Dirigir situacoes de aprendizagem

1.157 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.157
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dirigir situacoes de aprendizagem

  1. 1. Organizar e dirigir situações de aprendizagem UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE INSTITUTO DE EDUCAÇÃO Dr. João Alberto da Silva http://euestudojeanpiaget.spaces.live.com/
  2. 2. Por que é uma nova competência? <ul><li>A aula baseada no maestro </li></ul><ul><li>Conceber e dirigir situações terapêuticas </li></ul><ul><li>Organizar aulas com base na intuição (vocação) </li></ul><ul><li>A ilusão de que, ao falar, cada um escuta de acordo com suas necessidades </li></ul><ul><li>Dirigir situações de ensino X Dirigir situações de aprendizagem </li></ul><ul><li>A aprendizagem como capital cultural </li></ul><ul><li>A formação como um título de nobreza </li></ul>
  3. 3. <ul><li>O que é traduzir um conteúdo em um objetivo de aprendizagem? </li></ul>
  4. 4. <ul><li>“ O que se concebe...” (p. 27) </li></ul>
  5. 5. Representações dos alunos <ul><li>O que é uma representação? </li></ul>
  6. 6. Planejamento de Seqüência Didática <ul><li>Tema: Trabalhar o texto descritivo </li></ul><ul><li>Objetivos de aprendizagem: </li></ul><ul><li>Que os alunos percebam a importância da descrição na constituição do texto </li></ul><ul><li>Que identifiquem as marcas de um texto descritivo, tais como a abundância de advérbios (tempo e espaço), adjetivos e menor ocorrência de verbos de ação </li></ul><ul><li>Compreender que o texto descritivo exige um caráter de descentração para o pensamento do outro </li></ul>
  7. 7. Procedimentos <ul><li>Fornecer para cada aluno uma imagem de paisagem ou situação </li></ul><ul><li>Pedir que elaborem um texto (sem defini-lo como descritivo) para contar a um colega qual a imagem que receberam </li></ul><ul><li>Recolher as produções, sem identificação e redistribui-las ao acaso. </li></ul><ul><li>Pedir que os alunos, a partir do novo texto que receberam, identifiquem as imagens descritas </li></ul><ul><li>Propor que reescrevam os textos para tornar mais fácil a identificação </li></ul><ul><li>Devolver ao primeiro autor </li></ul>
  8. 8. Conteúdos <ul><li>Pedir que os primeiros autores reescrevam seus textos </li></ul><ul><li>Introduzir um elemento literário, de romance sobre a imagem </li></ul><ul><li>Trocar novamente os textos </li></ul><ul><li>Pedir que identifiquem os elementos que se julgar interessante (adjetivos, advérbios, etc). </li></ul><ul><li>Destrocar os textos </li></ul><ul><li>Propor a investigação de um elemento histórico para agregar ao texto </li></ul>
  9. 9. Os obstáculos <ul><li>Alunos que, de partida, já criaram um texto narrativo e não permitiram a identificação do desenho </li></ul><ul><li>Os erros são pontos de partida para novas propostas (investigação da prática) </li></ul>
  10. 10. Postura de Investigação <ul><li>Alunos que trazem textos carregados de suas experiências particulares </li></ul><ul><li>Alunos que investigam a intenção do colega e seu próprio desempenho como autor </li></ul><ul><li>Professor que analisa o impacto da proposta, que é capaz de investigar o resultado da atividade </li></ul><ul><li>Diferentes possibilidades de respostas </li></ul>
  11. 11. Um projeto maior... <ul><li>A construção de uma obra coletiva reunindo as diferentes produções sobre diferentes gêneros e com múltiplas representações </li></ul>

×