Museus de Ciência e formação de educadores e professores: -  Encontros e Desencontros - Adelina Machado João Carlos Sousa ...
Índice <ul><li>O Centro Ciência Viva da Amadora </li></ul><ul><li>Os modernos centros de ciência </li></ul><ul><li>As expo...
O Centro Ciência Viva da Amadora <ul><ul><li>Espaço interactivo de divulgação científica e tecnológica </li></ul></ul><ul>...
Os modernos centros de ciência Actividades  hands-on  e de  enquiry Aprendizagem por descoberta
Objectivos dos modernos centros de ciência <ul><li>Divulgar a cultura científica e tecnológica  </li></ul><ul><li>Estimula...
Aprendizagens nos centros de ciência <ul><li>A centralidade do aprendente na abordagem pedagógica </li></ul><ul><li>A valo...
Aprendizagem formal e não-formal <ul><ul><li>Formal </li></ul></ul><ul><ul><li>Informal </li></ul></ul><ul><ul><li>Não For...
As exposições do CCVA <ul><li>Arquitectura e urbanismo (2003 - 2008) </li></ul><ul><li>A casa com os olhos da ciência (200...
Uma visita ao CCVA <ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=mFzLzFMp-94 </li></ul><ul><li>Exposição do espaço </li></ul><ul>...
Desafios (I) <ul><li>Como ajudar a pessoa a formar a  sua própria identidade enquanto cidadão? </li></ul><ul><li>É duma pr...
Desafios (II) <ul><li>Como proporcionar à pessoa ambientes geradores de uma prática activa / formativa em cidadania? </li>...
Desafios (III) <ul><li>Complementaridade das funções do museu de ciência e da Escola (o museu pode contribuir para a forma...
Demografia dos vistantes <ul><li>95% crianças (menos de 16 anos) maioritariamente integradas em grupos escolares </li></ul...
As visitas de estudo vistas a partir do CCVA <ul><li>Carácter da visita </li></ul><ul><ul><li>lúdica; </li></ul></ul><ul><...
Características dos Grupos escolares <ul><li>grupos organizado </li></ul><ul><li>razoavelmente  homogéneos sob o ponto de ...
O ensino experimental das ciências visto a partir do CCVA <ul><li>Calendário </li></ul><ul><li>Objectivo  </li></ul><ul><l...
Respostas do CCVA (I) <ul><li>intervenção não formal </li></ul><ul><ul><li>análise dos currículos; </li></ul></ul><ul><ul>...
Respostas do CCVA (II) <ul><li>intervenção formal </li></ul><ul><ul><li>Curso de formação de professores do 1º Ciclo: &quo...
Exemplos de projectos <ul><li>(Projecto 1)  Experimentar – Partilhar – Comunicar :  um projecto colaborativo de descoberta...
Fases do projecto 1 <ul><li>Identificação das escolas envolvidas no projecto </li></ul><ul><li>Levantamento das ideias pré...
Fases do projecto 2 <ul><li>Identificação das escolas envolvidas e do tema do projecto </li></ul><ul><li>Recolha dos conce...
Projecto 1 – Registo da actividade experimental
Projecto 2 – A comunicação
Projecto 1 – A opinião dos professores
Curso de formação <ul><li>Organização: </li></ul><ul><li>Módulo 1 – &quot;Ambientes Formais e Informais de Aprendizagem&qu...
Relatos dos professores (I) <ul><li>A avaliação que faço à visita realizada, com os alunos, ao CCVA foi positiva. Os aluno...
Relatos dos professores (II) <ul><li>A preparação cuidada das Visitas de Estudo [...] revela-se de extrema importância par...
Relatos dos professores (III) <ul><li>Esta acção levou-me a repensar na importância da interacção que deverá existir entre...
Relatos dos professores (IV) <ul><li>[...] colmatar lacunas existentes nesta área, uma vez que a maioria dos docentes não ...
Relatos dos professores (IV) <ul><li>[…] visitar um Centro de Ciência Viva é uma experiência totalmente diferente já que é...
Relatos dos professores (V) <ul><li>[...] é extremamente importante que na preparação da visita, o professor tenha em cont...
Relatos dos professores (VI) <ul><li>Foi importante também reconhecer o papel do professor, não como docente, mas como ori...
