Eng softii slide01

335 visualizações

Publicada em

Primeira aula de engenharia de Software II

Publicada em: Software
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
335
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eng softii slide01

  1. 1. ENGENHARIA DE SOFTWARE II Introdução à disciplina
  2. 2. Definição • Um conjunto de atividades com um objetivo definido dentro de uma organização. • Organizações usam processos para realizar suas tarefas. • Nem todas as organizações tem sua estrutura organizada por processos, embora quase todas trabalhem com processos. • A maioria das organizações são departamentalizadas, como uma estrutura de caixas ou baias.
  3. 3. A Disciplina • Engenharia de Software II. • Mais prática e menos teórica. • Ênfase em técnicas reais. • Estudo dos métodos e ferramentas da engenharia de software. • Novos conceitos quando necessário. • Projeto de um software real. • Intima relação com análise orientada a objetos.
  4. 4. Recursos na internet • Manteremos um blog e um grupo de discussão com todos os alunos do semestre. • Inclusive alunos de outros cursos como fisioterapia. • Faremos vídeos que serão disponibilizados no blog, no canal de vídeo do professor e no grupo. • Iremos utilizar também o dropbox em alguns casos. • Para tudo isso é necessário que todos informem seus e-mails de forma legível. • Ao receberem o convite para o dropbox aceitem o mesmo e instalem o software.
  5. 5. Plano de Curso e cronograma • O plano de curso estará disponível no site • O cronograma está disponível no site • Os mesmos estarão disponíveis nos grupos. • Quem tiver o dropbox pode copiá-lo para a sua conta.
  6. 6. Afinal o que é software? Adaptado de Aalst (2011)
  7. 7. Processos de Negócios • Consiste em um conjunto de atividades que são executadas em um ambiente organizacional e técnico. • Essas atividades são coordenadas para, conjuntamente, atingirem um obetivo do negócio. • Essas atividades, geralmente, ocorrem em uma ordem definida. • Em outras palavras • Os processos são tudo o que um negócio deve executar para que seus objetivos sejam alcançados. • Existem processos diretamente ligados ao negócio principal e existem processos de apoio.
  8. 8. Sistema de Informação • É um sistema de software para capturar, transmitir, guardar, recuperar, manipular ou mostrar informação, dando, dessa forma suporte a pessoas, organizações ou outros sistemas de software. • Por essa definição apenas o software faz parte do sistema de software. • Há sistemas que não dão suporte a nenhum processo de negócio. Pense em um. • Nosso foco será em sistemas que suportam processos de negócios.
  9. 9. Tipos de Sistemas de Informação • Classe 1: Sistemas de Informação pessoais. • Classe 2: Sistemas de informação empresariais. Podem ser genéricos ou específicos para um determinado tipo de empresa. • Podem ser genéricos como um Data Warehouse, ou feitos sob encomenda para uma empresa • Classe 3: Sistemas de Informações públicos. Utilizados em museus, bibliotecas públicas e órgãos governamentais. • Vamos nos concentrar agora na classe 2
  10. 10. Tipos de sistemas empresariais • ERP (Enterprise Resource Planninn Systems) • Sistema de Compras • Sistemas de Manufatura • Sistemas de Vendas e Marketing • Sistemas de Entrega (delivery) • Sistemas financeiamentos • Sistemas de design de produtos • Sistemas de gerenciamento de fluxo de trabalho • Data Warehouse • Business Intelligence Systems
  11. 11. ERP • Enterprise Resource Planninn Systems • São SI (Sistemas de Informação) que suportam o negócio principal de uma empresa (RH, vendas, marketing, etc.). • Um único sistema em vez de vários pequenos e disjuntos sistemas. • Facilitam a tarefa de sincronizar os dados entre os vários sistemas existentes anteriormente nas grandes empresas. • Geralmente são desenvolvidos na arquitetura cliente/servidor. • O líder de mercado em ERP é a SAP (SAP ERP), seguida da Oracle, Sage Company e Microsoft.
  12. 12. Sistema de Compras • Tem a função de automatizar o processo de compras da empresa. • Procura ajudar a empresa a manter seus processos executando a um custo mínimo. • Baseado na expectativa de vendas o sistema determina o que precisa e gera novos pedidos de compra. • Verifica quais pedidos já chegaram. • O ponto chave é pedir a quantidade necessária d material dentro do prazo correto. • É um importante igrediente para os SCM (Supply chain management). • O líder de mercado é o SAP SCM, competindo com Oracle e JDA Software.
  13. 13. Sistemas de Manufatura • Apoia o processo de produção das organizações. • Baseado em informações como o lista de materiais, níveis de estoque e capacidade disponível eles planejam o processo de produção. • Um dos principais usos é nas linhas de montagens de carros. • Existem dois tipos de sistemas MRP (Material Requirement Planning) e MRP2 (Material resources planning), o segundo considera a capacidade de produção. • São o ponto inicial de um ERP.
