Introdução a Banco de Dados
MODELO CONCEITUAL
MER
Iana Daya Cavalcante Facundo Passos
iana.passos@ifpb.edu.br
IFPB - Insti...
Modelo de Dados
Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
Requisitos de BD
Esquema Conceitual
Esquema Lógico
E...
MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO
É um modelo de dados conceitual de alto nível, projetado para
estar o mais próximo pos...
MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO
Proposto por Peter Chen na década de 70 e
transformou-se no sinônimo da técnica de
Mod...
MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO
Segundo Chen : “observamos , manipulamos, reproduzimos ou
simulamos coisas, seus relac...
MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO
O Mundo está cheio de coisas
A Lei do Mundo
Introdução a Banco de Dados - iana.passos@...
MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO
Que possuem características próprias
A Lei do Mundo
Introdução a Banco de Dados - iana...
MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO
E que se relacionam entre si.
A Lei do Mundo
Introdução a Banco de Dados - iana.passos...
ENTIDADES
Representa tudo aquilo sobre o qual se deseja manter informações.
Ex: Empregado, empresa, consulta, embarque
São...
RELACIONAMENTOS
Uma associação entre duas entidades cujo significado seja de interesse
para a realidade analisada.
Ex: Um ...
Elementos Básicos
Podem ser binário, ternário ou n-ário
Aluno Disciplina
Cursa
Aluno Professor
Cursa
Disciplina
Introdução...
ATRIBUTOS
Propriedades que caracterizam ou descrevem uma entidade
ou um relacionamento.
Ex: A entidade empregado poderia t...
Elementos Básicos
Atributos Simples ou Atômicos: Não são divisíveis em
unidades
mais simples.
Ex: matrícula, nome
Atributo...
Elementos Básicos
Empregado
nome matrícula função sexo endereço
local cidade CEP estado
rua numero complemento
Introdução ...
Atributos Multivalorados: atributo simples que pode ter múltiplos valores;
Ex: Titulação (nenhuma, graduação, mestrado, Ph...
Elementos Básicos
Atributos do Relacionamento: definido apenas pela existência
do relacionamento.
Ex: Número de horas que ...
RESTRIÇÕES DE INTEGRIDADE
Restrições nas quais os relacionamentos entre as entidades são
submetidos (regras de negócio).
T...
Restrições de Integridade
e1
e2
e3
e4
e5
e6
e7
d1
d2
d3







Está
lotado
Empregado
Departamento
e1
e2
p1
p2
p3

...
CARDINALIDADE
Números mínimo e máximo de instâncias de cada
entidade que podem estar associadas através do relacionamento....
Um para Muitos 1:N - uma instância de uma entidade A está associada
A qualquer número de instâncias da entidade B. Porém, ...
Muitos para Um N:1 - uma instância da entidade A está associada a
uma instância de B. Porém, uma instância de B pode estar...
Muitos para Muitos N:M - uma instância da entidade A está associada
a qualquer número de instâncias da entidade B, e vice-...
Cardinalidade
a1
a2
a3
a4
a5
b1
b2
b3
b4
b5





