Mioma 89ª Edição, janeiro de 2015
Casinhas de São Pedro
17 de janeiro de 2015
16H00
2
INDICE
Pág. 3 — Aí vamos nós outra vez... Ou não!
Pág. 4, 5 — domingo Epifania do Senhor;
Pág. 6, 7 — Domingo Batismo do...
3
Escrito por Miguel Mendes
Todos os anos é a mesma coisa… Chegamos a esta altura e retomamos o tem-
po do Advento, depois...
4
DOMINGO Epifania do Senhor
(4 de janeiro de 2015)
LEITURA I Is 60, 1-6
«Brilha sobre ti a glória do Senhor»
Leitura do L...
5
LEITURA II Ef 3, 2-3a.5-6
«Os gentios recebem a mesma herança prometida»
Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos E...
6
DOMINGO Batismo do Senhor
(11 de janeiro de 2015)
LEITURA I Is 42, 1-4.6-7
«Eis o meu servo, enlevo da minha alma»
Leitu...
7
LEITURA II Actos 10, 34-38
«Deus ungiu-O com o Espírito Santo»
Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, Pedro tomo...
8
Mas Heli respondeu: «Eu não te chamei; torna a deitar-te».
E ele foi deitar-se. O Senhor voltou a chamar Samuel. Samuel ...
9
LEITURA II 1 Cor 6, 13c-15a.17-20
«Os vossos corpos são membros de Cristo»
Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São ...
10
DOMINGO III do tempo Comum
(25 de janeiro de 2015)
LEITURA I Jonas 3, 1-5.10
«Os habitantes de Nínive converteram-se do...
11
LEITURA II 1 Cor 7, 29-31
«O cenário deste mundo é passageiro»
Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos C...
12
In http://pt.radiovaticana.va
Na sua reflexão para a oração mariana do Angelus no primeiro dia do ano, e ainda
na atmosf...
13
Essa proximidade de Deus à nossa existência dá-nos a verdadeira paz, o dom divi-
no que queremos implorar especialmente...
14
Reze pelas Intenções do Papa
Neste mês de Janeiro
UNIVERSAL—Promover a paz
Para que as pessoas de diferentes tradições ...
15
16
17
18
BOLO REI DE CHOCOLATE
100g de leite
100g de margarina
1 colher de chá de leite em pó gor-
do (opcional)
70g de açúcar a...
19
20
Com a colaboração do JES
Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro.
2015
Lua cheia Lua nova Quarto cres...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Voz da paróquia janeiro 2015

287 visualizações

Publicada em

Voz da paróquia janeiro 2015

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Voz da paróquia janeiro 2015

  1. 1. Mioma 89ª Edição, janeiro de 2015 Casinhas de São Pedro 17 de janeiro de 2015 16H00
  2. 2. 2 INDICE Pág. 3 — Aí vamos nós outra vez... Ou não! Pág. 4, 5 — domingo Epifania do Senhor; Pág. 6, 7 — Domingo Batismo do Senhor; Pág. 7, 8, 9 - domingo II do tempo Comum; Pág.10, 11 — domingo III do tempo Comum; Pág. 12, 13 — O Papa durante o Angelus: a paz é sempre possível, a oração é a sua raiz; Pág. 14 — Reze pelas Intenções do Papa—Neste mês de Janeiro; Pág. 15 — Presépio—2014; Pág. 16 — Perlim; Pág. 17 — Oração Taizé—Natal 2014; Pág. 18 – Culinária; Pág. 19 — Passatempos; Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ou testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espíri- to Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mês seguinte: Em mão ou por correio, até dia 15; Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia 20. Se queres receber no teu correio eletrónico um exemplar da “A Voz da Paróquia” envia uma mensagem para o endereço jesmioma@hotmail.com com o assunto “Quero receber a Voz” Versão Digital: http://www.slideshare.net/jesmioma http://issuu.com/jesmioma
