Página1 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos 
CIÊNCIAS HUMANA...
Página2 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos 
conscientização...
Página3 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos 
QUESTÃO 06 
Os ...
Página4 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos 
Em termos de at...
Página5 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos 
DESAFIO HISTÓRI...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Preseed 2014-revisão 23

478 visualizações

Publicada em

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
478
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Preseed 2014-revisão 23

  1. 1. Página1 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA P R E HISTÓRIA EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO Nº 23 S E E D ALUNO:________________________________________ ANO BASE 2014 QUESTÕES PROPOSTAS Gostaria de propor um desafio aos meus alunos do PreUni-Dase. Visualmente você conseguem distinguir uma questão do ENEM de outra que não foi do ENEM?. Neste exercício é coloquei Questões do ENEM com as de outros processos seletivos. Consegue identifica-las? QUESTÃO 01 A consolidação do regime democrático no Brasil contra os extremismos da esquerda e da direita exige ação enérgica e permanente no sentido do aprimoramento das instituições políticas e da realização de reformas corajosas no terreno econômico, financeiro e social. Mensagem programática da União Democrática Nacional (UDN) – 1957. Os trabalhadores deverão exigir a constituição de um governo nacionalista e democrático, com participação dos trabalhadores para a realização das seguintes medidas: a) Reforma bancaria progressista; b) Reforma agrária que extinga o latifúndio; c) Regulamentação da Lei de Remessas de Lucros. Manifesto do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) – 1962. BONAVIDES, P; AMARAL, R. Textos políticos da história do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2002. Nos anos 1960 eram comuns as disputa pelo significado de termos usados no debate político, como democracia e reforma. Se, para os setores aglutinados em torno da UDN, as reformas deveriam assegurar o livre mercado, para aqueles organizados no CGT, elas deveriam resultar em [A] fim da intervenção estatal na economia. [B] crescimento do setor de bens de consumo. [C] controle do desenvolvimento industrial. [D] atração de investimentos estrangeiros. [E] limitação da propriedade privada. QUESTÃO 02 “Desafia o nosso peito a própria morte!” O verso, retirado do Hino Nacional, significa que, agora, que o povo brasileiro tinha conquistado seu passe para a liberdade, através de sua força e coragem, inspirado nesta nova liberdade, não hesitaria em enfrentar a própria morte. Há, aqui, um sentimento forte de nacionalismo. Durante o século XX, o nacionalismo permeou movimentos radicais como o fascismo, o nacional-socialismo e o integralismo no Brasil e em Portugal, especialmente durante o Estado Novo no Brasil. Com relação ao período do Estado Novo (1937- 1945) no Brasil, podemos afirmar que: A) o país construiu uma economia neoliberal. B) o integralismo passou a ser a principal ideologia política do país. C) houve uma diminuição de investimentos no setor público. D) implicou na defesa do nacionalismo e criação de empresas estatais . E) promoveu a democracia e o crescimento do comunismo no país. QUESTÃO 03 Em meio as turbulências vividas na primeira metade dos anos 1960, tinha-se a impressão de que as tendências de esquerda estavam se fortalecendo na área cultural. O Centro Popular de Cultura (CPC) da União Nacional dos Estudantes (UNE) encenava peças de teatro que faziam agitação e propaganda em favor da luta pelas reformas de base e satirizavam o “imperialismo” e seus “aliados internos”. KONDER, L. História das Ideias Socialistas no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2003. No inicio da década de 1960, enquanto vários setores da esquerda brasileira consideravam que o CPC da UNE era uma importante forma de
  2. 2. Página2 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos conscientização das classes trabalhadoras, os setores conservadores e de direita (políticos vinculados a União Democrática Nacional - UDN -, Igreja Católica, grandes empresários etc.) entendiam que esta organização [A] constituía mais uma ameaça para a democracia brasileira, ao difundir a ideologia comunista. [B] contribuía com a valorização da genuína cultura nacional, ao encenar pecas de cunho popular. [C] realizava uma tarefa que deveria ser exclusiva do Estado, ao pretender educar o povo por meio da cultura. [D] prestava um serviço importante a sociedade brasileira, ao incentivar a participação política dos mais pobres. [E] diminuía a forca dos operários urbanos, ao substituir os sindicatos como instituição de pressão política sobre o governo. QUESTÃO 04 O espaço mundial sob a “nova des-ordem” e um emaranhado de zonas, redes e “aglomerados”, espaços hegemônicos e contra-hegemônicos que se cruzam de forma complexa