Folder Oxitec Português (Pdf)

422 visualizações

Publicada em

Informações sobre a Oxitec e sua tecnologia de controle de vetores transmissores de doenças na saúde pública e pragas na agricultura

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
422
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folder Oxitec Português (Pdf)

  1. 1. Fundação Bill e Melinda Gates Tecnologia de Controle do Vetor da Dengue Pioneira em Tecnologia 2008 do Fórum Econômico Mundial Julho 2008 Pessoas saudáveis Meio ambiente saudável
  2. 2. O X I T E C OXFORD INSECT TECHNOLOGIES Mosca-da-fruta do Mediterrâneo A mosca-da-fruta do Mediterrâneo (Moscamed) é a praga de maior importância global. Ela se alimenta de mais de 400 produtos agrícolas hospedeiros e sua presença restringe a exportação de commodities agrícolas para muitos mercados consumidores. Somente nos EUA, mais de sete bilhões de dólares em commodities poderiam ser prejudicados pela invasão da Moscamed. Para evitar a sua infestação na América do Norte, os EUA, México e Guatemala operam uma das maiores biofábricas de SIT, na Guatemala, produzindo mais de dois bilhões de moscas por semana para minimizar os danos da praga. A OXITEC desenvolveu uma tecnologia inovadora, conhecida como RIDL® , que permite o controle eficaz e não agressivo ao ambiente, de insetos nefastos à agricultura e aos mosquitos transmissores de doenças. A tecnologia RIDL® da OXITEC, que é baseada nos avanços nas áreas de biologia molecular e genética da Universidade de Oxford, proporciona um novo patamar no desempenho da bem conhecida Técnica do Inseto Estéril (SIT – Sterile Insect Technique). Técnica de Insetos Estéreis (SIT) A SIT é também descrita como “controle de natalidade para insetos”. A técnica consiste em liberar um grande número de insetos estéreis em grandes áreas para competirem e acasalarem com os insetos nativos transmissores de doenças presentes. A descendência das fêmeas nativas que acasalaram com os machos estéreis não se desenvolve, levando assim ao declínio da população do transmissor da praga em referência. A técnica é estabelecida e comprovada, sendo utilizada desde os anos 50 em um programa de erradicação de praga bem sucedida, da conhecida mosca varejeira do berne (Chrysomia bezziana), uma larva carnívora, nas Américas Central e do Norte. A SIT é utilizada também pelo Governo Americano para prevenir a invasão da moscamed – mosca-da- fruta do Mediterrâneo (Ceratities capitata) e pelos plantadores de algodão para controlar a lagarta rosada do algodão (Pectinophora gossypiella). A SIT é o instrumento ideal para o gerenciamento integrado de controle de pragas, porém tem limitações de uso pela sua tecnologia atual, particularmente pela necessidade de esterilizar os insetos usando radioatividade e pelas dificuldades em separar os machos das fêmeas. A RIDL® pode superar algumas destas restrições tornando a SIT mais eficaz em custos, mais segura e aplicável em maior número de espécies de insetos transmissores das pragas. Tecnologia RIDL® Os insetos RIDL® são estéreis na ausência de um componente específico de sua alimentação, e podem ser utilizados como agente de controle de pragas. A RIDL® torna a SIT mais acessível, mais segura, e aplicável em uma gama maior de insetos transmissores de pragas. Todas ou algumas das seguintes características podem ser incorporadas em diferentes espécies de insetos: 1. Esterilidade Elimina a necessidade de radioatividade, que reduz a longevidade e a competitividade sexual dos insetos. Biofábricas RIDL® não necessitam serem construídas com as medidas de segurança e custos necessários para os materiais radioativos. A RIDL® torna a tecnologia SIT aplicável naqueles insetos em que a radiação tornava-os debilitados impossibilitando a sua utilização para serem efetivos agentes de controle - como é o caso dos mosquitos. 2. Biossegurança Como qualquer fuga dos insetos da biofábrica os mesmos serão estéreis, eliminado o risco de se introduzir insetos férteis transmissores de doenças ao meio ambiente e pragas na agricultura. 3. Separação dos sexos Somente os insetos machos são liberados, geralmente mais efetivos como agentes de controle que as fêmeas. Isto é particularmente útil para as pragas cujas fêmeas dos insetos causam danos, como as fêmeas de mosquitos, que picam os animais e humanos e as moscas- da-fruta que colocam seus ovos na polpa das frutas. 4. Marcadores fluorescentes Permite um controle e monitoramento eficaz dos programas de controle de insetos.
  3. 3. O X I T E C OXFORD INSECT TECHNOLOGIES Agricultura Os agricultores são obrigados a evitar os danos dos insetos e dos resíduos de pesticidas. A SIT é utilizada em várias partes do mundo para controlar as espécies tephritid de moscas-da-fruta, como a voraz mosca-da-fruta do Mediterrâneo permitindo assim a exportação de produtos saudáveis e limpos. A RIDL® pode minimizar os custos efetivos destes programas com moscas estéreis mais saudáveis e de fácil segregação sexual. A Lagarta Rosada do algodão é uma das mais destrutivas pragas do algodão em diversas áreas do mundo, incluindo o oeste americano dos EUA. O Conselho Nacional de Algodão dos EUA estima perdas de US$21 milhões anuais em prevenção e controle e baixa do rendimento das colheitas do algodão. A tecnologia da OXITEC melhora o monitoramento e conseqüentemente o