Como vender pela interner - Oportunidade de negócios

399 visualizações

Publicada em

Seminário de E-commerce na Ibiapaba.
Palestra - Como vender pela internet - oportunidades de negócios.

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
399
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como vender pela interner - Oportunidade de negócios

  1. 1. COMO VENDER PELA INTERNET Oportunidades de Negócios Jorge Cavalcante
  2. 2. COMPUTADORES INTERNET
  3. 3. COMPUTADOR Konrad Zuse Escócia Charles Babbage Z1 1º ELETRO-MECÂNICO 1600 - 1850 1890 Maquina de Tabular Herman Hollerith Blaise Pascal 1936 – 1940 - 1947 MARK 1 Marinha Americana Exército dos EUA para a 2º Guerra ENIAC
  4. 4. LEO 1 1º Computador comercial VENDIDO o 1º computador da história humana Inglaterra 1947 - 1953 1954 1963 CIRCUITOS IMPRESSOS Começa a produção em escala comercial do IBM-701 PDP - 5 Primeiro MiniComputador
  5. 5. INTEL 4004 IBM 360 30.000 computadores vendidos MICROPROCESSADOR 1964 MOUSE DISQUETE 1968 - 1971 Guerra Fria Criada com objetivos militares INTERNET Apple 1 1976
  6. 6. Osborne 1 Apple II 1977 Apple lisa MS-DOS / Windows 1º Computador portátil 1981 - 1982 Envio de documentos Comerciais entre grande empresas 1983 Arpanet TPC/IP Nos anos 80 a internet vai para as Universidades americanas 1989
  7. 7. 1990 1992 1994 1995 - 1997 Popularização no Brasil Internet chega ao brasil RPN – Rede Nacional de Pesquisa 2000
  8. 8. 2005 2007 E-BIT – confirmava no início dos anos 2000 86,7% 2010 - 2012 R$ 24,12 bilhões 2013
  9. 9. Vendas pela internet crescem + 24% Previsões 2013 + 25% R$ + 28 bilhões 2013 ---------------------------------------------------------------2014 - 2015 Varejo tradicional + 3% Fonte: E-BIT / IBGE 2013 Até 2014 45 mil lojas virtuais no Brasil 30% ativas Até 2015 Brasil será o 4º mercado mundial Em vendas pela internet
  10. 10. 83 milhões de brasileiros 49,2 % da População MERCADO DIGITAL Fonte: IBGE
  11. 11. País 1 China 2 Estados Unidos 3 India 4 Japan 5 Brasil 6 Alemanha 7 Russia 8 9 População 2011 Usuários de Internet em 2000 Usuários de Internet em 2011 Penetração No mundo % % 1,336,718,015 22,500,000 485,000,000 36.3 % 23.0 % 313,232,044 95,354,000 245,000,000 78.2 % 11.6 % 1,189,172,906 5,000,000 100,000,000 8.4 % 4.7 % 126,475,664 47,080,000 99,182,000 78.4 % 4.7 % 5,000,000 75,982,000 37.4 % 3.6 % 203,429,773 81,471,834 24,000,000 65,125,000 79.9 % 3.1 % 138,739,892 3,100,000 59,700,000 43.0 % 2.8 % Inglaterra 62,698,362 15,400,000 51,442,100 82.0 % 2.4 % France 65,102,719 8,500,000 45,262,000 69.5 % 2.1 % 10 Nigéria 155,215,573 200,000 43,982,200 28.3 % 2.1 % Fonte: www.e-commerce.org.br / www.internetworldstats.com e institutos diversos
  12. 12. MERCADO FATURAMENTO (milhões) SHARE E-commerce R$ 22,526 45,3 % VAREJO Market Place R$ 6.582 13,2 % SERVIÇOS DIGITAIS Passagens aéreas, R$ 18.942 38,2 % TURIMOS E CULTURA R$ 1.655 3,3 % Turismo e ingressos Compras Coletivas B2C R$ 49.705 100 % DIGITAL COMMERCE - BRASIL Fonte: E-BIT PROMOÇÃO - VAREJO/SERVIÇOS
  13. 13. 44% 2016 Multicanal, compra on-line e retira na loja Vendas em lojas físicas serão Impulsionadas por consultas on-line 1999 1998 1997 2008 2000 2013 Multicanal, o e-commerce contribui para a canibalização Equilíbrio, o e-commerce complementa o varejo tradicional Pânico, e-commerce irá revolucionar e destruir o varejo tradicional E-commerce era visto como uma realidade a longo prazo Nos dias de hoje o e-commerce não é mais uma ação isolada, e sim uma ação integrada, e estamos aprendendo a cada dia como vender nesse imenso mercado.
  14. 14. DÁ UM BUSCA http://www.youtube.com/watch?v=ghaFBPi31d0&list=TLVGw-eTDAQWaLYjWW-D907UQlWnEm0BxZ