1:1
A B
a1
a2
a3
a4
a5
b1
b2
b3





N:1
A B
a1
a2
a3
b1
b2
b3
...
LIMITES MÍNIMOS E MÁXIMOS
Um professor pode ensinar de 0 a 4 disciplinas e um uma disciplina pode
ser ministrada por apena...
Participação
PARTICIPAÇÃO
A participação define a existência de uma entidade através do relacionamento.
PARCIAL:
TOTAL:
(0...
DICAS
Advérbios e adjuntos adverbiais podem sugerir atributos de
relacionamentos.
O sujeito e o objetos da sentença são, p...
IDENTIFICAÇÃO DAS ENTIDADES
Coisas tangíveis
Ex: animal, equipamento, produto, meio de transporte.
Funções
Ex: cliente, mé...
CLASSIFICAÇÃO DAS ENTIDADES
FORTES
Independe da existência de outras entidades
FRACAS
Dependem da existência de uma outra ...
IDENTIFICAÇÃO DOS RELACIONAMENTOS
Identificar os objetivos envolvidos (entidades): PESSOA e CARRO
Caracterizar os objetos ...
Caracterizar o relacionamento (Regras):
“Nem toda PESSOA possui CARRO”;
“Um CARRO pode pertencer a uma pessoa, ou não”;
“A...
CLASSIFICAÇÃO DOS RELACIONAMENTOS
AUTO RELACIONAMENTO
Ocorre quando cada elemento de uma entidade relaciona-se com
outros ...
AUTO RELACIONAMENTO 1:N
Todo supervisor é um empregado
Todo empregado, que não é supervisor, tem um supervisor
Elementos d...
AUTO RELACIONAMENTO N:N
Um produto é composto de vários produtos (componentes)
Um produto componente pode compor vários pr...
Exercício
Deseja-se modelar a emissão de notas fiscais de uma empresa registrada.
As notas fiscais são emitidas pela empre...
Exercício
Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
Empresa
Unidade Monetária
Cliente
Produtos
EnviadaEmite No...
Exercício
O IFPB precisa armazenar informações sobre seus alunos, professores,
disciplinas ministradas e projetos sendo or...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Modelo Conceitual MER

618 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o modelo conceitual de um projeto de banco de dados.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
618
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modelo Conceitual MER

