Voz da paróquia - junho 2014

402 visualizações

Publicada em

Voz da paróquia - junho 2014

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
402
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Voz da paróquia - junho 2014

  1. 1. Mioma 82ª Edição, junho de 2014
  2. 2. 2 INDICE Pág. 3 — Papa pede que famílias se preocupem com o Sacramento do Crisma pa- ra os seus filhos Pág. 4, 5 — domingo VII da Páscoa; Pág. 6, 7, 8 — domingo de Pentecostes; Pág. 8, 9, 10 — domingo da Santíssima Trindade; Pág. 10, 11 — Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo; Pág. 11, 12 — S. Pedro e S. Paulo, Apóstolos Pág. 14, 15 — atividades do JES Pág. 16 — Pág. 17 — A Voz do Conselho Económico; Pág. 18 — Culinária; Pág. 19 — Passatempos Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ou testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espírito Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mês se- guinte: Em mão ou por correio, até dia 15; Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia 20. Se queres receber no teu correio eletrónico um exemplar da “A Voz da Paróquia” envia uma mensagem para o endereço jesmioma@hotmail.com com o assunto “Quero receber a Voz” Versão Digital: http://www.slideshare.net/jesmioma http://issuu.com/jesmioma
  3. 3. 3 Francisco apresentou catequese sobre a importância do Espírito Santo na vida cristã O Papa Francisco pediu que as famílias católicas se preocupem com a adminis- tração do Sacramento do Crisma aos seus filhos, para que estes possam com- pletar a sua “iniciação cristã”. “Pensemos um pouco, cada um de nós: temos verdadeiramente a preo- cupação de que as nossas crianças, os nossos jovens, recebam o Cris- ma? É importante, isto, é importante”, disse, na audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro, Vaticano. Francisco dirigiu-se diretamente aos que têm na sua família crianças ou jovens que ainda não receberam este sacramento: “Fazei todos os possíveis para que eles possam levar até ao fim a iniciação cristã e recebam a força do Espírito Santo”. A catequese, perante dezenas de milhares de pessoas, continuou a abordar o Sacramento da Confirmação, apresentado como continuação do Batismo. “É importante ter a peito que as nossas crianças, os nosso jovens, re- cebam este sacramento. Todos temos o cuidado de que sejam batiza- dos, e isso é bom, mas talvez não tenhamos tanto cuidado de que rece- bam o Crisma”, advertiu. Segundo o Papa, sem esta continuidade os jovens “ficarão a meio caminho e não receberão o Espírito Santo, que é tão importante na vida cristão, porque dá a força para avançar”. “Quando o acolhemos [Espírito Santo] no nosso coração, o próprio Cristo se faz presente e toma forma na nossa vida: é Ele quem reza, perdoa, infunde esperança, serve os irmãos mais necessitados, cria comunhão e semeia a paz na nossa vida”, declarou. Francisco destacou a importância de uma “boa preparação” dos crismandos para que estes assumam uma “adesão pessoal à fé em Cristo” e um “sentido de pertença à Igreja”. A catequese precisou o significado do “Crisma” como “unção” que leva o cristão a imitar “Jesus Cristo, o único e verdadeiro ungido”. “A Confirmação, como todo Sacramento, não é obra dos homens, mas de Deus, que cuida da nossa vida, de modo a plasmar-nos à imagem do seu Filho, tornando-nos capazes de amar como Ele amou”, disse. O Papa cumprimentou os peregrinos de língua portuguesa, a quem deixou um pedido: “Lembrai-vos de agradecer o Senhor pelo dom do sacramento da Crisma, pedindo-lhe que vos ajude a viverdes sempre come verda- deiros cristãos, para confessar por todo o lado o nome de Cristo”. Francisco adiantou também que vai dedicar suas próximas catequeses, depois dos Sacramentos, aos sete dons do Espírito Santo. OC—Ecclesia
  4. 4. 4 DOMINGO VII da Páscoa (1 de junho de 2014) LEITURA I Actos 1, 12-14 «Perseveravam unidos na oração» Leitura dos Actos dos Apóstolos Depois de Jesus ter subido ao Céu, os Apóstolos voltaram para Jerusalém, descendo o monte chamado das Oliveiras, que fica perto de Jerusalém, à distância de uma caminhada de sábado. Quando chegaram à cidade, subiram para a sala de cima, onde se encontravam ha- bitualmente. Estavam lá Pedro e João, Tiago e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zeloso, e Judas, irmão de Tiago. Todos estes perseveravam unidos em oração, em companhia de algumas mulheres, entre as quais Maria, Mãe de Jesus. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 26 (27), 1.4.7-8a (R. 13) Refrão: Espero contemplar a bondade do Senhor na terra dos vivos. O Senhor é minha luz e salvação: a quem hei-de temer? O Senhor é protector da minha vida: de quem hei-de ter medo? Uma coisa peço ao Senhor, por ela anseio: habitar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para gozar da bondade do Senhor e visitar o seu santuário. Ouvi, Senhor, a voz da minha súplica, tende compaixão de mim e atendei-me. Diz-me o coração: «Procurai a sua face». A vossa face, Senhor, eu procuro. LEITURA II 1 Pedro 4, 13-16 «Felizes de vós, se sois ultrajados pelo nome de Cristo» Leitura da Primeira Epístola de São Pedro Caríssimos: Alegrai-vos, na medida em que participais nos sofrimentos de Cristo, a fim de que possais também alegrar-vos e exultar no dia em que se manifestar a sua glória.
