Bioma zona costeira

417 visualizações

Publicada em

Biomas do Brasil-Zona Costeira.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
417
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bioma zona costeira

  1. 1. Biomas Da Zona Costeira
  2. 2. A Zona Costeira Brasileira é uma unidade territorial, definida em legislação para efeitos de gestão ambiental, estabelecida como patrimônio nacional no parágrafo 4o do art. 225 da Constituição Federal que se estende por 17 estados e acomoda mais de 400 municípios distribuídos do norte equatorial ao sul temperado do País.
  3. 3. Estados Extensão (km) Percentual (%) Bahia 932 12,4 Maranhão 640 8,7 Rio de Janeiro 636 8,6 Rio Grande do Sul 622 8,5 São Paulo 622 8,5 Amapá 598 8,1 Ceará 573 7,8 Pará 562 7,6 Santa Catarina 531 7,2 Rio Grande do Norte 410 5,7 Espírito Santo 392 5,3 Alagoas 229 3,1 Pernambuco 187 2,5 Sergipe 163 2,2 Paraíba 117 1,6 Paraná 98 1,3 Piauí 66 0,9
  4. 4. Ocupa cerca de 3,5 milhões de quilômetros quadrados e corresponde a 41% da área emersa do país e tem 8.500 km de litoral, tem aspectos distintos em sua longa extensão passando através de diferentes biomas que chegam até o litoral, o bioma da Amazônia, o bioma da Caatinga e bioma da Mata Atlântica. Esses biomas com grande variedade de espécies e de ecossistemas.
  5. 5. As águas do Atlântico Sul Ocidental, que banham o país, são quentes mas, fatores peculiares e climáticos levam à existência de uma grande variedade de ecossistemas diferentes que aparecem desde o Cabo Orange, na foz do Rio Oiapoque no norte do Brasil até o extremo sul do país na localidade de Arroio Chuí.
  6. 6. Em virtude da grande extensão de nosso litoral, os ecossistemas que se repetem ao longo da costa apresentam espécies diferentes por causa da diversidade de características climáticas e geológicas existentes. Podemos dividir esquematicamente o litoral e seus principais tipos de vegetação em:
  7. 7. Litoral Norte: formado por sedimentos recentes, havendo o predomínio de restingas, lagunas e mangues; Abrange a costa do Amapá e a do Pará e este é marcado pela foz do rio Amazonas, com canais, pequenos lagos, manguezais e ilhas, entre elas a de Marajó. No norte do Amapá há ainda longas restingas
  8. 8. Litoral Nordeste: nele se localizam belas praias e dunas, além de alguns importantes portos comerciais. Sua diversidade de acidentes geográficos se concentra entre o leste do RN e a divisa SE-BA (dunas potiguares, falésias paraibanas, arrecifes pernambucanos, lagoas alagoanas, coqueirais sergipanos), já que na costa norte predomina o litoral de dunas e o litoral amazônico, enquanto ao sul desta divisa a planície com coqueirais que parece se estender até o ES na divisa com o litoral dos morros; É bem diversificado em seu relevo e paisagem.
  9. 9. Litoral Sudeste: Caracterizado pelas costas baixas (principalmente no norte capixaba) e falésias, apresenta também restingas, lagunas e mangues na sua parte sul. É dominado claramente pela costa de morros . É o mais movimentado do país, com importantes portos comerciais, como o de Santos e o do Rio de Janeiro; Tem diversos trechos escarpados e outros amplos e retilíneos. Do norte do Espírito Santo até o município de Cabo Frio (RJ), são comuns pequenas elevações, baixadas e restingas. De Cabo Frio a Marambaia há restingas e lagunas. A partir daí até São Sebastião, já em São Paulo, o litoral é sinuoso e escarpado, marcado pela presença natural da serra do Mar. como seu filho era Desse trecho até o rio Ribeira do Iguape predominam as baixadas. E as grandes especiarias do norte e nordeste
  10. 10. Litoral Sul: formado por costas baixas e arenosas principalmente entre o sul de SC e o Chuí, além de extensas lagoas no Rio Grande do Sul. Os principais portos são Itajaí, Paranaguá e Rio Grande. Entre o leste de SC e o PR predomina a costa de morros com pouca variedade, já que esse tipo de costa se estende do ES a SC. É bastante recortado no Paraná, já que a serra do Mar volta a estar próxima do litoral. Na costa catarinense há colinas formadas pelo desgaste das escarpas da serra do Mar. Com uma faixa costeira ampla e retilínea, o estado do Rio Grande do Sul é marcado pela laguna dos Patos e lagoa Mirim, que são formadas pelo fechamento de restingas.
  11. 11. Na Costa Brasileira ocorrem diversos tipos de hábitats , formando uma enorme diversidades de ecossistemas.
  12. 12. Praias Arenosas É a região costeira onde as ondas constantemente movimentam quantidades de areia.
