Revista Notícias de Israel - Outubro de 2008 - Ano 30 - Nº 10

150 visualizações

Publicada em

Revista mensal sobre profecia bíblica, vida cristã, Israel e o Oriente Médio e notícias internacionais comentadas sob uma perspectiva bíblica. Entenda como o que ocorre no Oriente Médio afeta sua vida e o futuro de todos nós.

Assuntos abordados neste número:

• EDITORIAL - Prezados Amigos de Israel
• Já Chegou a Hora?
• Fazendo Suposições Erradas
• Permanecendo Vivos
• HORIZONTE - Por que os cristãos apóiam Israel
• HORIZONTE - Jerusalém como capital árabe?
• HORIZONTE - Israel tenta dividir a Terra Prometida de Deus
• HORIZONTE - Turistas chineses em Israel
• HORIZONTE - O povo judeu no início do ano 5769

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
150
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista Notícias de Israel - Outubro de 2008 - Ano 30 - Nº 10

  1. 1. "ÊgEázendo suposições _: _'í«; A , Erradas, ; Í ']ê? ã%ͧr5~774ÇÂ. . Pag-11 A kVa= a 'À : É: f " 'Ifíérfnanecendo F t( . ? Nie - ' : l*1 P* . , , . Wvíwww-»WVUWS 2 . ¡› í' ~~~- ~ › q “f” f. ; www? ” 'S95' 1-4 * , ¡'.9' g_ V_ , um - x . _ --. ,_ - 44-¡- _' Mr, -- - "x . a _ »v , -- . . . Qu 1 y . A _ › . ,_~, ,-. _ n _, . . u, , . VI. , É xxx «; ~'_/ _ÍL-. 4'; “ 4'?
  2. 2. su *A65 Para entender onde e como Jesus viveu. .. Avrda diana no tempo ele [104 págs. - 21 x27 cm] . more, ap meu. m, .um . p. e Este livro apresenta os elementos necessarios para conhecer o Israel: Guia Ilustrado e Lembranças inclui 262 ilustrações ambiente social, politico e religioso do periodo que mais intluiu na magníficas tiradas pelos melhores fotógrafos de Israel, além de uma vida de milhoes de pessoas de todos os tempos. apresentação histórica e descrições de cenários nltldos de todas as A partir de desenhos vivos e originais, fotografias. gráficos e localidades importantes. informações detalhadas dos últimos descobrimentos arqueológi- Uma visão clara e viva deste pais únlco e sua capital Jerusalém - a cos, podemos entender um pouco dos hábitos, costumes, moedas, jóia da coroa que é a Terra Santa. construções e a forma de viver na epoca de Jesus. 'ÇFU-Jillrll n. - r. -.. .,›. . (L4 | 'rl- 0 Novo Testamento foi escrito por judeus e o proprio Jesus fol um judeu e viveu dentro da cultura judaica. O que poderia ser melhor para entendermos 0 Novo Testamento do que vé-lo explicado por um ludeu, que crê no Senhor Jesus como Messias e Salvador? O Dr. David Stem, um ¡udeu messianico e emdito bibli- co, gastou décadas estudando a lingua do Novo Testamento para criar este volume inspirador. x' Nomes e termos-chave são devolvidos ao ser; hebraico original Vela como passaens dificeis do Novo Testamento se tomam claras quando sabemos de suas raizes judaicas. Voce as entenderá como as entendiam seus escritores no século l e pas- sará a compreender melhor o Novo Testamento. Passagem m) Nm' Testamento e suas expressões [ 942 pags_ o 155 x 24 cm 1 "l rdiomaticas sao explicadas no seu contexto cultural original rp§qrdos: ~D30_Q 789.515.241¡ www. Chamada. com
  3. 3. É uma publicação mensal da "Obra - Missionária Chamada da MclarNoite' com Freud” “m3” de 'me' licença da “Vertin m: Bibelstudium m Israel, Beth-Shalom' (Associação Beth-Shalom para Estudo Büalico em Israel). da Suíça. Administração e impressão: Rua Erechim, 978 ' Bairro Nonoai 90830-000 ' Porto Alegre/ RS ° Brasil Fone: (Sl) 324l-SOS0 Fax: (Sl) 3249-7385 E-mail: mail@chamada. com. br mvw. charrrada. oom. br Endereço Postal: . Caixa Postal. 1688 l 90001-970 ' PORTO ALEGRE/ RS ° Brasil l lá Chegou a Hora? Fundador: Dr. Wim Malgo (l922 › l992) Fazendo suposições Erradas Conselho Diretor: Dieter Steiger, Ingo Haake. Markus Steiger. Reinaldo Federolf Editor e Diretor Responsável: Ingo Haake Dlagmmaáo & Arte: Roberto Reinke Assinatura - anual . ... ... ... ... ... ... ... ... . . . 31,50 N - semestral . ... ... ... ... ... ... .. . . 19.00 Exemplar Avulso . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. 3.50 Exterior: Assin. anual (Wa Aérea) US$ 35.00 Permanecendo Hvos l_ Edições [me A revista "Notícias de Israel" é publicada também em espanhol. inglês, alemão. holandês e francês. As opiniões expressas nos artigos assinados são de responsabilidade dos autores. 5'_ INPI n° 040614 Registro n° 50 do Cartório Especial HORÍZONTE O ob]etivo da Associação Beth-Shalom para Estudo Bíblico em Israel é despertar e ° Porque os cristãos apóiam Israel . |4 e e . .. _ _ __, __. __~- fomentar entrem crlstãns oamor pelo Estado ° lerusalém como capital árabe? - i6 Esodãgfnzsàgg ° | rael tenta dividir a Terra Pr t'd d D - l9 f” ' - 'P - p - - S ome I a e CUS . pratica, atraves da realizaçao de prontos ' Turistas chineses em Israel - 20 ¡ sociais e de auxílio a Israel. Além disso, promove também Congressos sobre a Palavra Profétim em lumalém e viagens. com a intenção de levar maior número possível de peregrinos cristãos a Israel, onde mantém a Casa de 'Hóspedes "Beth-Shalom" (no monte Carmelomm Haifa). ° O povo judeu no início do ano S769 - 2l l PERGUNTAS E RESPOSTAS i *rá m ° Cumpriu-sc a profecia bíblica em 1948? - Holocausto r
  4. 4. 4 "Como é possível que um assassino de uma menina de quatro anos seja celebrado como herói através de um ato de Estado? " Essa pergunta foi feita por um jornalista em um diário israelense. Samir Kuntar. que há 30 anos assassinou uma menina, o pa¡ dela e um policial em lsrael, foi festejado como herói nacional no Libano após ser libertado e devolvido pelos isralenses por ocasião de uma troca de prisioneiros. Centenas de milhares de manifestantes se reuniram para saudar e aclamar o “herói". Até foi sugerida a possibilidade dele ser eleito para o parlamento Iibanês. Durante as comemorações, Kuntar declarou que matará mais israelenses se for da vontade de Alá. Essa encenação foi uma glorificação da violência. Por isso, impõe-se a pergunta: num clima assim, é possível uma solução pacífica do conflito? Uma objeção freqüente é: lsrael esqueceu quantas crianças Iibanesas e palestinas morreram desde o ano 2000, em contraste com as l23 crianças israelenses que morreram no mesmo período. Além disso, lsrael ainda estaria ocupando ilegalmente território palestino e libanês. Explicações desse tipo tentam justificar o vergonhoso espetáculo encenado por ocasião do retorno de Kuntar. Em suas análises parciais e tendenciosas, muitos críticos de lsrael ignoram a diferença entre o modo de agir de Israel e de seus inimigos repletos de ódio. Quando lsrael realiza ações de retaliação, elas sempre advém da obrigação do Estado de proteger a própria população. Além disso, os sucessos do Exército israelense jamais são celebrados com festas populares. Por ocasião da recepção festiva concedida a Kuntar, o fato assustador foi a presença não apenas de representantes de grupos extremistas. mas de toda a cúpula governamental do Libano, liderada pelo presidente, pelo primeiro-ministro e pelo presidente do Parlamento libanês. Diante desse quadro, devemos nos questionar se o governo libanês está mais interessado no Hezbollah (Partido de Alá) e em seu terrorismo contra Israel do que em uma paz real, mesmo que não haja outros pontos de atrito entre lsrael e o Libano do que a disputa por um pequeno pedaço de terra. Com essa reveladora recepção a um terrorista e assassino impiedoso, que declarou publicamente estar apenas esperando pela oportunidade de Notícias de lsrael. outubro dc 2008 Pratico; Amigas: de 4 J l s, t, 'wr- “np si! sr &e; n: "V matar mais israelenses, o governo libanês mostrou que não quer se distanciar realmente do caminho do terror e do Hezbollah, e que comunga secretamente da opinião do presidente iraniano Mamouhd Ahmadinejad, que afirma continuamente que lsrael deve ser destruído. Causa admiração que o governo americano e outros países ocidentais não tenham protestado contra esse apoio explicito ao terrorismo e ao Hezbollah. Pelo contrário - o governo libanês continua recebendo ajuda financeira substancial dos EUA e da União Européia. Assim, pode-se reconhecer que um eventual acordo de paz, que obrigatoriamente terá de incluir a Síria, não se concretizará. Tal acordo apenas serviria como trégua passageira, como uma pausa enquanto se espera pela próxima oportunidade de acabar com lsrael. Mas em tudo o que acontece com lsrael e em lsrael vemos sempre que Deus cumpre Sua Palavra Profética. Esse fato nos deixa confiantes de que, no final, é o plano de Deus que se concretizará e não os desejos dos inimigos. Unidos nessa confiança, saúdo com um cordial Shalom! zzwdzwzméM Para facilitar suas compras, passamos a aceitar também os cartões American Express (com parcelamento em até óxl). 'k Reembolso Postal Mais informações: 0300 789.5 l 52 fiêiclâ . comívr