  1. 1. Introdução a Banco de Dados MODELO CONCEITUAL MER Iana Daya Cavalcante Facundo Passos iana.passos@ifpb.edu.br IFPB - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba
  2. 2. Modelo de Dados Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br Requisitos de BD Esquema Conceitual Esquema Lógico Esquema Interno Coleta e Análise de Requisitos Projeto Lógico Projeto Físico Projeto Conceitual Mini-Mundo
  3. 3. MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO É um modelo de dados conceitual de alto nível, projetado para estar o mais próximo possível da visão que o usuário tem dos dados, não se preocupando em representar como estes dados estarão realmente armazenados. Identifica e modela entidades e relacionamentos, permitindo a especificação de um esquema que represente a estrutura lógica geral do Banco de Dados; Definição Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  4. 4. MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO Proposto por Peter Chen na década de 70 e transformou-se no sinônimo da técnica de Modelagem Conceitual de Dados; “ The Entity-Relacionship Model: Toward the United view of data” foi considerado o referencial definitivo para o processo de modelagem de dados. O pai da criança ... Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  5. 5. MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO Segundo Chen : “observamos , manipulamos, reproduzimos ou simulamos coisas, seus relacionamentos e características e, portanto, assim devemos representa-las”. Ele define, em outras palavras, é que chamamos de A LEI DO MUNDO: A Lei do Mundo Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br O mundo está cheio de coisas que possuem características próprias e que se relacionam entre si.
  6. 6. MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO O Mundo está cheio de coisas A Lei do Mundo Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  7. 7. MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO Que possuem características próprias A Lei do Mundo Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  8. 8. MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO E que se relacionam entre si. A Lei do Mundo Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  9. 9. ENTIDADES Representa tudo aquilo sobre o qual se deseja manter informações. Ex: Empregado, empresa, consulta, embarque São representadas graficamente por um retângulo! INSTÂNCIAS Objeto de uma entidade, com suas respectivas propriedades, que é distinguível dos outros objetos. Ex: Pedro ou Ana ou Maria José da Silva Elementos Básicos EmbarqueEmpregado MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  10. 10. RELACIONAMENTOS Uma associação entre duas entidades cujo significado seja de interesse para a realidade analisada. Ex: Um cliente compra produtos Um filme possui vários atores Um empregado trabalha em um departamento Elementos Básicos Empregado DepartamentoTrabalha Representados graficamente por um losango rotulado Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  11. 11. Elementos Básicos Podem ser binário, ternário ou n-ário Aluno Disciplina Cursa Aluno Professor Cursa Disciplina Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  12. 12. ATRIBUTOS Propriedades que caracterizam ou descrevem uma entidade ou um relacionamento. Ex: A entidade empregado poderia ter os atributos matrícula, nome e função dentre outros. Elementos Básicos São representados graficamente por um segmento de reta rotulado; nome Empregado matrícula função sexo endereço Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  13. 13. Elementos Básicos Atributos Simples ou Atômicos: Não são divisíveis em unidades mais simples. Ex: matrícula, nome Atributos Compostos (grupo de atributos): Combinação ou agregação de atributos relacionados; Ex: Um endereço formado dos atributos de local, cidade, CEP e estado Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  14. 14. Elementos Básicos Empregado nome matrícula função sexo endereço local cidade CEP estado rua numero complemento Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  15. 15. Atributos Multivalorados: atributo simples que pode ter múltiplos valores; Ex: Titulação (nenhuma, graduação, mestrado, PhD) Atributos Derivados: podem ser determinados a partir de outros Atributos ou entidades; Ex: idade e data de aniversário Elementos Básicos nome Empregado matrícula função sexo endereço titulação: graduação, mestrado, doutorado, nenhuma) Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  16. 16. Elementos Básicos Atributos do Relacionamento: definido apenas pela existência do relacionamento. Ex: Número de horas que um empregado trabalha em um determinado projeto. Empregado Projeto trabalha matricula formação endereço horas código nome Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  17. 17. RESTRIÇÕES DE INTEGRIDADE Restrições nas quais os relacionamentos entre as entidades são submetidos (regras de negócio). Toda Nota Fiscal deve ter pelo menos um item discriminado; Todo empregado deve estar lotado num departamento; Toda multa deve estar associada a um carro; O salário do empregado é menor que o do seu gerente. Restrições de Integridade Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  18. 18. Restrições de Integridade e1 e2 e3 e4 e5 e6 e7 d1 d2 d3        Está lotado Empregado Departamento e1 e2 p1 p2 p3    Empregado tem Dependente e1 e2 e3 e4 e5 e6 e7 d1 d2 d3    Empregado Gerencia Departamento Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  19. 