Radiações ionizantes

1.082 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.082
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Radiações ionizantes

  1. 1. RADIAÇÕES IONIZANTES CONCEITOS E APLICAÇÕES LEIDY JOHANA ROJAS BOHÓRQUEZ UESC MARÇO 12, 2014
  2. 2. CONTEÚDO  RADIAÇÕES IONIZANTES  RAIOS X  APLICAÇÕES DA RADIAÇÃO  MEDIDA E CONTROLE DA RADIAÇÃO  DETECTORES
  3. 3. RADIAÇÕES IONIZANTES  RADIAÇÃO CORPUSCULAR  RADIAÇÃO EM
  4. 4. RADIAÇÃO CORPUSCULAR  PARTÍCULAS ALFA  PARTÍCULAS BETA
  5. 5. RADIAÇÃO EM RADIAÇÃO COMPRIMENTO DE ONDA FREQUENCIA ENERGÍA RAIOS  < 10x10−12m > 30,0x1018Hz > 20x10−15 J RAIOS X < 10x10−9m > 30,0x1015Hz > 20x10−18 J
  6. 6. ESPECTRO EM
  7. 7. PRODUÇÃO DE RAIOS-X
  8. 8. BREMSSTRAHLUNG
  9. 9. RADIAÇÃO CARACTERÍSTICA
  10. 10. INTERAÇÃO DA RADIAÇÃO COM A MATERIA  ESPALHAMENTO  EFEITO FOTOELÉTRICO  EFEITO COMPTON  PRODUÇAO DE PARES
  11. 11. ESPALHAMENTO
  12. 12. EFEITO FOTOELÉTRICO
  13. 13. EFEITO COMPTON
  14. 14. PRODUÇÃO DE PARES
  15. 15. APLICAÇÕES DA RADIAÇÃO  SAÚDE:  DIAGNÓSTICO: Radiografia, Tomografia computadorizada, Mamografia, Mapeamento com Radiofármacos.  TERAPIA: Radioterapia, Braquiterapia, Aplicadores dermatologicos, Radioisótopos.  INDÚSTRIA, AGRICULTURA, ETC.
  16. 16. RADIOLOGIA  RADIOTERAPIA  RADIOLOGIA DIAGNÓSTICA  MEDICINA NUCLEAR
  17. 17. RADIOTERAPIA  BRAQUITERAPIA  TELETERAPIA
  18. 18. RADIOLOGIA DIAGNÓSTICA
  19. 19. RADIOGRAFIA
  20. 20. GENERADOR DE RAIOS X
  21. 21. CRIAÇÃO DA IMAGEM
  22. 22. TOMOGRAFIA
  23. 23. MAMOGRAFIA
  24. 24. MEDICINA NUCLEAR
  25. 25. MEDIDA E CONTROLE DA RADIAÇÃO ATENUAÇÃO  No vácuo: 𝐼 ∝ 1 𝑟2  Num meio: 𝐼 = 𝐼0 𝑒−𝜇𝑥, onde 𝜇 é o coeficiente total de atenuação linear.
  26. 26.  Exposição 𝑋 = 𝑄 𝑚 𝑋 = 𝑅 ≡ 𝑅𝑜𝑒𝑛𝑡𝑔𝑒𝑛  Dose absorvida 𝐷 = 𝐸 𝑚 𝐷 = 𝐺𝑦 ≡ 𝐺𝑟𝑎𝑦
  27. 27.  Dose equivalente 𝐻 = 𝐷. 𝑄 𝐻 = 𝑆𝑣 ≡ 𝑆𝑖𝑒𝑣𝑒𝑟𝑡 TIPO DE RADIAÇÃO FACTOR DE QUALIDADE Q Raios X, raios  e 𝑒− 1 Nêutros e prótons 10 Partículas  20
  28. 28. DETECTORES  MÉTODOS FOTOGRÁFICOS  MÉTODOS DE IONIZAÇAO  MÉTODOS DE EXCITAÇAO
  29. 29. Filmes Fotográficos Ionização de Gases Excitação Estado Sólido Medidas Filme Ar Bolbilho Geiger Dedal Semicondutor Termoluminescência Contadores de Cintilaçao Imagens Radiografia CT scanner Fluoroscopios Scanner Retilíneo Câmara Gamma CT scanner MÉTODOS E DISPOSITIVOS
  30. 30. DETECTOR DE FILME
  31. 31. VANTAGENS DESVANTAGENS • Resolução 2D. • Fino, não perturba o feixe. • Diferenciação das radiações • Precisa de uma câmara escura. • Sensível a condições ambientais • Os resultados não são imediatos. • Não servem para calibrar. FILMES RADIOGRAFICOS
  32. 32. MÉTODOS DE IONIZAÇÃO
  33. 33. TEMPO MORTO
  34. 34. VANTAGENS DESVANTAGENS • Acurácia e precisão. • Usado para calibrar. • Leitura instantânea. • Volumem Pequeno. • Precisa de cabos. • Precisa de fonte de alta tensão. • As radiações não podem ser diferenciadas CAMARAS DE IONIZAÇÃO
  35. 35. DETECTORES SEMICONDUTORES
  36. 36. VANTAGENS DESVANTAGENS • Volumem pequeno. • Alta sensibilidade. • Leitura instantâneo. • Variabilidade da calibração com a temperatura. • Alteração na sensibilidade ao acumular a dose. SEMICONDUCTORES
  37. 37. DOSÍMETROS TERMOLUMINISCENTES
  38. 38. CONTADORES DE CINTILAÇAO
  39. 39. VANTAGENS DESVANTAGENS • Volumem pequeno. • Disponível em diferentes formas. • Alguns são muito semelhantes aos tecidos. • Econômico. • A leitura pode ser perdida. • A leitura não é instantânea. • Não recomendado para calibração. TLD
  40. 40. MEDIÇÕES ¨IN VIVO¨
  41. 41. REFERÊNCIAS  OKUNO, Emico. ¨FÍSICA PARA CIENCIAS BIOLÓGICAS E BIOMÉDICAS¨. Editora HABRA. São Paulo, 1986.  HOLLINS, Martin. ¨MEDICAL PHYSICS¨ Nelson. Hong Kong, 1992.
  42. 42. OBRIGADA GRACIAS

×