  3. 3. 3 Escrito por Miguel Mendes Todos os anos é a mesma coisa… Chegamos a esta altura e retomamos o tem- po do Advento, depois o Natal, e depois, e depois… Ainda que não seja coincidente com o ano civil, ano após ano repetimos os mesmos tempos litúrgicos, e uma vez que os anos litúrgicos estão organizados por ciclos de três anos (Ano A, B e C), a cada recomeço de ciclo voltamos a repe- tir as leituras. Tudo é muito cíclico na liturgia, podemos pensar, mas a verdade é que na vida tudo é cíclico. As estações do ano, o ciclo da água, os horários de trabalho ou a escola, são alguns dos exemplos que podia aqui referir para te mostrar que a vida é composta por um turbilhão de voltas e repetições. Apesar disso, à medida que caminhas na tua vida, tens uma sensação de conti- nuidade, de crescimento, e não de repetição. Já te questionaste porquê? Eu já. Confesso que gosto bastante de refletir sobre mim, sobre Deus, as pessoas e a vida em geral. Quando me questiono sinto que estou a arrumar a “levantar os tapetes” para varrer lá debaixo tudo o que não interessa, ajudando-me a pas- sar para a próxima reflexão com a casa um pouco mais arrumada. Mas volte- mos aos ciclos… Um ano tem 365 dias e todos os dias nos levantamos e vamos à nossa vida… Todos os dias fazemos algo novo e passamos por determinadas experiências que nos vão moldando à medida que o tempo passa. É portanto normal que eu não seja a mesma pessoa que era há um ano atrás. Muitas ve- zes pensamos num ciclo como um círculo no qual andamos às voltas, mas se tivéssemos que arranjar uma forma visual que representasse um ciclo, talvez uma espiral ascendente fosse mais indicada. Dou-te o exemplo de uma árvore que todos os anos perde as folhas e volta a vê-las crescer alguns meses depois. Apesar desse ciclo, a árvore cresce continuamente tornando-se mais verdejan- te a cada primavera, e o seu tronco mais forte a cada outono. Connosco, católicos, é a mesma coisa… Todos os anos reiniciamos o ano litúrgi- co mas existe a certeza de que não o iremos viver da mesma forma que o vive- mos no ano passado. Podemos até vivê-lo de forma menos intensa, mas não importa. As experiências que estamos a viver neste momento são muito mais importantes para o nosso amanhã do que para o hoje, e se este ano não estás a preparar a vinda de Jesus como gostarias, não te preocupes… Por vezes é pre- ciso morrer um pouco, como a árvore, para voltar à vida com mais força e de- terminação que antes.
  4. 4. 4 DOMINGO Epifania do Senhor (4 de janeiro de 2015) LEITURA I Is 60, 1-6 «Brilha sobre ti a glória do Senhor» Leitura do Livro de Isaías Levanta-te e resplandece, Jerusalém, porque chegou a tua luz e brilha sobre ti a glória do Senhor. Vê como a noite cobre a terra, e a escuridão os povos. Mas sobre ti levanta-Se o Senhor, e a sua glória te ilumina. As nações caminha- rão à tua luz, e os reis ao esplendor da tua aurora. Olha ao redor e vê: todos se reúnem e vêm ao teu encontro; os teus filhos vão chegar de longe, e as tuas filhas são trazidas nos braços. Quando o vires ficarás radiante, palpitará e dila- tar-se-á o teu coração, pois a ti afluirão os tesouros do mar, a ti virão ter as riquezas das nações. Invadir-te-á uma multidão de camelos, de dromedários de Madiã e Efá. Virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incenso e proclamando as glórias do Senhor. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 71 (72), 2.7-8.10-11.12-13 Refrão: Virão adorar-Vos, Senhor, todos os povos da terra. Ó Deus, concedei ao rei o poder de julgar e a vossa justiça ao filho do rei. Ele governará o vosso povo com justiça e os vossos pobres com equidade. Florescerá a justiça nos seus dias e uma grande paz até ao fim dos tempos. Ele dominará de um ao outro mar, do grande rio até aos confins da terra. Os reis de Társis e das ilhas virão com presentes, os reis da Arábia e de Sabá trarão suas ofertas. Prostrar-se-ão diante dele todos os reis, todos os povos o hão-de servir. Socorrerá o pobre que pede auxílio e o miserável que não tem amparo. Terá compaixão dos fracos e dos pobres e defenderá a vida dos oprimidos.