  5. 5. 5 Felizes de vós, se sois ultrajados pelo nome de Cristo, porque o Espírito de glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vós. Nenhum de vós tenha de sofrer por ser ladrão ou assassino ou malfeitor ou difama- dor. Se, porém, sofre por ser cristão, não se envergonhe, mas antes dê glória a Deus por ter esse nome. Palavra do Senhor. ALELUIA cf. Jo 14, 18 Refrão: Aleluia. Repete-se Não vos deixarei órfãos, diz o Senhor: vou partir, mas virei de novo e ale- grar-se-á o vosso coração. EVANGELHO Jo 17, 1-11a «Pai, glorifica o teu Filho» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao Céu e disse: «Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho Te glorifique, e, pelo poder que Lhe deste sobre toda a criatura, Ele dê a vida eterna a todos os que Lhe confiaste. É esta a vida eterna: que Te conheçam a Ti, único Deus verdadeiro, e Aquele que enviaste, Jesus Cristo. Eu glorifiquei-Te sobre a terra, consumando a obra que Me encarregaste de realizar. E agora, Pai, glorifica-Me junto de Ti mesmo com a glória que tinha em Ti, antes que houvesse mundo. Manifestei o teu nome aos homens que do mundo Me deste. Eram teus e Tu mos deste, e eles guardam a tua palavra. Agora sabem que tudo quanto Me deste vem de Ti, porque lhes comuniquei as pala- vras que Me confiaste e eles receberam-nas: reconheceram verdadeiramente que saí de Ti e acreditaram que Me enviaste. É por eles que Eu rogo; não pelo mundo, mas por aqueles que Me deste, porque são teus. Tudo o que é meu é teu, e tudo o que é teu é meu; e neles sou glorificado. Eu já não estou no mundo, mas eles estão no mundo, enquanto Eu vou para Ti». Palavra da salvação.
  6. 6. 6 DOMINGO de Pentecostes (8 de junho de 2014) LEITURA I Actos 2, 1-11 «Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar» Leitura dos Actos dos Apóstolos Quando chegou o dia de Pentecostes, os Apóstolos estavam todos reunidos no mes- mo lugar. Subitamente, fez-se ouvir, vindo do Céu, um rumor semelhante a forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde se encontravam. Viram então aparecer uma espécie de línguas de fogo, que se iam dividindo, e poisou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que se exprimissem. Residiam em Jerusalém judeus piedosos, procedentes de todas as nações que há de- baixo do céu. Ao ouvir aquele ruído, a multidão reuniu-se e ficou muito admirada, pois cada qual os ouvia falar na sua própria língua. Atónitos e maravilhados, diziam: «Não são todos galileus os que estão a falar? Então, como é que os ouve cada um de nós falar na sua própria língua? Partos, medos, elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egipto e das regiões da Líbia, vizinha de Cirene, colonos de Roma, tanto judeus como prosélitos, cretenses e árabes, ouvimo- los proclamar nas nossas línguas as maravilhas de Deus». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 103 (104) Refrão: Enviai, Senhor, o vosso Espírito e renovai a face da terra. Ou: Mandai, Senhor, o vosso Espírito, e renovai a terra. Bendiz, ó minha alma, o Senhor. Senhor, meu Deus, como sois grande! Como são grandes, Senhor, as vossas obras! A terra está cheia das vossas criaturas. Se lhes tirais o alento, morrem e voltam ao pó donde vieram. Se mandais o vosso espírito, retomam a vida e renovais a face da terra. Glória a Deus para sempre! Rejubile o Senhor nas suas obras. Grato Lhe seja o meu canto, e eu terei alegria no Senhor.