  5. 5. inda me lembro muito bem quando, ainda jovem, no final dos anos 30, ouvia com con- vicção cada vez maior os pregadores itinerantes que visitavam nossa pe- quena comunidade de crentes, apre- sentando, através de passagens mui- to conhecidas, os “sinais" que anun- ciavam a proximidade da Segunda Vinda de Cristo. Já naquela época, havia ceticismo entre alguns cristãos a respeito das profecias sobre os “úl- timos tempos", embora não tanto quanto hoje. Para que especular so- bre acontecimentos futuros? Por que não continuar apenas vivendo a vida fielmente no presente, e deixar o fu- turo com Deus? Afinal de contas, o que quer que esteja programado vai acontecer na hora certa e da maneira certa; então, por que nos preocupar- mos com isso antes da hora? Mas havia outros que tinham uma fé implícita na profecia bíblica, e acreditavam que o propósito des- sas passagens era apresentar “sinais dos tempos” identiñcáveis, com o objetivo de orientar o comporta- mento e as atitudes de uma geração que ainda estaria viva quando fosse levada para o céu, na volta de Cris- to. Essa era a visão dc meus pais, servos ñéis do Senhor. Lembro das discussões animadas sobre como os acontecimentos da época se encai- xavam dentro do esquema proféti- co. Qual a importância da quebra da bolsa, em 1929, e da Grande Depressão que veio em seguida, du- rante a década de 1930? Onde se encaixava nesse esquema o New Deal do presidente Roosevelt, com suas medidas econômicas e bancá- rias inovadoras? Dave Hunt âÁ/ g* lrl/ iefitlilt" (éh-Í »Wifi ir? , achava-se jesus assentado, quando se aproximara _. __«~ _e _ ele os discípulos, em particular, e lhe pediram: Dize-nos quando sucederãa estas coisas? e que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século (Mateus 24. 3). Havia várias premissas que os evangélicos daquela época geral- mente consideravam essenciais para uma interpretação correta das pro- fecias sobre os "últimos tempos", mas que hoje parecem ter sido es- quecidas pela maioria. Antes de mais nada, era preciso fazer distin- ção entre a Igreja e Israel, pois cada um tem um tipo de relacionamento particular com Deus e com Cristo. Se não discernissemos exatamente a qual dessas duas entidades uma de- terminada profecia dizia respeito, isso causaria uma conñasão ainda maior na hora de interpretar os acontecimentos dos “últimos dias”. Porém, sc entendida corretamente, a profecia lançaria uma luz valiosa sobre o presente e o futuro, ao pas- so que as profecias que já haviam se cumprido, quando reconhecidas co- Notícias de Israel. outubro de 2008 5
  6. 6. mo tais, seriam prova irrefutável de que a Bíblia era a Palavra de Deus. Em segundo lugar, era preciso também distinguir entre o Arreba- tamento e a Segunda Vinda de Cris- to, que eram considerados como acontecimentos separados. O Arre- batamento seria para a Igreja, quando Cristo a arrebataria para encontrar-se com Ele nos ares e a tornaria como Noiva, levando-a para a casa de Seu Pai, onde há muitas moradas, e para Seu glorio- so casamento celestial e Sua lua- de-mel. A Segunda Vinda seria pa- ra Israel, sete anos mais tarde, quando Cristo viria a esta Terra de fonna visivel, em poder e glória, com Sua Igreja, para salvar Seu po- vo escolhido dos _exércitos do Anti- cristo e para dar início ao Seu rei- nado de mil anos, no trono restau- rado de Davi, em Jerusalém. °DíL-Í'HL1; 55's? :iii/ Iíigijiuài/ iiiivé Antes da Cruz de' Cristo, a hu- manidade estava dividida em dois grupos: os judeus e os gentios. Tan- to o Antigo quanto o Novo Testa- mento deixam bem claro o que cau- sa essa distinção: as alianças etemas que Deus fez com Abraão, Isaque e Jacó - e com seus descendentes, através de Moisés. Essas alianças eram somente para Israel, e o separa- vam de todas as outras nações da face da Terra (Levítico 2024-26; Salmos 147.2, 19-20), tornando as- sim absolutamente único o “povo escolhido” de Deus. Essa importante distinção entre os judeus e os gentios é mantida coerentemente ao longo de toda a Bíblia: “Naquele tempo, estáveis [gen- tios] sem Cristo, separados da comuni- dade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo” (Efésios 2. 12). Depois da Cruz, uma nova enti- dade nasceu: a Igreja que Cristo 6 Notícias de lsrael, outubro de 2008 Os pianos de , _A Deus partia L . gas y_ igreja sao , iíàg únicos, dnie- «' ; a rentes dos que 5 “ Eie tem para ' Israel e para os noções ¡ v gentíiicos. e e ? ê prometeu construir (Mateus 16.18). Por causa disso, hoje a hu- manidade está dividida em três gru- pos: judeus, gentios e Igreja. Paulo diz que não devemos causar escân- dalo "nem para judeus, nem para gentios, nem tampouco para a Igreja de Deus" (1 Coríntios 10.32). É es- sencial entender que esses três gru- pos distintos coexistem lado a lado no mundo de hoje e continuarão a existir até o ñm do Milênio. Preci- samos manter uma distinção clara entre eles e reconhecer que Deus tem uma forma diferente de lidar com cada grupo. Isso é fundamen- tal no que se refere à interpretação da palavra profética. A Biblia deixa bem claro que a Igreja não substituiu Israel. Ela surgiu como uma entidade nova, uma terceira entidade, composta de judeus e gentios, e é diferente das outras duas. Da mesma forma que os gentios continuam a existir fora da Igreja, o mesmo ocorre com Israel, e todas as promessas e planos de Deus para essa nação continuam em vigor. De fato, a maior parte das profecias relativas aos "últimos tempos” diz respeito a Israel, que continuará aqui na Terra para enfrentar o Anticristo e o "tempo de angústia para faco” (Jeremias 30.7) depois que a Igreja tiver sido arrebatada para o céu. Quanto à Igreja, os planos de Deus para ela são únicos, diferentes dos que Ele tem para Israel e para as nações gentílicas. Em suma, a profecia ñca en- volta em confusão se não nos lem- brarmos de que o tempo, o modo e o propósito da vinda do Senhor são diferentes para "judeus, gentios e a Igreja de Deus". 0 uso de fra- ses vagas e ambiguas, tais como “Jesus está voltando” ou “a volta de Cristo” ou "Cristo está vindo novamente” podem causar mal- entendidos. Vindo para quem? Voltando para quem? Voltando para fazer o quê? Para a Igreja ou para Israel e as nações? Como o Noivo, para levar Sua noiva para a casa de Seu Pai, ou como o Leão da tribo de Judá para des- truir os que destruíram Israel? Faz uma grande diferença. Veja, por exemplo, Mateus 2429,30: "Logo em seguida à tribula- ção daqueles dias [. ..] aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; [. ..] e ve- rão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita gló- ria". Essa passagem é comumente apresentada como prova irrefutável de um Arrebatamento pós-tribula- cionista. Mas isso só seria verdade se a passagem estivesse se referindo à ñnda de Cristo para levar a Igreja para o céu. Porém, se a passagem descreve a Segunda Vinda de Cristo para salvar Israel - e é este o caso - então, ela não está ensinando um Arrebatamento pós-tribulacíonista.
