AMAR - INFORME do 3º Trimestre de 2013 - páginas 01 à 10

763 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
763
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AMAR - INFORME do 3º Trimestre de 2013 - páginas 01 à 10

  1. 1. ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E AMIGOS DO TIJUCAMAR E JARDIM OCEÂNICO em 04.495.053/0001(Fundada em 27/01/1983) - CNPJ nº 04.495.053/0001-81 INFORME AMAR 3º TRIMESTRE DE 2013 Donos de cachorros serão multados por sujeira no chão O programa Lixo Zero da Prefeitura do Rio também prevê multas para quem não recolher da calçada o cocô de seus animais de estimação. A punição já estava prevista na Lei de Limpeza Urbana nº 3.273/2001 e, por isso, o valor é mais baixo (R$ 98) do que as multas aplicadas às pessoas que jogam fora da lixeira guimbas de cigarros, copos de café, pedaços de papel, embalagens ou qualquer outro resíduo com tamanho inferior ao de uma latinha de cerveja ou refrigerante, cuja multa estipulada é de R$ 157. Revitalização da Pista de skate da Praça do Ó Graças aos skatistas locais, ao crescimento do skate na cidade e a mobilização do coletivo DuÓ, com o apoio da iniciativa privada e do governo municipal, durante os últimos meses, os skatistas que frequentam a pista de skate da Praça São Perpétuo, popularmente conhecida como Praça do Ó, não puderam utilizar o local. Mas foi por um bom motivo: o espaço começou a ser revitalizado pela Secretaria de Conservação e Subprefeitura da Barra, em parceria com a empresa Adidas, que assinou do Termo de Adoção da pista de skates da Praça do Ó. O projeto foi elaborado pelos locais Bruno Pires e Sylvio Azevedo, skatistas e arquitetos sócios da empresa Rio Ramp Design, escritório por trás de projetos como a Plaza da Lagoa e a do Engenhão e o Tatu Skate Park, no Parque de Madureira. Mais uma vez, a Rio Ramp Design foi escolhida pra tornar o sonho do skatistas cariocas uma realidade. Para o Presidente da AMAR, Dr. Luiz Igrejas, a reforma da pista veio ao encontro do desejo dos moradores. — A subprefeitura fez uma enquete e, como todo mundo apoiou a revitalização, as obras começaram — conta. Praça do Pomar inaugura o primeiro chafariz pastilhado da cidade Os moradores do Jardim Oceânico ganharam um chafariz com novas cores no Pomar da Barra. A peça construída em 1992, pelo arquiteto Ivan Paul Pacini, foi revitalizada pela Secretaria de Conservação e se tornou o primeiro chafariz pastilhado da cidade. A peça recebeu 3.400 pastilhas em 85m2 de área com vários tons de verde. O chafariz em cascata tem 4 bacias em concreto armado. Peixes das espécies tilápia e carpa foram colocados no lago. Saúde na Praça do Pomar Pensando na saúde e bem estar da ‘Melhor Idade’, a Drogaria Venancio criou o Programa Saúde na Praça. Um projeto que proporciona exercícios diários, contribuindo na melhoria da saúde, qualidade de vida e prazer no convívio social dos nossos idosos. As aulas são realizadas por uma equipe de professores qualificados, de 2ª a 6ª feira em 4 turnos, nas praças Saens Peña, Afonso Pena e Praça do Pomar, no Jardim Oceânico. Também são realizados passeios a pontos turísticos da cidade, caminhada da saúde e encontro em datas comemorativas. O resultado positivo deste programa é visto na alegria dos mais de 500 participantes do projeto. Os horários das aulas são de 7:15 às 8:00; de 8:00 às 8:45; de 8:45 às 9:30; e de 9:30 às 10:15. Para maiores informações, entrar em contato diretamente com a Drogaria Venâncio pelo telefone 30951000 ou pelo site www.venancio.com.br Coleta de sangue no Jardim Oceânico No mês de setembro, a Paróquia de São Francisco de Paula, localizada na Praça Euvaldo Lodi, recebeu mais uma vez uma equipe do HEMORIO para a coleta de sangue dos paroquianos, moradores do Jardim Oceânico, trabalhadores locais e de áreas próximas. De acordo com os paroquianos, a ação recebeu mais de 100 voluntários. Se você não pode ir à Paróquia, e quer ajudar a salvar vidas, basta procurar uma unidade do HEMORIO, mais próxima de sua residência. Para doar é necessário portar um documento de identidade oficial com foto, ter mais de 18 e menos de 68 anos, pesar mais de 50 kg, não ser usuário de drogas, não estar grávida ou amamentando e estar saudável. Seja um doador. Quem doa sangue doa vida!! Para maiores informações 0800-287-0708 ou www.hemorio.rj.gov.br PARCERIAS Conheça algumas das parceiras da AMAR que promovem descontos especiais aos seus associados: • Creche Escola Girassol • Colégio Santa Mônica • Constrular 2000 – Material de Construção • Cooperativa Ocean Taxi Barra • Cups & Co – Doces e Salgados • Esdras – Fisioterapia, RPG, Pilates e Acunputura • Med-Rio Check-up • Pizzaria Guanabara – Barra da Tijuca • YES – Curso de Inglês e Espanhol Lembramos aos Srs. Síndicos da importância de divulgar e compartilhar este informe com aos demais condôminos. AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 01
  2. 2. GMs prendem homem por furto de componentes eletrônicos Oficial de Justiça é baleada em sequestro relâmpago Guardas Municipais do Grupamento Especial de Praia (GEP) prenderam Bruno das Chagas Madalena, de 22 anos, em flagrante. Ele estava furtando equipamentos eletrônicos que compõem as placas de identificação de vias, no entrocamento entre as avenidas do Pepê e Érico Veríssimo, no Jardim Oceânico. O suspeito foi encaminhado para a 16ª DP (Barra da Tijuca), onde o caso foi registrado como furto qualificado, por ter causado danos ao patrimônio público (artigo 155 do Código Penal). Vítima de um sequestro relâmpago ao lado de uma colega de profissão, um oficial de Justiça Federal tomou uma atitude inesperada e corajosa no Jardim Oceânico. Ameaçado por três bandidos armados, que estavam no banco traseiro, Moises Tomé de Queiroz, de 48 anos, jogou o seu veículo no pátio da 16ª DP (Barra da Tijuca) para pedir ajuda. Com a ação, os bandidos desceram do carro e, antes de tentar fugir, fizeram três disparos na direção das vítimas. No banco do carona, Cristina Silva de Melo, de 48 anos, levou dois tiros de raspão na cabeça. Assaltos a pedestres na ponte sobre o canal de Marapendi Alertamos que, atualmente, temos recebido diversos relatos sobre assaltos a pedestres no viaduto que liga a Av. Armando Lombardi à Av. das Américas, nas proximidades do Downtown. De há muito, a AMAR vem solicitando à Prefeitura do Rio a construção de uma passarela sobre o canal de Marapendi. Assim, as pessoas