  7. 7. 7 LEITURA II 1 Cor 12, 3b-7.12-13 «Todos nós fomos baptizados num só Espírito, para formarmos um só Corpo» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos: Ninguém pode dizer «Jesus é o Senhor» a não ser pela acção do Espírito Santo. De facto, há diversidade de dons espirituais, mas o Espírito é o mesmo. Há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Há diversas operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. Em cada um se manifestam os dons do Espírito para o bem comum. Assim como o corpo é um só e tem muitos membros e todos os membros, apesar de numerosos, constituem um só corpo, assim também sucede com Cristo. Na verdade, todos nós judeus e gregos, escravos e homens livres fomos baptiza- dos num só Espírito, para constituirmos um só Corpo. E a todos nos foi dado a beber um único Espírito. Palavra do Senhor. SEQUÊNCIA: Vinde, ó santo Espírito, vinde, Amor ardente, acendei na terra vossa luz fulgente. Vinde, Pai dos pobres: na dor e aflições, vinde encher de gozo nossos corações. Benfeitor supremo em todo o momento, habitando em nós sois o nosso alento. Descanso na luta e na paz encanto, no calor sois brisa, conforto no pranto. Luz de santidade, que no Céu ardeis, abrasai as almas dos vossos fiéis. Sem a vossa força e favor clemente, nada há no homem que seja inocente. Lavai nossas manchas, a aridez regai, sarai os enfermos e a todos salvai. Abrandai durezas para os caminhantes, animai os tristes, guiai os errantes. Vossos sete dons concedei à alma do que em Vós confia: Virtude na vida, amparo na morte, no Céu alegria.
  8. 8. 8 ALELUIA Refrão: Aleluia. Repete-se Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. EVANGELHO Jo 20, 19-23 «Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós: Recebei o Espírito Santo» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Na tarde daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas da casa on- de os discípulos se encontravam, com medo dos judeus, veio Jesus, apresentou-Se no meio deles e disse-lhes: «A paz esteja convosco». Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor. Jesus disse-lhes de novo: «A paz esteja convosco. Assim como o Pai Me enviou, tam- bém Eu vos envio a vós». Dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo: àqueles a quem perdoardes os pecados ser-lhes-ão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes ser- lhes-ão retidos». Palavra da salvação. DOMINGO da Santíssima Trindade (15 de junho de 2014) LEITURA I Ex 34, 4b-6.8-9 «O Senhor, o Senhor é um Deus clemente e compassivo» Leitura do Livro do Êxodo Naqueles dias, Moisés levantou-se muito cedo e subiu ao monte Sinai, como o Senhor lhe ordenara, levando nas mãos as tábuas de pedra. O Senhor desceu na nuvem, ficou junto de Moisés, que invocou o nome do Senhor. O Senhor passou diante de Moisés e proclamou: «O Senhor, o Senhor é um Deus cle- mente e compassivo, sem pressa para Se indignar e cheio de misericórdia e fidelida- de». Moisés caiu de joelhos e prostrou-se em adoração. Depois disse: «Se encontrei, Senhor, aceitação a vossos olhos, digne-Se o Senhor caminhar no meio de nós. É certo que se trata de um povo de dura cerviz, mas Vós perdoareis os nossos pecados e iniquidades e fareis de nós a vossa herança». Palavra do Senhor.
