se exemplo, são as responsáveis atividades físicas ou dietas. consumida abusivamente, po- por um terço das mortes que "Comecei a sentir fortes dores de causar o aumento da pres- ocorrem atualmente", declarou na nuca e na cabeça. Ao con- são arterial. Essa elevação o médico. Ainda segundo Pau- sultar o médico, ele disse que também pode provocar conse- lo, o sal não foi descoberto estava com hipertensão. Des- quências mais graves, como como um tempero, mas como de então, tento evitar comer os infartos e os Acidentes Vas- um conservante, por impedir a comidas muito salgadas e to-Desde que descobriu que culares Cerebrais (AVCs). proliferação de bactérias. mo remédio para controlar atinha a doença, Marise De acordo com o cardio- A Sociedade Brasileira de doença todos os dias", relatareduziu o consumo do sódio. Cardiologia recomenda que Marise. logista Paulo Sérgio, o sódio é
  3. 3. Recife, 14 de março de 2013 - QUINTA-FEIRA 3 Amante dos VINIS Não é todo mundo que coleciona sem obsessões. Fábio Cabral, dono da loja Passa Disco, alimenta a sua coleção vagarosamente há 36 anos BÁRBARA BURIL “ Eu não sou maluco. Sou normal”, diz logo de início um dos mais conhecidos colecionadores de vinis de Recife, Fábio Cabral, de 50 anos, que é agrônomo de formação e ven- dedor de LPs por vocação. Dono da loja Passa Disco, localizada no Shopping Sítio da Trindade, no Parnamirim, Zona Norte do Recife, Fábio confessa ter em casa aproximadamente 1.500 vinis e outros 1.500 CDs. “Mas não coleciono na loucura. Na ho- ra que vira maluquice, fujo”, explica ele, que diz nunca ter dado fortunas em um LP. Inteligente ele. É que, por anos, Fábio correu atrás de um último disco para completar a coleção de vinis de Alceu Valença, Colecionador conseguiu mas só encontrava o item a valores exorbitantes. “Na antiga loja Disco Sete, por exem- reunir discos de artistas plo, o LP custava um salário mínimo da época. Imagine só! Claro que não comprei. Até como Alceu Valença, Elba que, certo dia, encontrei o vinil por R$ 30 na feira de vinis da Passa Disco”, detalha o Ramalho, Geraldo Azevedo, colecionador. Foi assim que Fábio completou a coleção de Alceu Valença. Teresinha de Jesus e Para curtir a aquisição, tirou os LPs do cantor pernambucano da estante, reuniu Moraes Moreira. todos eles e fez várias fotos da coleção completa. “Esse prazer é até meio adoles- cente”, explica Fábio. Arrematar o último item de uma antologia, para ele, é só curtição, longe das loucuras de quem é obcecado pela própria coleção. Foi com leveza, aliás, que ele conseguiu reunir todos os discos de músicos como Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Teresinha de Jesus e Moraes Moreira. O início Mas não só de discos foi alimentado o impulso colecionista de Fábio Cabral. Desde “ pequeno, incentivado pelos próprios pais, ele coleciona selos e cartões postais. Mas admite ter deixado um pouco abandonadas as coleções iniciadas na infância, depois que começou a arqueologizar os vinis, em 1976, quando ganhou de presente de um Não coleciono colega, o LP Caros Amigos, de Chico Buarque. Encantado pelo disco e já previamente apaixonado pela música, Fábio iniciou a na loucura. Na coleção que lhe inspiraria no futuro a abrir uma loja especializada no ramo. Antes disso, hora que vira quando ainda era adolescente, corria atrás de tudo o que tinha cara de LP. “Eu prezava pela quantidade. Hoje prezo pela qualidade. Não tinha critério nenhum, hoje tenho”, maluquice, fujo. conta. Por ter um afeto especial pela música, resolveu abrir uma loja há dez anos, projeto ” que era aliado em paralelo com o trabalho de jardinagem. Quando a loja cresceu mais que os serviços agrônomos, optou por se entregar de vez aos seus prazeres de vida. É assim que ele passa os dias: escutando música, vinil após vinil. “Quando acaba um, coloco logo outro”, revela Fábio, que também confessa não ter som no carro para não se desconcentrar na direção. Mas em casa tudo o que ele quer é silencio. É lá, aliás, que ele também guarda a coleção de azulejos do pai. Foi ele que mostrou a Fábio o que é ser amante das coisas.