  14. 14. Sistemas de Vendas e Marketing • Processam pedidos de clientes, realizam a venda dos produtos. • Dependem de quatro fatores (quatro pês): produto, preço, ponto (local) e promoção. • As empresas fazem promoções de produtos, oferecendo-os a preços competitivos e os disponibilizam em um determinado ponto ou local. • Esses sistemas geralmente estão incluídos em um ERP em um módulo de CRM (Customer Relationship Management)
  15. 15. Sistemas de logística • É um sistema que controla a entrega dos produtos aos clientes. • Esse tipo de sistemas planeja rotas, localização das mercadorias, que tipo de veículo será usado, etc. • Apenas companhias que fazem as próprias entregas utilizam um sistema desses por inteiro. • Geralmente a maior parte do transporte (e consequentemente do controle) é entrega a empresas especializadas como os correios ou transportadoras terceirizadas.
  16. 16. Sistemas de Finanças • Mantém o controle financeiro das empresas. • São um dos primeiros sistemas a serem adquiridos pelas empresas. • Controlam contas a pagar e a receber. • Podem incluir a contabilidade legal ou ser apenas um sistema de controle simples. • A origem dos sistemas SAP foi nas finanças e não no controle do planejamento da produção.
  17. 17. Sistemas de Design de Produtos • Alguns sistemas auxiliam no projeto dos produtos. • Um dos mais populares são os sistemas de CAD (Computer Aided Design). • Outro tipo são os sistemas PDM (Product Data Management), que controlam o design e a sua documentação. • Os sistemas PDM oferecem controle de versões.
  18. 18. Sistemas de gerenciamento de fluxo de trabalho (workflow) • Utilizados na automatização dos processos de negócios. • Um WfMS (Workflow management System) é um SI que define, gerencia e executa fluxos de trabalho. • O objetivo final do gerenciamento de fluxo de trabalho é garantir que as atividades corretas são executadas pelas pessoas corretas no tempo correto. • Muitos sistemas como ERP e PDM incluem algumas funções de gerenciamento de fluxo de trabalho.
  19. 19. Data Warehouse • É um extenso banco de dados que guarda informações históricas e atualizadas de uma variedade de fontes. • É otimizado para consultas. • Está sendo constantemente atualizado pelos bancos de produção da empresa onde está instalado. • São desenhados para dar suporte às tomadas de decisões. • Enquanto os bancos tradicionais são OLTP os data warehouse são OLAP • Geralmente são associados a alguma estratégia de Business Inteligence. • O líder em data warehouse é a Oracle.
  20. 20. Business Intelligence • Os sistemas de BI fornecem ferramentas para analisar a performance, ou seja a eficiência e a efetividade de processos de negócios. • Gerenciamento de performance de negócios se concentra na melhoria da performance de processos de negócios. • O objetivo é extrair informações da história de processos de negócios ativos e mostrar essa informação em um quadro de gerenciamento. • Uma das técnicas utilizadas é a de mineração de dados (data mining). • Process mining procura por dados de um ponto de vista de um processo de negócio em particular.
  21. 21. O Ciclo de vida de um SI
  22. 22. Bibliografia • PRESSMAN, Roger S., Engenharia de Software, 7ª. Edição • SOMMERVILLE, Ian, Engenharia de Software, 9ª. Edição • Schach, Stephen R., Engenharia de Software : Os paradigmas Clássicos e Orientados a Objetos. 7ª. Edição. • Aalst Will Van der, Modeling Business Processes: A petri net aproach, 2011
  23. 23. O que é um processo? • Processo, em direito, é um modo de proceder, necessário ao válido exercício do poder. Consiste em uma sequência de atos que visam a produzir um resultado e, no contexto jurídico, estão previstos em leis ou em outros dispositivos vigentes. • Em psicologia, processo é o desempenho de alguma atividade cognitiva composta: uma operação que afeta o conteúdo mental: "o processo do pensamento"; "o processo cognitivo da memória". • O que é um processo em Engenharia de Software?
  24. 24. Processo em Engenharia de Software • Em Engenharia de Software, processo é o conjunto de passos ordenados cujo objetivo é entregar um produto de software de maneira sistemática, previsível e repetível a fim de satisfazer necessidades pré-estabelecidas. • Geralmente inclui análise de requisitos, programação, testes, entre outras tarefas.
  25. 25. Processo de Requisitos • Qual é a entrada e qual a saída desse processo?
  26. 26. Processos X Projetos • Qual a diferença entre processos e projetos? Projetos PMI Processos Temporário – cada projeto tem um início e um fim. Permanente - Podem ocorrer em qualquer tempo. Produto, serviço ou resultado único. Produz milhares de produtos ou serviços repetitível Elaboração progressiva – como o produto de cada projeto é único, as características peculiares que o distinguem devem ser progressivamente elaboradas. Execução simultânea de várias etapas e vários resultados similares. Documentação intensiva – projeto precisa ser documentado através de atas, planos de comunicação, gestão de riscos, etc. Geralmente possui menor duração e tem automação de suporte, documentação pode ser minimizada. Exemplos típicos: -Desenvolver um novo produto ou serviço. - implementar uma mudança organizacional. - adquirir/implementar um novo sistema de informação. -Construir um prédio. Exemplos típicos: -Preparar orçamentos e planos periódicos. - Determinar custos de RH. - Programar produção. - Pagar faturas.