não precisariam caminhar no acostamento ou na mureta do viaduto, com risco de serem assaltadas e de sofrerem acidentes, já que os carros e ônibus passam por ali em alta velocidade. Também já solicitamos ao 31º BPM uma especial atenção no entorno do viaduto. Abraço simbólico à cabine da PM cobra mais segurança A região da Barra da Tijuca tem sofrido com a violência e registrado diversos casos de furtos, assaltos, estupros e sequestros relâmpagos. A sensação de insegurança da população cresce cada dia mais, além do medo de sair de casa, principalmente à noite. Os moradores do entorno da Ponte Lucio Costa em conjunto com a ABM (Associação Bosque Marapendi) resolveram se mobilizar e dando um abraço simbólico à cabine da Polícia Militar abandonada, no início da Ponte Lúcio Costa. O ato foi uma forma pacífica de mostrar que o local precisa de mais policiamento e teve como objetivo deixar clara a insatisfação geral com o esquema de segurança pública na região. A Diretoria da AMAR também esteve presente “ao abraço à cabine da PM”, reivindicando mais policias para a cabine que fica localizada na Praça Euvaldo Lodi, da Paróquia de São Francisco de Paula, no Jardim Oceânico, pois o mesmo problema ocorre com a cabine ali instalada. Quando foi inaugurada, a cabine funcionava 24 horas por dia, e hoje, só funciona poucas horas por dia, isso quando funciona. De acordo com o Presidente da AMAR, assim que começou a notar a diminuição da presença da PM no local, ele entrou em contato com o 31º Batalhão, responsável pela área, e foi informado de que, no momento, o efetivo não era suficiente para cobrir a demanda. Como sempre, estamos de há muito cobrando da Secretaria de Segurança Pública o aumento do efetivo do 31º BPM e até agora, nada. Na tentativa de fuga, um adolescente de 16 anos foi apreendido por policiais civis a poucos metros do pátio da delegacia. Magno Kelo dos Santos, de 21 anos, foi preso e outro adolescente de 16 anos foi apreendido por policiais militares na Av. do Pepê. Com eles, foi apreendido um revólver calibre 38. De acordo com os PMs, o primeiro menor apreendido já tinha passagem pela polícia por tentativa de assalto. Os Oficiais de Justiça trabalhavam no plantão judiciário e tentavam cumprir uma liminar que obrigaria hospitais públicos a internar uma criança. Quando desciam do carro para fazer um lanche, foram abordados na esquina da Av. Olegário Maciel com a Av. Gen. Guedes da Fontoura Piloto de Stock Car fez uma bela exibição pelas ruas do Jardim Oceânico Se hoje os carros passam a maior parte do tempo parados nos engarrafamentos nas ruas da Barra, na década de 60 eles aceleravam para valer em corridas disputadas no antigo circuito da região. Em julho, foi possível reviver o ronco de um motor de carro de corrida em parte deste trajeto com o piloto Fábio Carreira, da equipe carioca W2 Racing, que fez uma bela apresentação com seu stock car pelas ruas do bairro. Segundo a organização, não houve a necessidade de bloquear o trânsito para a exibição. Um carro “batedor” abriu caminho para o piloto, que passou pela Av. Olegário Maciel e fez um pit stop no sinal de trânsito junto a Av. Gilberto Amado para o delírio das pessoas que foram pegas de surpresa com esta ação. Depois a exibição continuou pela Av. Lucio Costa e seguiu pela Av. das Américas até o Recreio. A largada foi às 11h30m, no posto Shell da Av. Olegário Maciel, e a chegada, às 13h, no restaurante Stadium localizado no Recreio. A ação tinha por objetivo chamar atenção do público para a necessidade de que a Cidade do Rio precisa recuperar os eventos automobilísticos. AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 02
  3. 3. 31º CCS debate o aumento dos índices de violência A reunião mensal de setembro do 31º Conselho Comunitário de Segurança foi realizada no condomínio Parque das Rosas, na Barra da Tijuca. O comandante do 31º BPM, Cel. Amaral foi muito questionado pelos presentes sobre o patrulhamento da região, assaltos a transeuntes, consumo de drogas e flanelinhas. Para alegria de todos, foi anunciando pelo comandante a chegada de 40 policiais ao Batalhão para aumentar o efetivo e fazer com que o patrulhamento flua melhor. Também informou que a cabine da 1ª Cia próxima a Cidade das Artes voltará a funcionar, após o Rock in Rio. O Ten. Cel. Albucacys do Corpo de Bombeiros falou sobre o trabalho dos bombeiros na região e informou que continua com seu efetivo inspecionando casas noturnas e estabelecimentos comerciais; e informou que cerca de 80% dos mesmos, ainda se encontram em situação irregular. O representante da 16ª DP da Polícia Civil, mais uma vez ressaltou a importância do Boletim de Ocorrência que ajuda a traçar os índices de violência na região, e também respondeu aos questionamentos de alguns moradores a respeito de uso e porte de drogas. Deixando claro que não existe punição para o usuário, além de advertência verbal. Por fim, o presidente do 31º CCS pontuou que um dos maiores problemas, no que tange a luta para a melhoria da região da Barra e do Recreio, é a falta de união entre os órgãos, associações e os próprios moradores, visando o coletivo, e não apenas seus próprios egos. Estacionamento sobre as calçadas estreita caminho de pedestres no Jardim Oceânico Quem trafega a pé pelas ruas da cidade encontra muitos obstáculos, principalmente, no Jardim Oceânico. Na Av. Olegário Maciel, por exemplo, passar com cadeira de rodas, carrinhos de bebê ou de supermercado ou, simplesmente tentar atravessar a rua, enfrenta muitas dificuldades. Isso porque motoristas ignoram a legislação e estacionam os carros em cima das calçadas ou nas faixas de pedestres, complicando a passagem pelo local. A falta de respeito dos motoristas é recorrente no bairro, principalmente, nos finais de semana. O estacionamento sobre a faixa destinada a pedestres é considerado uma infração grave, de acordo com artigo 181, do Código de Trânsito Brasileiro. O motorista que for flagrado cometendo essa irregularidade sofre multa, no valor de R$ 127,69; medida administrativa de remoção do veículo; e perda de 5 pontos na carteira de habilitação. A Guarda Municipal informou, em nota, que somente este ano, foram aplicadas 2.867 multas por estacionamento irregular na Av. Olegário Maciel. Guardadores sem autorização continuam a reinar nas ruas Durante dois dias uma equipe do Jornal O Globo contabilizou 42 flanelinhas agindo, além da Gávea, em vias