na face da Terra. Fica clara, de saída, a polemica que envolve uma nova regionalização mundial. Como regionalizar um espaço tão heterogêneo e, em parte, fluido, como é o espaço mundial contemporâneo? AESBAERT, R.; PORTO-GONCALVES, C.W. A nova des-ordem mundial. São Paulo: UNESP, 2006. O mapa procura representar a lógica espacial do mundo contemporâneo pós-União Soviética, no contexto de avanço da globalização e do neoliberalismo, quando a divisão entre países socialistas e capitalistas se desfez e as categorias de “primeiro” e “terceiro” mundo perderam sua validade explicativa. Considerando esse objetivo interpretativo, tal distribuição espacial aponta para [A] a estagnação dos estados com forte identidade cultural. [B] o alcance da racionalidade anticapitalista. [C] a influencia das grandes potencias econômicas. [D] a dissolução de blocos políticos regionais. [E] o alargamento da forca econômica dos países islâmicos. QUESTÃO 05 Ainda com relação ao sentimento nacionalista despertado pelo Hino Nacional, podemos fazer referência ao slogan “Brasil, ame-o ou deixo-o.”, extremamente disseminado pelo governo brasileiro, durante a ditadura militar pós-64. Esse slogan possuía estreita relação com: A) o combate à corrupção e controle de gastos públicos. B) a intolerância aos movimentos políticos de caráter oposicionista existentes no país. C) o aumento da liberdade de expressão para os movimentos sociais. D) a necessidade de eleições diretas e negação do autoritarismo na política governamental. E) o início do processo de abertura política com apoio incondicional dos militares.
  3. 3. Página3 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos QUESTÃO 06 Os africanos escravizados trazidos para trabalhar nas Américas, entre os séculos XVI e XIX, eram provenientes de diferentes regiões do continente e de diversas origens socioculturais: África Ocidental, África Centro-Oriental e África Austral. Essa diversidade humana, étnico-linguística, passou por um processo de combinação durante a chamada "diáspora africana", chegando a produzir expressões culturais sincréticas que associam voduns, divindades de povos jêje-nagô do Golfo da Guiné e orixás, deuses dos povos banto da África Centro-Ocidental. Tais entidades estavam associadas aos fenômenos e seres da natureza, indiferenciados do plano humano. Os contatos e combinações culturais que produziram este sincretismo podem ser explicados: A) pela imposição colonial que determinou aos africanos escravizados a adoção de uma religião única de matriz africana. B) pelo diálogo intercultural entre diferentes povos africanos baseado na correspondência de crenças e rituais, como a que ocorre entre sociedades tribais politeístas. C) pela prescrição do cristianismo como religião oficial e como única forma de salvação das almas dos escravos, especialmente na América Luso-Hispânica. D) pelo domínio religioso de alguns poucos reinos africanos que já escravizavam populações de caçadores e coletores habitantes de seus domínios. E) pela influência homogeneizadora dominadora do islamismo professado pelos povos do Norte da África, desde o início da expansão islâmica a partir do século VII d.C. QUESTÃO 07 As migrações transnacionais, intensificadas e generalizadas nas últimas décadas do século XX, expressam aspectos particularmente importantes da problemática racial, visto como dilema também mundial. Deslocam-se indivíduos, famílias e coletividades para lugares próximos e distantes, envolvendo mudanças mais ou menos drásticas nas condições de vida e trabalho, em padrões e valores socioculturais. Deslocam-se para sociedades semelhantes ou radicalmente distintas, algumas vezes compreendendo culturas ou mesmo civilizações totalmente diversas. IANNI, O. A era do globalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996. A mobilidade populacional da segunda metade do século XX teve um papel importante na formação social e econômica de diversos estados nacionais. Uma razão para os movimentos migratórios nas ultimas décadas e uma política migratória atual dos países desenvolvidos são [A] a busca de oportunidades de trabalho e o aumento de barreiras contra a imigração. [B] a necessidade de qualificação profissional e a abertura das fronteiras para os imigrantes. [C] o desenvolvimento de projetos de pesquisa e o acautelamento dos bens dos imigrantes. [D] a expansão da fronteira agrícola e a expulsão dos imigrantes qualificados. [E] a fuga decorrentes de conflitos políticos e fortalecimento de políticas sociais. QUESTÃO 08 Leia os excertos abaixo para responder à questão 08 Excerto I “Em verdade imaginava eu que iria encontrar verdadeiros animais ferozes, homens selvagens e rudes. Enganei-me, porém, totalmente. Nos sentidos naturais, tanto internos como externos, jamais achei ninguém – indivíduo ou nação – que os superasse.” D’ABBEVILLE, Claude. História da missão dos padres capuchinhos na ilha do Maranhão e terras circunvizinhas. Belo Horizonte / São Paulo: Itatiaia / Edusp, 1975. (p. 243) Excerto II “De todos os lados afluem testemunhos que demonstram que as habitações dos trabalhadores nos piores bairros das cidades e as condições de vida desta classe são a origem de um grande número de doenças.” ENGELS, Friedrich. A Situação da Classe Operária. São Paulo: Global, 1985 (p. 119). Sobre as condições de moradia dos trabalhadores ingleses em Londres nas primeiras décadas da Revolução Industrial.
