Preparação para o teste prático
Fisica e Quimica A
1. Simbolos de Identificação de Perigo presentes em rótulos e
cuidados ...
30- Funil de Buchner 31-Pompete 32-Cápsula de porcelana 33- Cadinho 34-
Almofariz 35-Pinças 36-Tesoura 37- Triângulo de su...
Exercícios
1. Ao pegar em algumas substâncias apareceram estes sinais. O que querem dizer e
que cuidados devemos de ter?
2...
4. Algarismos significativos
O resultado de uma medição deve ser expresso de tal modo que indique a
precisão com que ela f...
6. Tipos de erro
Tipos de erro Características Causas
Sistemáticos
Existem sempre e
verificam-se no mesmo
sentido
Podem se...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Preparação para o teste prático de Quimica A 10º ano

665 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
665
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Preparação para o teste prático de Quimica A 10º ano

  1. 1. Preparação para o teste prático Fisica e Quimica A 1. Simbolos de Identificação de Perigo presentes em rótulos e cuidados a ter. Tóxico – Usar bata, óculos e luvas de proteção Irritantes – Evitar contacto com a pele, olhos e órgãos respiratórios Explosivo – Colocar em lugar fresco e evitar choques. Usar bata, óculos e luvas de proteção Inflamável e Comburenetes – Não aproximar da chama e não foguear por perto Corrosivo – Usar bata e luvas de proteção Radioativo – Usar equipamento de proteção especifico 2. Material de uso corrente em laboratório 1- Ampola de decantação 2- Balão de fundo plano 3- Funil de vidro 4- Proveta graduada 5- Balão volumétrico 6- Gobelé 7- Tubos de ensaio 8- Balão Erlenmeyer 9- Kitasato 10- Funil de carga 11- Balão de fundo redondo 12- Balão de destilação 13- Cristalizador 14- Tina 15- Vidro de relógio 16- Condensador 17- Bureta 18- Pipeta 19- Pipeta Volumétrica 20- Conta-gotas 21- Vareta 22- Termómetro 23- Suporte 24- Noz 25- Garras 26- Argola 27-Suporte de buretas 28-Tripé 29- Esguicho
  2. 2. 30- Funil de Buchner 31-Pompete 32-Cápsula de porcelana 33- Cadinho 34- Almofariz 35-Pinças 36-Tesoura 37- Triângulo de suporte 38- Lamparina 39- Lima 40- Espátulas 3. Processos de separação de diversas misturas Mistura homogénea sólida Peneiração – Diferentes tamanhos dos grãos em que se apresentam as diferentes substâncias da mistura Sublimação – Passagem direta do estado sólido para o gasoso de uma substância da mistura Separação magnética – Propriedades magnéticas de uma das substâncias Extração por solvente – Diferente solubilidade das diversas substâncias que compõem a mistura o que exige a escolha do solvente apropriado Mistura heterogénea sólida-líquida Decantação – Maior densidade do sólido Filtração – Retenção de partículas sólidas num filtro adequado Centrifugação – Diferentes comportamentos de partículas de massas diferentes , quando lhes é aplicado uma rotação Mistura heterogénea líquida Decantação – Imiscibilidade das substâncias ou das soluções Mistura homogénea líquida Destilação simples e fracionada – Diferentes pontos de ebulição dos componentes da mistura
  3. 3. Exercícios 1. Ao pegar em algumas substâncias apareceram estes sinais. O que querem dizer e que cuidados devemos de ter? 2. Se tivermos algumas soluções que processos teremos de utilizar para separar cada elemento das misturas 2.1 água, sal e terra 2.2 azeite de uma solução aquosa de sulfato de cobre 2.3 sal e areia 2.4 limalha de ferro, água, areia e sal 3. Legenda a imagem seguinte
  4. 4. 4. Algarismos significativos O resultado de uma medição deve ser expresso de tal modo que indique a precisão com que ela foi efetuada. Algarismo significativo = algarismo exato ( concordantes com as divisões da escala) + algarismo aproximado ( é lido por estimativa) Por exemplo, 35445,89 este numero tem 7 algarismos significativos onde o 9 é o algarismo aproximado. Adição e subtração Nº de casas decimais = nº de casas decimais da menor parcela Multiplicação e divisão Mesmo algarismo significativo do fator com menos algarismos significativos. 5. Medições de massa, volume Medir a massa de uma amostra é uma operação que se domina de pesagem O instrumento utilizado é o termómetro O alcance é o valor máximo que é possível medir utilizando o aparelho; a sensibilidade é o valor de menor divisão da escala Medir volumes líquidos usam se diversos instrumentos consoante o rigor pretendido. Podemos utilizar pipetas graduadas, buretas ou balões volumétricos. Qualquer que seja o instrumento utilizado na medição de um volume, deve fazer-se a leitura de modo a evitar os erros de paralaxe – erros associados à incorreta posição do observador Efetivamente, a superfície livre de um liquido contido num instrumento de medida apresenta-se, sempre, ligeiramente encurvada na periferia. Toma a forma côncava – menisco côncavo – no caso dos líquidos, como a água que molham as paredes do vaso; toma a forma convexa – menisco convexo – no caso dos líquidos, como o mercurio que não molham as paredes do vaso que os contem.
  5. 5. 6. Tipos de erro Tipos de erro Características Causas Sistemáticos Existem sempre e verificam-se no mesmo sentido Podem ser compensados Método utilizado não adequado Deficiência dos instrumentos de medida Flutuações nas condições de medida Entre outros Acidentais Como o próprio nome indica, são imprevisíveis e surgem ocasionalmente. Não são regulares, isto é, oscilam aleatoriamente para um lado e para outro do valor da grandeza São difíceis de eliminar Podem ser:  Más leituras  Movimento brusco do operador  Variações bruscas de temperatura, pressão, vento, tensão elétrica, etc,  Outras 7. Análise elementar por via seca Na análise por via seca, a amostra a analisar está no estado sólido. Entre os testes mais vulgares estão os testes ou ensaio, de chama, utilizados não identificação de elementos, nomeadamente, metais constituintes em sais. Estes ensaios baseiam se no facto de, quando os sais são sujeitos a elevadas temperaturas, os catiões metálicos que os constituem passarem a estados excitados, emitindo posteriormente radiações de cores características, sob a forma de uma chama colorida.

×