  4. 4. 4 Recife, 14 de março de 2013 - QUINTA-FEIRA TCCTrabalho que possibilita a RENATTA GORGA a última etapa da graduação ginal, só para ter o sentimento de possuí-conclusão dos cursos la”, explicou. “Não é um trabalho qualquer, é uma produ- O formato do TCC de Samanta será mo-universitários exige esforço e ção sua, um retorno que você dá à socie- nografia e, para tanto, é feito individual-paciência dos estudantes. dade e ao mercado de trabalho”. Esta frase mente. Por um lado, não há brigas entre da professora Wilma Morais define o que é parceiros. No entanto, a garota precisa seDificuldades podem surgir no um Trabalho de Conclusão de Curso, mais esforçar para concluir todas as fases domeio do caminho conhecido apenas como TCC. Uma sigla trabalho até o mês de maio. “Eu até con- tão pequena mas que possui um peso sigo sair, namorar, ficar com a família, mas enorme no último ano de faculdade de tem horas que preciso ficar em casa para qualquer aluno. E para executar esta mis- adiantar algumas coisas, senão, não saio são, é necessário que o dis- do lugar”, afirma. A maior parte da produ- cente procure já ir se afei- ção, segundo a discente, ocorre no es- çoando a temas, durante o tágio, que é onde ela passa a maior parte curso, e que escolha um do tempo. “Eu já chego em casa tarde. En- orientador com o qual te- tão, não dá tempo de fazer muita coisa”, nha afinidade. diz. A estudante de Publi- A mesma dificuldade não foi tão sentida cidade Samanta Gama, de pela bacharela em Direito Érika Cabral, de 22 anos, vem sentindo na 23 anos. A jovem admite que a nota 7,5 da- pele o que esta última da pela banca foi além do esperado. “Eu etapa do curso representa. não deixei de sair nenhuma vez, tive atra- Desde o mês de setembro, sos nas etapas e ainda consegui essa no- ela pesquisa a fundo sobre ta. Foi ótimo!”, brinca. o consumo da A garota escolheu estudar a frequência classe média no com que o tráfico acomete as presidiárias que se refere a da Colônia Penal Feminina do Recife. O produtos falsifi- problema de Érika, contudo, estava no cados da marca conflituoso relacionamento acadêmico Channel. O pro- com o orientador. “Ele que me ajudou naSamanta Gama cesso já come- escolha do tema e, no dia da defesa, não(acima), que cursa çou com dificul- reconheceu isso. Acabou pedindo para euPublicidade, diz complementar o trabalho com outras infor- dades, porque oque a maiordificuldade foi tema não foi tão mações e quase me reprovava”, revelou.encontrar um tema fácil de ser en- Mas a exigência, ao que parece, pairapara analisar. Já contrado. “Outra entre tantos outros tantos professores. Ain-Érika Cabral, que complicação foi da de acordo com Wilma Morais, que éjá passou pelo decidir qual mar- orientadora e também participa de bancascurso de Direito, ca eu iria abor- no papel de julgadora, a nota 10 não deveteve problemas dar. Mas, como ser conseguida tão facilmente. “Eu não te-com o orientador nho problemas em dar dez, desde que o eu admiro ade seu projeto. Channel e sou trabalho esteja muito bem feito”, pontuou. da classe mé- “Eu sempre olho a estrutura para saber se dia, resolvi en- está coerente com o formato, e também tender porque vejo se o tema é inusitado. E se tiver algum essas pessoas erro de revisão, tiro ponto mesmo”, com- resolvem adqui- plementa a avaliadora. rir alguma coisa A professora ainda conta que já se ne- que não seja ori- gou a orientar trabalhos, ao perceber a falta de responsabilidade do aluno. “Já houve casos de eu conhecer a pessoa e EXPEDIENTE saber que ela não ia levar o trabalho à Fundado em 1º de março de 2013 frente. Ou mesmo, já aconteceu de che- Um veículo do Grupo Pronto de Comunicação garem alunos a quem eu nunca dei aula e Endereço: Av. Jornalista Aníbal Fernandes, Cidade Universitária - CEP 50740-560 - Recife-PE que eu sequer conhecia, mas que pediam Reportagem: Bárbara Buril, Handerley Souza, Luiz Filipe Freire, Mayra Cavalcanti e Renatta Gorga para eu orientar. Desse jeito, eu nem me Editoração e edição: Luiz Filipe Freire arrisco”, conclui.

×