de Leblon, Ipanema, Copacabana, Jardim Botânico, Centro, Vila Isabel, Tijuca e no Jardim Oceânico (Barra da Tijuca). Alguns estavam descaradamente próximos a agentes públicos que deveriam inibir sua ação, como policiais militares e guardas municipais. Outros, dissimuladamente, usavam uniformes de guardadores do Rio Rotativo, na cor cáqui. A estratégia de vestir um colete antigo do Rio Rotativo para impressionar a clientela é comum. Apesar da sucessão de promessas e estratégias para combatê-los, os guardadores irregulares continuam disputando espaço com os legalizados do Rio Rotativo e da empresa Embrapark nas cerca de 44 mil vagas de rua existentes na cidade. De novo, pela segunda vez, em dois anos, a prefeitura promete resolver o problema. A ideia, segundo o secretário municipal da Casa Civil, Pedro Paulo, é abrir licitação para um novo concessionário assumir. Por nota, a Secretaria da Ordem Pública (SEOP) informou que a ação de flanelinhas envolve contravenção penal e crimes como exercício ilegal da profissão, extorsão e ameaça. Desde janeiro de 2009 até o mês passado, 1.471 flanelinhas foram detidos pela SEOP. Já a Guarda Municipal levou 93 flanelinhas às delegacias este ano. A Polícia Militar esclareceu que só atua quando há acusação de extorsão, ameaça e dano à propriedade pública ou privada. A Polícia Civil explicou que, geralmente, os acusados são autuados por exercício ilegal da profissão e podem responder em liberdade. Central de Atendimento 1746 recebe denúncias sobre táxi fantasma A Central de Atendimento da Prefeitura do Rio (1746) também está recebendo denúncias da população sobre táxi fantasma, carros de passeio que irregularmente fazem transporte de passageiros, com cobrança da corrida a partir de supermercados e de hotéis. Sem oferecer segurança aos usuários, os táxis fantasmas são, geralmente, descaracterizados, com placa de carro de passeio, sem taxímetro e sem autorização da prefeitura. Para denunciá-los através do telefone 1746, deve ser informado o número da placa, local de atuação e, se possível, telefone para solicitação do serviço de transporte irregular. Conforme comunicado da Secretaria Municipal de Transportes, desde março já foram tirados de circulação 96 veículos particulares irregulares e 59 multados. A Operação Táxi Fantasma tem caráter permanente e o resultado é encaminhado à Polícia Civil. AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 03
  4. 4. Praia do Pepê recebeu a 2ª Edição do Desafio dos Mares 4ª Edição do Tour do Rio teve início na Praça do Ó No mês de julho, o mar em frente à Praia do Pepê, no Jardim Oceânico, ficou agitado. E não apenas pelas ondas, mas sim pelas braçadas dos 144 nadadores que participaram do Desafio dos Mares e chacoalharam as águas naquele trecho. Procurada por atletas amadores e profissionais, a prova tem um trajeto de 1.200 metros e é disputada por equipes compostas por 6 integrantes. Cada nadador percorre cerca de 200 metros num percurso demarcado por bóias e os competidores fazem o revezamento na areia da praia. Essa costuma ser superdinâmica, por ser um revezamento de curta distância e com muita influência das ondas e marés. Apesar de a competição ter sido em solo carioca, a vitória foi de uma equipe paulista. No dia 25/08, foi dada a largada da 4ª edição do Tour do Rio, a maior competição de ciclismo do Brasil e o maior evento do gênero na América Latina. Dividido em cinco etapas, o percurso de 830 km teve início, mais uma vez, na Praça do Ó, no Jardim Oceânico, e passou por Angra dos Reis, Volta Redonda, Três Rios, Teresópolis e Rio das Ostras. Ao todo, 108 ciclistas divididos em 18 equipes, sendo 10 nacionais, participaram da competição. O prêmio para a equipe vencedora foi de R$ 250 mil. A chegada foi no dia 1º de setembro, na Quinta da Boa Vista. Caminhada da OAB-Barra comemora o Dia do Advogado Na manhã do dia 18/08 (domingo), a OAB-Barra (57ª Subsecção) comemorou o Dia do Advogado com uma caminhada e várias atividades na Praia do Pepê, no Jardim Oceânico, reunindo advogados, autoridades, amigos, lideranças da região e alguns veículos da mídia local. O Presidente da OAB/ Barra, Dr. Ricardo Menezes, fez um breve discurso durante o evento, que contou com o apoio e participação da CAARJ-OAB/RJ, que na ocasião levou o projeto "Auxílio à Qualidade de Vida - SÁUDE PREVENTIVA”. Durante a caminhada a Diretoria da AMAR, que apoiou o evento, reivindicou novamente, a expansão do Metrô até o Terminal Alvorada com diversas faixas e cartazes. Queda de árvore interdita a Av. Olegário Maciel Em setembro, uma grande árvore caiu na Av. Olegário Maciel, em frente ao Bibi Sucos, nº 440, interditando completamente a via no trecho entre a Av. João Carlos Machado e a Praça Euvaldo Lodi, no Jardim Oceânico. Dois carros ficaram completamente destruídos, mas felizmente ninguém ficou ferido apesar do grande susto. As equipes dos bombeiros, da Comlurb, da CET-Rio, Guardas Municipais e PMs estiveram no local fazendo os desvios no trânsito e a remoção da árvore. A liberação total da via ocorreu 6 horas após a queda. Chamamos a atenção para outra árvore com grande risco de queda aqui no Jardim Oceânico, que fica ao lado da academia Body Tech, na Av. Érico Veríssimo, em frente ao nº 418. A árvore, que vive num espaço sem canteiro, está inclinada em quase 45º graus e é sustentada por uma base de cimento que o porteiro do prédio em frente colocou. Ele alerta que cada vez passa um caminhão baú grande na rua, acaba sempre batendo na árvore. As marcas no tronco estão lá para provar. A Diretoria da AMAR já fez pelo menos três solicitações de remoção através da Central de Atendimento 1746 e duas solicitações para a Subprefeitura da Barra. Mas até o momento ela continua lá colocando a vida da população em risco. Manifestação na Praça do Pomar Nos últimos meses, o Brasil viveu um período histórico. O povo foi às ruas demonstrar sua insatisfação com o valor das passagens de ônibus, a corrupção, as carências nas áreas de saúde e educação, a PEC 37 (que diminuiria o poder de investigação do Ministério Público) e a violência policial, entre outros. No meio da multidão de manifestantes, havia moradores da Barra já conhecidos por sua militância ou dispostos a levantar a voz cada vez que algo que consideram injusto ocorrer. E em julho, a pequena Maria marchou pela Praça do Pomar, num domingo de sol, ao lado de diversas outras crianças, carregando