Lisboa, 4 de Novembro de 2011  Sessão 4: Inclusão digital vs literacia informacional   UMA SOCIEDADE INCLUÍDA PODE SER    ...
Conceito de Inclusão Digital• Refere-se às práticas e habilidades de uso e domínio de  dispositivos tecnológicos e ferrame...
Ler, escrever eInclusão Digital –        contar   dois tipos de  competências            Novas                      result...
Conceito de Literacia Informacional                                                Alguns países                          ...
Conceito de Literacia Informacional• “O conjunto de competências que os individuos  devem possuir para reconhecer quando a...
Conceito de Literacia Informacional• Definimos Literacia Informacional   – através das competências e da capacidade select...
Conceito de Literacia Informacional• Não podemos esquecer que   – o conceito chegou à Biblioteconomia e ao universo     da...
2 Conceitos: ID e LI• A aplicação destes conceitos operativos configura-se como  essencial para:       • ajudar a explorar...
O Objetivo deste estudo                         Inclusão digitalMapear, a partirdas entrevistas, a  presença da           ...
Entrevistas              10
Participantes  N        • 132 indivíduosIdade      • M = 39,65 ± 17,31           • 47 homens (35,6%)Género     • 85 mulher...
ProcedimentosEmbora as questões das entrevistas não fossem construídas com o objetivode distinguir os conceitos de inclusã...
Resultados e Discussão     Entrevistas                         13
Percentagem de ocorrências ID*        grupos etários             • Como esperado os jovens usam mais             dispositi...
Exemplos de ocorrências ID   Homem, 22 anos:                  Homem, 62 anos:       “Com os telemóveis, o            “...
Percentagem de ocorrências LI*        grupos etários              • O grupo de idade dos indivíduos mais              ativ...
Exemplos de ocorrências LI   Homem, 41 anos                    Mulher, 90 anos       “Mesmo agora, em casa,        com ...
Percentagem de ocorrências IDT*         grupos etários              •O grupo etário dos 25-49 anos              apresentou...
Exemplos de ocorrências IDT   Mulher, 42 anos                   Mulher, 62 anos       "Quando eu era criança          ...
Percentagem de ocorrências de ID*       nível de escolaridade               •O nível de escolaridade é um fator           ...
Exemplos de ocorrências ID   Homem, licenciado                  Mulher, 1º ciclo       "Tudo que eu preciso de         ...
Percentagem de ocorrências LI*     nível de escolaridade              •Os grupos com mais ocorrências LI são              ...
Exemplos de ocorrências LI   Homem, licenciado                    Mulher, 1º ciclo       “A internet é importante      ...
Percentagem de ocorrências IDT*      nível de escolaridade              •O nível de escolaridade é, mais uma vez,         ...
Exemplos de ocorrências IDT   Mulher, licenciada                  Mulher, 3º ciclo       “Sempre tivemos telefone      ...
Percentagem de ocorrências ID*           género              •Pode ser que os homens tivessem sido              educados p...
Exemplos de ocorrências ID   Homem                                 Mulher       “Tenho um Smart Phone,                ...
Percentagem de ocorrências LI*           género              •Estas diferenças podem ser causadas              pelas exigê...
Exemplos de ocorrências LI   Homem                              Mulher       “Essencialmente para o             “O imp...
Percentagem de ocorrências de IDT*             género               •Neste caso as mulheres usam e adquirem               ...
Exemplos de ocorrências IDT   Mulher                              Homem       “Sim, tinha todos. Vídeo,           “Nes...
Questionários                32
ParticipantesN = 912
Resultados e Discussão    Questionário
•Este aspeto éimportante do pontode vista da literaciainformacional
•Os mais velhosparecem possuir maiscompetências deliteracia informacional
•Quanto maisescolarizados maisparecem possuircompetências de literaciainformacional
•Os mais velhos parecempossuir mais competênciasde literacia informacional
•É necessário intervir na escolapara aumentar as competênciasde literacia informacional
•Este aspeto éimportante do pontode vista da literaciainformacional
•Comparar sites é umcomportamento que está atornar-se típico entre asgerações mais novas
•Quanto mais escolarizadosmais parecem possuircompetências de literaciainformacional
•Este aspeto éimportante do pontode vista da literaciainformacional
•Alterar as definições deprivacidade é umcomportamento que estáa tornar-se típico entre asgerações mais novas
•Quanto mais escolarizadosmais parecem possuircompetências de literaciainformacional
Conclusões Conferência Diversidade Digital,                                    47 Lisboa, 4 de Novembro de 2011
Incluir nas práticas sociais e familiares o uso das TIC é apenas um aspetodo problemaÉ urgente ligar esta questão à capaci...
