Polo centro reforma religiosa - ppt

2.846 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • o sonho de emnacipação inconfidência mineira e conjuração baiana
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.846
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
194
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Polo centro reforma religiosa - ppt

  1. 1. SOCIEDADE CAPITALISTA EM FORMAÇÃO REFORMA RELIGIOSA
  2. 2. O QUE FOI Foi o movimento político-religioso de passagem do sistema feudal ao capitalismo moderno. A Reforma situa-se na linha de desenvolvimento das crises religiosas do fim da Idade Média
  3. 3. FATORES  Reforma se originou das condições gerais da Europa no século XVI. A Igreja estava em crise, a burguesia crescia em importância, os Estados modernos se organizavam e o Renascimento Cultural possibilitava a liberdade de crítica.  Um sentimento nacionalista surgira na Alemanha e Norte da Europa, passando o Papa a ser visto como um estrangeiro a interferir em assuntos internos.
  4. 4. VENDA DAS INDULGÊNCIAS
  5. 5. FATORES  FATORES RELIGIOSOS - Abusos da Igreja Católica. Luxos e gastos, desrespeito às regras, a venda de Indulgências, despreparo dos padres, venda de cargos eclesiásticos (simonia); - Igreja Católica condenava os lucros (usura) e a riqueza: descontentamento da burguesia, Interferência na política dos reis; - Ressentimento contra a tributação papal (“vintém de Pedro”, o dízimo);
  6. 6.  FATORES CULTURAIS - Choque entre o universalismo medieval e o nacionalismo moderno - Influencia do Renascimento Cultural: O Humanismo renascentista, no século XV, criou um espírito secular e científico que ajudou tanto o início como o progresso da Reforma. - Invenção da Imprensa (Gutenberg): A imprensa de Gutenberg possibilitou a publicação da Bíblia em todos os idiomas da Europa. FATORES
  7. 7.  FATORES POLÍTICOS - Formação dos Estados Nacionais. Formação da consciência nacional; Surgimentos dos estados nacionais e absolutistas. - O nacionalismo. Motivados por interesses nacionalistas diversos príncipes alemães aproveitaram o movimento reformador como o meio eficaz de se libertarem da tutela do papa e deixarem de contribuir para o tesouro papal. - desejo de confiscar as terras da Igreja; FATORES
  8. 8.  FATORES SÓCIO-ECONÔMICOS - Nascimento e ascensão da burguesia; - conflito entre os ideais da dinâmica classe burguesa e os ideais acéticos do cristianismo medieval (contra o lucro, a usura); - Reação contra o escoamento das riquezas nacionais (principalmente as do norte) para a corte papal; - Aparecimento da concorrência capitalista (a economia estática medieval foi suplantada pela nova estrutura capitalista). FATORES
  9. 9. PRECURSORES DA REFORMA  John Wyclif (1330-1384) – Oxford / igreja nacional / crítica do sistema eclesiástico. Censurava a corrupção e abusos dentro da igreja e condenava os papas por causa da secularidade e obsessão pelo poder e dinheiro. Negava a doutrina da transubstanciação.
  10. 10. PRECURSORES DA REFORMA  John Huss (1369- 1415) – Praga / retomou as pregações de Wyclif. Foi queimado na fogueira por criticar o poder terreno da Igreja em prol da justiça social.
  11. 11. POR QUE A REFORMA COMEÇOU NA ALEMANHA?  Descentralização política. A ação do Papado era facilitada pela inexistência de um governo centralizado.  Pouco tocada pela Renascença (intensa religiosidade);  Vítima constante dos abusos da Igreja (o Papa Leão X vendeu ali grande parte do “negócio” das indulgências;  Onda de descontentamento da burguesia;  A Igreja possuía na Alemanha 3/4 das terras.  Despreparo moral, intelectual e religioso de amplos setores do clero.
  12. 12. REFORMA RELIGIOSA
  13. 13. REFORMA LUTERANA  Martinho Lutero(1483-1546)  1517 – rompimento com a igreja católica  Afixou 95 teses contra a venda de indulgências na Catedral de Wittenberg  1520 – excomungado pelo papa Leão X e convocado pelo imperador do Sacro Império Romano, Carlos V, a retratar-se em Worms.  Lutero apoiou os príncipes no massacre dos anabatistas (movimento camponês contra o batismo de crianças e a favor da Reforma Agrária)
  14. 14. PRINCIPIOS LUTERANOS Base - 95 Teses de Wittemberg (1517) e Confissões de Augsburg (1530) - As Sagradas Escrituras era verdadeira fonte de fé; - A salvação se obtinha através da fé. - Aboliu a hierarquia eclesiástica, o celibato, o monasticismo, a perigrinação, a veneração de reliquias, a invocação de Santos e o culto as imagens. - Aceita apenas dois sacramentos – batismo e eucaristia.
  15. 15. PRINCIPIOS LUTERANOS - Nega a Transubstanciação e adotou a Consubstanciação. - Simplifica o culto luterano (instrução e comunhão); - Substituiu o latim pelo alemão; - Permite a livre interpretação do texto bíblico; - Nega a superioridade da Igreja sobre o Estado e; - Condena a venda de perdão (indulgências).
