Cap 16 a herança cultural

1.866 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.866
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cap 16 a herança cultural

  1. 1. A Herança Cultural Prof Esp. João Carlos S. Balbi
  2. 2. “ QUALQUER ANIMAL DEIXA SINAIS DO QUE FOI, MAS SÓ O HOMEM DEIXA AS MARCAS DA SUA INVENTIVIDADE.” J. BRONOWSKI
  3. 3. A PARTIR DO MOMENTO EM QUE INICIOU SEU PROLONGADO PROCESSO DE EVOLUÇÃO BIOLÓGICA E CULTURAL, O HOMINÍDEO FOI SE DIFERENCIANDO DOS OUTROS ANIMAIS, ATÉ SE TORNAR HUMANO. TORNOU-SE, ENFIM, UM ANIMAL DOTADO DE UM CÉREBRO PENSANTE E DE UM COMPLEXO SISTEMA NERVOSO, QUE LHE PERMITIRAM CRIAR E ACUMULAR EXPERIÊNCIAS E O TORNARAM CAPAZ DE PROJETAR PARA O FUTURO AS EXPERIÊNCIAS DO PASSADO. O ENSAIO FOTOGRÁFICO AO LADO SIMBOLIZA UMA ETAPA DA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA E CULTURAL DO HOMEM ATÉ TORNAR-SE BÍPEDE.
  4. 4. No ano de 1859, na certeza de ter encontrado a resposta aos seus questionamentos, Charles Darwin, escreveu os livros: “ A Origem das Espécies” e “ A Descendência do Homem” nos quais ele manifestou suas idéias sobre o surgimento da raça humana na Terra. Seus dois livros geraram debates e muitas controvérsias na época, contudo, hoje em dia, muitas de suas idéias são aceitas pela ciência.  
  5. 5. Desde as suas remotas origens até aos nossos dias, o homem sofreu um longo e lento processo de evolução física e intelectual, que vulgarmente chamamos de HOMINIZAÇÃO.
  6. 6. Segundo Darwin, todas as coisas vivas surgiram através de um processo evolutivo, mecânico e natural, a partir de uma única fonte, que surgiu através de um processo semelhante a partir de um mundo morto, inorgânico.
  7. 8. As principais etapas do processo de hominização: Australopitecus: que surgiu aproximadamente há 4 milhões de anos na África Austral e Oriental.Era um hominídeo de pequena estatura (1,20m) com fronte baixa e face longa . Dispunha de arcadas supraciliares proeminentes e queixo saliente . Iniciou uma locomoção bípede e a sua caixa craniana rondava os 450 cm3. Era nômade , se abrigava em esconderijos e abrigos naturais e alimentava-se sobretudo de raízes, bulbos, grãos, frutos e alguma caça de pequeno porte. Era essencialmente recoletor : servia-se de pedras e paus para se defender e obter alimentos, sem desenvolver tecnologias de fabrico próprias. Desta espécie há a referir a descoberta das ossadas da nossa "Avó Ancestral", então denominada de Luzia, em 1978, na Etiópia. Dadas as suas características, com ossos da bacia muito desenvolvidos, pensou tratar-se de um exemplo do sexo feminino.
  8. 9. Australopitecus
  9. 10. surgiu por volta dos 3,3 milhões de anos na África Oriental e apresentava pequena estatura com uma capacidade craniana de 600/800 cm3. Tinha arcadas supraciliares acentuadas . Sendo nômade , construiu abrigos contra o vento e cabanas ocasionais. Além de recoletor já era caçador e utilizava armadilhas e emboscadas. Vivia em bandos , deslocando-se e caçando animais de pequeno porte, em grupo, e partilhava a caça entre si. Já fabricava instrumentos - Seixos Quebrados - e utilizava, provavelmente, uma linguagem rudimentar de grunhidos e gestos. Por fabricar utensílios, manifestava aptidão inteligente que implicava: 1. compreensão relativa ao fim a que desejava alcançar e os meios que devia utilizar; 2. sabedoria porque fazia operações e gestos precisos. Homo Habilis:
  10. 11. Homo Habilis
  11. 12. Homo Erectus: apareceu inicialmente em África, por volta de 1,6 milhões de anos e emigrou mais tarde para a Europa e a Ásia. Apresentava robustez e era de estatura elevada e compleição mais robusta . A sua verticalidade era mais acentuada, com uma capacidade craniana de 800/1100 cm3. Era nômade e construía abrigos e cabanas mais complexas que o Homo Habilis. Já revelava cooperação social e praticava já a caça grossa .
  12. 13. O povoamento da Ásia e da Europa pelo Homo Erectus obrigou necessariamente ao desenvolvimento de novas formas tecnológicas de sobrevivência: -vestuário; - habitações mais complexas, habitando sobretudo em grutas e cavernas (Troglodita); - Instrumentos mais aperfeiçoados (BIFACES); - Praticava já uma linguagem gestual; - Uso controlado do fogo, que melhorou o regime alimentar e conservação dos seus alimentos, proteção contra o frio e eventuais predadores. Tais fatos permitiram o prolongamento da vida e, portanto, o aumento da população. O fogo contribuiu para o reforço de laços de convívio e de afeto, tornando necessários a comunicação e os laços de família.
  13. 14. Homo Erectus
  14. 15. As suas origens remontam a 300.000 anos aproximadamente, no Paleolítico Médio. Inicialmente surge em África, Europa e Ásia, expandindo-se posteriormente para o continente americano e para a Oceania. A sua compleição física é rude e atarracada , para fazer face ao clima glacial. Revela uma grande capacidade craniana (1400/1600cm3), arcadas supraciliares salientes e fronte baixa e fugidia . Homo Sapiens (Neanderthal):