Deverá , pois, tal como o foi para a “leitura”, ser efetuado uminvestimento estruturado na aquisição de competências delit...
Agradecemos a atenção  PowerPoint disponível no site doProjeto Inclusão e Participação Digital         http://digital_incl...
Uma sociedade incluída pode ser mais facilmente "literacizada" informacionalmente?
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Uma sociedade incluída pode ser mais facilmente "literacizada" informacionalmente?

912 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
912
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Uma sociedade incluída pode ser mais facilmente "literacizada" informacionalmente?

  1. 1. Lisboa, 4 de Novembro de 2011 Sessão 4: Inclusão digital vs literacia informacional UMA SOCIEDADE INCLUÍDA PODE SER MAIS FACILMENTE “LITERACIZADA INFORMACIONALMENTE”? Fernanda Martins, FLUP - CETAC-MEDIA, Universidade do Porto Maria Manuela Pinto, FLUP - CETAC-MEDIA, Universidade do PortoArmando Malheiro da Silva, FLUP - CETAC-MEDIA, Universidade do Porto
  2. 2. Conceito de Inclusão Digital• Refere-se às práticas e habilidades de uso e domínio de dispositivos tecnológicos e ferramentas (computadores, navegação na Internet, etc.), em que não há somente uma habilidade visual e motora, mas também o desenvolvimento de habilidades cognitivas dependentes ou confinadas às características e requisitos de hardware e software.• competências adquiridas no processo de aprendizagem básica de informática 2
  3. 3. Ler, escrever eInclusão Digital – contar dois tipos de competências Novas resultantes do impacto das TIC 3
  4. 4. Conceito de Literacia Informacional Alguns países europeus 1994 desenvolvem USA definem ações National similares 90’s Education reorganização Goals - IL – dos sistemas um fator- educacionais chave na Era 70’s da emergência Informação do conceito 4
  5. 5. Conceito de Literacia Informacional• “O conjunto de competências que os individuos devem possuir para reconhecer quando a informação é necessária e a capacidade de a localizar, avaliar e usar eficientemente” (Cardoso, 2006: 401)• Abarca um novo nível de desempenho diretamente relacionado com as competências de recolha, seleção, avaliação crítica e uso contextualizado de informação pesquisada ​e organizada para qualquer finalidade. 5
  6. 6. Conceito de Literacia Informacional• Definimos Literacia Informacional – através das competências e da capacidade selectiva e sintetizadora na busca e uso da informação (Silva, 2006) – Determinar: • o tipo de competências aprendidas • assim como as necessidades espontâneas ou induzidas ao longo do processo de escolarização – no que toca a buscar, reproduzir/citar, interiorizar e comunicar informação • envolve um diálogo directo e proveitoso com as Ciências da Educação e permite desenvolver pesquisa dentro da C.I. 6
  7. 7. Conceito de Literacia Informacional• Não podemos esquecer que – o conceito chegou à Biblioteconomia e ao universo das Bibliotecas Escolares e Universitárias vindo dos campos da formação profissional e da Educação, imbricado, sobretudo na língua inglesa (literacy significa alfabetização e literacy), • com o sentido elementar atribuído às competências-chave (aprender a ler, esrever e contar), – e, aos poucos, foi sendo diferenciado desse sentido • para significar uma função cognitiva e emocional mais madura e versátil capaz de avaliar, de escolher e de usar construtivamente os diferentes tipos de informação disponíveis • da C.I. 7
  8. 8. 2 Conceitos: ID e LI• A aplicação destes conceitos operativos configura-se como essencial para: • ajudar a explorar o binómio (essencial no processo educacional e na construção pessoal) entre a • adaptabilidade ao ambiente e à técnica e • o harmonioso, mas também exigente, desenvolvimento da emoção e cognição individual e coletiva 8
  9. 9. O Objetivo deste estudo Inclusão digitalMapear, a partirdas entrevistas, a presença da Literacia Informacional 9
  10. 10. Entrevistas 10
  11. 11. Participantes N • 132 indivíduosIdade • M = 39,65 ± 17,31 • 47 homens (35,6%)Género • 85 mulheres (64,4%) 11