  9. 9. 9 SALMO RESPONSORIAL Dan 3, 52.53.54.55.56 (R. 52b Refrão: Digno é o Senhor de louvor e de glória para sempre. Ou: Louvor e glória ao Senhor para sempre. Bendito sejais, Senhor, Deus dos nossos pais: digno de louvor e de glória para sempre. Bendito o vosso nome glorioso e santo: digno de louvor e de glória para sempre. Bendito sejais no templo santo da vossa glória: digno de louvor e de glória para sempre. Bendito sejais no trono da vossa realeza: digno de louvor e de glória para sempre. Bendito sejais, Vós que sondais os abismos e estais sentado sobre os Querubins: digno de louvor e de glória para sempre. Bendito sejais no firmamento do céu: digno de louvor e de glória para sempre. LEITURA II 2 Cor 13, 11-13 «A graça de Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos: Sede alegres, trabalhai pela vossa perfeição, animai-vos uns aos outros, tende os mesmos sentimentos, vivei em paz. E o Deus do amor e da paz estará convosco. Saudai-vos uns aos outros com o ósculo santo. Todos os santos vos saúdam. A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo es- tejam convosco. Palavra do Senhor. ALELUIA cf. Ap 1, 8 Refrão: Aleluia. Repete-se Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, ao Deus que é, que era e que há-de vir.
  10. 10. 10 EVANGELHO Jo 3, 16-18 «Deus enviou o seu Filho ao mundo para que o mundo seja salvo por Ele» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem acredita n'Ele não é condenado, mas quem não acredita n’Ele já está condena- do, porque não acreditou no nome do Filho Unigénito de Deus». Palavra da salvação. Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (22 de junho de 2014) LEITURA I Deut 8, 2-3.14b-16a «Deu-te o alimento, que nem tu nem os teus pais tinham conhecido» Leitura do Livro do Deuteronómio Moisés falou ao povo, dizendo: «Recorda-te de todo o caminho que o Senhor teu Deus te fez percorrer durante quarenta anos no deserto, para te atribular e pôr à prova, a fim de conhecer o íntimo do teu coração e verificar se guardarias ou não os seus mandamentos. Atribulou-te e fez-te passar fome, mas deu-te a comer o maná que não conhecias nem teus pais haviam conhecido, para te fazer compreender que o homem não vive só de pão, mas de toda a palavra que sai da boca do Senhor. Não te esqueças do Senhor, teu Deus, que te fez sair da terra do Egipto, da casa de escravidão, e te conduziu através do imenso e temível deserto, entre serpentes vene- nosas e escorpiões, terreno árido e sem águas. Foi Ele quem, da rocha dura, fez nascer água para ti e, no deserto, te deu a comer o maná, que teus pais não tinham conhecido». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 147, 12-13.14-15.19-20 Refrão: Jerusalém, louva o teu Senhor. Glorifica, Jerusalém, o Senhor, louva, Sião, o teu Deus. Ele reforçou as tuas portas e abençoou os teus filhos.
  11. 11. 11 Estabeleceu a paz nas tuas fronteiras e saciou-te com a flor da farinha. Envia à terra a sua palavra, corre veloz a sua mensagem. Revelou a sua palavra a Jacob, suas leis e preceitos a Israel. Não fez assim com nenhum outro povo, a nenhum outro manifestou os seus juízos. LEITURA II 1 Cor 10, 16-17 «Há um só pão, formamos um só corpo» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos: Não é o cálice de bênção que abençoamos a comunhão com o sangue de Cristo? Não é o pão que partimos a comunhão com o corpo de Cristo? Visto que há um só pão, nós, embora sejamos muitos, formamos um só corpo, por- que participamos do mesmo pão. Palavra do Senhor. ALELUIA Jo 6, 51 Refrão: Aleluia. Repete-se Eu sou o pão vivo descido do Céu, diz o Senhor. Quem comer deste pão vi- verá eternamente. EVANGELHO Jo 6, 51-58 «A minha carne é verdadeira comida, o meu sangue é verdadeira bebida» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Naquele tempo, disse Jesus à multidão: «Eu sou o pão vivo descido do Céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que Eu hei-de dar é a minha carne, que Eu darei pela vida do mundo». Os judeus discutiam entre si: «Como pode Ele dar-nos a sua carne a comer?». Jesus disse-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo:Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu Sangue, não tereis a vida em vós. Quem co- me a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia. A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e Eu nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou, e Eu vivo pelo Pai, também aquele que Me come viverá por Mim. Este é o pão que desceu do Céu; não é como aquele que os vossos pais comeram, e morreram; quem comer deste pão viverá eternamente». Palavra da salvação.