19. CARDINALIDADE Números mínimo e máximo de instâncias de cada entidade que podem estar associadas através do relacionamento. Um para Um 1:1 - uma instância de uma entidade A está associada a no máximo a uma instância de uma entidade B, e vice-versa. Cardinalidade Ex: Um homem pode estar casado com uma só mulher e vice-versa. Homem Mulher Casa 1 1 Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  20. 20. Um para Muitos 1:N - uma instância de uma entidade A está associada A qualquer número de instâncias da entidade B. Porém, uma instância da entidade B pode estar associada, no máximo, a uma instância da entidade A. Cardinalidade Ex: Um cliente pode fazer vários pedidos, mas um pedido só pode ser feito por no máximo um cliente. Cliente Pedido Faz 1 n Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  21. 21. Muitos para Um N:1 - uma instância da entidade A está associada a uma instância de B. Porém, uma instância de B pode estar associada a qualquer número de instâncias de A. Cardinalidade Ex: Um professor está lotado em um único departamento, mas lotados a um departamento existem vários professores. Professor DepartamentoEstá lotado 1n Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  22. 22. Muitos para Muitos N:M - uma instância da entidade A está associada a qualquer número de instâncias da entidade B, e vice-versa. Cardinalidade Ex: Um estudante pode cursar várias disciplinas e uma disciplina pode ser cursada por vários estudantes. Aluno DisciplinaCursa m n Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  23. 23. Cardinalidade a1 a2 a3 a4 a5 b1 b2 b3 b4 b5      1:1 A B a1 a2 a3 a4 a5 b1 b2 b3      N:1 A B a1 a2 a3 b1 b2 b3 b4 b5      1:N A B a1 a2 a3 a4 a5 b1 b2 b3 b4 b5      N: A B Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  24. 24. LIMITES MÍNIMOS E MÁXIMOS Um professor pode ensinar de 0 a 4 disciplinas e um uma disciplina pode ser ministrada por apenas 1 professor. Limites 1Professor Disciplina Ministra (0,1) (0,4) Limite superior Limite inferior Limite inferior Limite superior Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  25. 25. Participação PARTICIPAÇÃO A participação define a existência de uma entidade através do relacionamento. PARCIAL: TOTAL: (0,1) Empregado DepartamentoGerencia (1,1) Empregado DepartamentoEstá Lotado (1,n) (1,1) Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  26. 26. DICAS Advérbios e adjuntos adverbiais podem sugerir atributos de relacionamentos. O sujeito e o objetos da sentença são, provavelmente, entidades; Os verbos sugerem relacionamentos; Os adjetivos são candidatos a atributos de entidades; Elementos do MER Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  27. 27. IDENTIFICAÇÃO DAS ENTIDADES Coisas tangíveis Ex: animal, equipamento, produto, meio de transporte. Funções Ex: cliente, médico, departamento, aluno. Elementos do MER - Entidades Eventos Ex: uma festa, um pedido de compra, um jogo de futebol. Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  28. 28. CLASSIFICAÇÃO DAS ENTIDADES FORTES Independe da existência de outras entidades FRACAS Dependem da existência de uma outra entidade. Se a entidade forte for removida ela também será. Elementos do MER - Entidades Empregado Dependentetem Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  29. 29. IDENTIFICAÇÃO DOS RELACIONAMENTOS Identificar os objetivos envolvidos (entidades): PESSOA e CARRO Caracterizar os objetos (atributos): PESSOA: CPF, nome, data nascimento, endereço CARRO: numero da placa, marca, cor, ano, modelo Identificar a relação entre os objetos (Relacionamento): PESSOA possui CARRO Elementos do MER - Relacionamentos Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  30. 30. Caracterizar o relacionamento (Regras): “Nem toda PESSOA possui CARRO”; “Um CARRO pode pertencer a uma pessoa, ou não”; “Algumas PESSOAS têm mais de um CARRO”; “Um CARRO só pode pertencer a uma pessoa”. Representar os objetos e relacionamento (Diagrama) Elementos do MER - Relacionamentos 1 Pessoa Carro possui Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  31. 31. CLASSIFICAÇÃO DOS RELACIONAMENTOS AUTO RELACIONAMENTO Ocorre quando cada elemento de uma entidade relaciona-se com outros elementos da mesma entidade. Elementos do MER - Relacionamentos e5 e4 e3 e2 e1 EMPREGADO Supervisiona Supervisiona É Supervisionado Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  32. 32. AUTO RELACIONAMENTO 1:N Todo supervisor é um empregado Todo empregado, que não é supervisor, tem um supervisor Elementos do MER - Relacionamentos Empregado (0,n) Supervisiona (0,1) Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  33. 33. AUTO RELACIONAMENTO N:N Um produto é composto de vários produtos (componentes) Um produto componente pode compor vários produtos. Elementos do MER - Relacionamentos Produto é composto (n,n) (n,n) Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  34. 34. Exercício Deseja-se modelar a emissão de notas fiscais de uma empresa registrada. As notas fiscais são emitidas pela empresa para os clientes cadastrados descriminando o código, a quantidade e o valor em reais dos produtos vendidos. Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br
  35. 35. Exercício Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br Empresa Unidade Monetária Cliente Produtos EnviadaEmite NotaCNPJ Discrimina Código Quantidade Nome Endereço CPF Cód-cadastro Nome Endereço
  36. 36. Exercício O IFPB precisa armazenar informações sobre seus alunos, professores, disciplinas ministradas e projetos sendo orientados. É importante destacar que o professor ministra no máximo quatro conteúdos distintos e que os alunos dispõem de oito horas para trabalhar em projetos e que podem, ou não, serem representantes de turma. Introdução a Banco de Dados - iana.passos@ifpb.edu.br

×