  15. 15. R$ 22,5 bilhões 20 % Faturamento Crescimento em relação a 2011 Tíquete Médio R$ 338 10,3 Novos E-consumidores 66,7 milhões 2012 Fonte: E-BIT / IBGE 2012 Pedidos milhões Índice de satisfação Em 2013 Faturamento irá ultrapassar 28 bilhões de reais O tíquete médio será de R$ 350,00 Serão 50 milhões de e-consumidores. 86 %
  16. 16. 12,4 % Eletrodomésticos 12,2 % 7,9 % Casa e decoração Moda e acessórios 12 % 9,1 % Informática Saúde, beleza e medicamentos OPORTUNIDADES ABERTAS Fonte: E-BIT / IBGE 2012 Delivery on-line gera 9% do faturamento das empresas que trabalham com entrega de comida. O delivery de comida a partir de pedidos pelo telefone e pela internet representam, respectivamente, 24% e 9% do faturamento dos estabelecimentos que oferecem esse tipo de serviço, de acordo com uma pesquisa da consultoria Gouvêa de Souza. DATA FOLHA
  17. 17. VELOCIDADE CONECTIVIDADE Cliente a qualquer hora Operação em tempo real On line Interatividade Cliente em qualquer lugar E-COMMERCE INTANGIBILIDADE Customização Inovação Relacionamento Proposição de valor
  18. 18. Faturamento anual do E-commerce no Brasil - Bilhões 28 22,5 18,7 14,8 10,6 8,2 6,4 4,4 0,5 1,2 2001 Fonte: E-BIT 0,9 2002 2003 1,8 2004 2,5 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
  19. 19. Regiões milhões  Sudeste 71.496  Nordeste 45.475  Sul 24.255  Norte 13.344  Centro-Oeste 12.417 ACESSO À INTERNET NO BRASIL Fonte: E-BIT / IBGE 2012
  20. 20. 38,4%  3.370.973 CEARÁ Cearenses conectados
  21. 21. Região Ibiapaba/Sobral IBIAPABA/SOBRAL POPULAÇÃO 29 cidades CONECTADAS 852.701 327.437 38,4% Fonte: E-BIT / IBGE 2012
  22. 22. Região Ibiapaba/Sobral IBIAPABA POPULAÇÃO 9 cidades CONECTADAS 345.542 132.688 38,4% Fonte: E-BIT / IBGE 2012 Serra da Ibiapaba toda tem 345.542 pessoas - conectadas são 132.688 Se os conectados da Ibiapaba fossem uma cidade, seria a 4 em população no estado. 1° Maracanau 209.748 2° Juazeiro do Norte 249.936 3° Sobral 193.134 4° Conectados da Ibiapaba 132.688
  23. 23. Suricate Seboso 1,1 milhão - Nação Nordestina 908 mil Fonte: FACEBOOK
  24. 24.  UVA – 10 mil  Café Santa Clara – 173 mil  Esmaltec Eletrodomésticos – 10,8 mil  Indaiá – 20,5 mil  Farmácias Pague Menos – 6,4 mil  O Povo – 264,6 mil Fonte: FACEBOOK
  25. 25. REVOLUÇÃO DIGITAL  43 anos de existência da internet  21 anos desde a primeira transação comercial varejista NADA NUNCA FOI TÃO RÁPIDO E GRANDIOSO COMO ESTÁ SENDO A INTERNET
  26. 26. COMO FAZER PARTE DE TUDO ISSO?
  27. 27.  PLATAFORMAS DE E-COMMERCE  Micros  Pequenas  Médias EMPRESAS Do-it-yourself  Grandes COMO FAZER PARTE DE TUDO ISSO?
  28. 28. Cria e administra tudo da sua loja Empresa especializada ou uma agência digital Empresário R$ Construção e um valor mensal Entrega
  29. 29. Prós  Implementação rápida  Investimento inicial baixo ou zero  Recursos variados  Atualizações automáticas Contras  Pouco personalizado  Servidor compartilhado  Preço aumenta de acordo com o volume  Sem inovação customização  Informações fora da sua empresa  Dependência do fornecedor  Problemas com conformidade de sistemas
  30. 30. Benefícios Comparando com o modelo tradicional de distribuição de produtos de software podemos destacar as seguintes vantagens do modelo SaaS para os clientes:  Não exige que o cliente crie uma estrutura e capacite os profissionais para manter o sistema funcionando, permitindo que ela se foque no seu negócio  Permite uma abordagem gradual de implantação, podendo começar com poucas licenças e expandir conforme tiver um retorno positivo do seu investimentos, reduzindo os riscos e o tempo para o retorno do investimento  Permite aumentar ou reduzir as licenças ao longo do tempo, de acordo com as necessidades do negócio.  A implantação pode ser feita com pouca dependência das equipes de TI da empresa, não disputando prioridade com outros sistemas e podendo reduzir os tempos de implantação