gerenciamento desta praga. A RIDL® poderá ser utilizada para numerosas espécies de insetos como uma ferramenta valiosa para a integração dos programas de gerenciamento de pragas. Olhos fluorescentes da Mosca do Mediterrâneo Aedes agypti e seu marcador no microscópio Todos os insetos da OXITEC contêm uma marca hereditária, invisível a olho nu em iluminação normal, porém claramente visíveis e fluorescentes em microscópios com filtros. Isto possibilita o monitoramento confiável e com sucesso para programas de controle de insetos. Modelos matemáticos mostram que a população de Aedes aegypti declinará para abaixo do limite da transmissão da dengue em 3-6 meses, dependendo da taxa de liberação. (2:1 – 6 meses; 10:1 – 3 meses) Saúde Pública As doenças transmitidas pelos insetos como a febre dengue e a chinkungunya são uma ameaça crescente, colocando 55% da população mundial sob risco. Existem mais de 100 milhões de casos de dengue a cada ano (Brasil: 473 mil casos em até Maio 2008, aumentando a severidade a cada ano), não existindo atualmente medicações ou vacinas específicas. Os métodos de controle convencionais têm-se mostrado muito pouco eficazes para prevenir os surtos porque a dengue pode ser transmitida por relativamente muito poucas fêmeas, como 2-3 fêmeas eclodindo diariamente e colocando em risco em torno de 100 pessoas. A RIDL® oferece uma ferramenta poderosa para controlar a população do mosquito mantendo-a em níveis abaixo daqueles necessários para a continuidade da transmissão da doença. A OXITEC faz parte de um consórcio que ganhou US$20 milhões e o prestigiado prêmio Grandes Desafios na Saúde Global criado pela Fundação Gates para desenvolver esta tecnologia RIDL® . Foi também selecionada como Pioneira em Tecnologia 2008, pelo Fórum Econômico Mundial, participando do fórum em Janeiro 2008 em Davos na Suíça e na festa de premiação que ocorrerá em Setembro 2008 em Tiajing na China.
  4. 4. O X I T E C OXFORD INSECT TECHNOLOGIES Progresso A OXITEC gerou linhagens para quatro pragas da agricultura: a mosca-da-fruta do Mediterrâneo (Ceratitis capitata), a mosca-da-fruta Mexicana (Anastrepha ludens), a Lagarta Rosada do algodão (Pectinophora gossypiella) e a Mariposa Codling da maçã (Cydia pomonella). O maior avanço é a Lagarta Rosada que completou dois anos de experiências e testes em campo aberto no Arizona, EUA. A OXITEC também gerou linhagens modelo para o mosquito vetor do dengue (Aedes aegypti) que estão sendo avaliados na Malásia e nos EUA. Está também iniciando suas atividades na América Latina através do Brasil, com o objetivo de trazer sua tecnologia RIDL® para o combate do vetor do dengue e de pragas na agricultura. Parceiros A OXITEC está colaborando com os Governos dos EUA e da Malásia para avaliar sua tecnologia RIDL® no controle de pragas. Está também trabalhando com vários institutos e universidades globalmente. Procuramos outras organizações, tanto governamentais como privadas para o desenvolvimento e comercialização de nossas soluções para controle de vetores na saúde pública e pragas na agricultura. Foto: CDC – Centers for Disease Control Mosquito Aedes aegypti A tecnologia da OXITEC modifica os genes do mosquito Aedes aegypti, transmissor do dengue e febre amarela principal problema de saúde dos trópicos. Segurança e Regulação A tecnologia RIDL® emprega técnicas de engenharia genética e de biologia molecular cujos potenciais impactos ao ambiente e à saúde são estritamente avaliados. Os insetos criados pela OXITEC não são diferentes dos insetos da natureza, fora a sua inabilidade de se reproduzirem na ausência de condições permitidas. A tecnologia RIDL® garante que: 1. Nenhuma toxina é introduzida nos insetos para torná-los estéreis, portanto não há qualquer risco para a cadeia alimentar, para pássaros ou outros animais predadores dos insetos. 2. Os insetos RIDL® são estéreis, portanto a seqüência de DNA introduzida não se perpetua na espécie-alvo. 3. Os insetos RIDL® somente se acasalam com sua própria espécie, portanto a seqüência de DNA introduzida não pode se espalhar como insetos híbridos. 4. A OXITEC está criando novas estruturas moleculares e metodologias para garantir que as seqüências de DNA introduzidas estejam firmemente encadeadas em locais sem qualquer risco de transferências genéticas “horizontais”. A OXITEC está em conformidade com todas as legislações internacionais e contribui com iniciativas públicas e de governo para estabelecer normas e padrões apropriados. As regulações para insetos transgênicos estão sendo desenvolvidas por diferentes países, sendo os EUA o mais avançado. Recentemente, em Março de 2008, a OXITEC foi premiada pela OMS – Pesquisas e Treinamento em Doenças Tropicais (WHO/TDR), para participar de um programa de 3 anos que traçará diretrizes para o uso de insetos transgênicos. A principal finalidade será o de estabelecer as melhores práticas e diretrizes para a utilização das recentes evoluções e dos métodos inovadores da engenharia genética para o controle de mosquitos vetores de doenças na saúde pública (dengue e malária). Informações: Oxitec Ltd. 71 Milton Park Abingdon OX14 4RX Reino Unido t +44 (0) 1235 832393 f +44 (0) 1235 861138 www.oxitec.com info@oxitec.com Na América Latina: Joaquim Leão joaquim.leao@oxitec.com t (21) 2287 9096 / 4101 5965 cel (21) 9961 1960 / 8337 9176

×