Consultoria Preventiva e Contenciosa Ambiental para Hospitais1) Implementação de um Sistema de Gestão Ambiental:a) Criar e...
e) Criar projetos e programas ambientais proativos, os quais possam trazer       retornos ambientais, de qualidade de vida...
as intempéries, aos animais, que, muitas vezes, espalhavam resíduos pelas áreasexternas dos hospitais.Tal preocupação com ...
2.1) Benefícios de uma Gestão da QualidadeNo setor da saúde a gestão pela qualidade é de alta relevância, tendo em vista a...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

B&R Consultoria Qualidade no meio ambiente

866 visualizações

Publicada em

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
866
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

B&R Consultoria Qualidade no meio ambiente

  1. 1. Consultoria Preventiva e Contenciosa Ambiental para Hospitais1) Implementação de um Sistema de Gestão Ambiental:a) Criar estratégias, programas e ferramentas utilizadas pela Gestão Ambiental buscando a excelência no desempenho das atividades, a identificação e a administração dos impactos dos empreendimentos, com melhorias operacionais e qualidade nos serviços associados à gestão e minimização dos custos ambientais.b) Desenvolver projetos de monitoramento ambiental, para minimizar ou compensar os impactos decorrentes das atividades hospitalares. Cuidar também da preservação de recursos naturais e da recuperação de áreas ou ecossistemas degradados.c) Entender e detalhar os investimentos das atividades hospitalares a fim de implementar um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) em suas unidades – com ou sem fins de certificação ISO 14001. Iniciando com uma caracterização detalhada de cada um dos processos que envolvem a atividade, seus impactos mais significativos e os problemas relacionados aos referentes resíduos. Em segundo lugar, caracterizar a região objeto da pesquisa, mostrando seu significante passivo ambiental e a importância da atividade médico - hospitalar. Constatasse que pouco se tem visto de ações concretas do setor a fim de minimizar seus impactos ou de se adequar ambientalmente. Os hospitais, nos dias atuais, em sua maioria, se apresentam pouco reativos e muitas vezes à margem do cumprimento das legislações ambientais do país. Deve-se discutir os benefícios da implantação do conjunto de normas da série ISO 14000 versão de 2004, as vantagens de se adotar um SGA em conformidade com a ISO 14001 e as críticas a esse sistema, principalmente no tocante a capacidade desse instrumento voluntário em aliar os interesses empresariais a fim de priorizar a preservação ambiental.d) Prevenir problemas no âmbito jurídico ambiental de responsabilidades, por danos causados ao meio ambiente – administrativa, civil e criminal – destarte, evitando eventuais multas administrativas, emitidas por IBAMA, CPRH e demais órgãos ambientais competentes. Pleitear sempre novas estratégias e projetos ambientais, assim como termos de ajuste de conduta, se for o caso, junto ao Ministério Público do Meio Ambiente. Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena Recife - PE CEP: 50610-090 Fone/Fax: (81) 3227-4343 contato@berconsultoria.com.br - www.berconsultoria.com.br
  2. 2. e) Criar projetos e programas ambientais proativos, os quais possam trazer retornos ambientais, de qualidade de vida, financeiros, tributários e os demais benefícios prescritos em leis. I) Projeto para Anulação do Carbono; II) RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural. 1.2) Problemas Ambientais Trazidos pelas Atividades Hospitalares:Além da importância econômica, o modo particular de funcionamento dos hospitaisenvolve uma gama de atividades que apresenta grande potencial para a geração deimpactos ambientais. Essas organizações operam 24 horas por dia, 365 dias no ano,possuem equipamentos diversos para a produção de alimentos, consomem óleocombustível para a geração de energia e demandam também uma variedade deoutros recursos comuns em quantidades consideráveis, incluindo borracha, plásticos,etc.Nesse contexto, os hospitais executam funções muitas vezes semelhantes àquelasencontradas na indústria, tais como lavanderia, transporte, limpeza, alimentação,processamento fotográfico, entre outras. Porém, de forma distinta de outrasatividades, seja industrial ou de serviços, os hospitais consomem grande quantidadede produtos médicos descartáveis, que são usados para impedir a transmissão dasdoenças para seus médicos, pacientes e funcionários.Com essas características presentes, os hospitais, em sua operação, geram, deum lado, uma grande quantidade de resíduo e, de outro, demandam grandequantidade de recursos como energia elétrica e água.Para a maior parte dos resíduos considerados perigosos, a principal alternativatem sido a incineração, resultando em emissões atmosféricas oriundas dosequipamentos de queima. O uso de água também é diversificado, incluindoinstalações sanitárias, tanto para pacientes como para visitantes, lavanderia, limpezade instalações, restaurantes e jardins.Se a preocupação em construir indicadores de desempenho ambiental já estápresente em muitos países, no caso brasileiro há ainda um longo caminho para sequantificar corretamente o impacto ambiental associado à atividade hospitalar. Defato,até o início de 1990, não havia nenhuma preocupação maior com os resíduoshospitalares, quando comparados os resíduos em geral, ainda que seu potencial degerar danos socioambientais fosse bem mais elevado. Eram acondicionados dequalquer maneira, em geral em sacos impermeáveis, mas também em outrosinvólucros, sendo que o local de armazenamento temporário era a céu aberto, sujeitos Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena Recife - PE CEP: 50610-090 Fone/Fax: (81) 3227-4343 contato@berconsultoria.com.br - www.berconsultoria.com.br