  5. 5. 5 LEITURA II Ef 3, 2-3a.5-6 «Os gentios recebem a mesma herança prometida» Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios Irmãos: Certamente já ouvistes falar da graça que Deus me confiou a vosso favor: por uma revelação, foi-me dado a conhecer o mistério de Cristo. Nas gerações passadas, ele não foi dado a conhecer aos filhos dos homens como agora foi revelado pelo Espírito Santo aos seus santos apóstolos e profetas: os gen- tios recebem a mesma herança que os judeus, pertencem ao mesmo corpo e parti- cipam da mesma promessa, em Cristo Jesus, por meio do Evangelho. Palavra do Senhor. ALELUIA Mt 2, 2 Refrão: Aleluia Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorar o Senhor EVANGELHO Mt 2, 1-12 «Viemos do Oriente adorar o Rei» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está perguntaram eles o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Ao ouvir tal notícia, o rei Herodes ficou perturbado, e, com ele, toda a cidade de Jerusalém. Reuniu todos os príncipes dos sacerdotes e escribas do povo e perguntou -lhes onde devia nascer o Messias. Eles responderam: «Em Belém da Judeia, porque assim está escrito pelo Profeta: ‘Tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as principais ci- dades de Judá, pois de ti sairá um chefe, que será o Pastor de Israel, meu povo’». Então Herodes mandou chamar secretamente os Magos e pediu-lhes informações precisas sobre o tempo em que lhes tinha aparecido a estrela. Depois enviou-os a Belém e disse-lhes: «Ide informar-vos cuidadosamente acerca do Menino; e, quando O encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá- l’O». Ouvido o rei, puseram-se a caminho. E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O. Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra. E, avisados em sonhos para não voltarem à presença de Herodes, regressaram à sua terra por outro caminho. Palavra da salvação.
  6. 6. 6 DOMINGO Batismo do Senhor (11 de janeiro de 2015) LEITURA I Is 42, 1-4.6-7 «Eis o meu servo, enlevo da minha alma» Leitura do Livro de Isaías Diz o Senhor: «Eis o meu servo, a quem Eu protejo, o meu eleito, enlevo da minha alma. Sobre ele fiz repousar o meu espírito, para que leve a justiça às nações. Não gritará, nem levantará a voz, nem se fará ouvir nas praças; não quebrará a ca- na fendida, nem apagará a torcida que ainda fumega: proclamará fielmente a justi- ça. Não desfalecerá nem desistirá, enquanto não estabelecer a justiça na terra, a doutri- na que as ilhas longínquas esperam. Fui Eu, o Senhor, que te chamei segundo a justiça; tomei-te pela mão, formei-te e fiz de ti a aliança do povo e a luz das nações, para abrires os olhos aos cegos, ti- rares do cárcere os prisioneiros e da prisão os que habitam nas trevas». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 28 (29), 1a.2.3ac-4.3b.9b-10 Refrão: O Senhor abençoará o seu povo na paz. Tributai ao Senhor, filhos de Deus, tributai ao Senhor glória e poder. Tributai ao Senhor a glória do seu nome, adorai o Senhor com ornamentos sagrados. A voz do Senhor ressoa sobre as nuvens, o Senhor está sobre a vastidão das águas. A voz do Senhor é poderosa, a voz do Senhor é majestosa. A majestade de Deus faz ecoar o seu trovão, e no seu templo todos clamam: Glória! Sobre as águas do dilúvio senta-Se o Senhor, o Senhor senta-Se como Rei eterno.