  27. 27. Algumas observações • Um processo é repetido de maneira recorrente dentro da • empresa. • Todo processo deve ter: • Um desempenho que formaliza o seu objetivo na empresa (nível de qualidade, prazo de entrega). • Uma organização que materializa e estrutura a interdependência das atividades do processo durante a sua duração. • Indivíduos responsabilizados pelo planejamento e execução do processo.
  28. 28. Atributos de um Processo • limites: identificam o início e o fim de um processo, os departamentos pelos quais ele passa, além das entradas e saídas. • fornecedores: responsáveis por fornecer as entradas do processo. • clientes: recebem ou são beneficiados pelas saídas do processo. • donos: responsáveis pelo planejamento, execução e acompanhamento de um processo.
  29. 29. Contexto histórico • Antes da revolução industrial, a economia era localizada, os meios de produção baseavam-se no trabalho manual. • O trabalho era artesanal, o artesão possuía domínio global sobre o processo de produção. • Ele entendia e executava todas as fases do projeto. • Poucas pessoas estavam envolvidas no processo, em geral, o artesão e ajudantes. • Artesãos usavam criatividade e habilidade manual para fabricar peças únicas.
  30. 30. Revolução Industrial • Mudança radical nos ambientes de produção e consumo. • Tecnologia e mecanização dos meios de produção trouxeram oportunidades para transformar bens primários em produtos industrializados. • Aumento da produtividade e necessidade de ampliação dos mercados consumidores.
  31. 31. Primórdios do Modelo Industrial • Ambiente onde havia mais demanda que oferta, sendo necessária a criação de condições para elaboração e aperfeiçoamento da produção em massa. • A grande produção em massa acabou por saturar o mercado de bens de consumo padronizados, levando o consumidor a exigir mais. • Qualidade e valor agregado tornaram-se atributos decisivos no momento do consumo. Necessidade de estratégias de marketing.
  32. 32. Administração Científica • Frederick Taylor publica Principles of Scientific Management iniciando a abordagem científica da administração. • Aplicação de métodos científicos experimentais na manufatura. Observação do trabalho, análise dos métodos de produção e proposição de padrões mais eficientes de produção.
  33. 33. Princípios da Administração Científica • Executar análises detalhadas do trabalho para se obter uma rotina específica para cada trabalhador. • Determinar cientificamente as velocidades ideias para execução do trabalho. • Alocar um homem para cada tarefa.
  34. 34. Divisão do Trabalho • O impacto da divisão do trabalho é a necessidade de coordenação. • Outro resultado negativo é o aumento da complexidade das operações e produção do produto final com qualidade.
  35. 35. Sistema Toyota de Produção STP • Também chamado de Produção enxuta e Lean Manufacturing. • Surgiu no Japão, na fábrica de automóveis Toyota, logo após a Segunda Guerra Mundial. • O sistema STP objetiva aumentar a eficiência da produção pela eliminação contínua de desperdícios.
  36. 36. Sistema Toyota de Produção STP
  37. 37. Gestão de Qualidade Total - TQM • Aumentar a satisfação e a confiança dos clientes. • Aumentar a produtividade. • Reduzir os custos internos. • Melhorar a imagem e os processos de modo contínuo. • Possibilitar acesso mais fácil a novos mercados.
  38. 38. Reengenharia • Mudanças deveriam refletir ruptura radical e não • poderiam ser feitas em pequenas etapas. • A organização deveria partir de uma “folha em branco”, romper com o passado e reprojetar o futuro em direção ao que desejasse. • Departamentos deveriam ser reprojetados em equipes de processos e hierarquias deveriam ser abolidas. • Conceito de Flat Organization
  39. 39. Vantagens da Reengenharia • Colaboradores tomam suas próprias decisões. • Redução de custos. • Pouca espera no fluxo de processos. • Reação mais rápida às mudanças. • Redução de custos de coordenação.
  40. 40. Insucessos da Reengenharia • Falha em focar nas necessidades estratégicas do negócio. • Alta gerência confunde ou abdica sua responsabilidade. • Aceitação de soluções fracamente fundamentadas. • Falta de experiência e apoio de ferramentas. • Esquecer a gestão da mudança. • Falta de atenção ao fator humano.
  41. 41. Bibliografia • PRESSMAN, Roger S., Engenharia de Software, 7ª. Edição • SOMMERVILLE, Ian, Engenharia de Software, 9ª. Edição • Schach, Stephen R., Engenharia de Software : Os paradigmas Clássicos e Orientados a Objetos. 7ª. Edição. • Brooks, Frederick, O Mítico Homem-mês, 1995

×