Altas habilidades

8.487 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.487
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
237
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Altas habilidades

  1. 1. TUTORIAL NO ATENDIMENTO DO ALUNO SUPERDOTADO COM SÍNDROME DE ASPERGER Cristina Maria Carvalho Delou UFF
  2. 2. Filho de um duque e um dos homens mais ricos da Inglaterra em seu tempo, Henry Cavendish foi, ao mesmo tempo, um cientista muito importante para a história da Química e uma pessoa bastante diferente. Trabalhava totalmente isolado, não se comunicava com ninguém e seus empregados se relacionavam com ele por escrito. Recentemente, Oliver Sacks, famoso neurologista e escritor inglês aventou a hipótese de que Cavendish tivesse a síndrome de Asperger, um tipo do autismo que altera o desenvolvimento infantil geral. As pessoas com esta síndrome são inteligentes, têm excepcional capacidade de concentração e se interessam apenas por uma ou duas coisas em sua existência. Diversas teorias propõem que muitos cientistas de sucesso seriam Asperger.
  3. 3. • Transtorno Autista • Transtorno de Asperger • Transtorno Desintegrativo da Infância • Transtorno de Rett • Autismo Atípico - Transtornos Invasivos não Especificados FONTE: http://www.psiqweb.med.br/dsm/dsm.html
  4. 4. • Déficits na linguagem comunicativa ou pragmática - Fala desenvolvida com certo atraso - Inversão pronominal - Linguagem pedante, repetitiva e estereotipada • Desenvolvimento social - Não entende as regras sociais • Padrões de jogo Departamento - Temas repetitivos (colecionador) de Pediatria da Universidade de - Excelente memória Viena - Interesses não usuais
  5. 5. Altas Síndrome de Superdotado com Habilidades/Super Asperger Asperger -dotação Cognição Complexa Simples - (Gallagher & (Gallagher & Gallagher, 2002) Gallagher, 2002) Memória e Compreensão Memorização - compreensão avançada avançada (Gallagher & (Gallagher & Gallagher, 2002) Gallagher, 2002) Excelentes Excelente rotina - (Assouline & e pobre Bramer's, 2003) compreensão (Assouline & Bramer's, 2003)
  6. 6. Altas Síndrome de Superdotado com Habilidades/Super Asperger Asperger -dotação Interesse Altamente focados Altamente - (Gallagher & focados Gallagher, 2002) (Gallagher & Gallagher, 2002) Altamente focado, Altamente - podendo focado mas pode comprometer as não ser interações sociais. academicamente Falta de desafio relevante. entedia-o. (Assouline & (Assouline & Bramer's, 2003) Bramer's, 2003)
  7. 7. Altas Síndrome de Superdotado com Habilidades/Super Asperger Asperger -dotação Vocabulário Avançado e Hiperlexia - sofisticado (Gallagher & (Gallagher & Gallagher, 2002) Gallagher, 2002) Geralmente alto Geralemnte alto - (Assouline & mas pode ser Bramer's, 2003) específico da área de interesse (Assouline & Bramer's, 2003) Pode ter padrão - Pedante, discurso lingüístico de sem interrupção criança mais velha (Neihart, 2000) (Neihart, 2000)
  8. 8. Altas Síndrome de Superdotado com Habilidades/Super Asperger Asperger -dotação Organização Pode ser Pode ser - comprometida por comprometida interesses pela pobre variados compreensão (Assouline & (Assouline & Bramer's, 2003) Bramer's, 2003) Social Isolado Inábil com os - independente dos pares de idade pares de idade (Gallagher & (Gallagher & Gallagher, 2002) Gallagher, 2002) Pode ter menos Isolado por falta - necessidade de de talento social amigos (Assouline (Assouline & & Bramer's, 2003) Bramer's, 2003)
  9. 9. Altas Síndrome de Superdotado com Habilidades/Super Asperger Asperger -dotação Flexibilidade Perfeccionismo, Pode ser - justiça social, alterada pelas honestidade(Asso rotinas e regras uline & Bramer's, (Assouline & 2003) Bramer's, 2003) Pode resistir - Muito baixa passivamente, tolerância para a mas mudança, freqüentemente agitação, segue adiante agressão (Neihart, 2000)
  10. 10. Altas Síndrome de Superdotado com Habilidades/Super Asperger Asperger -dotação Coordenação Normal (Assouline Comprometida - & Bramer's, 2003) (Assouline & Bramer's, 2003) Não é - 50-90 % de característica da crianças com maioria das Asperger crianças manifestam superdotadas (Neihart, 2000) (Neihart, 2000) Distúrbios de Se existirem, - Sempre são Atenção geralmente são internos (Neihart, exteriores 2000) (Neihart, 2000)
  11. 11. Altas Síndrome de Superdotado com Habilidades/Super Asperger Asperger -dotação Humor Envolve-se numa - Pode fazer o jogo roda alegre de palavras, mas (Neihart, 2000) não entende o humor que é exigido numa roda de amigos (Neihart, 2000) Afeto Não é - Sempre inapropriado característica observada (Neihart, 2000) (Neihart, 2000) Insight Geralmente bom - Confirmadamente (Neihart, 2000) ausente (Neihart, 2000) Estereotipia Não é - Pode estar característica presente (Neihart, (Neihart, 2000) 2000)