  7. 7. 7 LEITURA II Actos 10, 34-38 «Deus ungiu-O com o Espírito Santo» Leitura dos Actos dos Apóstolos Naqueles dias, Pedro tomou a palavra e disse: «Na verdade, eu reconheço que Deus não faz acepção de pessoas, mas, em qualquer nação, aquele que O teme e pratica a justiça é-Lhe agradável. Ele enviou a sua palavra aos filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo, que é o Senhor de todos. Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do baptismo que João pregou: Deus ungiu com a força do Espírito Santo a Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem e curando todos os que eram oprimidos pelo Demónio, porque Deus estava com Ele». Palavra do Senhor. ALELUIA cf. Mc 9, 6 Refrão: Aleluia Abriram-se os céus e ouviu-se a voz do Pai: «Este é o meu Filho muito amado: escutai-O». EVANGELHO Mc 1, 7-11 «Tu és o meu Filho muito amado: em Ti pus a minha complacência» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos Naquele tempo, João começou a pregar, dizendo: «Vai chegar depois de mim quem é mais forte do que eu, diante do qual eu não sou digno de me inclinar para desatar as correias das suas sandálias. Eu baptizo na água, mas Ele baptizar-vos-á no Espírito Santo». Sucedeu que, naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia e foi baptizado por João no rio Jordão. Ao subir da água, viu os céus rasgarem-se e o Espírito, como uma pomba, descer sobre Ele. E dos céus ouviu-se uma voz: «Tu és o meu Filho muito amado, em Ti pus toda a minha complacência». Palavra da salvação. DOMINGO II do tempo Comumr (18 de janeiro de 2015) LEITURA I 1 Sam 3, 3b-10.19 «Falai, Senhor, que o vosso servo escuta» Leitura do Primeiro Livro de Samuel Naqueles dias, Samuel dormia no templo do Senhor, onde se encontrava a arca de Deus. O Senhor chamou Samuel, e ele respondeu: «Aqui estou». E, correndo para junto de Heli, disse: «Aqui estou, porque me chamaste».
  8. 8. 8 Mas Heli respondeu: «Eu não te chamei; torna a deitar-te». E ele foi deitar-se. O Senhor voltou a chamar Samuel. Samuel levantou-se, foi ter com Heli e disse: «Aqui estou, porque me chamaste». Heli respondeu: «Não te chamei, meu filho; torna a deitar-te». Samuel ainda não conhecia o Senhor, porque, até então, nunca se lhe tinha manifes- tado a palavra do Senhor. O Senhor chamou Samuel pela terceira vez. Ele levantou-se, foi ter com Heli e disse: «Aqui estou, porque me chamaste». Então Heli compreendeu que era o Senhor que chamava pelo jovem. Disse Heli a Samuel: «Vai deitar-te; e se te chamarem outra vez, responde: ‘Falai, Senhor, que o vosso servo escuta’». Samuel voltou para o seu lugar e deitou-se. O Senhor veio, aproximou-Se e chamou como das outras vezes: «Samuel, Samuel!». E Samuel respondeu: «Falai, Senhor, que o vosso servo escuta». Samuel foi crescendo; o Senhor estava com ele, e ne- nhuma das suas palavras deixou de cumprir-se. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 39 (40), 2.4ab.7-8a.8b-9.10-1 (R. 8a.9a) Refrão: Eu venho, Senhor, para fazer a vossa vontade. Esperei no Senhor com toda a confiança, e Ele atendeu-me. Pôs em meus lábios um cântico novo, um hino de louvor ao nosso Deus. Não Vos agradaram sacrifícios nem oblações, mas abristes-me os ouvidos; não pedistes holocaustos nem expiações, então clamei: «Aqui estou». «De mim está escrito no livro da Lei que faça a vossa vontade. Assim o quero, ó meu Deus, a vossa lei está no meu coração». Proclamei a justiça na grande assembleia, não fechei os meus lábios, Senhor, bem o sabeis. Não escondi a justiça no fundo do coração, proclamei a vossa bondade e fidelidade.