  12. 12. ProcedimentosEmbora as questões das entrevistas não fossem construídas com o objetivode distinguir os conceitos de inclusão digital e literacia informacional foipossível analisar a presença destes dois aspetos no discurso dos indivíduosAs entrevistas foram analisadas de acordo com 3 categorias • Inclusão digital (ID) – uso regular de mass-media (e.g. radio, TV), dispositivos digitais (e.g. telemóvel, computadores, iPod, PDA) e uso intensivo da Internet, incluindo motores de busca, tanto por razões de trabalho como de saúde, educação ou de lazer • Literacia informacional (LI) - Capacidade ou para pesquisar, selecionar, organizar e avaliar criticamente a informação • Inclusão Digital Tecnológica (IDT) - Manuseamento e utilização de dispositivos analógicos que existiam antes da revolução digitalRegistaram-se as ocorrências para cada uma das categorias
  13. 13. Resultados e Discussão Entrevistas 13
  14. 14. Percentagem de ocorrências ID* grupos etários • Como esperado os jovens usam mais dispositivos digitais • O grupo de indivíduos com mais de 65 anos utiliza-os mais do que os de 50-64 anos provavelmente porque usam a TV e os telemóveis muito frequentemente
  15. 15. Exemplos de ocorrências ID Homem, 22 anos:  Homem, 62 anos:  “Com os telemóveis, o  “A minha família tem computador portátil e a internet em casa”. internet. TV só para a play station.”
  16. 16. Percentagem de ocorrências LI* grupos etários • O grupo de idade dos indivíduos mais ativos teve mais ocorrências LI provavelmente porque necessitam de utilizar essa informação com mais precisão, nomeadamente ,no trabalho •O grupo de mais de 65 anos tem pouco conhecimento sobre o bom uso da tecnologia da informação
  17. 17. Exemplos de ocorrências LI Homem, 41 anos  Mulher, 90 anos  “Mesmo agora, em casa, com a ajuda da internet estou à procura de novas  “Eu só leio o jornal” formas de design, como podemos fazer isto ou aquilo.”
  18. 18. Percentagem de ocorrências IDT* grupos etários •O grupo etário dos 25-49 anos apresentou mais ocorrências de IDT, provavelmente porque cresceram na era digital e sentem que precisam de todos os tipos de dispositivos •O grupo de 50-64 anos, pelo contrário estão a adaptar-se lentamente às novas tecnologias
  19. 19. Exemplos de ocorrências IDT Mulher, 42 anos  Mulher, 62 anos  "Quando eu era criança  “Tínhamos um gira-discos tínhamos rádio, então as em casa mas acho que coisas começaram a nem tínhamos discos”. aparecer, primeiro a TV, depois gira-discos e gravador de cassetes".
  20. 20. Percentagem de ocorrências de ID* nível de escolaridade •O nível de escolaridade é um fator importante para a aquisição, o uso e a necessidade de dispositivos digitais
  21. 21. Exemplos de ocorrências ID Homem, licenciado  Mulher, 1º ciclo  "Tudo que eu preciso de  “TV só com antena. Só os fazer está lá, escrevo, canais portugueses”. tenho a internet perto de mim se quiser ver as notícias, e-mails, um filme. Está tudo no computador ".
  22. 22. Percentagem de ocorrências LI* nível de escolaridade •Os grupos com mais ocorrências LI são provavelmente os que, por razões de trabalho, necessitam de usar a informação de um modo mais preciso
  23. 23. Exemplos de ocorrências LI Homem, licenciado  Mulher, 1º ciclo  “A internet é importante  “Gosto de ver televisão. para a busca de conteúdos Gosto de telenovelas, ah musicais, imagens, para ah ah, e desse tipo de preparar trabalhos. Isto é, coisas”. acima de tudo para pesquisar informação sobre temas profissionais, para obter informação ou por lazer. ”.
  24. 24. Percentagem de ocorrências IDT* nível de escolaridade •O nível de escolaridade é, mais uma vez, um fator importante para a aquisição, o uso e a necessidade de dispositivos digitais mas também analógicos
  25. 25. Exemplos de ocorrências IDT Mulher, licenciada  Mulher, 3º ciclo  “Sempre tivemos telefone  “Só tínhamos um e televisão. Uma televisão gravador”. velha. Até tínhamos um gravador e um gira-discos que ainda estão nos arrumos ”.