cartazes que elas próprias confeccionaram, pedindo o mesmo que muita gente grande: mais saúde e educação. A ideia da passeata infantil foi de Júlia, de 11 anos que organizou a manifestação na Praça do Pomar. As mamães da Praça do Pomar pretendem organizar outras manifestações. Uma de suas preocupações é a mobilidade urbana. Há criticas sobre a maneira como o corredor expresso de ônibus BRT foi instalado na Barra. Para elas, outras alternativas, como o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), seriam mais eficazes e baratas: — A Barra precisa de metrô; de transporte público de qualidade, com mais alternativas. Edital de Licitação do Lote Zero do BRT Transoeste (Alvorada – Jardim Oceânico) Contrariando as opiniões e os desejos dos moradores, associações, técnicos e especialistas, a Prefeitura do Rio publicou no Diário Oficial do Município no dia 12/09, que fora aprovado um novo projeto básico, que ninguém conhece e nem foi discutido com a sociedade, e autorizou a abertura de licitação para o Lote Zero da Transoeste, que é o trecho entre o Jardim Oceânico e o Terminal Alvorada. Mas o Tribunal de Contas cancelou a licitação por conter irregularidades no processo licitatório. A AMAR é contra a construção do BRT antes da expansão do metrô até o Terminal Alvorada AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 04
  5. 5. Carta da AMAR aos governantes do Rio – Metrô até o Alvorada As comunidades do Jardim Oceânico e da Grande Barra ficaram estarrecidas e perplexas com as reportagens publicadas pela Subsecretaria de Comunicação Social do Governo do Estado (08/07), do Jornal Valor Econômico (13/08) e, principalmente, do Jornal do Commercio (15/08), em que o Vice-Governador, ratificando palavras do nosso Governado, informa que na sua última visita à Brasília, o Governo do Estado do Rio de Janeiro solicitou APENAS verbas para a Linha 3 do metrô, causando estranheza até da Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, que: "quase tomou um susto porque foi o único pedido do Governo do Estado do Rio de Janeiro"; esquecendo-se totalmente do que vimos apelando, de há muito, para a continuidade e prolongamento da Linha 4 do metrô até o Terminal Alvorada, indo posteriormente, para o Recreio e Jacarepaguá. Esperamos que o candidato a Governador retorne à Brasília pedindo a inclusão DO QUE FALTA para a realização do grande sonho da Zona Oeste, que é a continuidade da Linha 4, não só pelos aspectos de mobilidade urbana, de política, como também econômico, haja visto já estar instalado os canteiros de obras. Na expectativa de uma revisão de gerenciamento por parte de Vossa Excelência, solicitamos obter, com o seu prestígio pessoal junto a Presidenta da República, a inclusão de recursos federais para a expansão do metrô Linha 4 até o Terminal Alvorada. Carta ao Prefeito Eduardo Paes – Não ao BRT do Jardim Oceânico – Metrô até o Terminal Alvorada Como é do conhecimento geral, a população brasileira está insatisfeita com os serviços de transporte que se tornam cada vez piores, em razão do aumento da demanda sem o correspondente investimento público na mobilidade urbana das grandes cidades. Sem dúvida, este foi o estopim da mobilização popular nas ultimas manifestações ocorridas em todo o país. Nos últimos anos assistimos a introdução de soluções paliativas sem que se atinja a solução final para atender o deslocamento de grandes massas nas importantes metrópoles brasileiras. Os ônibus que substituíram os bondes, “lotações” e trens se mostram inadequados pela baixa capacidade como transporte de massa. Atravancam as ruas das megalópoles, frequentemente envolvem-se em acidentes, tem custo elevado para o serviço que prestam, tem baixo viés ecológico e irritam os trabalhadores e usuários. A população da Grande Barra, representada pelas diversas Associações Civis que assinam esse documento, é, majoritariamente, contrária à implantação do BRT no trecho entre o Terminal Alvorada e a estação Jardim Oceânico do Metrô. A experiência com a Transoeste no trecho do Recreio, tal como se apresenta hoje, consolida a nossa posição e reforça o nosso argumento que no trecho de uma operação mais complexa e de maior vulnerabilidade à acidentes, a opção BRT não é a mais adequada. Existe um sem numero de soluções que poderão ser aplicadas como alternativa ao indesejável BRT Alvorada - Jardim Oceânico, tais como a construção de um trecho do Metro do Jardim Oceânico à Alvorada (uma estação apenas) conjugado com o sistema BRS nas pistas laterais existentes, que é a nossa preferida; a adoção do AEROMÓVEL, monotrilho deslocado a ar, um invento do brasileiro Oskar Coester; e outros sistemas de transportes, todos conjugados ao importantíssimo transporte hidroviário para integração com o Metro. Senhor Prefeito, não há mérito maior em um governante do que estar sempre atento à voz da população que representa, uma das suas inegáveis virtudes, e ela está dizendo: “NÃO AO BRT DO JARDIM OCEÂNICO E SIM AO METRÔ ATÉ O TERMINAL ALVORADA!” Assinam as seguintes entidades: ABIH – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis; ACIBARRINHA – Associação Comercial e Industrial do Largo da Barra, Itanhangá, Joá, Joatinga e Adjacências; ACIR TRANSOESTE – Associação Comercial e Industrial da Região Transoeste; AMAR – Associação dos Moradores e Amigos do Tijucamar e Jardim Oceânico; AMOR – Associação de Moradores do Recreio dos Bandeirantes; BARRALERTA – Associação Civil Comunitária; CCBT – Câmara Comunitária da Barra da Tijuca; e FAMBARRA – Federação das Associações e Amigos da Barra da Tijuca e Adjacências. Acessos à Estação Jardim Oceânico do metrô A futura Estação Jardim Oceânico do metrô, na Barra da Tijuca, terá dois acessos. O primeiro, localizado na Av. Armando Lombardi, sentido Recreio, entre a Unimed e a antiga Drogasmil. O segundo, localizado também na Av. Armando Lombardi, sentido Zona Sul, próximo à esquina da Av. Fernando de Matos. AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 05