  12. 12. 12 S. Pedro e S. Paulo, Apóstolos (29 de junho de 2014) LEITURA I Actos 12, 1-11 «Agora sei realmente que o Senhor me libertou das mãos de Herodes» Leitura dos Actos dos Apóstolos Naqueles dias, o rei Herodes começou a perseguir alguns membros da Igreja. Man- dou matar à espada Tiago, irmão de João, e, vendo que tal procedimento agradava aos judeus, mandou prender também Pedro. Era nos dias dos Ázimos. Mandou-o prender e meter na cadeia, entregando-o à guar- da de quatro piquetes de quatro soldados cada um, com a intenção de o fazer com- parecer perante o povo, depois das festas da Páscoa. Enquanto Pedro era guardado na prisão, a Igreja orava instantemente a Deus por ele. Na noite anterior ao dia em que Herodes pensava fazê-lo comparecer, Pedro dor- mia entre dois soldados, preso a duas correntes, enquanto as sentinelas, à porta, guardavam a prisão. De repente, apareceu o Anjo do Senhor e uma luz iluminou a cela da cadeia. O Anjo acordou Pedro, tocando-lhe no ombro, e disse-lhe: «Levanta-te depressa». E as correntes caíram-lhe das mãos. Então o Anjo disse-lhe: «Põe o cinto e calça as sandálias». Ele assim fez. Depois acrescentou: «Envolve-te no teu manto e segue- me». Pedro saiu e foi-o seguindo, sem perceber a realidade do que estava a acontecer por meio do Anjo; julgava que era uma visão. Depois de atravessarem o primeiro e o se- gundo posto da guarda, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, e a porta abriu-se por si mesma diante deles. Saíram, avançando por uma rua, e subitamente o Anjo desapareceu. Então Pedro, voltando a si, exclamou: «Agora sei realmente que o Senhor enviou o seu Anjo e me libertou das mãos de Herodes e de toda a expecta- tiva do povo judeu». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 33 (34), 2-3.4-5.6-7.8-9 (R. 5b) Refrão: O Senhor libertou-me de toda a ansiedade. A toda a hora bendirei o Senhor, o seu louvor estará sempre na minha boca. A minha alma gloria-se no Senhor: escutem e alegrem-se os humildes. Enaltecei comigo ao Senhor e exaltemos juntos o seu nome. Procurei o Senhor e Ele atendeu-me, libertou-me de toda a ansiedade.
  13. 13. 13 Voltai-vos para Ele e ficareis radiantes, o vosso rosto não se cobrirá de vergonha. Este pobre clamou e o Senhor o ouviu, salvou-o de todas as angústias. O Anjo do Senhor protege os que O temem e defende-os dos perigos. Saboreai e vede como o Senhor é bom: feliz o homem que n’Ele se refugia. LEITURA II 2 Tim 4, 6-8.17-18 «Já me está preparada a coroa da justiça» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Eu já estou oferecido em libação e o tempo da minha partida está imi- nente. Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. E agora já me está preparada a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me há-de dar naquele dia; e não só a mim, mas a todos aqueles que tiverem esperado com amor a sua vinda. O Senhor esteve a meu lado e deu-me força, para que, por meu intermédio, a mensagem do Evangelho fosse plenamente proclamada e to- dos os pagãos a ouvissem; e eu fui libertado da boca do leão. O Senhor me livra- rá de todo o mal e me dará a salvação no seu reino celeste. Glória a Ele pelos séculos dos séculos. Ámen Palavra do Senhor. ALELUIA Mt 16, 18 Refrão: Aleluia. Repete-se Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela EVANGELHO Mt 16, 13-19 «Tu és Pedro e dar-te-ei as chaves do reino dos Céus» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus Naquele tempo, Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe e perguntou aos seus discípulos:«Quem dizem os homens que é o Filho do homem?». Eles respon- deram: «Uns dizem que é João Baptista, outros que é Elias, outros que é Jeremi- as ou algum dos profetas». Jesus perguntou: «E vós, quem dizeis que Eu sou?». Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo». Jesus respondeu-lhe: «Feliz de ti, Simão, filho de Jonas, porque não foram a carne e o sangue que to revelaram, mas sim meu Pai que está nos Céus. Tam- bém Eu te digo: Tu és Pedro; sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as por- tas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus». Palavra da salvação.