  4. 4. Página4 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos Em termos de atividade produtiva, os povos tupi praticavam uma agricultura rudimentar baseada no plantio da mandioca, do milho e da batata-doce, dentre outros produtos. Sua relação com a natureza estava pautada na inexistência de distinção entre homens, animais e fenômenos naturais. A principal diferença do sistema econômico-produtivo de povos caçadores/coletores/agricultores com os tupi para com aquele das sociedades industriais contemporâneas consiste basicamente: A) na concepção de que a natureza deve ser submetida às necessidades humanas ou preservada, em nome dessas mesmas necessidades. B) na tese de que a produção artesanal, de pequena escala, pode suplantar a tendência de esgotamento dos recursos naturais, implementada pela industrialização. C) no uso abusivo de recursos naturais renováveis, que tendem a degradar o meio ambiente e prejudicar a sobrevivência dos ecossistemas naturais. D) no desenvolvimento de uma agricultura diversificada, assentada na produção em larga escala e realizada no sistema de agricultura familiar. E) na ideia de que o homem está inexoravelmente submetido aos ditames da natureza e a disponibilidade seletiva de recursos naturais. QUESTÃO 09 Doc. 01 “Na maior parte das obras produzidas ao longo da Idade Média, existe um único plano. A ausência de profundidade nas pinturas medievais não é fruto de um desconhecimento técnico, mas de intensa religiosidade [...] Para o homem medieval, o espaço era uma dimensão divina, não material, e que não poderia, portanto ser representado. Deus era concebido simultaneamente, entidade onisciente capaz de ver tudo e a todos ao mesmo tempo [...] muitas imagens representavam uma série de ações em um mesmo plano. O protagonismo dos personagens era dado pelo tamanho: quanto maior a imagem, maior a sua importância”. (BRAICK, Patrícia Ramos & MOTA, Myriam Becho. História: das cavernas ao terceiro milênio. Das origens da Humanidade às reformas Religiosas. São Paulo: Moderna, 2010. p. 184.) Os Documentos 01 e 02 são referências às pinturas medievais. A concepção de mundo que se apreende destes documentos identifica-se com o: A) Estoicismo, que enfatizava o desprezo aos prazeres do corpo e a valorização das virtudes e da alma. B) Antropocentrismo, que formulava os conceitos de arte a partir da centralidade do homem e da ciência. C) Helenismo, que influenciou na formulação de conceitos humanistas adequados tanto para a pintura quanto para a arquitetura. D) Teocentrismo, pelo qual o conceito de Deus encontra-se na centralidade da compreensão de tempo e de espaço na Idade Média. E) Hedonismo, que desprezava os princípios da concepção teológica da divindade cristã onisciente e apegava-se à ideia pagã dos deuses romanos.
  5. 5. Página5 - CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIA - EXÉRCICIO DE FIXAÇÃO DE HISTÓRIA Nº 19 – PROF Jorge Marcos DESAFIO HISTÓRICO QUESTÃO 01 Observe a iconografia abaixo para responder à questão 01 (CASSON, Lionel(org.) O Antigo Egito. Rio de Janeiro: José Olympio, 1983( Biblioteca de História Universal Life) In ALVES, Alexandre e OLIVEIRA, Letícia Fagundes de. Conexões com a História. Vol 1. Das origens do homem à conquista do Novo Mundo).1 ed. São Paulo: Moderna, 2010, p.52 A partir da iconografia acima e dos estudos históricos sobre o assunto, afirma-se que no mundo do trabalho no Antigo Egito: A) os escravos, mesmo não sendo a maioria da população, eram os que sustentavam a economia egípcia, pois eram a mão de obra predominante na pesca, base da economia egípcia, assim como eram responsáveis pela construção das grandes obras públicas. B) os camponeses trabalhavam na agricultura, na pecuária e na época das inundações, provocadas pelo rio Nilo, eram deslocados para a construção e manutenção dos canais de irrigação e para a edificação de templos, palácios e pirâmides. C) os comerciantes prestavam serviço ao faraó tanto na execução do comércio interno como no externo, administrando as trocas de produtos entre as regiões do império e internamente, entregando ao faraó uma parte do lucro obtido. D) os artesãos faziam parte de um grupo de trabalhadores autônomos que concentravam suas atividades na produção de papel, cordas, cestas e esteiras feitas do papiro, planta que se desenvolvia nas margens do Nilo, destinada ao consumo das elites. E) os escribas faziam parte do corpo de trabalhadores do Estado Egípcio que, por serem os mais letrados junto com os sacerdotes, assessoravam o faraó na organização do mundo do trabalho. GABARITO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 E D A C B B A A D DESAFIO - B

×