  13. 13. As águas que compõe os oceanos estão sujeitas à atração gravitacional do Sol e da Lua; No lado do planeta em que a Lua se encontra a maré é alta. No lado oposto, a força gravitacional da Lua sobre a água é menor do que nos outros lados. Então, por inércia, a água tende a se afastar da Terra, dando origem neste lado também a uma maré alta.
  14. 14. Na Lua Nova e Cheia: a força gravitacional da Lua está na mesma direção do Sol, com isso, as marés altas ficam mais altas e as marés baixas mais baixas. Na Lua Crescente e Minguante: parte da força gravitacional da Lua é anulada pelo Sol, com isso, as marés baixas são menos baixas.
  15. 15. Estas diferenças periódicas de amplitude entre as marés determinam nas praias três faixas distintas: uma superior, constantemente umedecida por borrifos, mas apenas coberta pelo mar por ocasião de marés altas excepcionais, ressacas ou tempestades; uma faixa mediana sempre coberta e descoberta pelas marés duas vezes por dia; e uma faixa inferior, quase sempre submersa, eventualmente exposta durante as marés baixas de sizígia, ou seja, nas fases de lua nova e lua cheia.
  16. 16. Faixa Superior Encontramos espécies melhor adaptadas à vida terrestre do que à aquática. Da fauna marinha, apenas o grauçá e as pulgas da praia desenvolveram estas adaptações, mas vários insetos, como por exemplo a tesourinha, e alguns aracnídeos, vindos do continente, aventuram-se nesta faixa, às custas de tolerar a influência da água salgada.
  17. 17. Crustáceo - Tatuíra, tatu dágua e pulga do mar Insetos - Tesourinhavaza- maré
  18. 18. Faixa Mediana Menos exposta, é povoada por um maior número de espécies - principalmente crustáceos, poliquetas e moluscos - todas de origem marinha, apresentando particularidades morfológicas ou comportamentais para impedir a perda de água durante a baixa-mar.
  19. 19. Crustáceo – Corrupto Molusco – Unha de moça
  20. 20. Faixa Inferior É habitada por formas quase sem adaptações para a vida fora d'água, tanto que algumas, como por exemplo a Renilla, podem até morrer quando ocorrem marés excepcionalmente baixas e de longa duração, principalmente durante dias de calor intenso.
  21. 21. Renilla (rim-do-mar)
  22. 22. Manguezais Os manguezais são ecossistemas que portam comunidades vegetais típicas de ambientes alagados, resistentes à alta salinidade da água e do solo.
  23. 23. --O Brasil possui a maior faixa de manguezal do planeta com cerca de 20 mil km² que se estendem desde o nordeste (Cabo Orange – Amapá) até o sul do país (Laguna – Santa Catarina). --Temp. média acima de 20C -- Mínimas a 15 C
  24. 24. Mesmo com uma variedade pequena de espécies, o manguezal ainda é considerado um dos ambientes naturais mais produtivos do Brasil devido às grandes populações de crustáceos, peixes e moluscos existentes. O manguezal desenvolve-se nos estuários e na foz dos rios sendo um berçário para muitas espécies de animais.
  25. 25. O manguezal é composto por apenas três tipos de árvores (Rhizophora mangle – mangue-bravo ou vermelho, Avicena schaueriana – mangue-seriba ou seriúba – e Laguncularia racemosa– mangue- branco) que podem chegar a até 20 metros de altura em alguns lugares do país. Esse tipo de ecossistema se desenvolve onde há água salobra e em locais semi abrigados da ação das marés, mas com “canais” chamados gamboas que permitem a troca entre água doce e salgada. Seu solo é bastante rico em nutrientes e matéria orgânica com características lodosas e, composto por raízes e material vegetal parcialmente decomposto (turfa).
  26. 26. A Lei 4.771 de 15 de setembro de 1965 estabelece o manguezal como Área de Preservação Permanente (APP), e a Resolução CONAMA N.º 369 de 28 de março de 2006 estabelece que as áreas de mangue não podem sofrer supressão de sua vegetação ou qualquer tipo de intervenção, salvo em casos de utilidade pública. Mesmo assim, o manguezal é o ecossistema brasileiro mais ameaçado. Os piores inimigos dos manguezais brasileiros, além da super- exploração dos seus recursos naturais, são a poluição lançada pelas cidades costeiras e indústrias e derramamentos de petróleo. Há ainda quem afirme que os manguezais serão os ecossistemas mais afetados com a elevação da temperatura do planeta e do nível dos oceanos, uma vez que ele depende de um equilíbrio frágil entre os rios e as marés para manter suas características constantes