  7. 7. 'QZ/ iiukfl' a '-4 : auf Çrfir/ lli Como a Palavra de Deus é abso- lutamente conñável, podemos ter absoluta confiança de que, se inter- pretarmos a profecia corretamente, poderemos saber a ordem dos acontecimentos dos últimos tem- pos. Lembro muito bem de que os pregadores de 50 anos atrás esta- vam firmemente convencidos de que dois acontecimentos extrema- mente importantes, relacionados com o Arrebatamento, estavam se aproximando a passos largos: (1) a volta de Israel para sua própria ter- ra, em incredulídade, e seu renasci- mento como uma nação importan- te; e (2) o ressurgimento do Impé- rio Romano, unindo a Europa Ocidental para proporcionar uma plataforma de poder para o Anti- cristo. Naquela epoca, não havia nada no cenário mundial que desse a mi- nima esperança de que qualquer uma dessas profecias pudesse ser verdadeira. Entretanto, a primeira se cumpriu em 1948, preparando o palco para outros acontecimentos profetizados. E, após a queda da União Soviética, com seus antigos satélites se juntando pouco a pouco à crescente União Européia, parece que a segunda profecia está a cami- nho de se cumprir em nossos dias. 7 t» u “u 'Í Nada concebível pela imagina- ção humana poderia ser maior que o milagre do espantoso renascimen- to de Israel depois de séculos de de- solação, da diáspora (dispersão) dos judeus pelo mundo todo e do Holo- causto de Hitler. Nos mais de 60 anos que se passaram desde então, temos visto o modo extraordinário como essa nação tem sido preserva- da em face não só dos repetidos ataques militares dos inimigos que querem sua destruição, e cujos exércitos superam os de Israel nu- ma proporção de quarenta para um, »mas também da esmagadora oposição das Nações Unidas. Israel é a única democracia do Oriente Médio, além de ser mem- bro da ONU há mais de 50 anos. Contudo, é a única dentre as quase 200 nações-membros que não tem direito de participar do rodízio no Conselho de Segurança da ONU. Há quase 3.500 anos, a Biblia de- clarou que Israel "não será reputado entre as nações" (Números 23.9). Houve até uma resolução da ONU, em novembro de 1975, que equiparou o Sionismo (a crença de que os judeus têm o direito de viver em sua própria terra de origem) com o racismo. De fato, essa reso- lução (revogada em 1991, sob pro- testos do bloco árabe) condenava a própria existência da nação de Is- rael - porém, ela não será intimida- da nem morrerá. Israel continua sendo um dos milagres mais feno- menais da história da humanidade, embora suas ações tenham sido ofi- cialmente condenadas pela ONU centenas de vezes, e nem um pio te- nha sido dito contra os que a ataca- ram várias vezes com o intuito de destruí-la! Israel é, de longe, o principal tó- pico da Biblia. As comparações a seguir mostram o quanto isso é ver- dade: a palavra graça e suas varia- ções (gramito, gratuitamente, etc. ) são encontradas 201 vezes; salvação e salvo ocorrem 268 vezes; amor, amou, etc. são encontrados 420 ve- zes; paz aparece 429 vezes; Cristo e jesus, 1.538 vezes; Israel e _7acó apa- recem 2.923 vezes. Não é de surpreender, portanto, que Israel seja o principal tópico da profecia bíblica. Existem centenas de promessas de sua restauração completa e final na "terra prometi- da”, nos “últimos dias”, com o Messias reinando em justiça. É para Israel que Cristo retornará, para vencer o Anticristo, estabelecer Seu reino, e govemar o mundo, a partir de Jerusalém. É sempre bom lem- brar também que nenhuma parcela de Israel se perdeu: se o mito das "dez tribos perdidas" fosse verdade, provada que a Bíblia é falsa. Paulo se refere às doze tribos co- mo existentes em seu tempo e espe- rando por sua restauração (Atos 26.7). Tiago escreveu sua epístola “às doze tribos que se encontram na iQúeriTpoderiÊtÉ/ 'àginar Há 50 anos que deponsíquep 'udeus vollussem para se unsígni dante pedaço de terra, e seria ofoco udgatençõô^jãóiñiündo semana . npçis semana ano após cmo, dé- y nda apos década. Notícias de lsrael. outubro de 2008 7
  8. 8. lsrael é o única dentre os quose 200 nações- membros que não tem direito de participar do rodízio no Conse- lho de Segurança da ONU. Hà quase 3.500 anos, o Bíblia declarou que Israel ”não será reputado entre as nações" (Números 23. 9). Dispersão” (Tiago 1.1). Se as doze tribos de Israel não existissem para serem reunidas na terra que Deus lhes deu, não poderia haver uma Segunda Vinda de Cristo para sal- vá-las e reinar sobre elas. A pro- messa que Cristo fez a Seus discí- pulos, de que eles se assentariam em tronos "para julgar as doze tribos de Israel" (Lucas 22.30) seria uma mentira e provaria que Ele não era o Salvador. Da mesma forma, Deus seria mentiroso, e Satanás conse- guiria criar um impasse na batalha pelo controle do universo. Quem poderia imaginar há um século - ou mesmo há 50 anos - que depois que os judeus voltassem para seu insignificante pedaço de terra, ele seria o foco da atenção do mundo semana após semana, ano após ano, década após década. E não uma atenção despreocupada ou comum, mas uma atenção que bro- ta do medo e da incerteza sobre co- mo lidar com essa nova nação em relação a seus vizinhos muçulma- nos, e de como impedir que a guer- ra naquela área se transforme num holocausto global. Porém, o que aconteceu foi exatamente o que a Bíblia profetizou: "Eis que EU farei de Jerusalém um cálice de tontear para todos os povos em redor e também para judá, duran- ~ Notícias de lsrael, outubro de 2008 te o sírio contra jerusalém. Naquele dia, farei de Jerusalém uma pedra pe- sada para todos os povos; todos os que a erguerenz se ferirão gravemente; e, contra ela, se ajuntarão todas as na- ções da terra" (Zacarias 12. 2-3). E quem seria tolo de imaginar que depois do renascimento de 1s- rael, as forças armadas dessa nação liliputiana rivalizariam em poder e ultrapassariam em eficiência os ES- tados Unidos e a Rússia! O peque- no Israel, ocupando cerca de um sexto de um por cento da extensão territorial do mundo árabe, tem si- do um oponente mais do que à al- tura das nações árabes, embora a quantidade de tanques, aviões e ou- tros armamentos dessas nações su- perem várias vezes os de Israel. E durante décadas as nações árabes receberam todo tipo de ajuda dos soviéticos contra Israel, desde os ar- mamentos mais modemos até o en- vio de assessores técnicos e estraté- gicos aos milhares. Depois que o Iraque invadiu o Kuwait em agosto de 1990 e ameaçou usar gás vene- noso contra seus inimigos, o colu- nista George Will escreveu o se- guinte tributo à coragem e capaci- dade militar de Israel: o Ocidente deveria se | em- bror com gratidão do mais eficaz e benéfico oto isolado para controle de armas ocorrido no história recente, o bombordeomento dos instalações on- de funcionava o programa embrioná- rio para produção de armas nuclea- res do Iraque, executado por lsrael, em 1981 Até agora, os ataques periódicos contra Israel 'tem se concentrado mais no Oriente Médio. Porem, to- dos nós sabemos que, mais cedo ou mais tarde, a batalha em tomo da- quela terra controvertida explodirá no Armagedom. Isso também foi previsto na Bíblia, há 2.500 anos: "Porque EU ajunrarei todas as na- ções para a peleja contra jerusalénz [. ..] Então, sairá o SENHOR e pelejará contra essas nações [. ..] Naquele dia, estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras [. ..] O SENHOR será Rei so- bre toda a terra; naquele dia, um só será o SENHOR, e um só será o seu no- me” (Zacarias 14. 24,9). O Israel de hoje tem muitas fa- lhas, das quais não será isento e pe- las quais ainda terá que enfrentar o juízo de Deus. Israel não está de volta à sua terra por causa de seus próprios méritos, mas sim porque Deus está cumprindo as promessas que fez a Abraão, Isaque e Jacó, co- mo jurou que faria nos últimos tempos. Podemos estar certos de que Deus não permitirá que Israel seja desarraigado novamente, em- @lã
