Redes Mesh - Introdução

7.321 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.321
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
76
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redes Mesh - Introdução

  1. 1. REDES MESH Jean Pimentel Orientado por Eduardo Pagani Introdução
  2. 2. Agenda <ul><li>Definição </li></ul><ul><li>Origem </li></ul><ul><li>Motivações </li></ul><ul><li>Vantagens </li></ul><ul><li>Desafios </li></ul>
  3. 3. Definição <ul><li>São redes com topologia dinâmica constituídas por nós cuja comunicação, no nível físico, é feita através de uma das variantes do padrão IEEE 802.11, e cujo roteamento é dinâmico. </li></ul>
  4. 4. Rede Wireless WIRED BACKBONE AP AP CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT
  5. 5. Rede Wireless WIRED BACKBONE AP CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT Acess Point é retirado Clientes sem acesso
  6. 6. Rede Wireless MESH WIRED BACKBONE AP CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT CLIENT
  7. 7. Origem <ul><li>Paul Baran no início dos anos 60. </li></ul><ul><li>Imaginou uma rede com links de microondas ponto-a-ponto. </li></ul><ul><li>Foram implementadas na ARPANET. </li></ul><ul><li>Anos 70 e 80, criação de muitos dos algoritmos, técnicas e protocolos. </li></ul>
  8. 8. Motivações <ul><li>Redes sem fio podem ser aproveitadas para reduzir o custo da “última milha”. </li></ul><ul><li>Evita custo da passagem de fios até os usuários finais. </li></ul><ul><li>Acesso a locais onde é difícil ou impossível a criação de redes com fios. </li></ul>
  9. 9. Realidade da Internet no Brasil <ul><li>1º país da América Latina e 5ª país do Mundo em número de usuários </li></ul><ul><li>4º país na América Latina e o 62ª país do Mundo em relação ao percentual da população que tem acesso à internet. </li></ul><ul><li>Problema: Custo da “última milha” </li></ul>
  10. 10. Vantagens <ul><li>Custo </li></ul><ul><ul><li>Custo dos links sem fios já é mais baixo que o de criar novos pontos de acesso com fios. </li></ul></ul><ul><li>Simplicidade </li></ul><ul><ul><li>Com roteamento dinâmico, a instalação resume-se a instalar um software no PC do usuário final. </li></ul></ul>
  11. 11. Vantagens (cont.) <ul><li>Robustês </li></ul><ul><ul><li>Com roteamento dinâmico, dificilmente será necessário um administrador da rede. Se mudam as condições da rede como adição ou remoção de um nó, ou interferência em um link, a rede se adapta sem interferência humana. </li></ul></ul><ul><ul><li>O termo “malha” significa que a maioria dos nós está conectada com mais que um nó. </li></ul></ul>
  12. 12. Desafios <ul><li>Degradação da largura de banda </li></ul><ul><ul><li>Meio de transmissão é o ar e é necessária a mesma freqüência </li></ul></ul><ul><ul><li>Então, apenas um nó pode transmitir de cada vez. </li></ul></ul><ul><ul><li>Nas arquiteturas convencionais (com ou sem fios), a largura de banda é dividida por N nós. Geralmente nem todos estão se comunicando simultaneamente e o número de pontos de acesso é adequado ao número de nós. </li></ul></ul>
  13. 13. Desafios (cont.) <ul><li>Degradação da largura de banda (cont) </li></ul><ul><ul><li>Em redes mesh, o problema aumenta exponencialmente com o número de nós em determinada rota, pois cada nó só pode usar 1/N do tempo para transmitir pacotes ao próximo nó. </li></ul></ul><ul><ul><li>Geralmente, quase todo o tráfego será direcionado pro nó que tem conexão com a rede fixa. A situação dos nós mais distantes pode se tornar insustentável. </li></ul></ul>
  14. 14. Desafios (cont.)
  15. 15. Desafios (cont.) <ul><li>Segurança </li></ul><ul><ul><li>Dificuldade em garantir a privacidade dos dados trafegados entre os nós. </li></ul></ul><ul><ul><li>Hoje não há criptografia embutida, e o usuário deve utilizar protocolos seguros ponto-a-ponto (HTTPS e SSH) quando precisar de privacidade. </li></ul></ul><ul><ul><li>Permissão de acesso à rede. Utilização de chaves compartilhadas para autenticação, mas com muitos indivíduos diferentes, as chances que a chave “vaze” é muito grande. </li></ul></ul>
  16. 16. Próximos estudos <ul><li>Protocolos de roteamento </li></ul><ul><li>Qualidade de Serviços </li></ul><ul><li>Segurança </li></ul>
  17. 17. Bibliografia <ul><li>SAADE, D. C. M.; ALBUQUERQUE, C. V. N.; MAGALHÃES, L. C. S.; PASSOS D.; DUARTE J.; VALLE, R. Redes em Malha: Solução de Baixo Custo para Popularização do Acesso à Internet no Brasil . XXV Simpósio Brasileiro de Telecomunicações – SBrT 2007, 03-06 de Setembro, 2007, Recife, Pernambuco, Brasil. </li></ul><ul><li>BREUEL, C. M.; Redes em malha sem fios . Artigo da disciplina Computação Móvel, Instituto de Matemática e Estatística, Universidade de São Paulo, Dezembro, 2004, São Paulo, São Paulo, Brasil. </li></ul>

×