O que o centro ganhou com esta intervenção <ul><li>Proximidade à comunidade </li></ul><ul><li>Boas práticas </li></ul><ul>...
Contactos <ul><li>Maria Adelina Machado  [email_address] [email_address]   </li></ul><ul><li>João Carlos Sousa  [email_add...
Decurso da Actividade (1)
Decurso da Actividade (2)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Museus de Ciência e formação de professores e educadores

1.386 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.386
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Museus de Ciência e formação de professores e educadores

  1. 1. Museus de Ciência e formação de educadores e professores: - Encontros e Desencontros - Adelina Machado João Carlos Sousa Coordenadores Educativos Centro Ciência Viva da Amadora
  2. 2. Índice <ul><li>O Centro Ciência Viva da Amadora </li></ul><ul><li>Os modernos centros de ciência </li></ul><ul><li>As exposições do CCVA </li></ul><ul><li>Aprendizagem formal e não-formal </li></ul><ul><li>Desafios </li></ul><ul><li>As visitas de estudo e o ensino experimental das ciências vistos a partir do CCVA </li></ul><ul><li>Respostas </li></ul>
  3. 3. O Centro Ciência Viva da Amadora <ul><ul><li>Espaço interactivo de divulgação científica e tecnológica </li></ul></ul><ul><ul><li>Plataforma de desenvolvimento regional </li></ul></ul>
  4. 4. Os modernos centros de ciência Actividades hands-on e de enquiry Aprendizagem por descoberta
  5. 5. Objectivos dos modernos centros de ciência <ul><li>Divulgar a cultura científica e tecnológica </li></ul><ul><li>Estimular a curiosidade do visitante </li></ul><ul><li>Despertar-lhe o gosto pela investigação pessoal </li></ul><ul><li>Promover modalidades não - formais de ensino de ciência que decorrem paralelamente ao ensino formal que acontece nas escolas. </li></ul><ul><ul><li>(Maarschalk, 1988) </li></ul></ul>
  6. 6. Aprendizagens nos centros de ciência <ul><li>A centralidade do aprendente na abordagem pedagógica </li></ul><ul><li>A valorização da experiência como factor de aprendizagem </li></ul><ul><li>A promoção da participação activa e voluntária em ambientes não hierárquicos </li></ul><ul><li>A predominância da avaliação qualitativa, contínua e participada por todos </li></ul><ul><li>Proporciona um contexto de aprendizagem que favorece o desenvolvimento de determinadas competências – essencialmente pessoais e sociais </li></ul><ul><li>Conducente a processos de transformação pessoal e colectiva. </li></ul>
  7. 7. Aprendizagem formal e não-formal <ul><ul><li>Formal </li></ul></ul><ul><ul><li>Informal </li></ul></ul><ul><ul><li>Não Formal </li></ul></ul>
  8. 8. As exposições do CCVA <ul><li>Arquitectura e urbanismo (2003 - 2008) </li></ul><ul><li>A casa com os olhos da ciência (2006 – 2010) </li></ul><ul><li>A Aventura Espacial (2008 - 2012) </li></ul>
  9. 9. Uma visita ao CCVA <ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=mFzLzFMp-94 </li></ul><ul><li>Exposição do espaço </li></ul><ul><li>http://picasaweb.google.com/ccvamadora </li></ul><ul><li>http://www.amadora.cienciaviva.pt/ </li></ul>
  10. 10. Desafios (I) <ul><li>Como ajudar a pessoa a formar a sua própria identidade enquanto cidadão? </li></ul><ul><li>É duma prática educativa / formativa em e na cidadania, contextualizada em projectos de aprendizagem que pode emergir a compreensão da importância do empenhamento e do envolvimento de cada pessoa na vida comunitária construindo em permanência a sua identidade. José Tomás Patrocínio, Educação, Cidadania e Redes Infocomunicacionais. </li></ul>
  11. 11. Desafios (II) <ul><li>Como proporcionar à pessoa ambientes geradores de uma prática activa / formativa em cidadania? </li></ul><ul><li>Aprende-se sendo! </li></ul><ul><li>e nunca se acaba de aprender! </li></ul>