  9. 9. bora continue rejeitando o Messias Geremias 30-32; Ezequiel 35-39). Nunca é demais ressaltar a im- portância de Israel nos aconteci- mentos dos últimos tempos e na in- terpretação correta das profecias relativas ao seu povo e sua terra. Mesmo que Cristo tenha derrotado Satanás na cruz e comprovado Sua vitória ao ressurgir dos mortos, não haveria solução ñnal para essa ba- talha se Satanás pudesse impedir que Deus cumprisse as promessas solenes que fez a Israel, extermi- nando os judeus. Ate agora, todas as suas tentativas fracassaram. En- tretanto, o Anticristo desfechará um ataque maciço final para tentar resolver de uma vez por todas o que Hitler chamou de “o problema dos judeus”. Cristo voltará pessoal- mente à Terra nessa hora para sal- var todo aquele "que perseverar até o fim" (Mateus 24.13). Não existe nada na história que se assemelhe nem de longe com a preservação dos judeus como grupo étnico identíñcável - desprezados no mundo inteiro, odiados, perse- guidos, mortos como nenhum ou- tro povo, exatamente como foi pro- fetizado, e depois conduzidos de volta à sua antiga terra. O impacto do moderno e minúsculo Estado de Israel no mundo de hoje é maior do que o de qualquer outra nação, co- Área ocupada pelos integrantes da União Europeia'. em 1957 mo já estava previsto em profecias específicas. O irrefutável cumpri- mento de centenas de profecias é prova conclusiva de que Deus exis- te, de que a Biblia é Sua exclusiva revelação ao homem, e de que os judeus são o Seu povo escolhido, a “menina do seu ol ” (Deuteronômio 32. I 0; Zacarias 2.8). : Magritte iÊ-cumtxu: Í35vivigic= Também testemunhamos nos últimos anos os estágios embrioná- rios do cumprimento de outra pro- fecia estratégica sobre a qual ouvi muito quando era jovem: o renasci- mento do antigo Imperio Romano, profetizado para os "últimos dias". Tem sido interessante observar o conceito de seis países ocidentais frouxamente ligados pelo Tratado de Roma expandir-se gradualmente até incluir 27 países-membros, com outros aguardando inclusão. Uma nova Constituição foi escrita, e um dos assuntos em debate foi se, e de que forma, “Deus" deveria ser mencionado. O papa defendeu a te- se de que a Constituição devia res- saltar que o "Cristianismo goza de posição privilegiada” na Europa - uma declaração inexpressiva, que nem define o "Cristianismo" nem seus supostos privilégios, mas pode- ria ajudar a preparar o caminho pa- ra o Anticristo. [2] Embora muitos estudiosos de profecia bíblica te- nham igualado a União Européia (UE) com o Império Romano revi- vido, os césares tinham dominio so- bre uma área muito maior - todo o mundo conhecido na época. A formação da UE foi só o pri- meiro passo, e um que os estudio- sos de profecia bíblica previram há muito tempo e têm acompanhado com atenção. Como poderia esse mesmo processo se estender por to- do o território antigamente domina- do pelos imperadores romanos? Es- sa era a grande questão, que agora já foi respondida, pelo menos em parte. O colapso do comunismo na Europa Oriental, começando com sua queda em 1989, iniciou um processo que promete unir todas as nações da Terra, estabelecendo, as- sim, o governo mundial único sobre o qual o Anticristo irá reinar. A porta já foi aberta para incluir numa Europa Unida até mesmo a antiga União Soviética e seus satéli- tes - uma idéia que até pouco tem- po atrás era totalmente impensável. Se isso ocorrer, o próprio tamanho, assim como o poder econômico e militar, da União Européia, esten- dendo-se desde o Atlântico até as mais longínquas partes da Sibéria, forçará a adesão do resto do mundo. Co- mo escreveu um ana- lista bem conhecido: A admissão como membro [da UE] já está aberta o todos os povos europeus que obrocem a democracia e esteiom dispostos c¡ aceitar os termos de um acordo de adesão. Sendo assim, à medida que a Europa por trás do antigo Corti- na de Ferro vai se libera- em 2007 Notícias de lsrael, outubro de 2008 9
  10. 10. lizando, parece certo e inevitável que a UE se estenda em direção ao leste. .. A longo prazo, a estrutura euro péia seró considerada o protótipo de algo muito mais ambicioso. Fala-se sobre um governo mundial hó pelo menos um século, sem chegar a lugar nenhum. Porém, uma associação ca- da vez mais ampla, baseada em va- lores culturais comuns, é uma idéia muito mais promissora. O conceito cultural europeu não é uma idéia convencional. Ê uma idéia global. Estamos dando os primeiros passos em direção a uma comunida- cle ecumêníca que se espalharó por todos os cantos do planeta. [3] Esse escritor secular não fazia idéia de que estava relatando o cumprimento de uma das mais im- portantes e extraordinárias profe- cias da Bíblia. A "comunidade ecu- mêníca” global a que ele se refere não é outra se não o Império Ro- mano revivido sobre o qual o Anti- cristo irá reinar. O renascimento do Império Ro- mano, que está em processo atual- mente, não é apenas a última de uma longa cadeia de profecias cum- pridas através dos séculos que de- monstram que a Bíblia é, como afir- ma, a Palavra de Deus. Mais que is- so, é um sinal importantíssimo da proximidade da revelação do Anti- cristo e da Segunda Vinda de Cris- to, quando Ele Confrontará o impos- tor aqui no planeta Terra. E o Arre- batamento ocorrerá antes disso! Pela graça de Deus, já vivi o bas- tante para ver grande parte daquilo lol Notícias de lsrael, outubro de 2008 Prédio do Parlamento da União Européia em Estrasburgo, França. que aprendi na juventude como profecia se transformar em hilstánkz. É espantoso ver acontecimentos se desenrolarem consumando profe- cias registradas na Bíblia milhares de anos atrás. Os eventos mais in- criveis ainda estão para acontecer, e a Bíblia nos apresentou o script an- tecipadamente. Quão perto do lim dos tempos estamos hoje? É possível dizer? Infe- lizmente, sempre houve entusiastas convictos de que sabiam exatamente quando chegaria o Em, e que foram capazes de convencer uma multidão de seguidores a vender ou doar seus bens e a se empoleirarem em árvores ou se aglomerarem no alto de mon- tanhas para aguardar a Segunda Vinda. Teorias apocalípticas surgem aos montes na virada de cada século, e principalmente no fim de um milê- nio, como aconteceu de novo no ñ- nal da década de 1990. Os alarmis- tas do ano 2000 (a maioria dos quais nunca se desculpou) fizeram fortu- nas, embora levando seus seguidores a perderem milhões - perdas das quais muitos, inclusive cristãos sin- ceros, podem jamais se recuperar. Recomendamos: _ 'Í l Pedidos: 030o 7139.5152 [Como alertamos na época, ] o simples fato de que o Anticristo vai precisar de computadores para con- trolar o mundo deveria ser suficien- te para impedir que qualquer cristão conhecedor da Bíblia se deixasse le- var pela histeria em massa provoca- da por essas previsões de colapso no ano 2000. Como uma pane global nos computadores poderia levar à construção de uma sociedade que não usa mais o dinheiro, se uma so- ciedade desse tipo obviamente pre- cisa de computadores para existir? Como um colapso bancário intema- cional poderia criar as condições co- merciais ideais que Cristo previu pa- ra a época da manifestação da sua glória (Tito 2.3) à noiva (Mateus 2436-44; Lucas 17 .22-37)? Fazer essas perguntas nos ajuda a não ser- mos vítimas das novas histerias que surgem de tempos em tempos. Nos- so foco deve estar no nosso Senhor e na Sua Palavra. (extraído do livro Contagem Regressiva Para a Volta de jesus, a ser lançado em breve) Dave Hunt é autor e conferencista mundial- mente conhecido. Ele escreveu mais de 25 li- vros com tiragem total acima de 4.000.000 de exemplares. Dave Hunt Faz muitas pales- tras nas EUA e em outros países, sendo tam- bém freqüentemente entrevistado no radio e na televisão por causa das suas profundas pe uisas em áreas como misticismo orien- tal, nôrnenos psíquicos, seitas e ocultismo. Notas: 1. Geni-ua WII, "llussnln worse than Mussolini ln vlolousnoss, miiitary might" (coluna lmlonan- ilento, Washington, 0.0.). z "Eli debates Gulf: placa in lts citam# (USA Today, 8 da Fevereiro da 2002), 8a. a. Paul Johnson, "Elton-inn um 'm nt liaalsr", World Press Revlon! , Março Ile 1990, 24-25. 'Ii www. chamada. com. br