  31. 31. Formas de pagamento e investimentos São comuns os seguintes modelos de cobrança no SaaS:  valor recorrente (geralmente mensal) proporcional ao número de licenças utilizadas  valor recorrente (geralmente mensal) proporcional ao uso (ex.: disparo de e-mail marketing)  propaganda (banners)  Freemium – com versões gratuitas e pagas de acordo com as funcionalidades disponíveis Importante notar que uma grande diferença em todos os casos do modelo tradicional é o baixo desembolso inicial e o pagamento ao longo do tempo pelo uso do produto.
  32. 32. Faça você mesmo faz sua loja virtual – programação Domínio hospedagem Empresário Investimento anual mensal R$ Entrega
  33. 33. Prós  Plataforma sem custo (relativo)  Alta personalização  Vários recursos desenvolvidos pela comunidade  Controle sobre a plataforma Contras  Implementação demorada  Exige equipe de programação ou conhecimento  Desenvolvimento demorado de recursos personalizados  Falta de suporte especializado
  34. 34. Recomendado para grandes empresas ou empresas exclusivas para web Programador Empresa especializada Empresário Alto investimento inicial R$ Entrega Equipe interna de controle, operação e atendimento
  35. 35. Prós  Atende a todas as necessidades  Personalização total  Atualização de acordo com a demanda  Servidor Semi-dedicado ou dedicado Contras  Implementação demorada  Investimento inicial alto  Atualizações demoradas  Dependência de programadores ou fornecedor
  36. 36. Do-it-yourself
  37. 37. Do-it-yourself Empresa de hospedagem com o serviço Empresário Baixo investimento mensal R$ Entrega Módulos de lojas prontas Personalizadas
  38. 38. Prós  Baixo investimento  Não requer conhecimento técnico  Rápida preparação  Muitas alternativas no mercado Contras  Padrão de grade, baixa personalização  Suporte básico  Sem integração com outros sistemas  Dificuldade de programação de busca SEO
  39. 39. Dica de leitura http://www.sebraepr.com.br/StaticFile/PortalInternet/img/cartilha_com_eletronico.pdf
  40. 40. Participe atitude Faça habilidade Conheça conhecimento
  41. 41. Livro: Marketing na era digital
  42. 42.  Como planejar uma loja virtual  Plataformas E-commerce – qual devo usar  Montando uma loja com baixo investimento  Loja no facebook a custo zero  Consultoria, eu preciso de uma? OFICINA – 14 HORAS COMO ABRIR UMA LOJA VIRTUAL
  43. 43.  O que é comércio eletrônico e e-commerce?  O que é uma loja virtual?  Para trabalhar no comercio eletrônico é preciso ter um site?  Quais as diferenças e as vantagens de ter uma loja virtual ou uma física?  É importante colocar minha empresa na internet?  B2B – B2C – C2C, o que são e quais as diferenças?  Preciso de um CNPJ para ter um loja virtual?
  44. 44. O Plano de Negócios é indispensável para abertura de uma nova empresa: se faz necessário para entender o mercado, o produto e o perfil do empreendedor. Essa necessidade de planejar o negócio não é diferente da loja física, sendo muito importante o empresário conhecer os riscos e as oportunidades antes de colocar sua empresa na web; buscar informações detalhadas sobre o setor que pretende atuar; produtos e serviços que serão oferecidos; conhecer os concorrentes e fornecedores; analisar os pontos fortes e fracos do seu negócio. No final do planejamento você vai conseguir responder com mais com mais certeza sobre a viabilidade de abrir ou ampliar o seu negócio. COMO PLANEJAR UMA LOJA VIRTUAL
  45. 45. EXISTEM VARIAS FORMAS DE RETORNO NÃO-FINANCEIRO
  46. 46. http://www.procon.sp.gov.br/pdf/acs_guia_comercio_eletronico.pdf
  47. 47. Jorge Cavalcante Diretor de Planejamento Estratégico facebook.com/jorge.cavalcante br.linkedin.com/in/jorgecavalcante Jorge.cavalcante2
  48. 48. agenciasymbolo.com.br @ contato@agenciasymbolo.com.br 88 9279-8883 facebook.com/agenciasymbolo

×