  6. 6. Técnicos do estado defendem metrô até o Terminal Alvorada A polêmica sobre uma possível expansão do metrô até o Terminal Alvorada em lugar da ampliação do BRT Transoeste até o Jardim Oceânico, como desejam os moradores da Barra, ganhou recentemente novos argumentos. Um documento encaminhado pelo Secretário Estadual de Transportes, Júlio Lopes, ao Vereador Carlo Caiado, revela que os técnicos do órgão são unânimes de que a melhor solução de transporte é o prolongamento da Linha 4 do Metrô até o terminal Alvorada. A informação consta de um relatório assinado por Newton Leão Duarte, coordenador da equipe de revisão do Plano Diretor de Transportes Urbanos (PDTU), que orienta as políticas públicas da área em todo o estado. Segundo Newton, os estudos do PDTU incluíram um cenário em que o metrô chegaria ao Terminal Alvorada somente em 2021, mas não concluíram a análise do impacto da opção pelo BRT. O documento ressalta que, se a expansão ocorrer após a obra do BRT, a estação de integração com o metrô no Jardim Oceânico se tornaria dispensável e ficaria com espaços ociosos. O problema para mudar o projeto agora é o tempo: a ligação BRT-Metrô é um compromisso para as Olimpíadas de 2016, ou seja, o prazo para inaugurar a obra a tempo está apertado. Além disso, o governo do estado sequer solicitou empréstimo à União pelo PAC da Mobilidade para essa ampliação. Em meio à discussão, líderes comunitários da Barra preparam mais um abaixo-assinado para o Governador Sérgio Cabral, defendendo a contratação de estudos técnicos para embasar um pedido de empréstimo ao Governo Federal. O movimento é liderado pelo Presidente da AMAR, Dr. Luiz Igrejas, que relata já terem sidos enviados diversos documentos, cartas e pedidos aos governos estaduais e municipais. A luta não vem de hoje, ela é bem antiga: — Um terminal no Jardim Oceânico só vai atrair mais trânsito. Muita gente optará por chegar de carro ao metrô, porque hoje o Transoeste já circula superlotado, mesmo sem várias estações terem sido inauguradas. Além disso, os moradores do Jardim Oceânico têm imenso receio que o bairro vire um grande estacionamento do metrô. Os moradores querem que o metrô seja estendido até o terminal Alvorada, que é mais amplo que o Jardim Oceânico e oferece diversas linhas de ônibus de conexão a outros bairros, como Recreio e Jacarepaguá. — disse Igrejas. De acordo com o Presidente da AMAR, existem recursos, o que falta é vontade política. “A presidente Dilma liberou cerca de R$ 60 bilhões destinados à mobilidade urbana em todo o Brasil. Quando o governo do Rio levou as necessidades do estado às instâncias federais, só considerou a Linha 3 do metrô. Tentamos alertar o governo para a iminente catástrofe, mas seguimos sem retorno. “Há muitos anos que lutamos a favor disso e tivemos a resposta em um debate público, onde o subsecretário da Casa Civil, Rodrigo Vieira, declarou que não pediram recursos federais para estender a linha 4, porque não tinham projeto. Ou seja, ignoraram todos esses anos de luta dos moradores. Depois de mais de 6 anos de pedidos e reivindicações dos moradores, o governo declara que não pediu verba federal porque não tinha nenhum projeto? Então, fizemos papel de bobo – declara Luiz Igrejas. Outrossim, tomamos conhecimento de que o Vereador Carlo Caiado entrou com um pedido de requerimento de informação junto ao BNDES, uma vez que o governo do estado alega falta de recursos. O governo afirma que o financiamento da obra de extensão da linha 4 também não tinha sido avaliada em sua totalidade pelo Banco. Porém, em resposta ao documento enviado pelo vereador, a instituição afirma oficialmente que nenhuma apresentação formal de projetos sobre a extensão da linha havia sido enviada ao BNDES. Revista Cidade Maravilhosa – Barra da Tijuca Foi publicada a mais nova revista específica para o Jardim Oceânico, na 9ª Edição, de Julho & Agosto de 2013, da Revista Cidade Maravilhosa - Barra da Tijuca. Nesta publicação tivemos o prazer e a honra de termos uma reportagem exclusiva com a AMAR. Veja como foi a reportagem: AMAR: “Trabalhando pelos moradores da Barra” Alguns moradores podem não saber, mas muitas coisas que acontecem em benefício do bairro são graças ao trabalho realizado pela AMAR. Atualmente, a AMAR está atenta à diversas reivindicações, confira e acompanhe: Prosseguimento do novo metrô até o Terminal Alvorada; Construção dos retornos em forma de mergulhão e passagem de pedestres na Av. Armando Lombardi; Execução da ponte Estaiada por onde passará o metrô, cujos os projetos ainda não foram apresentados; Levantamento das pontes Velha e Nova que ligam o Itanhangá ao Jardim Oceânico, pois a baixa altura dificulta a passagem de embarcações; e Acompanhamento do projeto que fará melhorias na ligação entre a Barra e São Conrado, a partir de setembro. O investimento é de aproximadamente R$ 500 milhões, entre ações como: a recuperação do Elevado do Joá, melhoria da ligação rodoviária, construção de novas ciclovias, dois novos túneis, um novo elevado, um viaduto e uma ponte na autoestrada Lagoa-Barra, com destaque para a nova ciclovia que integrará as já existentes de São Conrado e da Zona Sul com a da Barra e do Recreio. AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 06
  7. 7. ACIBARRA realiza café da manhã empresarial com o tema transporte público e mobilidade urbana da Barra da Tijuca Em setembro, foi realizado o café da manhã empresarial promovido pela ACIBARRA – Associação Comercial e Industrial da Barra da Tijuca, na Fundação Cidade das Artes. O evento teve como tema principal o transporte público e a mobilidade da região da Barra da Tijuca e adjacências. De acordo com o Secretário Municipal de Transportes (SMTR), Carlos Roberto Osório, apesar de ter nascido tardiamente na cidade, a Linha 4 do metrô vai ter um impacto muito significativo no trânsito local, mesmo não chegando, neste momento, até o Terminal Alvorada, como é o desejo de muitos moradores. Segundo os dados da SMTR, atualmente, 80% das viagens são realizadas por ônibus, vans e carros e apenas 20% em transportes de alta capacidade, e é justamente essa situação que a prefeitura quer reverter. Osório também ressaltou que a Barra está se tornando o novo Centro da cidade e precisa de transportes públicos de qualidade para atender essa demanda. O secretário também comentou sobre a opção pelo BRT que não é uma unanimidade entre a população, que prefere o metrô: “Posso dizer que essa foi uma solução dramática que tivemos que tomar, muito por causa do custo e do tempo que a execução dessas obras exigem. O metrô crescia apenas 700 metros a cada 4 anos, por isso, optamos pelo BRT por ser mais barato, rápido e por já estarmos no limite do nosso sistema viário.” Uma das principais características defendidas pelo secretário é a maneira como as estações são feitas, pois elas são desmontáveis e podem ser transportadas para outros lugares de acordo com as necessidades. Com relação a uma das principais reivindicações da população (chegada do metrô até o Alvorada) ainda não existe um projeto para isso acontecer. Mesmo considerando que seria a solução mais viável, de acordo com Osório: “Barra, Recreio e Jacarepaguá vão ser as regiões mais afetadas e melhoradas na questão de transportes. Vai ser transformador conseguir implantar todas essas obras (corredores expressos de BRTs) que estão no cronograma.”