Simposio gestao negocios_oficina2

304 visualizações

Publicada em

Simposio gestao negocios_oficina2

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
304
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Simposio gestao negocios_oficina2

  1. 1. SIMPÓSIO ENSINO MÉDIO INTEGRADO FOZ DO IGUAÇU EIXO TECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOS OFICINA 2 :GESTÃO DE PESSOAS E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Consultora e Educadora: Elisabete Tieme Arazaki bete.arazaki@hotmail.com
  2. 2. Maximiano (2009, p. 176) OFICINA (2) : GESTÃO DE PESSOAS E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFª MSC. BETE ARAZAKI A palavra motivação indica as causas ou motivos que produzem determinado comportamento, seja ele qual for. A motivação é a energia ou força que movimenta o comportamento e que tem três propriedades: Direção: o objetivo do comportamento motivado Intensidade: magnitude da motivação Permanência: duração da motivação Motivação Humana
  3. 3. PROFª MSC. BETE ARAZAKI Auto realização Estima Sociais Segurança Básicas Hierarquia das necessidades humanas, segundo Maslow Maximiano (2009, p. 185) N E C E S S I D A D E S Quanto mais forte a necessidade, mais intensa é a motivação. Uma vez satisfeita a necessidade, extingue-se o motivo que movimenta o comportamento e a motivação cessa.
  4. 4. (Maximiano, 2009, p. 150) PROFª MSC. BETE ARAZAKI “o estudo da cultura e do poder é de fundamental importância para a compreensão das organizações”. Uma ORGANIZAÇÃO é o Sistema Social, formador por pessoas e suas necessidades, sentimentos e atitudes. O Sistema Social tem tanta ou mais influência sobre o desempenho da organização do que seu sistema técnico, formado pelas máquinas, métodos de trabalho, tecnológica, estrutura organizacional, normas e procedimentos.
  5. 5. http://www.endeavor.org.br Cultura e marca - Palestra Havaianas / Paulo Lalli Maio de 2011 PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  6. 6. Formas de Poder Grupos que detêm poder externo •Proprietários; •Associados; •Associações de empregados Grupos que detêm o poder interno •Administração; •Operadores; •Quadros de linha hierárquica; •Analistas de tecnoestrutura; •Especialistas de funções logísticas. Tachizawa (2006, p. 106) Poder nas organizações por Mintzberg PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  7. 7. Processo de progressão na carreira; Tempo de permanência na empresa; Do que fazem e escrevem os membros da organização; Que tipos de mitos e anedotas são transmitidos por processos de comunicação. Diagnostico da cultura de dentro da organização: Tachizawa (2006, p. 109) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  8. 8. Análise dos aspectos físicos da organização; Leitura do que escreve a organização; Forma de acolhimento às pessoas exteriores à organização; Forma como os empregados se sentem relativamente à organização; Forma de passar o tempo por parte dos membros de uma organização. Diagnostico da cultura de fora da organização: Tachizawa (2006, p. 109) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  9. 9. COMO GERIR MUDANÇA ORGANIZACIONAL Condições necessárias para uma mudança bem-sucedida. MUDANÇA CULTURAL Compromisso de todas as pessoas envolvidas Escolha livre e informada para todas as pessoas envolvidas na mudança informação Argyris, 1970 (in Tachizawa (2006, p. 159) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  10. 10. Agente de mudança e o processo de intervenção Todos os que sejam afetados pelo problema tenham oportunidade de estar envolvidos; A intervenção seja orientada para os problemas e oportunidades dos que estão envolvidos; O objetivo e os meios para o conseguir sejam claros; que haja uma probabilidade de sucesso; Assente na experiência e na investigação; O clima organizacional seja relaxado e não ansioso ou defensivo; French e Bell, 1984 (in Tachizawa (2006, p. 159) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  11. 11. Todos os participantes aprendam como resolver os problemas; As atividades atinjam todos os indivíduos; As pessoas comprometam-se com a mudança French e Bell, 1984 (in Tachizawa (2006, p. 159) “Se a gestão da mudança for mal orientada, haverá certa resistência à mudança por parte das pessoas que não participam suficientemente; que veem alteradas as relações sociais e de poder no seio da organização; e que não tenham nenhum ganho com a mudança”. (Tachizawa, 2006, p. 159) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  12. 12. FATORES CRÍTICOS DA ATIVIDADE EMPRESARIAL Prestação de Serviços O que o cliente quer? Que fatores são importantes? - Objetivos - Subjetivos Bernardi (2008, p. 95) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  13. 13. NOVO PERFIL DO CONSUMIDOR QUAL A MELHOR ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL ? PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  14. 14. Publicado em 05/07/2012 QUAL A MELHOR ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL ? PROFª MSC. BETE ARAZAKI PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  15. 15. EMPREENDEDORISMO Dolabela (1999, p. 208) P R O F ª MS C . B E T E A R A Z A K I