  9. 9. 9 LEITURA II 1 Cor 6, 13c-15a.17-20 «Os vossos corpos são membros de Cristo» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos :O corpo não é para a imoralidade, mas para o Senhor, e o Senhor é para o corpo. Deus, que ressuscitou o Senhor, também nos ressuscitará a nós pelo seu poder. Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo? Aquele que se une ao Senhor constitui com Ele um só Espírito. Fugi da imoralidade. Qualquer outro pecado que o homem cometa é exterior ao seu corpo; mas o que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Não sa- beis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós e vos foi dado por Deus? Não pertenceis a vós mesmos, porque fostes resgatados por gran- de preço: glorificai a Deus no vosso corpo. Palavra do Senhor. ALELUIA cf. Jo 1, 41.17b Refrão: Aleluia Encontrámos o Messias, que é Jesus Cristo. Por Ele nos veio a graça e a verdade. EVANGELHO Jo 1, 35-42 «Foram ver onde morava e ficaram com Ele» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Naquele tempo, estava João Baptista com dois dos seus discípulos e, vendo Jesus que passava, disse: «Eis o Cordeiro de Deus». Os dois discípulos ouviram-no dizer aquelas palavras e seguiram Jesus. Entretanto, Jesus voltou-Se; e, ao ver que O seguiam, disse-lhes: «Que procu- rais?». Eles responderam: «Rabi – que quer dizer ‘Mestre’ – onde moras?». Disse-lhes Jesus: «Vinde ver». Eles foram ver onde morava e ficaram com Ele nesse dia. Era por volta das quatro horas da tarde. André, irmão de Simão Pedro, foi um dos que ouviram João e seguiram Jesus. Foi procurar primeiro seu irmão Simão e disse-lhe: «Encontrámos o Messias» – que quer dizer ‘Cristo’ e levou-o a Jesus. Fitando os olhos nele, Jesus disse-lhe: «Tu és Simão, filho de João. Chamar-te-ás Cefas» – que quer dizer ‘Pedro’. Palavra da salvação.
  10. 10. 10 DOMINGO III do tempo Comum (25 de janeiro de 2015) LEITURA I Jonas 3, 1-5.10 «Os habitantes de Nínive converteram-se do seu mau caminho» Leitura da Profecia de Jonas A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas nos seguintes termos: «Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive e apregoa nela a mensagem que Eu te direi». Jonas levantou-se e foi a Nínive, conforme a palavra do Senhor. Nínive era uma grande cidade aos olhos de Deus; levava três dias a atravessar. Jonas entrou na cidade, caminhou durante um dia e começou a pregar, dizendo: «Daqui a quarenta dias, Nínive será destruída». Os habitantes de Nínive acreditaram em Deus, proclamaram um jejum e revesti- ram-se de saco, desde o maior ao mais pequeno. Quando Deus viu as suas obras e como se convertiam do seu mau caminho, desistiu do castigo com que os amea- çara e não o executou. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 24 (25), 4bc-5ab.6-7bc.8-9 (R. 4a) Refrão: Ensinai-me, Senhor, os vossos caminhos. Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos, ensinai-me as vossas veredas. Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me, porque Vós sois Deus, meu Salvador. Lembrai-Vos, Senhor, das vossas misericórdias e das vossas graças, que são eternas. Lembrai-Vos de mim segundo a vossa clemência, por causa da vossa bondade, Senhor. O Senhor é bom e recto, ensina o caminho aos pecadores. Orienta os humildes na justiça e dá-lhes a conhecer os seus caminhos.
  11. 11. 11 LEITURA II 1 Cor 7, 29-31 «O cenário deste mundo é passageiro» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios O que tenho a dizer-vos, irmãos, é que o tempo é breve. Doravante, os que têm esposas procedam como se as não tivessem; os que cho- ram, como se não chorassem; os que andam alegres, como se não andassem; os que compram, como se não possuíssem; os que utilizam este mundo, como se real- mente não o utilizassem. De facto, o cenário deste mundo é passageiro. Palavra do Senhor. ALELUIA Mc 1, 15 Refrão: Aleluia Está próximo o reino de Deus; arrependei-vos e acreditai no Evangelho EVANGELHO Mc 1, 14-20 «Arrependei-vos e acreditai no Evangelho» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos Depois de João ter sido preso, Jesus partiu para a Galileia e começou a proclamar o Evangelho de Deus, dizendo: «Cumpriu-se o tempo e está próximo o reino de Deus. Arrependei-vos e acreditai no Evangelho». Caminhando junto ao mar da Galileia, viu Simão e seu irmão André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. Disse-lhes Jesus: «Vinde comigo e farei de vós pescadores de homens». Eles deixaram logo as redes e seguiram Jesus. Um pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, que estavam no barco a consertar as redes; e chamou-os. Eles deixaram logo seu pai Zebedeu no barco com os assalariados e seguiram Jesus. Palavra da salvação.