. Fizeram parte da mesa de debates, além do secretário Osório, o vice-presidente da ACIR, Henry Carvalho, Alexandre Castro engenheiro representante dos corredores BRT, Ricardo Menezes da OAB-Barra, o diácono Elcio representando Dom Orani, Luiz Igrejas Presidente da AMAR e Tiago Mohamed, Subprefeito da Barra e Jacarepaguá. Barra Week - Debate sobre mobilidade urbana apresenta mergulhão da Linha 4 Moradores da Barra da Tijuca puderam conhecer melhor o projeto e o andamento das obras da Linha 4 do Metrô, que ligará o Jardim Oceânico até Ipanema. O subsecretário da Casa Civil, Rodrigo Vieira, falou dos investimentos viários na região durante o debate do Barra Week: "Mobilidade Urbana: onde estamos e para onde vamos", promovido pelo Jornal O Globo em parceria com a ACIBARRA. Além dos 16 km de extensão da linha e das 7 novas estações, o Governo do Estado vai construir 2 mergulhões sobre a Estação Jardim Oceânico para melhorar a circulação de pedestres e desafogar a circulação de automóveis, já que não haverá mais a necessidade de sinais de trânsito na pista central. Com investimentos de R$ 35 milhões, as obras devem ser iniciadas assim que a Estação Jardim Oceânico ficar pronta. As vias subterrâneas ficarão na Av. Armando Lombardi, uma no sentido Recreio e a outra no sentido Zona Sul. — Vamos atender um pedido antigo dos moradores. A obra foi incluída no projeto e é uma parceria entre Governo, prefeitura e o consórcio construtor da linha 4 do metrô. A construção começa em 2015 e será entregue em 2016 - declarou Vieira. O subsecretário também afirmou que a Estação Jardim Oceânico, que receberá os ônibus de condomínios e do corredor BRT Transoeste, está sendo construída para possibilitar uma possível expansão da linha. De acordo com Vieira, a área de manobra no trecho foi pensada para que, em caso de ampliação a linha, a operação do sistema não seja paralisada. O subprefeito Tiago Mohamed lembrou que a Barra cresceu de forma muito acelerada nos últimos anos, sem investimentos em obras de transportes, o que só começou a ser feito a partir de 2009, com a implantação de BRTs (3 das 4 linhas da cidade estão na região). O investimento em BRTs, segundo ele, trouxe a reboque algumas intervenções viárias, como as duplicações da Av. das Américas (no Recreio), da Estrada dos Bandeirantes e da Av. Abelardo Bueno, além da construção de mergulhões e pontes na Av. Ayrton Senna, que ficará livre de sinais de trânsito, dando maior fluidez ao tráfego. Já o professor Paulo Cezar Ribeiro destacou que não falta planejamento, e sim cumprir o que está planejado há anos, e defendeu a retomada de projetos viários interrompidos desde o Plano Lucio Costa — Via Parque, Av. Prefeito Dulcídio Cardoso e Via 4 — para dar vazão ao grande volume de automóveis que circula na Barra. Em sua opinião, é inútil apostar somente na melhoria do transporte público, sem investimentos no sistema viário. A AMAR corrobora integralmente com a opinião do professor. AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 07
  8. 8. Linha 4 do metrô: moradores da Barra em busca de respostas As promessas em torno da chegada da Linha 4 de metrô apontam para um bairro que terá um sistema integrado de mobilidade urbana funcionando perfeitamente. Uma estação de BRT e um mergulhão na Av. Armando Lombardi estão entre os projetos que já foram apresentados para atender à área do Jardim Oceânico. Mas os moradores se queixam de que há pouca informação. Uma das preocupações é em relação às opções de estacionamento no entorno do metrô. Até agora, a prefeitura não esclareceu sobre os projetos previstos para a integração com o metrô. Outro questionamento é se haverá ciclovia ligando a orla à estação. A Subprefeitura da Barra e Jacarepaguá não confirma, mas diz que detalhes estão sendo estudados. Também ainda é uma dúvida se haverá bicicletário próximo ao metrô. Membros de associações de moradores da região, entre elas, Barralerta, Acibarrinha, Câmara Comunitária da Barra da Tijuca, AMAR Jardim Oceânico, Acir-Transoeste, FamBarra, ABIH , AMORE e ABM, também se preocupam com a criação de um terminal rodoviário para os ônibus do BRT Transoeste, no terreno onde antes existiu o motel Maxim’s. Outro problema apontado é em relação ao escoamento de pessoas na integração BRT-Metrô. Em uma composição do metrô, cabem aproximadamente 12 vezes mais gente (1800 pessoas) do que em um ônibus BRT (160 pessoas) e, provavelmente, este escoamento não será feito de forma rápida. Moradores da região temem ainda a concentração de ônibus de linhas regulares no início da Barra, transportando passageiros para o metrô. Boatos se sucedem, mas ainda não está claro se algumas linhas de ônibus regulares serão extintas ou se o intervalo entre os carros aumentará após a inauguração da Linha 4 do Metrô. Foi realizado a 5ª edição do Barra Sustentável: Fazendo Acontecer Em agosto, foi realizado o encontro anual do projeto Barra Sustentável no Hotel Sheraton-Barra. Entre os presentes estavam autoridades, moradores da região, representantes de ONGs, e membros dos comitês do Barra Sustentável. A Diretoria da AMAR também estava presente e participou do evento. Esta edição do evento chamou a atenção para o crescimento sustentável da Zona Oeste. Na ocasião o Barra Sustentável apresentou 6 projetos realizados por condomínios e instituições que servem como modelos inspiradores para a região. Entre eles, o Viva Orgânicos e o Praia para todos. O evento também debateu a segurança na região, o aumento do efetivo e do índice de criminalidade. Projeto Barra Sustentável reúne lideranças comunitárias, empresariais, poder público e organizações de ensino em prol da qualidade de vida e do crescimento sustentável da Barra da Tijuca e arredores. Criado em 2009, há quatro anos, o movimento conta com um calendário variado de eventos. Prefeitura decreta aplicação da lei da