  26. 26. Percentagem de ocorrências ID* género •Pode ser que os homens tivessem sido educados para se interessarem mais pela área tecnológica e que as suas profissões os obriguem a estar mais atualizados nestes assuntos
  27. 27. Exemplos de ocorrências ID Homem  Mulher  “Tenho um Smart Phone,  “Só televisão, alguns um Samsung, com écran DVDs e é tudo”. tatil, e-mail, video-call, e mais algumas coisas para a música, os vídeos e etc.”.
  28. 28. Percentagem de ocorrências LI* género •Estas diferenças podem ser causadas pelas exigências a nível profissional
  29. 29. Exemplos de ocorrências LI Homem  Mulher  “Essencialmente para o  “O importante é a trabalho e para pesquisar televisão. Tem toda a informação para me informação que manter atualizado, por precisamos”. lazer, para comunicar com a família e os amigos quando não estou em casa”.
  30. 30. Percentagem de ocorrências de IDT* género •Neste caso as mulheres usam e adquirem mais aparelhos, provavelmente , analógicos
  31. 31. Exemplos de ocorrências IDT Mulher  Homem  “Sim, tinha todos. Vídeo,  “Nessa altura penso que computador, gira-discos, só tinha uma máquina televisão, telefone, essas fotográfica”. coisas todas”.
  32. 32. Questionários 32
  33. 33. ParticipantesN = 912
  34. 34. Resultados e Discussão Questionário
  35. 35. •Este aspeto éimportante do pontode vista da literaciainformacional
  36. 36. •Os mais velhosparecem possuir maiscompetências deliteracia informacional
  37. 37. •Quanto maisescolarizados maisparecem possuircompetências de literaciainformacional
  38. 38. •Os mais velhos parecempossuir mais competênciasde literacia informacional
  39. 39. •É necessário intervir na escolapara aumentar as competênciasde literacia informacional
  40. 40. •Este aspeto éimportante do pontode vista da literaciainformacional
  41. 41. •Comparar sites é umcomportamento que está atornar-se típico entre asgerações mais novas
  42. 42. •Quanto mais escolarizadosmais parecem possuircompetências de literaciainformacional
  43. 43. •Este aspeto éimportante do pontode vista da literaciainformacional
  44. 44. •Alterar as definições deprivacidade é umcomportamento que estáa tornar-se típico entre asgerações mais novas
  45. 45. •Quanto mais escolarizadosmais parecem possuircompetências de literaciainformacional
  46. 46. Conclusões Conferência Diversidade Digital, 47 Lisboa, 4 de Novembro de 2011
  47. 47. Incluir nas práticas sociais e familiares o uso das TIC é apenas um aspetodo problemaÉ urgente ligar esta questão à capacidade das pessoas para pesquisar eselecionar criticamente informação que lhes interesse ou que necessitemAs formas simples e imediatas de absorção da tecnologia e a destreza doseu uso contribuem nas gerações mais novas para a nãoconsciencialização, ou até mesmo diminuição, das competências deliteracia da informaçãoO desenvolvimento dessas competências deve explorar a vertentemotivacional que incentiva o jovem a explorar a informação emcontexto não educacional num meio que lhe é “natural” – as TIC –projetando-a em pleno para o espaço de ensino-aprendizagem , seja ele 48a escola ou o espaço doméstico
  48. 48. Deverá , pois, tal como o foi para a “leitura”, ser efetuado uminvestimento estruturado na aquisição de competências deliteracia de informação, quer ao nível dos meios formais querinformaisNesse sentido, o processo de ensino/aprendizagem ao longo davida é uma questão importante, mesmo para aqueles que hojetêm alguma responsabilidade nesta matéria, como é o caso dosprofessores bibliotecários, redes de bibliotecas e Planos Nacionaisem Curso, alargando-o assumidamente a todos os novos agentes,empresariais, institucionais … , que emergiram com a Era daInformação 49
  49. 49. Agradecemos a atenção PowerPoint disponível no site doProjeto Inclusão e Participação Digital http://digital_inclusion.up.pt Fernanda Martins, mmartins@letras.up.pt Maria Manuela Pinto, mmpinto@letras.up.ptArmando Malheiro da Silva, malheiro@letras.up.pt

×