  12. 12. 12 In http://pt.radiovaticana.va Na sua reflexão para a oração mariana do Angelus no primeiro dia do ano, e ainda na atmosfera festosa do Natal, o Papa Francisco começou por dizer que a Igreja nos convida a fixar o nosso olhar de fé e amor na Mãe de Jesus, a humilde mulher de Nazaré na qual "o Verbo se fez carne e habitou entre nós", reiterando que, por isso, é impossível separar a contemplação de Jesus e a contemplação de Maria, que lhe deu o seu amor e a sua carne humana. Escutamos, prosseguiu o Papa, as palavras de S. Paulo: "Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher" e aquele "nascido de uma mulher", nos diz de maneira essencial e por isso ainda mais forte sobre a verdadeira humanidade do Filho de Deus, ou seja, que o "nosso Salvador foi verdadeiramente homem e disso veio a salvação de toda a humanidade". E acrescentou: Mas São Paulo também acrescenta: "nascido sob a lei". Com esta expressão ele sublinha que Cristo assumiu a condição humana libertando-a da mentalidade lega- lista fechada. A lei, de facto, sem a graça, torna-se um jugo insuportável e, em vez de fazer-nos bem nos faz mal. Eis, pois, a finalidade pela qual Deus envia o seu Fi- lho ao mundo para se tornar homem: uma finalidade de libertação, ou melhor, de regeneração. Libertação, "para resgatar os que estavam sob a lei"; e o resgate veio com a morte de Cristo na cruz. Mas, sobretudo de regeneração "para que recebês- semos a adopção de filhos". De facto, explica o Papa, incorporados os homens tornam-se verdadeiramente fi- lhos de Deus, e esta maravilhosa passagem tem lugar em nós pelo Bap6smo que nos transforma em membros vivos em Cristo e nos incorpora na sua Igreja, tendo ainda reiterado que agora, no início de um novo ano, nos faz lembrar o dia do nos- so Bap6smo para redescobrirmos o presente recebido neste sacramento que nos regenerou para uma vida nova, isto é, a vida divina. E tudo isto acontece através da Mãe Igreja, que tem como modelo a Mãe Maria e, graças ao bap6smo, fomos introduzidos na comunhão com Deus, e não já estamos à mercê do mal e do peca- do, mas recebemos o amor, a ternura, a misericórdia do Pai celeste. E prosseguiu ainda o Santo Padre:
  13. 13. 13 Essa proximidade de Deus à nossa existência dá-nos a verdadeira paz, o dom divi- no que queremos implorar especialmente hoje, Dia Mundial da Paz. "Não mais escravos, mas irmãos": eis a Mensagem deste Dia. Uma mensagem que afecta a todos nós. Todos nós somos chamados a combater todas as formas de escravidão e a construir a fraternidade. Todos, cada qual segundo a sua responsabilidade. E a todos o Papa convidou a apresentar a Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, os bons propósitos, pedindo para que ela estenda sobre nós e sobre todos os dias do novo ano o manto da sua protecção maternal. E convidou aos fiéis presentes a in- vocar a Maria com o :tulo: Santa Mãe de Deus! Depois do Angelus o Papa dirigiu aos milhares de fiéis reunidos na Praça de S. Pe- dro e aos peregrinos provenientes de Roma e de vários Países do mundo uma cor- dial saudação com os melhores votos de um feliz e sereno ano novo. E a propósito do Dia Mundial da Paz, acrescentou: Neste momento estamos ligados com Rovereto, região do Tren6no, onde se en- contra o grande sino chamado "Maria Dolens", realizado em homenagem aos caí- dos de todas as guerras e benzido pelo Beato Paulo VI em 1965. Em breve ouvire- mos o toque daquele sino. Que ele seja a esperança de que nunca mais haja guer- ras, mas sempre desejo e empenho de paz e fraternidade entre os povos. E o Papa concluiu com os votos de um bom ano para todos, um ano de paz no abraço de ternura do Senhor e com a protecção materna de Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe. Bom almoço e … arrivederci