  11. 11. “Nunca presume algo". Esse dito funciona particularmente bem quando aplicado â ciên- cia da interpretação bíblica. Conjeturar muito sobre um texto das Escrituras pode conduzir a conclusões inexatas que vão de- turpar o significado das palavras do Senhor. Um bom exemplo dessa situação vem de Mateus 24.34, quando Jesus, falando sobre as tribulações horrí- veis dos últimos tempos, seguidas pelo Seu retorno, afirmou: "Em verdade vo: digo que não passará esta gera- ção sem que tudo : kw aconteça”. A0 longo dos anos, mestres e pregadores fizeram conjeturas tão erradas sobre esse texto que criaram confusão e frustração. Alguns, inclusive, foram tão lon- ge que dataram o retorno de Cristo à Terra. Essas su- posições impróprias afetam três áreas: (l) a palavra ge- ração, (2) a expressão tudo Leto, e (3) a identidade da ñ- gueira no versículo 32. Geração Há não muito tempo atrás, as pessoas interpretavam a palavra geração como um periodo fixo de tempo, es- peciñcamente 40 anos. Na verdade, uma geração não é limitada a 40 anos. Apenas uma vez (Gn 15.16) a Bí- blia realmente usa essa palavra para denotar uma con- tagem específica de tempo, neste caso a de 100 anos. A palavra pode ser usada para denotar gerações de 20, 40 ou mais anos. Além do mais, geração não é limitada ao elemento tempo. Pode, em alguns casos, ser usada para categori- zar pessoas de uma mesma idade, ocupação ou status social. Logo, alguns estudiosos concluem atualmente que, nesta passagem, geração refere-se à nação de Is- rael, significando que Jesus garantiu a sobrevivência continuada do povo judeu. Tudo isto Embora pareça natural crer que Jesus tenha falado sobre os discípulos e seus contemporâneos, certos ele- mentos da profecia do Senhor não se ajustam a essa interpretação. Sem dúvida, mais tarde os discípulos testemunharam os horrores envolvidos na destruição de Jerusalém e do Templo, em 70 d. C. Porém, eles não testemunharam o restante dos acontecimentos que Jesus descreveu como tudo isto. Os eventos de Mateus 24,29 nunca ocorreram: “O sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do _firma- mento, e os poderes dos céus serão abalados". Assim, ou Jesus fez uma predição inexata (sabemos que isso é impossível) ou os discípulos não eram a “geração” a quem Ele se referiu. Notícias de lsrael, outubro de 2008 l l
  12. 12. Pode, em o . . "- ' ~ ç l IJ A palavra geração não é limitado ao elemento tempo. guns casos, ser usado para cotegonzar pessoas de umo mesmo idade, ocupação ou status social. A figueira Através dos anos, muitas pessoas bem-intencionadas assumiram que a figueira cujas folhas brotam, no versículo 32, simboliza Israel. Quando Israel tornou-se um Esta- do, em 1948, essas pessoas crer-am que testemunhariam o retomo de Cristo. Em outras palavras, elas vi- ram o renascimento de Israel como profecia cumprindo-se até que o julgamento viesse. Elas concluíram que, se uma geração tem 40 anos, a contagem a partir do estabeleci- mento do Estado de Israel significa- va que o retorno de Jesus seria em 1988. Um livrete sobre esse tópico foi publicado no começo dos anos 80. Ele atraiu enorme atenção e até mesmo levou crentes a venderam seus bens na expectativa do retorno de Cristo. Obviamente, as pessoas calcula- ram mal. As Escrituras dizem: "Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai" (Mt 24.36). Israel é chamado de oliveira em Romanos 11.ll-24 e vinha em _Notícias de lsrael, outubro de 2008 Isaias 5.1-7 e Lucas 20.948, mas nunca e chamado de figueira. Além do mais, num relato para- lelo de Mateus 24, Lucas cita Jesus dizendo: “Vede a figueira e todas as árvores" (ênfase adicionada, Lc 21.29). Jesus usou a parábola da fi- gueira para transmitir uma verdade simples. A figueira é nada mais que uma figueira, e quando as folhas brotam visivelmente, o verão está chegando. Assim, Jesus disse aos discípulos que a geração que teste- munharia todos os eventos de Ma- teus 24.4-3l seria a geração que testemunharia o Seu retorno. Seu retorno ainda é futuro. De- pois do Arrebatamento da Igreja, haverá uma geração que verá todos os eventos - "tudo isto" - que Jesus lsrael é chamado de oliveira em Romanos l l . l l-24 e vínlio em Isaías 5.l-7 e Lucas 20.94 8, 3 mas nunca é chamado de Figueira. descreveu. Jeremias refere-se a eles como "o tempo da angústia de faco". Daniel os descreve como as 70 se- manas (Dn 9.24). Hoje nós nos re- ferimos a eles como os sete anos da Tribulação. O Arrebatamento é uma vinda sem sinais. Supor que haverá sinais está errado. Como cristãos, espera- mos Seu retorno iminente que nos levará para estar com Ele. Marana- tal Vem logo, Senhor Jesus! (Israel My Glory) Steve Herzig é diretor de The Friends of Israel nos EUA. Recomendamos: Pedidos: 0300 789.5152 - , z . ,_ ; muy inutil' www. Chamada. com. br alla
  13. 13. o responder as questões relacio- nadas aos eventos futuros, Jesus deu a Seus discípulos um raio de esperança: "Aquele, porém, que per- sezzerar até o fim, esse será ralw” (xl/ It 24. I 3). O que Ele quis dizer? A chave para essa resposta é a expressão até o fim. A palavra fim é marca de tempo em Mateus 24.6 e 13-14, mas ela é indefinida. Outros versículos falam de "consumação dos séculos” (Mt l3.39-40,49; 24.3; 28.20). Os judeus entendiam que havia duas eras: uma antecedendo a vin- da do Messias e outra posterior à Sua vinda. [l] Mateus 24.3 relacio- na-se à epoca anterior. No contex- to, “afim” em Mateus 24.13 não se refere ao fim da destruição de Jeru- salém em 70 d. C., como alguns rei- tcam, especialmente porque Je- ” mou na ocasião e não estabeleceu um Reino literal e real. Também não se refere ao fim das perseguições e jul- gamentos pessoais, ou ao fim da vi- da de alguém. Em vez disso, "o fim” alude ao ñm da era anterior à vinda do Messias [a Segunda Vinda de ]esus]. Jesus também explicou em Ma- teus 24 quem terá que perseverar nos sete anos finais antes da Sua vinda. Durante o Sermão Profético, Jesus se dirigiu aos discípulos como “xrós” (plural). Esta palavra, no en- tanto, vai alem dos próprios discí- pulos, referindo-se aos judeus cren- tes em um futuro mais distante. Embora seja verdade que os cris- tãos gentios vivos na ocasião tam- bém deverão “perseveraf”, o con- texto na passagem, junto com os paralelos em Mateus 10.22 e Mar- cos 13.13, bem como todo o Evan- gelho de Mateus, focaliza os judeus. Assim, Mateus 24.13 não foi escrito para os cristãos de todas as eras, co- mo alguns sugerem, mas para aque- les judeus crentes que viverão nos dias tumultuados que precederão a vinda do Messias Jesus. Em que exatamente eles deverão perseverar? Como para uma mulher em dores de parto (Mt 24.8), aque- les dias serão repletos de dor e an- gústia. Aqueles dias são também conhecidos como "tempo de angústia para jacó" (jr 30.7), “tempo de an- gústia" (Dn 12.1) e “grande tribula- ção” (Mt 24.21). Israel experimen- tará perseguições severas (Zc 13.8; Ap 12.13). Mesmo os judeus cren- tes em Jesus sofrerão, sendo o alvo do Anticristo (Dn 7.21; Mt 24.9- 12; Ap 12.17; 13.7). Alguns até mesmo serão mortos. . : are. .. Notícias de lsrael. outubro de 200