  12. 12. Desafios (III) <ul><li>Complementaridade das funções do museu de ciência e da Escola (o museu pode contribuir para a formação científica dos jovens de uma forma que a escola não pode oferecer) </li></ul><ul><li>Estimular o interesse dos jovens por ciência, e aumentar o seu entusiasmo em aprender mais sobre ciência </li></ul><ul><li>Disponibilidade de recursos físicos e humanos que permitem a construção de ambientes em que o aluno experimenta - em contexto - aspectos concretos de conceitos científicos </li></ul>
  13. 13. Demografia dos vistantes <ul><li>95% crianças (menos de 16 anos) maioritariamente integradas em grupos escolares </li></ul><ul><li>Os visitantes distribuem-se de acordo com as seguintes categorias (dados de 2008) : </li></ul><ul><ul><li>grupos escolares - 25% </li></ul></ul><ul><ul><li>grupos familiares - 5% </li></ul></ul><ul><ul><li>eventos (outreach) - 50% </li></ul></ul><ul><ul><li>festas de aniversário - 20% </li></ul></ul>
  14. 14. As visitas de estudo vistas a partir do CCVA <ul><li>Carácter da visita </li></ul><ul><ul><li>lúdica; </li></ul></ul><ul><ul><li>abordagem inicial a um tema; </li></ul></ul><ul><ul><li>reforço à aprendizagem; </li></ul></ul><ul><ul><li>substituição de aulas. </li></ul></ul><ul><li>Atitude do professor </li></ul><ul><ul><li>passiva; </li></ul></ul><ul><ul><li>activa. </li></ul></ul>
  15. 15. Características dos Grupos escolares <ul><li>grupos organizado </li></ul><ul><li>razoavelmente  homogéneos sob o ponto de vista etário e cultural </li></ul><ul><li>facilita o desenvolvimento de actividades e a abordagem das temáticas associadas. </li></ul>
  16. 16. O ensino experimental das ciências visto a partir do CCVA <ul><li>Calendário </li></ul><ul><li>Objectivo </li></ul><ul><li>Modalidade de realização </li></ul><ul><li>Recursos disponíveis </li></ul>
  17. 17. Respostas do CCVA (I) <ul><li>intervenção não formal </li></ul><ul><ul><li>análise dos currículos; </li></ul></ul><ul><ul><li>acompanhamento pro-activo das marcações; </li></ul></ul><ul><ul><li>preparação conjunta de visitas; (incluindo acompanhamento de visitas de reconhecimento) </li></ul></ul><ul><ul><li>proposta de actividades existentes (a la carte) </li></ul></ul><ul><ul><li>proposta de desenvolvimento de novas actividades; </li></ul></ul><ul><ul><li>proposta de co-autoria de actividades; </li></ul></ul><ul><ul><li>promoção e apoio ao desenvolvimento de projectos. (tendo em vista a promoção de boas práticas) </li></ul></ul>
  18. 18. Respostas do CCVA (II) <ul><li>intervenção formal </li></ul><ul><ul><li>Curso de formação de professores do 1º Ciclo: &quot;Centros e Museus de Ciência como Centros de Recursos para o Ensino Experimental das Ciências&quot; </li></ul></ul><ul><li>http://www.pavconhecimento.pt/formacao/cursos/centros_museus/centros_museus.html </li></ul>591 professores mais de 11 000 alunos 8 Centros Ciência Viva
  19. 19. Exemplos de projectos <ul><li>(Projecto 1) Experimentar – Partilhar – Comunicar : um projecto colaborativo de descoberta da Ciência – Falar e escrever com a Ciência </li></ul><ul><li>(Projecto 2) Europa das Descobertas e outras invenções Científicas : Balão de ar quente </li></ul>
  20. 20. Fases do projecto 1 <ul><li>Identificação das escolas envolvidas no projecto </li></ul><ul><li>Levantamento das ideias pré-concebidas dos alunos sobre o tema: “O ar em movimento”. </li></ul><ul><li>Pesquisa de informação pelos alunos </li></ul><ul><li>Realização de experiências </li></ul><ul><li>Partilha / troca de informações entre as escolas </li></ul>Registo e reflexão destas fases do projecto em portfólio