  15. 16. É considerado o primeiro hominídeo que se dedicava a grandes caçadas, já que pratica a caça grossa, com técnicas e emboscadas muito aperfeiçoadas . Domina a linguagem e revela uma evolução especializada no sentido da adaptação e sobrevivência , ao longo do ano, em climas rigorosos (cabanas aperfeiçoadas e peles para vestuário). Domina a técnica de lascas através do fabrico de lâminas, raspadores e pontas de seta; Demonstra uma espiritualidade evidente, pois preocupa-se com o Além, uma vez que pratica rituais funerários, isto é, faz a sepultura dos seus mortos em posição flectida, juntamente com os seus objetos pessoais e deposição de flores. Praticava o canibalismo e fazia o culto dos crânios .
  16. 17. Neanderthalensis
  17. 18. Homo Sapiens-Sapiens (Cro-Magnon): Entre 50.000 e 10.000 anos, no Paleolítico Superior, durante as últimas glaciações, surge o Homo Sapiens-Sapiens, que se expande por todos os continentes . A sua capacidade craniana oscila entre os 1450/1700 cm3 e revela uma estatura elevada , com traços físicos sensivelmente iguais ao homem actual . A sua face é plana e de fronte elevada , de crânio arredondado . Por isso, é a última etapa do processo de Hominização . A sua linguagem é articulada.
  18. 19. O Homo Sapiens-Sapiens vivia em grutas , cavernas e cabanas itenerantes. Era recolector e predador de grandes presas (bizontes, mamutes) e praticava a pesca . O grupo organizava-se em Clãs , isto é, grupos unidos por laços de parentesco, cujo chefe era o mais velho e repartiam sexualmente as tarefas entre si. Desenvolveu técnicas industriais de fabrico muito diversificadas e úteis, de pequeno tamanho (micrólitos). Construiu arpões, lâminas, raspadores, agulhas, buris, lanças, setas, flechas e propulsores. Para esse fim, utilizou diversos materiais: osso, chifres, dentes, madeira, pedra. Cobria-se de peles e adornava-se com colares de dentes de marfim, de conchas ou de marfim. Inventou a Arte Parietal ou Rupestre , sobre as paredes de grutas e cavernas. Desenvolveu a escultura (estatuetas e propulsores) e já conservava os seus alimentos, os quais defumava e secava.
  19. 20. Homo Sapiens-Sapiens
  20. 21. A vida em regime de comunidade primitiva: caça, coleta e artesanato. Imagens: aborígenes na Austrália e tribos indígenas no Brasil.
  21. 22. PALEOLÍTICO NEOLÍTICO <ul><li>Idade da Pedra Lascada; </li></ul><ul><li>Vida nômade; </li></ul><ul><li>Economia recoletora e de Caça; </li></ul><ul><li>Domínio do fogo; </li></ul><ul><li>Arte rupestre ou parietal </li></ul><ul><li>e móvel; </li></ul><ul><li>Idade da Pedra Polida; </li></ul><ul><li>Vida sedentária; </li></ul><ul><li>Economia de produção: artesanato, agricultura e domesticação; </li></ul><ul><li>Divisão do trabalho; </li></ul><ul><li>Diferenciação social; </li></ul><ul><li>Primeiros aldeamentos; </li></ul>
  22. 23. <ul><li>Aperfeiçoamento de técnicas: cerâmica, tecelagem, cestaria e moagem; </li></ul><ul><li>Arte megalítica (grandes construções de pedra); </li></ul><ul><li>Cultos agrários aliados à fertilidade da terra. </li></ul>CONT. NEOLÍTICO
  23. 24. Como se sabe tudo isso? Ciências como a Arqueologia, a Paleontologia, a Genética, a Biologia e muitas outras, auxiliam a História com o objetivo de remontar a vivência de povos tão antigos e que não deixaram registrada através da escrita a sua existência na Terra. A chave de tudo é a interpretação dos vestígios deixados na natureza e que são descobertos e explorados nos sítios arqueológicos.
  24. 25. Pintura Rupestre em Altamira 18 a 16 mil anos atrás
  25. 27. Lascaux
  26. 28. Altamira
  27. 29. Asturias
  28. 31. <ul><li>Cogull </li></ul>
  29. 32. Valltorta
  30. 33. Estátua de Vênus de Willendorf 22 a 24 mil anos atrás Essa mulher parece simbolizar a fecundidade, pelos aspectos sexuais: seios, nádegas, vulva e ventre. É muito importante para o povo da pré-história manter alta a taxa de natalidade uma vez que era difícil a sobrevivência e a taxa de mortalidade infantil era muito alta.
  31. 38. A “territoriedade” os levará a fortificar-se mais adiante.
  32. 39. Cerâmica
  33. 41. Arte Megalítica Stonehenge, Inglaterra. Conjunto de grandes pedras de mais de 4.500 anos atrás, possivelmente usado como calendário para rituais ligados à colheita e às estações: o homem começa a desvendar a Natureza.
  34. 42. Menhir Dolmen Cromlech Alineamiento
  35. 43. Taula Talayot Naveta
  36. 44. Quando os europeus chegaram à América alguns povos tinham alcançado elevados níveis tecnológicos como os astecas e os maias no México e América Central, e os Incas nos Andes. Eles realizaram obras para o aproveitamento da terra e das águas. ( Essas esculturas em pedra, mostram um pouco as habilidades desses povos).

×