  14. 14. Os judeus crentes que cons uirem sobreviver até o Fim da Tríbu ação se- rão resgatados fisicamente por Jesus Cristo na Sua Segunda Vinda. Aqueles crentes, entretanto, são contrastados com outros em Ma- teus 24.13 que perseverarão. Embo- ra a palavra perseverar tenha uma série de signiñcados, é mais bem entendida como “permanecer vi- vo”. [2] Note que os versículos se- guintes são instruções “salva-vidas” do próprio Jesus. Mateus 24.13 não é um manda- mento ou uma cláusula condicio- nal. É simplesmente uma declara- ção objetiva de que os sobreviventes daqueles dias terão a esperança se- gura da salvação. A salvação pro- metida nesse versículo não pode ser espiritual, porque salvação espiri- tual é baseada na fé em Cristo (Ef 2.8-9), não na sobrevivência fisica. Além disso, no contexto, Jesus disse: “Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo” [fisi- camente liberto ou resgatado] (Mateus 24.22). A palavra salvo pode fazer referência tanto a salvação fisica ou espiritual. Como a Bíblia claramente promete que Deus resgatará Seu povo Israel da destruição fi- sica no final da Tribulação (Is 4.2-3; _Tr 30.7; Dn 12. I ; Zc 12. 7-9; 14.3), a salvação mencio- nada em Mateus Recomendamos: Pedidos: oaoo 7139.5152" 24.13 significa livramento jisico ou resgate. Assim, os judeus crentes que conse- guirem sobreviver até o fim da Tribu- lação serão resgatados fisicamente por jesus Cristo na Sua Segunda Vinda. (Israel My Glory) Bruce Scott é representante de The Friends of Israel em New Hope, Min- nesota (EUA). Notas: 1. Mateus 12.82; Mai-cos 10.30; Lucas 18.30; Ilo- hraus 8.5. também, wñshnah, Mirim 5.19. zlluando escreveu da prisão nos minimos, o anúsmln Paulo orla que não morreria, mas “permanecia-ia na carne" e “titan-la o perma- necem" (Fu 1.2445). A: duas palavras estão relacionadas à naIaw-a “perseverar” am Ma- teus 24.13. : j- / 7 é "(4o. ' 'L' ' é. : aiàílg ju§-*”" '›' e '_; '“_ _ www. Chamada. com. br Porque os cristãos apóiam lsrael "llitfst li 'serão Í* @'15 ins Inclui os iultrílisias tlü terra” (Gsi. ÍÍIJ wii), Notícias de lslael, outubro de 2008 A história bíblica do Plano de Salvação divino começa em Gênesis 12. Os capitulos anteriores documentam muito bem a queda do homem em pecado e seu rápido afasta- mento de Deus, sua decadência no abismo da destruição no rumo de uma eternidade de perdição. Mas então che- gamos ao 12° capítulo do Gênesis, um marco da virada na história mundial, porque documento como Deus se aproxi- mo da humanidade, para conduzi-la a um novo destino e para liberta-la do pecado. “x
  15. 15. O chamado de Abraão e, com ele, da nação de lsrael, desempenha um papel central nessa iniciativa de salva- ção desencadeada por Deus. lsrael deveria vir a ser "portador da reconci- liação do mundo", ou seja, porta-voz através de quem Deus Fala a um mun- do caído e se volta para ele (Rm 3.1- 2; Rm 9.1 -5). Por causa desse chamado, Abraão partiu para uma terra que lhe Fora prometida, a terra de Canaã. Nessa terra peculiar, e tenda em vista seu ca- róter especial, que a Escritura chama de coroa de todos as terras (Ez 20.15), lsrael encontrou sua identida- de de servo do Senhor (ls 50.10) e ajudante de Deus no grandioso ato de salvação do mundo. Israel é a mesma nação que se vê exposta à ira daque- les que odeiam a Deus e à ira do Ma- ligno invisível e sobrenatural. O carã- ter desse conFiito é claro: destrua Israel e você destruiró o piano divino de sal- vação. "A salvação vem dos judeus”, disse Jesus em João 4.22. Conseqüen- temente, a destruição dos judeus é considerada imprescindível para Frus- trar esse plano eterno. lnFelizmente, a história está repleta de constantes tentativas para se alcan- çar esse alvo. Mas quem garante ls- rael e sua sobrevivência é o próprio Senhor Deus. Portanto, o divino e eter- A história está repleta de constantes tentatíws de destruição dos judeus. Mas Quem garante lsrael e sua sobrevivência é o próprio Senhor Deus. no alvo não seró Frustrado apesar dos pecados de lsrael e apesar das repeti- das tentativas de liquida-io. lsrael Foi e continua sendo "a menina dos olhos de Deus" (Zc 2.8). Mais importante ainda é o Fato de que, por sua longa jornada, esse povo tomou-se capaz, com a ajuda de Deus, de nos dar grandes homens de Deus. ProFetas e apóstolos e nosso ma- ravilhoso Messias Jesus, que mudou radicalmente a nossa vida e a vida de milhares de pessoas neste mundo. lsrael sempre gozou do privilégio divino de ser o porta-voz de Deus po- ra o mundo. Seus erros Foram sempre apontados, tanto pelos proFetas maio- res como pelos proFetas menores, mas as promessas que Deus Fez a esse po- Hoje lsrael é um povo forte. auto- coniiante, que re- "Ê torna a Sião, mas g. continua sendo atormentado pelos inimigos, Que apos- tam em sua destrui- _ ção completa. Na _› foto, Tel Aviv. Horizonte vo também Ficaram registradas - pro- messas de um Futuro maravilhoso e abençoado. O que mais poderia signi- Ficar Isaias 21-4? Hoje, como em to- dos os tempos, lsrael está sob contínuo ataque. Nada mudou, com a única ex- ceção de que agora, em todo o mun- do, existe uma "Família" [os cristãos bíblicos] que entende a situação pecu- liar de Israel na sua terra. Ao mesmo tempo, entendemos que lsrael Foi eleito por amor ao mundo, em que Deus ama todas as pessoas de Forma igual (Jo 3.16). Causa espanto ver que os propósi- tos salvadores de Deus para este mun- do sempre estiveram atrelados à Fra- queza de lsrael e à sua peregrinação pela História, e mesmo assim Foram, são e serão propósitos vitoriosos. Tudo isso aponta para a Fidelidade de Deus e a veracidade de Sua Palavra. Hoje lsrael é um povo Forte, auto- conFiante, que retorna a Sião, mas continua sendo atormentado pelos ini- migos, que apostam em sua destruição completa. Nós, como cristãos [verda- deiros], apoiamos lsrael, colocamo- nos a seu lado, consoiamos-no e ora- mos por esse povo porque Deus assim ordenou e por estarmos cientes das bênçãos que recebemos por causa de Israel. Tornamo-nos participantes dos seus [de lsrael] valores espirituais, diz Romanos 15.27. Portanto, realmente devemos estar do seu lodo, já que Notícias de lsrael. outubro de 2008
  16. 16. Horizonte - - - r . › “l-“i-“À : '- Em todo o mundo. existe uma “familia" (os cristãos bíblicos] que entende a situa- ção peculiar de lsrael na sua terra. Deus acompanha Israel na última eta- pa de sua peregrinação até lhe dar "um novo coração e um novo espíri- to", como diz o proFeta Ezequiel (3ó.2ó)l A restauração de lsrael em nossa época não é obra de um acaso históri- co, mas uma prova evidente do cha- mado e da promessa que Deus Fez a Abraão e seus descendentes naturais através de lsaque hó 4.000 anos. Essa é uma realidade inacreditável e só po- de ser bênção divina. Nós apoiamos o que Deus ordena e abençoa! (Malcolm Hedding - extraído de Wort aus Jeru- salem, ICEJ) Recomendamos: www. Chamada. com. br Notícias de Israel, outubro de 2008 Jerusalém como Capital arabe? Ao contrário da crença comum de que a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e seu braço admi- nistrativo, a Autoridade Palestina (AP), exigiriam somente "Jerusalém Orien- tal" como Futura capital do Estado-Na- ção Palestina, na realidade elas recla- mam toda a cidade de Jerusalém. Este ano deu-se o que alguns vêem como um passo simbólico importante neste sentido. A reboque da iniciativa da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNES- CO), a AP e a OLP decidiram reco- nhecer Jerusalém como "capital da cultura árabe" de 2009. A UNESCO está trabalhando com Funcionários da Autoridade Palestina e personagens- chave da comunidade arabe-israelen- se na organização das celebrações para que sejam um mega-evento con- tra o que chamam de "ocupação is- raelense da Sagrada Jerusalém". Co- mo tudo na Terra Santa, suas razões têm uma história própria. A exigência dos palestinos vem do Fato de que ló bairros em Jerusalém Ocidental Foram construídos no lugar de bairros árabes do período pré-1948, de onde os ara- bes tinham Fugido durante a guerra de 1948. O termo da moda usado hoje em órabe para designar as aspirações dos palestinos por Jerusalém é "ol- Quds A-ShariF" - "Jerusalém sagrada, grande Jerusalém" - não apenas Jeru- salém Oriental. O título de "capital da cultura árabe" Foi adotado pelo bloco árabe na UNESCO a partir de 1996 para uma das capitais do mundo ara- be. Este ano, por exemplo, Foi dedica- do a Damasco, capital da Síria. Ano passado Foi Argel, capital da Argélia. Outras cidades como Cairo, Túnis, Amõ, Beirute e Cartum já haviam re- cebido o título. Jerusalém Foi a última escolhida para receber o prestigioso titulo, e agora Funcionarios da AP e lí- deres importantes da população órabe de lsrael estão se preparando para transFormar o título num símbolo da batalha contra o controle israelense de Jerusalém. A base para a cooperação da AP com membros da população árabe-israelense Foi estabelecida no Fim de semana, em ShFaram, onde te- ve lugar um encontro de representan- A sagrada Ierusalém judaica do Grande Templo do rei Salomão (maquete-J. .. . › . f. r «à fÊplllllliilllllltllllllÉ. ; »i ijíjtllulllltnllttl") n . l'[: ;"'. _íir' _u z g- __-u-. :- '- 195v** " '