  16. 16. REFORMA LUTERANA  No ano de 1529, o imperador Carlos V decidiu que a doutrina Luterana passaria a ser tolerada nas regiões convertidas, mas proibida no restante da Alemanha. Os luteranos protestaram, o que deu origem ao termo PROTESTANTE;  Em 1555, pela Paz de Augsburg estabeleceu-se cada príncipe tinha o direito de escolher a sua religião e a dos seus súditos – Cujus regis ejus religio “Tal príncipe tal religião”
  17. 17. REFORMA CALVINISTA  Calvino (1509-1564) criou uma doutrina que alicerçava espiritualmente o capitalismo, estimulando o lucro e o trabalho, favorecendo a burguesia.  Aprovava o lucro e a riqueza através do trabalho e contou com o apoio dos comerciantes.
  18. 18. REFORMA CALVINISTA  Suíça - região de próspero comércio e forte burguesia.  Zwinglio – precursor da Reforma suiça  Jean Calvino  Base doutrinal - Instituições da Religião Cristã (1536)
  19. 19. REFORMA CALVINISTA  Principios Calvinistas: - Predestinação Absoluta; - Admite dois sacramentos: o batismo e a eucaristia; - Condena a adoração de imagens; - As Sagradas Escrituras - fontes de fé; - Supressão da hierarquia eclesiástica; - Presença espiritual de Cristo na eucaristia (Consubstanciação); - A Salvação se obtinha pela fé. - O culto simplificado e em lingua nacional: apenas comentário sobre a Bíblia, eliminando as cerimônias pomposas.
  20. 20. DIFUSÃO DO CALVINISMO França (huguenotes) Inglaterra (puritanos) Escócia, João Knox, um ex-padre funda a Igreja Presbiterianos.
  21. 21. REFORMA ANGLICANA  Inglaterra, 1531;  Henrique VIII (1509-1547) e Elizabeth I (Lei dos 14 Artigos);  Motivo do rompimento: o papado se recusa a anular o casamento do rei com Catarina de Aragão para casar-se com Ana Bolena.  Ato de Supremacia (1534): o rei se tornava chefe da Igreja na Inglaterra (anglicana). É excomungado e confisca os bens da Igreja católica.
  22. 22. ELISABETH I Princípios: - Dois sacramentos: Batismo (complementado na Confirmação) e a Eucaristia; - Subordinação da Igreja ao Estado; - A salvação é obtida apenas pela fé; - As Sagradas Esrituras como fonte de fé; - Manteve a hierarquia eclésiástica católica e; - A Igreja era útil a salvação.
  23. 23. IGREJAS INGLESAS  1670 - Quakers: George Fox (1624-1691)  1580 - Inglaterra : Roberto Browne, ex-pastor anglicano, deixa esta religião e funda outra com o nome de Congregacional.  1611 - Inglaterra: John Smyth, também ex- pastor anglicano, funda a Igreja Batista. No brasil tem desde 1871  1738 - Inglaterra: John Wesley, outro ex-pastor anglicano, funda mais uma Igreja protestante, a Metodista.
  24. 24. DIFUSÃO DA REFORMA
  25. 25. CONTRA REFORMA OU REFORMA CATÓLICA  O surgimento e a expansão das igrejas protestantes no século XVI provocou a reação da Santa Sé, levando-a a tomar medidas para reafirmar os princípios fundamentais da moral católica.  Este processo ficou conhecido como Contra Reforma.  Os Objetivos eram reagir contra a expansão do protestantismo, busca a conversão dos protestantes através da ação de missões, colégio e universidades e, de certa forma, purificação da Igreja.
  26. 26. PAULO III – REFORMADOR CATÓLICO
  27. 27. CONTRA REFORMA OU REFORMA CATÓLICA Principais Medidas: - Organização de novas Ordens Religiosas (os Jesuítas, fundada por Loyola (1534), verdadeira milícia a serviço do papa); - Proibe a venda de indulgências; - Cria seminários em dioceses com o objetivo de formar novos sacerdotes; - Publica o INDEX DOS LIVROS PROIBIDOS; - Cria o Missal e o Catecismo. - Ressuscita o Tribunal do Santo Oficio - OBS. A Reforma Católica foi uma Reafirmação da Doutrina Católica.
  28. 28. SANTO OFICIO
  29. 29. ATUAÇÃO DOS JESUITAS
  30. 30. REFORMA CATÓLICA OU CONTRA REFORMA  Concilio de Trento (1545-1563): objetivo - estudar os problemas da fé.  Ele organizou a Contra Reforma. Confirma e define os dogmas e práticas católicos: - a salvação pela fé e pelas obras; - sete sacramentos; - o culto à Virgem e aos santos; - presença real de Cristo no ato da eucaristia; - existência do Purgatório; - infalibilidade do papa; - celibato do clero; - manutenção da hierarquia eclesiástica e a indissolubilidade do casamento.
  31. 31. CONSEQUÊNCIAS  Enfraquecimento do poder político da Igreja Católica;  Aumento do poder dos reis protestantes;  Fortalecimento dos ideais burgueses;  Estímulo à participação dos fiéis nos cultos religiosos;  Origem de conflitos entre católicos e protestantes;  Criação do movimento da Contra Reforma, reação da Igreja católica à Reforma protestante.;  Surgimentos de seitas – Anabatismo, Quakers

×