  21. 21. Fases do projecto 2 <ul><li>Identificação das escolas envolvidas e do tema do projecto </li></ul><ul><li>Recolha dos conceitos pré-existentes </li></ul><ul><li>Pesquisas na Internet </li></ul><ul><li>Realização de Experiências sobre as propriedades do ar </li></ul><ul><li>Construção e lançamento de um balão de ar quente </li></ul><ul><li>Construção de um cartaz </li></ul><ul><li>Partilha / troca de informação </li></ul><ul><li>7.1. Via e-mail </li></ul><ul><li>7.2. Videoconferência </li></ul>Registo e reflexão destas fases do projecto em portfólio
  22. 22. Projecto 1 – Registo da actividade experimental
  23. 23. Projecto 2 – A comunicação
  24. 24. Projecto 1 – A opinião dos professores
  25. 25. Curso de formação <ul><li>Organização: </li></ul><ul><li>Módulo 1 – &quot;Ambientes Formais e Informais de Aprendizagem&quot; </li></ul><ul><li>Módulo 2 – &quot;Como Preparar uma Visita Escolar?&quot; </li></ul><ul><li>Módulo 3 – &quot;Como acontece uma Visita Escolar?&quot; </li></ul><ul><li>Módulo 4 – &quot;Actividades de Reforço Após uma Visita Escolar&quot; </li></ul><ul><li>Módulo 5 – “Prática em Contexto de Trabalho” </li></ul><ul><li>Módulo 6 – “Visitas de Estudo” </li></ul><ul><li>Avaliação por portefólio </li></ul>
  26. 26. Relatos dos professores (I) <ul><li>A avaliação que faço à visita realizada, com os alunos, ao CCVA foi positiva. Os alunos sabiam as actividades que iriam desenvolver, para onde iam, o que iriam ver e o que iriam fazer. </li></ul>
  27. 27. Relatos dos professores (II) <ul><li>A preparação cuidada das Visitas de Estudo [...] revela-se de extrema importância para que os objectivos propostos com as visitas sejam alcançados. </li></ul>
  28. 28. Relatos dos professores (III) <ul><li>Esta acção levou-me a repensar na importância da interacção que deverá existir entre a escola e estes centros de recursos reflectindo ainda na necessidade de explorar as diferentes actividades a desenvolver com os alunos antes, durante e após cada visita. </li></ul>
  29. 29. Relatos dos professores (IV) <ul><li>[...] colmatar lacunas existentes nesta área, uma vez que a maioria dos docentes não teve oportunidades significativas neste domínio na sua formação inicial. </li></ul>
  30. 30. Relatos dos professores (IV) <ul><li>[…] visitar um Centro de Ciência Viva é uma experiência totalmente diferente já que é um museu interactivo, havendo a possibilidade de interagir com o que está exposto. Nestes locais os alunos experienciam, tocam, brincam e descobrem. </li></ul>
  31. 31. Relatos dos professores (V) <ul><li>[...] é extremamente importante que na preparação da visita, o professor tenha em conta o &quot;antes”, o “durante” e o “após a visita&quot;, algo que por vezes é um pouco esquecido. </li></ul>
  32. 32. Relatos dos professores (VI) <ul><li>Foi importante também reconhecer o papel do professor, não como docente, mas como orientador e dinamizador no contexto do museu [...]. Se o professor conseguir assumir esse papel, caberá aos alunos criarem os seus próprios desafios, analisarem o espaço por onde circulam e desenvolverem um espírito auto-crítico e trabalho conjunto com os restantes colegas. </li></ul>
  33. 33. O que o centro ganhou com esta intervenção <ul><li>Proximidade à comunidade </li></ul><ul><li>Boas práticas </li></ul><ul><li>Recursos </li></ul><ul><li>Número crescente de visitantes </li></ul>
  34. 34. Contactos <ul><li>Maria Adelina Machado [email_address] [email_address] </li></ul><ul><li>João Carlos Sousa [email_address] </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>Centro Ciência Viva da Amadora http://www.amadora.cienciaviva.pt Moodle: http://ccva.net.educom.pt </li></ul>
  35. 35. Decurso da Actividade (1)
  36. 36. Decurso da Actividade (2)

×