  17. 17. t' . L . ..na . . . _ . j, _W tes da AP com a população árabe pa- ra discutir os preparativos para os eventos ligados à concessão do titulo a Jerusalém. Um Clos participantes do encontro com os representantes da AP Foi Amir Mahul, o presidente da Ittijah - a União das Associações da Comu- nidade Ârabe, uma organização que reúne as ONGs árabes em lsrael. Ma- hul também preside um "comitê pela deFesa da liberdade". Ele disse acredi- tar que Israel tentaria criar diFiculda- des para a realização dos eventos que terão lugar quando da declaração de Jerusalém como "capital da cultura árabe". "Prevemos que lsrael tornará as coisas diFíceis para nós, Fato que leva- remos em conta e que combateremos enFrentando as autoridades israelenses de ocupação", disse Mahul. EnFatizou . .e do Muro das Lamentações. a . , . . «z-. .dumnzã ñ: f' , ~ f e ainda que ele e a AP pretendem trans- Formar os eventos associados ao título numa campanha contra a ocupação de bairros árabes em Jerusalém. "Este será um evento que simbolizará a ba- talha contra a ocupação, para além do valor cultural e histórico de Jerusa- lém", explicou. "EnFatizaremos que Je- rusalém é a capital da cultura árabe palestina, a quai se encontra sob ocu- pação, e Israel se dará conta de que toda vez que houver uma batalha por Jerusalém, perderá". Expressando vi- são diFerente de Mahul, Mahmud Ma- wasi, o secretório-geral cio Mada - Particlo Democrático Árabe, disse que o objetivo dos eventos era aumentar a consciência sobre o passado árabe e isiãmico de Jerusalém, e não necessa- riamente criar um atrito com o esta- blishment israelense. "Não pretende- Horizonte "Prevcmos que lsrael torna- rá as coisas difíceis para nós. fato que tevaremos em conta e que combateremos enfrentando as autoridades israelenses de ocupação". disse Amir Mahul, presi- dente da Ittijah ~ a União das Associações da Comu- nidade Árabe. Na foto: palestino jogando pedras em jipe israelense. mos bater de Frente com o establis- hment", disse ele, "mas, sim, celebrar o Fato de que Jerusalém Foi por muitos anos o centro da cultura árabe e islã- mico". Embora haja uma crença gene- ralizada de que as nações ocidentais reconhecem a soberania israelense so- bre Jerusalém Ocidental, tal crença es- tá equivocada. Nenhum Estado-Mem- bro das Nações Unidas mantém uma embaixada em Jerusalém. Com a úni- ca exceção de Israel, todos os paises cujos cidadãos nasceram em Jerusa- lém emitem certidões de nascimento em que o local de nascimento consta apenas como Jerusalém, sem qualquer menção ao país de nascimento. Isto in- clui os EUA. (David Bedein, The Bulle- tin - extraído de "Notícias da Rua Ju- daica" - www. owurman. com/ blog - tradução: Alexandre J. Eisenberg). Recomendamos: A controvérsia sobre o Pedidos: 0300 7139.5152 www. Chamada. com. br Notícias de lsrael, outubro de 2008
  18. 18. Adquira já os das palestras do 'iEJf' -ífgngjrasgçgÁJn-çernacionai; sobre; aãalavnramãrrcríéfcícao 10° Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética Águas de Lindóia / SP ~ 22 a 25 de Outubro de 2008 Informações: 0300. 7895152 - www. chamada. com. br at' . à, t) 4~ J É 7.. .) é _ t, . É, s. , ê. ; a n. g xr, ãzsaa- n <~ “é j É ' lsrael Suíça EUA f¡ ' m. p. ;J , ,, , rm ' ; j , - N , - . ›- r' j _, _ É I / v 'H ? na › z¡ p . .4 L , .-' J J «qu 3 -. _,z. .* J . .Ã *vv* Jx/ 'ra u. ; ' . í J . j . ..qr . J ¡x/ J x_/ .« . I VW# de 36/2009 c¡ '15/5/2-.009 35:” «Congrs-, aaso frríarryucíormk] Sobre u &Palavra; Proíéñcu em Jarusuiérr) , . , . f, N. , . o. g_ . _ ções de pagamento Fone: 0300 7895152 - www. Beih-Shcalomcom. br Notícias de lsrael, outubro de 2008
  19. 19. lsrael tenta dividir a . Terra Prometida de Deus Talvez você jó tenha lido a noticia. Sob a liderança corrupta e mal- orientada de Ehud Olmert [que, ago- ra, renunciou. Entretanto, se Tzipi Livni tor sua sucessora, deve seguir no mes- mo rumo - N. R. ], lsrael está se prepa- rando para dividir o país pela metade ~ dando a quase totalidade da Judéia e da Samaria para a Autoridade Pa- lestina (AP), os inimigos jurados de tu- do o que é bom e decente no mundo. Esse mais recente "acordo de terra em troca de paz" iormaró a base de um novo Estado palestino. Tzipi Livni. atual ministra das Relações Exteriores de Israel e candidata ao cargo de primeiro-ministro do pais. n¡ Í l . à 4 E o mundo viverá em paz e harmo- nia para sempre. Bem, não exatamente. A¡ está o problema Fundamental conforme eu, um jornalista cristão ára- be-americano e ex-correspondente no Oriente Médio, o vejo: Israel não tem o direito de dar a Terra Prometido de presente, pois aquela terra é a Terra Santa de Deus - terra que Ele entre- gou aos cuidados do Seu povo. Se¡ que Olmert não acredita nisso [nem Tzipi Livni - N. R.]. Sei que bem poucos politicos em lsrael acreditam nisso. Sei que a maior parte dos is- raelenses não acre- dita nisso. Mas a incredulidade deles não muda a reali- dade. Só porque a maioria dos israe- lenses, e talvez até mesmo a maioria dos judeus no mun- do inteiro, tem mentalidade secu- lar e têm consciên- cia de que são o "povo escolhido de Deus", isso não significa que eles podem pegar a ter- ~~ Horizonte ra que receberam por milagre e joga- la tora. Contudo, é exatamente isso que Is- rael está para fazer. E haverá conse- qüências. Deus ordena que Israel não taça o que esta para Fazer. A Terra Prometido não pode ser di- vidida. Não pode ser vendida ou tro- cada, de acordo com Ezequiel 48.14. Mas pior, os israelenses estão dando- a de presente para seus inimigos - e, bem francamente, os inimigos de Deus. Não Foi para isso que Deus usou Moisés para abrir o mar Vermelho. Não to¡ para isso que ele tirou o povo dele do Egito. Não to¡ para isso que ele os tirou do cativeiro várias vezes. E com certeza Ele não realizou Seu maior milagre de todos - ajuntando novamente os judeus 2000 anos de- pois de sua dispersão e recriando a terra esquecida de lsrael - para vê-la desperdiçado desse jeito. Quem diz que o renascimento de Israel é um milagre maior do que o Êxodo? Deus diz. Em muitas partes da Bíblia, Deus se revela como Aquele que tirou os Filhos de Israel da terra do Egito. É um dos nomes de Deus. Ê o. modo como Ele Notícias de lsrael. outubro de 2008 [9
  20. 20. Horizonte - --à- ero conhecido pelo Seu povo - por meio de Suas obras miraculosas. Entretanto, Deus diz em Jeremias 23.7-8 que nos últimos dias Ele será conhecido pelo milagre de ajuntar de novo os Filhos de lsrael - um milagre maior do que o Exodo: "Portanto, eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que nunca mais dirão: Vive o SE- NHOR, que fez subir os filhos de Is- rael da terra do Egito; Mas: Vive o SENHOR, que fez subir, e que trouxe o geração da casa de lsrael do terra do norte, e de todas as terras para onde os tinha arrojado; e habitarão na sua terra”. Esse milagre ocorreu há óO anos - e toi maior, aos olhos de Deus, do que o abertura do mor Vermelho, do que o manó do céu, do que o entrega do lei A criação do Estado de lsrael, há 60 anos. foi um milagre maior. aos olhos de Deus. do QUC a abertura do mar Ver- melho, do Que o maná do céu, do Que a cn- trega da lei no monte Sinai. do que as mura- lhas de Jericó desmo- ronando. no monte Sinai, do que as muralhas de Jericó desmoronando. Isaías proietizou também que Israel renasceria. Ele até preclisse que isso aconteceria num único dia (lsoias 66.7- 8). Você conhece alguma outra nação na história do mundo que literalmente nasceu num dia? Mas era ainda a terra de Deus, diz Jeremias 3.18: "Na- queles dias, andoró a casa de Judô com a casa de Israel: e ví- rão, juntas, da term do Norte, para a ter- ra que dei em heran- ça a vossos pais. " Não iai o ONU " É. j, Pedidos: 0300 789.5152 que deu a Terra Pro- metido paro Israel. Turistas chineses em lsrael Se tudo correr bem, logo haverá muitos ônibus de turis- tas chineses viajando por todo o Israel. Um novo acordo en- tre os governos chinês e israelense será assinado na próxi- ma semana, declarando que lsrael é um destino aprovado 20 Notícias de Israel. outubro de 2008 Não to¡ o astúcia militar de lsrael que libertou o Terra Prometido. Não ioi o trabalho duro dos sionis- tas que iez renascer o Estado de ls- rael. Jó estava tudo pré-determinado. Foi tudo obra de Deus. E Ele nõo en- tregou a terra dEle porque queria dó- la de presente aos descrentes. Eu discordo do que lsrael está lo- zendo? Sim. Eu acredito que lsrael esta come- tendo um grande mai? Sim. Eu acredito que Israel enirentaró horrendas conseqüências como resul- todo? Sim. Mas não importo no que eu creio. O que importa é o que Deus diz. (Joseph Farah, www. WorldNet- Doi| y.com - extraído de www. juliose- vero. com) | oseph Farah é o fundador e editor da revista eletrônica wwwworidNetDailycom. Ele é americano de ascendência árabe. Durante mui- tos anos foi correspondente no Oriente Médio. pelo governo chinês para turistas. Em seqüencio a esse anúncio a China Air, que é maior linha aérea da Chino, es- taró re-examinando o operacionalidade de vôos comerciais entre lsrael e a China. Os Ministérios de Turismo e de Rela-