  14. 14. 14
  15. 15. 15
  16. 16. 16 Francisco convida católicos a «exame de consciência» O Papa Francisco disse no Vaticano que as “palavras cristãs” sem referência a Jesus perdem o seu sentido e tornam-se enganadoras, levando ao “poder pelo poder”. A homilia da missa matinal, na capela da Casa de Santa Marta, deixou um convite ao “exame de consciência” sobre a coerência entre o dizer e o fazer, por parte dos católicos. “Como são as nossas palavras? São palavras suficientes em si mesmas? São palavras que se consideram poderosas? São pa- lavras que pensam que nos dão a salvação? São palavras com Jesus Cristo? É sempre Jesus Cristo quando dizemos uma pa- lavra cristã?”, questionou. Segundo o Papa, qualquer pala- vra é forte, dá vida, “pode ir em frente, pode suportar todos os ataques se tiver as suas raízes em Jesus Cristo”. “Uma palavra cristã que não tem as suas raízes vitais, na vida de uma pessoa, em Jesus Cristo, é uma palavra cristã sem Cristo. E as palavras cristãs sem Cristo enganam, fazem mal”, acrescen- tou. Francisco recordou o escritor in- glês Gilbert Keith Chesterton (1874-1936) que “falando sobre as heresias” disse “que uma he- resia é uma verdade, uma pala- vra, uma verdade que enlouque- ceu”. “Quando as palavras cristãs são sem Cristo começam a empreen- der o caminho da loucura”, ob- servou. O Papa Francisco concluiu a ho- milia com uma oração, para que todos saibam “dizer sempre pa- lavras cristãs em Jesus Cristo, não sem Jesus Cristo”. OR/OC
  17. 17. 17 A Voz do Conselho Económico Publicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de abril de 2014 Contributos a entregar na diocese Missas plurintencionais 340,00 € Lugares Santos de Jerusalém 35,25 € Renúncia quaresmal 91,33 € TOTAL a entregar 466,58 € RESUMO FINAL Receita Total 1.484,89 € A entregar na diocese 466,58 € Saldo para o fundo paroquial 1.018,31 € Despesas da paróquia 1.128,57 € Saldo Final menos 110,26 € Receita Despesas Dia/Evento Evento Montante Ofertórios dominicais na igreja matriz 354,89 € Venc. Pároco 600,00 € Missas plurintencionais 355,00 € Evang. Voz Paróquia 36,00 € Festa Nossa Senhora do Bom Caminho 70,00 € Serviços prestados pelo Sr.º Padre António Leitão 300,00 € 1 batizado 20,00 € Seguro da igreja 175,35 € Côngrua paroquial 170,00 € TOTAL 1.484,89 € 1.128,57 € 2 funerais 100,00 € Livros de recibos 17,22 € Cartório 10,00 € Entrega Pelo Sr.º Padre António Boavida referente ao mês de fevereiro 2 funerais 80,00€ Missas plurinten-
  18. 18. 18
  19. 19. 19 PALAVRAS CRUZADAS 1- Esposo de Maria e Pai adotivo de Jesus 2- Quem fez o Céu, a Terra, o Mar, as Plantas, o Universo? 3- Dom do Espírito Santo 4- É o banquete pascal, no qual se recebe Cristo. Dom do Espírito Santo 5- Dom do Espírito Santo
  20. 20. 20 Com a colaboração do JES Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro. 2014 Lua cheia Lua nova Quarto crescente Quarto Minguante junho A sua mente já só pensa na praia, nas sardi- nhadas, nas festas dos santos populares e nos feriados mas, se quer mesmo ter um jardim bonito e florido, tem de arranjar tempo para calçar as luvas e enfiar as mãos na terra. Esta época é indicada para plantar vivazes, maciços à base de áster, rudbequias, heliantus e bolbo- sas como os gladíolos, begónias e agapantos. É também uma boa altura para semear gipsófi- las, goivos, miosótis e prímulas. Na horta, continua a ser tempo para semear abóboras, acelgas, agriões, alfaces, beldroegas, cenouras, coentros, couve-bróculo, couve-de- bruxelas, couve-nabiça, espinafres, flor de mostarda, rabanetes e salsa. Julho Se Te Qu Qu Se Sá Do 27 1 2 3 4 6 28 7 8 9 10 11 13 29 14 15 16 17 18 20 30 21 22 23 24 25 27 31 28 29 30 31

×