  27. 27. Recife De Coral Um recife de coral é uma estrutura rochosa constituída por uma série de organismos marinhos portadores de esqueleto calcário. A composição calcária do recife de coral é bastante resistente à ação das ondas e das marés e muito rígida. Porém, muito frágil. Estima-se que 27% de todos os recifes de coral do mundo já foram irreversivelmente degradados por causa do aquecimento global e ações predatórias como o crescimento irregular das cidades costeiras e a poluição.
  28. 28. Com ocorrência em locais costeiros de águas claras, rasas e quentes, os corais são importantíssimos para muitas populações que dependem dele para a pesca, turismo e, principalmente por se tratar do ecossistema marinho que possui maior biodiversidade com inúmeros peixes, crustáceos e outros animais marinhos que dependem direta ou indiretamente dele, além de oferecer proteção aos sistemas costeiros como uma barreira natural para as marés.
  29. 29. No mundo : 350 espécies de corais Costa Brasileira: 18 Espécies Corais 8 espécies são consideradas endêmicas. Exemplo: Espécies gorgonácea, chifre-de-veado, alga verde, anêmona, margarida, sargaço, lírio do mar e cérebro. Os corais habitam cerca de 30% das espécies marinhas existentes no mundo e65% dos peixes. São inúmeras espécies como: Moreia, polvo, camarão, estrela-do- mar, ouriço-do-mar, siri, caracol, lesma do mar.
  30. 30. Dunas As dunas são pequenas elevações arenosas que se formam em locais onde o mar traz mais areia para a praia do que consegue levar de volta e que apresentam algumas características que favorecem o acúmulo da areia como: ventos constantes que sopram em uma direção predominante, baixa pluviosidade e uma área bastante extensa onde a areia possa se acumular.
  31. 31. As dunas podem ainda ser classificadas em dois tipos de acordo com sua mobilidade em: dunas estáveis, estacionárias ou fixas, quando a vegetação, principalmente, ou outro fator impede que o vento transfira as dunas de lugar. E as dunas móveis, ou migratórias, quando a ausência de uma barreira faz com que o vento “carregue” as dunas. É o que acontece com as dunas de Peró, em Cabo Frio (RJ) que já avançaram cerca de 130 metros em 40 anos e estão sempre mudando de lugar por causa da ação dos ventos.
  32. 32. No Rio Grande do Sul encontramos um dos maiores sistemas contínuos de dunas costeiras em todo o mundo. Já a duna mais alta do mundo, com 2.708 metros acima do nível do mar, é a “Cerro Blanco” no Vale de Nazca, Peru.
  33. 33. Costões Rochosos É o nome dado ao ambiente costeiro formado por rochas, situado na transição entre os meios terrestre e aquático.
  34. 34. --Suas rochas possuem origem vulcânica O costões rochosos podem ser modelados por aspectos: -Físicos: temperatura , erosão por batimento de ondas, ventos e chuvas -Químicos: reações da água do mar com os minerais que formam as rochas -Biológicos: causado por organismos habitantes ou visitantes do costão, como ouriços, esponjas e moluscos.
  35. 35. --Tipos de costões rochosos: -Costões expostos: são aqueles que recebem maior impacto de ondas. -Costões protegidos: são localizados onde o embate de ondas é suave.
  36. 36. --Todos os anos os rios carregam para o Pantanal cerca de 50 milhões de toneladas de terra e areia. Somente um terço dos sedimentos deixa a região, fazendo com que o acúmulo de resíduos altere o leito dos rios e aumente a área alagada. --O litoral está quase todo voltado para o Atlântico Sul. Porém, uma pequena parcela (no extremo norte do país) debruça-se sobre o Mar do Caribe. --A densidade demográfica média da Zona Costeira é de 87 hab/km², cinco vezes superior à média nacional, de 17 hab/km². --As tartarugas marinhas estão entre os animais mais antigos do planeta. Existem há mais de 150 milhões de anos e conseguiram sobreviver a todas as mudanças registradas no globo terrestre durante esse período. --As cinco espécies de tartarugas marinhas encontradas no Brasil são: tartaruga verde (a mais comum), a cabeçuda, a pente, a oliva e a gigante (a mais ameaçada no país).
  37. 37. • O arquipélago de Fernando de Noronha fica a 345 km da costa do nordeste brasileiro e é constituído por uma ilha principal e 19 ilhotas, totalizando 26 km2. De origem vulcânica, Fernando de Noronha possui um dos maiores índices de biodiversidade marinha do Brasil. • Somente na costa do Rio Grande do Sul - conhecida como um centro de aves migratórias já foi registrada a presença de aproximadamente 570 espécies de aves diferentes. • O fato de a grande maioria dos principais rios nacionais convergir para a Zona Costeira, alguns carregados de resíduos de agrotóxicos e adubos e efluentes das indústrias, faz dela uma região muito vulnerável aos impactos ambientais.

×