  16. 16. Momentos de discussão em grupo: Quem é empreendedor? Empreendedor Desemprego Aposentadoria Empreendedor Nato Herdeiro Funcionário de Empresa PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  17. 17. Empreendedor: é a pessoa que inicia e/ou opera um negócio para realizar uma ideia ou projeto pessoal assumindo riscos e responsabilidades e inovando continuamente. Geram emprego Introdução inovação Incentivam o crescimento econômico Chiavenato & Sapiro (2003, p. 345) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  18. 18. Empreendedor, segundo Fernando DOLABELA “o empreendedor é alguém que sonha e busca transformar seu sonho em realidade” “o empreendedor é um insatisfeito que transforma seu inconformismo em descobertas e propostas positivas para si mesmo e para os outros. “é protagonista e autor de si mesmo e, principalmente, da comunidade em que vive” Podem ser empreendedores: pesquisador, funcionário público, empregado de empresas, políticos, governantes, artista, escritor, poeta, voluntários, ou seja, todos aqueles que introduzem inovação em suas ações (forma de vender, produzir, tratar bem o cliente...) Dolabela (2006, p. 25) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  19. 19. Empreendedor Desempenho Econômico da sociedade Agente Econômico de uma nação Dolabela (2006, p. 26) Empreendedor Empresarial:  individuo que cria uma empresa, qualquer que seja ela;  pessoa que compra uma empresa e introduz inovações, assumindo riscos, seja na forma de administrar, seja na forma de vender, fabricar, distribuir ou fazer propaganda dos seus produtos e/ou serviços agregando novos valores;  empregado que introduz inovações em uma organização, provocando o surgimento de valores adicionais. PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  20. 20. Características de empreendedores de sucesso – Padrão ONU: 1. Persistência 2. Comprometimento 3. Exigência de qualidade e eficiência 4. Busca de informações 5. Estabelecimento de metas 6. Planejamento e monitoramento sistemáticos 7. Persuasão e rede de contatos 8. Independência 9. Autoconfiança. PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  21. 21. Atividades do empreendedorismo Sistema de ensino Grupos Sociais Desenvolvimento Econômico Local Financiamento de organizações Relações com universidades intra- empreendedorismo Políticas públicas Busca de oportunidades Auto emprego PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  22. 22. Um plano de negócio é um documento que descreve por escrito os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para que esses objetivos sejam alcançados, diminuindo os riscos e as incertezas. Um plano de negócio permite identificar e restringir seus erros no papel, ao invés de cometê-los no mercado. Sebrae (2007, p. 10) Um Plano de Negócio: • É uma forma de pensar sobre o futuro do negócio: para onde ir, como ir mais rapidamente, o que fazer durante o caminho de forma a diminuir incertezas e riscos. Dolabela (2006, p. 78) PLANO DE NEGÓCIOS PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  23. 23. Na redação do Plano de Negócios é importante lembrar que:  deve ser completo, bastante claro, ter linguagem simples (evitar, sempre que possível, termos técnicos, siglas etc.);  deve ser sintético, sem redundância, sem elementos supérfluos;  o Sumário Executivo deve ser excelente e não ultrapassar duas paginas: ele indicará se o PN merece ser analisado ou abandonado;  nenhuma informação deve ser dada sem a citação da fonte;  o tom será sempre afirmativo, não se deve usar o tempo de verbo no condicional; jamais deixar dúvidas. Dolabela (1999, p. 209) PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  24. 24. PLANO DE NEGÓCIOS Sumário Executivo Aspecto Mercadológico Pesquisa Mercado Estratégias Marketing Aspecto Estrutura da Empresa Atividade Meio e fim Recursos humanos infraestrutura Aspecto Financeiro Investimentos, Viabilidade Econômica, Financiamento Plano de Negócios – exemplo de elaboração PROFª MSC. BETE ARAZAKI
  25. 25. PROFª MSC. BETE ARAZAKI http://www.ameninadovale.com/ Livro: A menina do vale Bel Pesce
  26. 26. REFERÊNCIAS: Bibliográficas: BERNARDI, L. A. Manual de Empreendedorismo e Gestão: Fundamentos, estratégias e dinâmicas. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2008. DOLABELA, Fernando. O segredo de Luisa. 2ª Ed. Rio de Janeiro. Cultura, 2006. MAXIMIANO, A. C. A. Teoria Geral da Administração. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2009. TACHIZAWA, T; CRUZ, J. B.; ROCHA, J. A. O. Gestão de Negócios: visões e dimensões empresariais da organização. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2006 PROFª MSC. BETE ARAZAKI Instituições e Organizações: A menina do vale – Bel Pesce / http://www.ameninadovale.com/  Endeavor / http://endeavor.org.br/ Sebrae - http://www.sebraepr.com.br/
  27. 27. OBRIGADA PELA PARTICIPAÇÃO! PROFª MSC. BETE ARAZAKI Consultora e Educadora: Elisabete Tieme Arazaki bete.arazaki@hotmail.com

×