4º Jornal - dia 14

72 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
72
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4º Jornal - dia 14

  1. 1. Festivalempauta Cultura e Festa Oterceiro dia do Festival Cultural de São Brás do Suaçuí e Jeceaba aconteceu ontem, dia 13 de dezembro de 2013. Durante o dia tiveram início as oficinas de biodança e arte, desenho para iniciantes e cerâmica na Escola Municipal Zuleika Halfeld, e a oficina de Circo-Picadeiro em movimento na quadra do CRAS. As oficinas “Brinquedos e brincadeiras populares” e “Teatro de sombras”, aconteceram respectivamente em Bituri e Machados, zona rural do município. A noite foi de muita risada e muita música na Praça Tancredo de Almeida Neves com divertidas apresentações. O espetáculo de teatro “Concessa Pendura e Cai” fez o público rir muito, principalmente os adultos. A Banda Fator RG7 deu show nos dois sentidos da palavra: os integrantes ativos no palco, efeitos especiais de luzes e o repertório eclético, animaram o povo de Jeceaba, que foi dormir mais tarde. Ana Carolina Rocha, de 18 anos, estava curtindo o festival com sua prima, com o semblante de quem estava se divertindo. Ana elogiou o festival e disse: “Amúsica do CA:0147/001/2012 festival desse ano pra mim foi o diferencial, isso melhorou em relação ao ano passado”. Vizinho do palco do festival, Vicente Noronha de Lima de 69 anos, disse que o palco não costuma incomodar, mas quando o som está alto demais incomoda. Apesar da idade, Vicente tem uma personalidade jovial e até cedeu a casa para Cida Mendes, a Concessa, se trocar. Ele disse que o Festival é importante para a cidade “o pessoal evolui muito com quem vem de fora”. apresentam ANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 5 A MARCA Oficinas As oficinas do Festival começaram ontem, dia 13 de dezembro. No entorno da Escola Municipal Zuleika Halfeld e do CRAS, a movimentação de crianças foi intensa, principalmente nos horários das oficinas. Ocorreram alguns imprevistos que não atrapalharam as aulas, tudo aconteceu com normalidade e a diversão das crianças colocou todos da produção de bom humor.
  2. 2. Daniela Cota de Carvalho ministrou as oficinas de Biodança e Arte terapia no primeiro dia de oficinas. Vinda de Belo Horizonte, a professora participa pela segunda vez do festival e disse que: “É ótimo ver o artista indo onde o povo está”. Na aula de Arte terapia o som relaxante ao fundo e o baixo tom de voz de todos que estavam na sala contribuíram para a concentração dos alunos e as pinturas em pano foram feitas com tranquilidade e capricho. Segundo Daniela na oficina de Biodança o nível de tensão corporal foi percebido por todos os alunos, que estranharam a aula no início, mas foram bem receptivos no decorrer dela envolvendo-se bastante. A atividade proporciona relaxamento físico, emocional e mental, trazendo bem estar para quem pratica. CA:0147/001/2012 biodança e arte picadeiro em movimento Crianças elétricas e bem humoradas, essa foi a cara do primeiro dia da oficina de Circo, ministrada pelo professor Alexandre Marques e sua assistente Bianca. Colocaram a criançada para se exercitar, aprender a andar na corda bamba, jogar diabolô, fazer malabares e outras atividades circenses. Gisele Fernandes, de 9 anos estava muito satisfeita com a oficina e foi embora para descansar, pois afinal, são dois dias de oficina e poupar energia é imprescindível. Maria José Boaventura ministrou a oficina de desenho para ini- ciantes. As crianças que participaram colocaram imaginação e criatividade para funcionar, estavam focadas no papel. Maria comentou sobre o Festi- val Cultural para a cidade de Jeceaba: “O que faz a cultura não é uma ci- dade maior ou menor, independente do lugar, as crianças precisam é de oportunidade”. O pequeno Erick Gabriel, de 11 anos é cadeirante, veio à oficina para aprender a desenhar porque segun- do ele: “Eu já sei colorir, ainda só não sei desenhar”. Os desenhos das crianças no primeiro dia de oficina foram reproduções de cenas do co- tidiano da cidade, mas os desenhos que faziam mais sucesso eram os de personagens de desenho animado. Desenho para iniciantes
  3. 3. Guia de Identidade Visual Espaço em brancoLogomarca Deve-se deixar um espaço em branco cercado por uma linha imaginária em volta da logomarca, a área de respiro. Nenhum elemento deve invadir o espaço em branco. LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA 5 A MARCA IncentivoRealizaçãoApoioPatrocínio Apoio Institucional Efeitos especiais Como presente de aniversário a Prefeitura Municipal de Jeceaba trouxe a Banda Fator RG7 que deu um show de música, luzes e dança. Tocando todos os tipos de som a banda agradou ao público presente na Praça Tancredo Neves de maneira que a frente do palco ficasse cheia de espectadores. O estilo eclético variou entre pop, rock, funk, axé, e entre outros estilos musicais. Estilos de figurino também variavam, o revezamento da banda no palco fez o show ficar dinâmico e os efeitos especiais deram um gosto especial ao espetáculo. Com performances impressionantes, dançarinos e dançarinas conquistaram o carinho do público. Ana Paula Stacanelli Calixto é a dona da banda e elogiou o Festival e a Prefeitura, que proporcionaram toda a estrutura para que o show fosse completo. “O Festival vai abrir os horizontes de quem mora aqui, tanto na questão da musica quanto na questão tecnológica, o nosso show apresenta tudo isso.” CA:0147/001/2012 Coordenação Geral: Marcia Senra e Simone Senra / Coordenação de Comunicação: Guilherme Hamacek e João Marcos El Yark / Revisão: Maria Aldina de O. Resende / Cobertura Fotográfica: Arthur Senra / Diagramação: Arthur Senra e João Marcos El Yark / Cobertura Videográfica: Gustavo Braga. A banda animou a cidade de Jeceaba. Daniele Franca de 20 anos é de Jeceaba mas estuda em Belo Horizonte, participando pela primeira vez do festival ela gostou do show e disse que “a banda é diferente das que costumam vir aqui”. Concessa, risadas e luar público caísse na gargalhada. O di- recionamento da peça é para o pú- blico de adolescentes e adultos, mas apesar de não entenderam todas as piadas as crianças mais jovens tam- bém se divertiram muito. Alessan- dro Salatiel de 30 anos estava com sua esposa e elogiou a atriz, disse: “A Concessa aqui é sinal de que a ci- dade está evoluindo.” Cida disse que gosta de estar no palco e de acordo com ela: “É no palco onde a gente pode fazer nosso personagem bem, no palco temos liberdade”. Segundo ela o Festival é válido tanto para o povo, quanto para o artista: “por que leva o artista para onde ele não iria”. Assim, a tr- oca de cultura no festival é mútua. nas “mulheres danadas”. O espetáculo é um monólogo de Concessa Maria Silva, uma dona de casa do interior mãe de quatro filhos. O tema principal do teatro é abordar a vida sexual de maneira responsável, mas Concessa entra no assunto de forma que o significado de suas frases fique nas entre linhas o que fez com que uma parte do Aatriz de Pará de Minas Cida Mendes veio pela segunda vez à cidade de Jeceaba para participar do Festival Cultural de São Brás do Suaçuí e Jeceaba, desta vez apre- sentando um espetáculo inédito na cidade: “Concessa pendura e Cai”. A personagemé inspirada na mãe da atriz e em tantas outras mulheres do interior, como diz, ela se inspira Concessa Pendura e Cai foi uma das atrações da noite, personagem tirou risadas da platéia.

×