  3. 3. as intempéries, aos animais, que, muitas vezes, espalhavam resíduos pelas áreasexternas dos hospitais.Tal preocupação com o manuseio diferenciado dos resíduos hospitalares, surgiu apartir do momento em que o paciente passou a ser visto como consumidor e a exigirum tratamento diferenciado, passando a participar ativamente de todas as ações queeram realizadas para a recuperação de sua saúde.Atualmente, a legislação brasileira, por meio de resolução da Comissão Nacionalde Meio Ambiente - CONAMA (283/2001), exige que qualquer unidade que executeatividades de natureza médico-assistencial humana ou animal possua um Plano deGerenciamento de Resíduos Sólidos da Saúde – RSS, do mesmo modo que aResolução 33/2003 da ANVISA.Como conseqüência desses problemas, somados ao agravamento da problemáticaambiental em todo mundo, a atividade está sendo cada vez mais fortementefiscalizada pelos órgãos ambientais competentes os quais responsabilizam oscausadores dos danos ambientais através de multas, indenizações, e, a depender docaso, com o mandado de prisão para os declarados culpados, os quais serãosolidariamente responsabilizados, respondendo na medida de culpa e / ou dolo.A consultoria proposta, não apenas visa antecipar-se ao problema, como também,fornecer todo suporte jurídico–legal nos casos em que não seja possível evitardemanda judicial.2)Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade.A implantação de um sistema de gestão da qualidade hospitalar é uma das formas deassegurar aos usuários, profissionais e público em geral a segurança obrigatória aosserviços de saúde, podendo, ou não, ser uma certificação NBR ISO, aplicávelespecificamente na área hospitalar.É um método de avaliação voluntário, periódico e reservado dos recursosinstitucionais da área hospitalar para assegurar a qualidade da assistência por meiode padrões previamente definidos.Por meio desta, a instituição de saúde tem a probabilidade de fazer um diagnósticoobjetivo do seu desempenho de seus processos e serviços prestados incluindo asatividades de cuidado direto ao paciente e aquelas de caráter administrativo.Com base neste diagnóstico e com a aplicação da educação continuada, de acordocom o Manual de Padrões de qualidade hospitalar, é plausível discutir,criteriosamente, os itens da avaliação e utilizar planos de ações adequados para obtera melhoria do desempenho da instituição, compreendendo todos os seus serviços esegmentos existentes. Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena Recife - PE CEP: 50610-090 Fone/Fax: (81) 3227-4343 contato@berconsultoria.com.br - www.berconsultoria.com.br
  4. 4. 2.1) Benefícios de uma Gestão da QualidadeNo setor da saúde a gestão pela qualidade é de alta relevância, tendo em vista a crisede credibilidade que associa a área, em função principalmente da acentuadadecadência dos hospitais diante de uma política extremamente irregular. A Gestãopela Qualidade Total surge assim como um instrumento em torno do qual asinstituições poderão ser reestruturadas para fazer face às reais necessidades de saúdedo país. A gestão da qualidade, baseada na administração participativa, em vez deprovocar a distribuição do poder dos chefes, ampliou o trabalho de gerenciamento,promovendo a descentralização e tornando o controle mais eficiente. Ao realizar talfato, a gerência conquistou um novo papel, o de agente de mudanças, de orientador,educador, o que contribuiu para manter uma relação mais participativa.Nesse contexto o que se pode perceber em instituições que implantaram com sucessoo programa de gestão da qualidade é que a valorização da consciência de mutaçãoconstante do ambiente, a implantação de modelos de administração estratégica esistemas para a garantia de qualidade com caráter participativo constituíram-se emfatores essenciais ao êxito. A agregação de valores baseados na consciência doconhecimento de sistemas, em estudos de cenários e na aprendizagem contínuatornou-se o elemento diferenciador destas organizações. Verifica-se, também, que aimplantação da gestão da qualidade propicia um ganho com relação aos recursoshumanos garantindo a satisfação do cliente interno no seu ambiente de trabalho. Opaciente teve suas necessidades supridas, houve reconhecimento da sociedade etambém ocorreram modificações nos indicadores de estatística hospitalar.Portanto, é evidente que as experiências das instituições de saúde na adoção pelaQualidade Total têm atingido resultados satisfatórios. Propicia-se assim, umacredibilidade a esse modelo gerencial, demonstrando que sua aplicabilidade garantiu asatisfação das necessidades do cliente bem como dos membros da organização. Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena Recife - PE CEP: 50610-090 Fone/Fax: (81) 3227-4343 contato@berconsultoria.com.br - www.berconsultoria.com.br

×