  14. 14. 14 Reze pelas Intenções do Papa Neste mês de Janeiro UNIVERSAL—Promover a paz Para que as pessoas de diferentes tradições religio- sas e todos os homens de boa vontade colaborem na promoção da paz. PELA EVANGELIZAÇÃO—Ano da vida consagrada Para que, neste ano dedicado à vida consagrada, os religiosos e religiosas descubram a alegria de seguir a Cristo e se dediquem zelosamente ao ser- viço dos pobres. ORAÇÃO Senhor Deus, ainda a celebrar o nascimento do Teu Filho Jesus, Príncipe da Paz, recordo o imenso amor que tens pelos teus filhos, ao quereres con6nuamente dar-Te a cada um deles. O dom mais precioso que Te peço é a paz, no meu coração e no coração do mundo. Em tantos lugares, a paz não existe e são os mais pequenos e os mais pobres os pri- meiros a sen6r os efeitos da guerra. Faz com que os que acreditam em Ti, de todas as religiões, possam colaborar entre si para a construção da Paz no mundo. Peço-Te também por todos os religiosos, neste ano da vida consagrada, que sejam modelo e inspiração para a paz, ao serviço dos mais pobres. Pai Nosso; Avé Maria; Glória… DESAFIOS PARA ESTE MÊS: - Ter um olhar mais atento à realidade do mundo e não ser indiferente à falta de paz em tantos países. - Ver, no meu contexto, onde posso ser construtor de paz. - Procurar conhecer algum ins6tuto religioso e manifestar a minha proximidade e oração pela sua missão.
  15. 15. 15
  16. 16. 16
  17. 17. 17
  18. 18. 18 BOLO REI DE CHOCOLATE 100g de leite 100g de margarina 1 colher de chá de leite em pó gor- do (opcional) 70g de açúcar amarelo 10g de fermento fresco 1 colher de café de sal 3 ovos 480g de farinha tipo 55 Raspa de 2 laranjas 30g de vinho do Porto 1 chávena de frutos secos (nozes, avelãs, pinhões) 200g de chocolate de culinária Para decorar 3 colheres de sopa de açúcar em pó 2 colheres de sopa de geleia diluída com 1 colher de chá de água Misture com uma colher o fermento com o leite morno. Junte as raspas da laranja, o vinho do Porto, a margarina, o açúcar, os ovos levemen- te batidos, a farinha, o leite em pó e o sal. Amasse bem. Quando a massa estiver pronta certifique-se que se despega das paredes da tigela. Se isso não acontecer junte mais farinha. Junte os frutos secos e o chocolate partido em pedaços grandes e incorpore-os na massa (reserve alguns para decorar no final), envolvendo bem com as mãos. Deixe levedar até duplicar de tamanho (pode deixar de um dia para o outro), forme uma coroa com a massa, pincele com geleia e coloque por cima os restantes frutos secos, intercalando com pedaços de açúcar em pó. Leve ao forno quente durante 20 min a 180º e pincele novamente com geleia. PASTEIS DE NATA Pronto em: 45 minutos.; 12 pessoas Ingredientes: 600 g de Massa folhada pronta; 6 Gemas de Ovo; 120 g de Açúcar; 3 dl de natas; Canela em pó; Açúcar em pó; Margarina para untar. Preparação: Por o forno a aquecer a 200ºC. Estender a massa folhada e untar várias forminhas li- sas, próprias para empadas, muito bem com a marga- rina e forre com a massa folhada recortando a massa em ex- cesso à sua volta. Numa panela, juntar as natas com o açúcar e as gemas. Misturar tudo muito bem com uma colher de pau ou uma vareta de arames. Levar esta mistura ao forno brando ten- do o cuidado de ir sempre mexendo, com a vara de arames, até que comece a borbu- lhar. Distribuir o creme pelas forminhas e levar ao forno bem quente. Deixar os pasteis a cozer até que fiquem alourados. Retire do forno, deixando-os esfri- ar um pouco antes de os desenformar.
  19. 19. 19
  20. 20. 20 Com a colaboração do JES Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro. 2015 Lua cheia Lua nova Quarto crescente Quarto Minguante JANEIRO Semeia-se: agriões, aipo, alho pôrro, alfaces de Inverno, beterra- ba para salada, cebolas, chicórias, coentros, couves diversas próprias da época, ervilhas, espinafres, fa- vas, nabiças, rabanetes, salsa e tomates. Planta-se: morangos. Poda e limpeza das árvores de fruta.

×