  21. 21. AAir China é a maior linha aérea da China e uma das maiores do mundo. ções Exteriores de Israel têm traba- lhando nos últimos anos para receber a aprovação chinesa para ser um clos poucos destinos recomendados pelo governo chinês. O acordo será assina- clo por Tzipi Livni, o ministra de Rela- ções Exteriores de Israel, e pelo admi- nistrador do Escritório Chinês de Turis- mo, que é o equivalente ao Ministério cle Turismo. Ruhama Avraham-Balila, que é o ministra cle Turismo, retornou de uma viagem de trabalho de uma Horizonte semana à China, e no final do mês duas delegações do Escritório Chinês de Turismo são esperadas em lsrael para explorar os métodos de coopera- cão com agentes de turismo locais. A Air Chino é a maior linha aérea da China e uma das maiores do mundo. Na década de 1990 operava vôos co- merciais cla China para lsrael, que lo- ram interrompidos por não serem viá- veis tinanceiramente. Recentemente a Air China assinou um acordo com o grupo israelense Krief, que agiró para a linha aérea como agente cle carga em Israel. "A cada ano, aproximada- mente 50 milhões de chineses visitam áreas nas redondezas de Israel, e agora precisamos nos preparar para al: ›sorver parte deste número", inlor- mou a ministra Avraham. Esse acordo facilitará a emissão de vistos de entra- da para ambos as paises e tem um potencial enonne para aumentar o tu- rismo para lsrael. (extraído de "Notí- cias da Rua Judaica" - www. owur- mancom/ blog) O povo judeu no início do ano 5769 No dia 30/ 9 começou o ano 5769 no calenclório ¡udaí- co. No mundo inteiro há 13,3 milhões cle judeus. Destes, 5.550.000 vivem em lsrael, o que representa 41,3% do to- tal. No ano ¡udaico que passou, a população ¡udaica em ls- rael aumentou em 85.000 pessoas e na Diáspora (Disper- são) em 15.000. Dos judeus registrados (que não pertencem o outra reli- gião), vivem tora de lsrael: o 5.300.000 nos EUA o 490.000 na França 0 375.000 no Canadá or 295.000 na tngiaterra o 340.000 215.000 na Rússia ú l 83.000 na Argentina c: l 20.000 na Alemanha ú 107.000 na Austrália o 96.000 no Brasil Unidos vive _ quase o mesmo número de lsrael. Na foto. ¡udeu ortodoxo b; nos paises da ex-URSS, dos quais Nos Estados " judeus como em em Nova York. "' O restante está espalhado como minoria em muitos ou- tros paises do mundo. No Afeganistão, por exemplo, restou apenas um judeu. (lsrael Heute) Notícias de Israel, outubro de 2008
  22. 22. ÉMãtmprÍw-ãê a Profecia Mojica, em WW; Pergunta: "Será que a profecia bíblica se cumpriu quando lsrael se reconsti- tuíu como nação em 1948?" Resposta: O ocorrido em 14 de maio de 1948, quando nasceu o Estado de Israel da modernidade, não apenas se tornou um impor- tante desdobramento da monta- gem do palco para os aconteci- mentos finais. Ele também carac- terizou o cumprimento real de profecias bíblicas específicas refe- rentes a um reagrupamento inter- nacional dos judeus na sua terra, ainda numa condição de increduli- dade, antes do juízo da Tribula- ção vindoura. Tal predição se en- contra nos seguintes textos do Antigo Testamento: Ezequiel 2033-38; 2247-22; 3622-24; Isaías 11.l1-l2; Sofonias 2.l-2; e Ezequiel 38 - 39, cujo contexto pressupõe o reagrupamento dos judeus na terra de Israel. ieiollocaustre Pergunta: "O que significa a palavra "Holocausto"? " Resposta: O termo “holocausto" advém da língua gre- ga e significa “sacrifício através do fogo". A partir de 1945, a palavra “Holocaustd” passou a significar o ex- termínio sistemático de 6 milhões de judeus pela Ale- manha nazista e por seu colaboradores. O termo “Shoá” é uma outra denominação usada, principalmen- te em Israel, para se referir ao Holocausto. Na língua hebraica, “Shoá” significa calamidade. (extraído de wvvw. morasha. com. br) Veja as séries de fotos atuais dos campos de concentração nazistas em nosso site 22 Notícias de lsrael. outubro de 2008 Muitas outras pas- sagens da Biblia mencionam o rea- grupamento de Is- . s . rael, em fe', por ocasião do tim da Tribulação, asso- ciado com a volta 3.-. . l_ gloriosa de Cristo, ' ' numa preparação para o começo do Reino Milenar ou Milênio. Os textos bíblicos referentes ao reagrupamento de todo o povo judeu em fé ainda não se cumpriram na realidade do anial Estado de Israel. Portanto, ao considerarmos o Esta- do de Israel da modernidade, per- cebemos o começo do cumprimen- to de determinadas profecias relati- vas ao plano de Deus para Israel no fim dos tempos. O fato de nos últi- mos sessenta anos constatar-se um Soldado na Guerra da independência em Israel (1948). reagrupamento mundial dos judeus e o restabelecimento da nação de Israel (o que proporciona o exato contexto para a revelação do anti- cristo e para o inicio da Tríbula- ção), é o grande indicador divino de que todas as outras áreas do de- senvolvimento mundial são profeti- camente relevantes. Maranata! (Thomas Ice, Pre-Trib Perspectives)
  23. 23. É, I 7* j. “ 7 lindas fotos da " i A Ri 6:90 Terra Santa , xx i----- Modelo de parede . J a MOdGIO de mesa o 1 pôster central 7 . M o Formato: 14,5 x 20 cm . Formato; 29,5 x 44 cm llhirll_ rL' . ii-'iMPÍ-lth' '- Im : lttir-Ílni, 'i1 q Ê, , _ Su per Promoção! para quantidades (paredeemesa) . Recebo - ó 13 20 34 42 g; Pague - 5 lO l5 25 30 R$: 34,50 69,00 103,50 172,50 207,00 Modelos de bolso - Formato: 9,5 x 6,5 cm 100 . - R5 22,00 200 - R$ 39,60 500 - R5 77,00 1.000 - R3 140,00 P: : *fas-z 0300 7853.5152 wuvw.0lti! ¡iiat¡a. c0m. hr ç ' _'F~Í'§›. ÍT_T 'T "i '75 _E i
  24. 24. ,z _ t, n.4,; a *ll-DÊ wulzuxm Desemprego, falta de segurança, corrupção descarada de políticos, valores morais sendo der- rubados diante de nossos olhos, relacionamentos conturbados em casa. .. poderiamos bem pergun- tar com Davi no Salmo 11.3: “Ora, destruídos os fundamentos, que poderá fazer o justo? " Fugindo do rei Saul que queria matá-lo, Davi precisou rever seu conceito de Deus, como talvez você esteja precisando fazer hoje. Ouça a receita que Davi nos dá para este momento de crise. . >'NT$C DVD-R ' ' aproxlãlfminutos BOA 1:3 EM ÊJVT E' ZOO* D9 yocionaj l l É 3' 5 l _ í* 5 o É V! É . ' y P › É I ” kçglaj_ . m, 1114101) ow. . a emma: m¡ 4 ovos clàllmu neuem m¡ uma Lwwnsavl ABESSÍVE. rms ou¡ você não mama¡ llIA ul ns rMPucAçõEs nalclosus nn citam PEIGIINIAS ou¡ l Evowçlio não BONSEEIIE IIESPIINIIB¡ ' à: : ii? i; E nrmlsivns > 2C08 >NTSC-DVD-R >4DVDS a o Disponível. ; a: ã. › nas cores: É _ . Marromterra tw 7 ~ * “Pá, . ? à Preto l Bicolor verde 9? @lí ”' .29 "1 ' t' um N "FÂNYv v yr s ¡ J 1 ' . X b: . se eu , w- «tj '- «I 0 Salmista escreveu : “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti. ” Dizem que o Salmo 119 foi usado para ensinar o alfabeto hebraico às crianças e ao mesmo tempo enfatizar a importância da Palavra de Deus. Possivelmente foi cantado para facilitar apren- dizagem. Este vídeo tem o propósito de ensinar alguns versículos da Bíblia, de uma maneira agradável, e pennanente, através de música. > 2008 › NTSC - DVD -R > Duração: aprox. 55 minutos 'r 1m ' ' Pavdldnqr 0300 789.515?

×