autovistoria técnica em edificações No dia 12/07, a Prefeitura do Rio publicou decreto que regulamenta a aplicação da lei que institui, por meio de autovistoria, a obrigatoriedade de realização de vistorias técnicas nas edificações existentes no Município do Rio. Ficam os responsáveis pelas edificações, inclusive as tombadas, preservadas e tuteladas, obrigados a realizar vistorias técnicas periódicas, com intervalo máximo de 5 anos, para verificar as condições de conservação, estabilidade e segurança, além de garantir, quando necessário, a execução de medidas reparadoras. Para fins de aplicação do decreto, entende-se como responsável pelo imóvel, o condomínio representado pelo síndico ou administrador, o proprietário ou ocupante do imóvel a qualquer título. Estão desobrigadas a realizar a vistoria técnica periódica as edificações residenciais unifamiliares e bifamiliares; todas as edificações nos primeiros 5 anos após a concessão do ‘habitese'; as edificações com até 2 pavimentos e área total construída inferior a 1.000 m2; e as edificações situadas em áreas de especial interesse social. O decreto reitera que a vistoria é obrigatória, independentemente do número de pavimentos e de área total construída, em todas as fachadas de qualquer prédio com projeção de marquise ou varanda sobre o passeio público. O trabalho deverá ser executado por engenheiro ou arquiteto ou empresa legalmente habilitado nos respectivos conselhos profissionais, CREA/RJ ou CAU/RJ, que elaborará o laudo técnico atestando as condições de conservação, estabilidade e segurança. O laudo técnico deverá ser obrigatoriamente acompanhado do respectivo Registro de Responsabilidade Técnica – RRT junto ao CAU/RJ ou Anotação de Responsabilidade Técnica – ART junto ao CREA/RJ. O responsável pela edificação deverá comunicar, até o dia 31 de dezembro, à Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU), que o laudo técnico atestou que o imóvel se encontra em condições adequadas de conservação, estabilidade e segurança, mediante preenchimento de formulário próprio online, disponível na página da SMU: www.rio.rj.gov.br/web/smu AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 08
  9. 9. Barra Week – Debate “Crescimento e Preservação Ambiental da Barra O saneamento básico — ou a falta dele — foi o tema dominante do debate “Crescimento e preservação ambiental”. Na opinião dos palestrantes, Paulo Canedo, professor do Laboratório de Hidrologia da Coppe/UFRJ; Mario Moscatelli, biólogo; e Carlos Minc, secretário estadual do Ambiente, é fundamental que haja universalização da coleta de esgoto e combate ao despejo clandestino para que seja possível despoluir os rios e lagoas da região, um compromisso olímpico. O biólogo mostrou à plateia diversas imagens que mostram a degradação e poluição das lagoas e canais da Barra. Lembrando que toda a sujeira se estende até o mar. Falou também sobre o grande problema da ocupação desordenada (favelas) e também da ocupação ordenada (condomínios) que causam problemas ambientais de diversos tipos, principalmente, os lançamentos de esgotos nas lagoas e canais da Barra, e criticou duramente a Cedae. Já o professor Paulo Canedo salientou que, no Rio, somente 60% das casas são servidas por rede de esgoto, sendo que 26% do material recolhido não são tratados. Ele frisou que é essencial aperfeiçoar a gestão do sistema de esgoto e coleta de lixo que não acompanham a expansão imobiliária. O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, encerrou o debate falando sobre os fatores que levam à poluição das lagoas, como assoreamento, favelização, desmatamento, esgoto e lixo. Projeto prevê maravilha de cenário para a Barra da Tijuca A dragagem e revitalização de todo o complexo lagunar da Barra e de Jacarepaguá; uma ilha-parque com trilhas, quadra de esportes e jardins; e o aumento do quebra-mar em 180 metros, com direito à construção de um restaurante panorâmico pela iniciativa privada. A primeira ideia parece um sonho distante e as duas últimas, mirabolantes? Pois, segundo a Secretaria estadual do Ambiente (SEA), tudo isso está prestes a sair do papel. Os trabalhos de dragagem, a construção da ilha-parque e o aumento do quebra-mar serão realizados simultaneamente. O ponto de partida será a dragagem do Canal da Joatinga. A previsão é que aproximadamente 5,7 milhões de m3 de sedimentos poluídos sejam retirados do fundo das lagoas, volume que daria para encher o equivalente a sete Maracanãs. Com a conclusão da dragagem, a profundidade das lagoas vai variar de 1,5m a 3,5 m. O projeto de recuperação do complexo lagunar faz parte das obrigações do Caderno de Encargos das Olimpíadas de 2016. Na embocadura do Canal da Joatinga, o projeto de recuperação do sistema lagunar vai prolongar o quebra-mar (hoje com 50 metros) em 180 metros, com a utilização de pedras das obras de construção da Linha 4 do metrô, uma conquista da AMAR que fez inúmeros pedidos nesse sentido. O objetivo da extensão do quebra-mar é potencializar a circulação da água entre o mar e a lagoa e evitar o assoreamento no local. Sobra sujeira na Praia dos Amores De há muito, a sujeira da Praia dos Amores, no Jardim Oceânico, tem incomodado banhistas e frequentadores. Quando a maré está baixa, uma língua-negra se forma na areia, principalmente, próximo ao banheiro do mercado de peixe. O esgoto é despejado no local a céu aberto, sem tratamento, deixando a areia suja e a água do mar preta e viscosa, segundo afirma um morador da área. Já o presidente da Associação de Pescadores, afirma que não há irregularidades no local e que foi feito uma reforma no local há 8 anos utilizando o sistema de fossa e filtro, e tudo foi regularizado junto a Cedae. Mas os problemas da Praia dos Amores vão além da língua-negra. Nos finais de semana, é grande o fluxo de visitantes e turistas, que chegam em ônibus de excursão para ir à praia. Estes frequentadores, geralmente, costumam deixar muita sujeira no local e esse péssimo hábito só aumenta o risco de doenças contagiosas. A Cedae afirma, por meio de nota, que fiscaliza os locais onde há redes de esgoto. E acrescenta que, no caso específico da Praia dos Amores, como não há ligação com sua rede, é preciso acionar o órgão ambiental do município para verificar e corrigir o problema. Já a Comlurb informa que a limpeza da Praia dos Amores é feita diariamente pela gerência de limpeza do bairro. Suspeita de fraude