  12. 12. PROJETO DE ATENDIMENTO A ALUNOS COM ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO FOTOS AUTORIZADAS
  13. 13. Déficits na linguagem comunicativa ou pragmática - Linguagem pedante, repetitiva e estereotipada
  14. 14. Desenvolvimento social - Não entende as regras sociais
  15. 15. Desenvolvimento social - Não entende as regras sociais
  16. 16. Padrões de jogo: - Temas repetitivos (colecionador); - Excelente memória; - Interesses não usuais
  17. 17. Áreas de Talento: memória numérica para os números dos ônibus que passam na cidade e para os textos lidos em área de interesse. Cálculos mentais de números primos de 1 a 9999 e pleno domínio da língua escrita.
  18. 18. Diagnóstico de Autismo aos 2 anos - HUAP/UFF; Linguagem incompreensível entre os gêmeos; Hiperléxicos aos 4 anos; Seqüência escolar comum até 7 anos, quando retornaram ao Jardim porque não se relacionavam; Mais 2 anos na Educação Infantil até 9 anos, quando um foi classificado na 1.ª série e o outro permaneceu na Alfa porque não fez a prova classificatória; Desempenho escolar excepcional até o final do 3.º ano do Ensino Médio; Avaliação de Inteligência: Escala Especial das Matrizes Progressivas de Raven: Um apresentou percentil maior que 95 e o outro 75;
  19. 19. Participação em atividades Tutoria Pedagógica em coletivas Física Vestibular: • Arquivologia/UFF (uma tentativa) – 2003 • Radiologia/Estácio de Sá (três tentativas) - Participação em evento de Educação Especial em 2006 Angra dos Reis
  20. 20. Tutoria Pedagógica à Comunidade Acadêmica - alternativa para inclusão universitária para aluno com necessidades educacionais especiais? Objetivo Geral Estudar a inclusão escolar, universitária, de aluno com necessidades educacionais especiais através da metodologia de tutoria pedagógica à comunidade acadêmica, pressupondo mudanças escolares e sociais para entender o sujeito com necessidades educacionais especiais, ajudando-o a funcionar satisfatoriamente no ambiente sociocultural universitário. Objetivos Específicos Realizar um programa de tutoria pedagógica para a comunidade acadêmica atendendo a professores, funcionários e alunos, munindo a todos com as informações disponíveis sobre a Síndrome de Asperger e Altas Habilidades/Superdotação; Acompanhar a comunidade acadêmica no cotidiano escolar de modo a ajudá-la a romper as barreiras advindas do desconhecimento no lidar com sujeitos singulares; Pensar coletivamente novas práticas de avaliação escolar de modo a que a meta seja o sucesso escolar de aluno com necessidades educacionais especiais. Observar mudanças alcançadas na rede de relações sociais pela produção de um novo tecido social que inclua o diferente. APOIO: Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
  21. 21. Tutoria Pedagógica à Comunidade Acadêmica - alternativa para inclusão universitária para aluno com necessidades educacionais especiais? METODOLOGIA Sujeitos: professores universitários, alunos do Diretório Acadêmico, alunos da turma e os funcionários da Faculdade.. Práticas pedagógicas formativas: acompanhamento psicopedagógico individual e coletivo, com vistas a conhecer, trocar experiências e pensar, coletivamente, alternativas para a tomada de decisão e de convívio interpessoal que atendam às necessidades educacionais especiais do aluno. Seminários e colóquios; Registros em Atas; APOIO: Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
  22. 22. Tutoria Pedagógica à Comunidade Acadêmica - alternativa para inclusão universitária para aluno com necessidades educacionais especiais? RESULTADOS Práticas pedagógicas voltadas para o perfil do aluno; Alternativas para os seminários avaliativos: provas, trabalhos individuais e coletivos; A Coordenação do Curso e os colegas fazem a mediação junto aos novos professores; APOIO: Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
  23. 23. Tutoria Pedagógica à Comunidade Acadêmica - alternativa para inclusão universitária para aluno com necessidades educacionais especiais? RESULTADOS Os funcionários estão adaptados ao seu estilo de relacionamento interpessoal; O aluno tem sido aprovado em todas as matérias com elogios dos professores; Está no quinto período e em seu segundo estágio; Foi feita Tutoria nos dois estágios. APOIO: Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
  24. 24. Tutoria Pedagógica à Comunidade Acadêmica - alternativa para inclusão universitária para aluno com necessidades educacionais especiais? CONCLUSÕES INICIAIS A TUTORIA PEDAGÓGICA PARECE SER UMA ALTERNATIVA EFICAZ PARA A INCLUSÃO UNIVERSITÁRIA DE ALUNO COM ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO E TRANSTORNO DE ASPERGER. APOIO: Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro

×