em licitação para recuperar lagoas da Barra A licitação para as obras de despoluição do complexo lagunar da Barra e Jacarepaguá pode ter sido fraudada. É o que mostra reportagem da revista “Época”. Cinco dias antes da Secretaria Estadual do Ambiente (SEA) anunciar o consórcio ganhador — formado pelas construtoras Queiroz Galvão, OAS e Andrade Gutierrez —, a revista, que diz ter sido informada previamente sobre o desfecho do processo licitatório, publicou os nomes das vencedoras em um anúncio cifrado nos classificados de um jornal fluminense, antecipando o resultado. As obras estão orçadas em R$ 673 milhões. A revista “Época” ressaltou que, após a divulgação dos vencedores, as demais concorrentes não questionaram o resultado da licitação. Já a SEA afirmou que a licitação “passou pelo escrutínio do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que analisou e aprovou a concorrência”. AMAR - Se você deseja o melhor para o seu bairro, ASSOCIE-SE JÀ. Participe e Colabore ! - Não suje sua Cidade – Leia e Repasse ! Pág. 06
  10. 10. Sujeira e mau cheiro no Canal de Marapendi A Lagoa da Tijuca está sempre muito poluída. Mas, quando a maré vaza, a situação piora muito: a água cinza que sai do Canal de Marapendi, atrás do Condado de Cascais, se mistura com a da lagoa e chega a dar para ver diferença na cor. Além disso, o mau cheiro e o acúmulo de sujeira no espelho d´água proporcionaram uma experiência desagradável para quem fez o passeio de balsa pelo canal do Marapendi Os pescadores também reclamam e temem pegar alguma doença. Aquele não é um local para se despejar esgoto, embora seja visível que isso acontece. A Cedae informa que toda a região no entorno do canal de Marapendi tem rede de esgotamento oficial. Mas explicou que pode estar havendo lançamento clandestino de esgoto através de galerias de águas pluviais, o que não é de sua responsabilidade fiscalizar. O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), apontado pela Cedae e pela Fundação Rio Águas como responsável pela fiscalização, confirmou que há lançamento de esgoto clandestino.. A AMAR vem lutando de há muito contra os despejos irregulares de esgoto, como pode ser constato no vídeo publicado no Canal do Youtube da AMAR, no mesmo local. O vídeo é de 22/01/2011, infelizmente, e ao que parece, nada mudou. Outro grave problema que nos perturba é com relação aos constantes vazamentos de esgotos da rede da CEDAE, ocasionando sujeira e mau cheiro em pontos específicos do nosso bairro, como na Av. Gilberto Amado, nº 740; na Rua Armando Coelho de Freitas, nº 111, na Rua Paulo Assis Ribeiro, nº 111 e 162, na Av. Gel. Guedes da Fontoura esquina com a Rua Tenente Airton Pereira e na esquina da Av. Júlio de Moura com a Av. Olegário Maciel. Sempre que solicitamos o atendimento, a CEDAE vem e desentope da galeria, mas que pedimos é que a CEDAE resolva o problema em definitivo. Revista Jardim Oceânico – 6ª Edição – Trânsito da Barra – Pauta permanente Os moradores da Barra sofrem com um problema diário: o trânsito. Seja para se deslocar dentro do bairro ou para outras áreas da cidade, os engarrafamentos são uma dificuldade frequente. A OAB-Barra está atenta à situação, e sua Comissão de Transportes e Mobilidade Urbana promoveu um encontro com especialistas e autoridades para debater e propor possíveis soluções para o trânsito da região. Na mesa, representando a OAB-Barra estavam presentes Ricardo Menezes (Presidente), Marlene Padilha (Vice-Presidente) e o Presidente da Comissão de Transportes e Mobilidade Urbana, Luiz Igrejas, que também é Presidente da AMAR. Representando os órgãos públicos estavam o Subprefeito da Barra, Tiago Mohamed, Ricardo Lemos, Diretor da CET-Rio, e João Machado, Coordenador de Engenharia da CET-Rio. Completando a mesa, estavam presentes os especialistas Celso Franco, ex-diretor do Departamento de Trânsito do Rio, e Fernando McDowell, engenheiro e consultor em transportes. Responsável por projetos de grande importância no Rio, Fernando McDowell, destacou que a ideia da duplicação do Túnel do Joá é uma boa iniciativa, mas que não é possível se não se estender a duplicação para São Conrado, que está sempre engarrafado. Segundo o consultor, o metrô vai reduzir a quantidade de veículos na autoestrada Lagoa-Barra, mas não resolverá a situação por completo. Ele também destacou que o antigo traçado da linha do metrô era mais benéfico para a Barra do que o modelo atual, que será implantado. Ricardo Lemos aponta o reaproveitamento de espaços já existentes como solução para a região. “Não é mais época de construir vias grandes e sim apostar em pequenos investimentos na malha viária.” O diretor da CET-Rio explicou que o investimento em transportes públicos é essencial para a melhoria da mobilidade. Soluções como o plano de semáforos inteligentes já estão em testes. Em funcionamento no BRT, eles priorizam os ônibus do serviço a partir e sensores que “estendem” o sinal verde. Também da CET-Rio, João Machado esclareceu que, muitas vezes, um caminho otimizado – como, por exemplo, a Linha Amarela – só funciona durante pouco tempo. Isso acontece por conta do aumento frequente da frota de carros e porque as pessoas, ao verem uma opção de caminho descongestionado, passam a tirar o carro da garagem. Ele também pontuou que a atitude em relação às leis de trânsito e aos outros motoristas é essencial. “Respeito às leis de trânsito, consciência, civilidade e educação ao volante colaboram para a melhoria do deslocamento.” O Subprefeito da região resumiu algumas ações de sua gestão na área de transportes e mobilidade urbana. Mohamed apoiou e destacou a participação da comunidade. “Ações pontuais da Prefeitura, que melhoram os gargalos, foram possíveis a partir de conversas com a população e seus representantes.” Ele também destacou a importância do investimento em transporte público, com o exemplo dos BRTs, e afirmou que não existe solução mágica para a mobilidade urbana. Projetos já em andamento são a Transcarioca – e seus diversos mergulhões-, a Av. Ayrton Senna sem sinais de trânsito e a Ponte Estaiada. A abertura da via na altura do SENAC foi uma melhoria apontada por Mohamed. Entre os projetos possíveis está a avenida Via Parque, que iria do Downtown até o Fórum da Barra. Av. Érico Veríssimo, 952 – Sala 205 – Barra da Tijuca – CEP 22621-180 – Rio de Janeiro, RJ Tel/Fax. 2486-0654 - E-mail: joceanicoamar@gmail.com Pág. 10

×